História Beauty And The Beast - Capítulo 55


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais, Selena Gomez
Visualizações 293
Palavras 2.166
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, nem demorei né? 😂😂💓

Obrigada pelos favoritos e comentários! 💖

Obs: Não revisei, 🙈 Desculpa os erros...

Boa leitura! ❤🎀

Capítulo 55 - Jeremy Vs Justin (1)


"Jeremy está planejando nos atacar semana que vem."

Essa frase me atingiu de uma maneira absurda, não só pelo fato do nosso último encontro ter terminado de forma catastrófica, mas por todo o conjunto da obra. 

Primeiro, não estávamos preparados para um combate corpo a corpo com Jeremy. Segundo, sabíamos que ele é capaz de qualquer coisa e não vai vir aqui bater um papo. Terceiro... não tem um "terceiro" motivo, mas acho que vocês entenderam.

O fato é que haverá sangue. Muito sangue. Honestamente, eu esperava que esse confronto fosse chegar algum dia, mas não agora. Não estou com medo, não é isso, porém confesso que a ansiedade e  o nervosismo estão me dominando.

- Selena? - Ouvi Justin me chamar, tirando-me do meu desvaneio e eu o encarei ainda aérea. - Você ouviu o que eu disse? - Questionou com as sobrancelhas arqueadas.

- Claro. - Respondi óbvia. - O papai Jeremy vem aí. - Sorri cínica, tentando disfarçar a tensão e ele revirou os olhos. - O que você pretende fazer? - Perguntei o olhando.

- Esperar ele vir e revidar, lógico. - Disse simples.

- Só isso? 

- É. - Deu de ombros. - O que mais você quer que eu faça?

- Se preparar, não é óbvio Justin? A gente precisa montar um plano, reforçar a segurança, estudar todas as saídas da casa detalhadamente, e sem falar que... - Fui interrompida por Bieber que colocou seu dedo indicador em meus lábios.

- Relaxe, baby. - Sussurrou. - Não precisa se preocupar, está tudo sob controle. - Piscou um olho convencido e eu estava prestes a abrir a boca para protestar, mas ele me deu um selinho demorado, me fazendo permanecer calada. - Só confia em mim, tá legal? - Sussurrou contra meus lábios e eu suspirei assentindo.

- Eu quero Jacob longe disso. - Afirmei e foi a vez dele assentir.

- Vai ficar tudo bem, isso vai acabar em breve. Eu prometo. - Falou sério e eu sorri plantando um beijo na pontinha do seu nariz o fazendo sorrir também. 

- É tudo que eu mais quero no mundo. Não vejo a hora de me livrar de Jeremy e toda  a sua trupe. - Falei suspirando. 

Justin não disse nada, apenas respirou fundo e me puxou para um abraço apertado. Encostei minha cabeça em seu peito e descansei em seus braços, deixando que o receio e a tensão sumisse do meu corpo.

(...)


                               Alguns dias depois


É hoje. 

Quase não dormi noite passada e tive a impressão que Justin também não, porém nenhum de nós comentou a insônia quando levantamos pela manhã.

Os últimos dias foram bastante estressantes, vivíamos brigando por coisas banais, mas nada que não resolvessêmos em questões de minutos. Porém, ainda assim estávamos evitando ficar muito tempo juntos ou acabaríamos saindo no soco por causa da pressão que sentíamos tomar conta dos nossos seres.

Mas essa tensão toda não se resumia apenas a mim e Justin, longe disso, toda a equipe estava pertubada. Sabíamos que o dia de hoje seria decisivo, não haveria uma segunda chance, a regra é clara e única: "Matar ou morrer."

Isso vai além de qualquer rixa de gangues, ou acertos de contas por eles terem matado meus pais, o que estávamos prestes a fazer era nada mais, nada menos que ver pai e filho se enfrentando em um combate mortal. Tudo isso se voltou único e exclusivamente para Jeremy e Justin... Ou melhor: Jeremy Vs Justin.

Claro que esperamos por um resultado positivo para nossa equipe, quero que Dylan, Caitlin, Christian e Crystal morram, eu vou lutar para que isso aconteça com unhas e dentes, mas o grande acontecimento da noite vai ser ver como terminará o encontro entre Justin e seu pai.

Hailey ligou ontem para nos contar alguns detalhes sobre a tal invasão. Não há muito segredo: Eles vão atacar por os quatro cantos da mansão e nos pegar desprevenido, o que não vai acontecer, óbvio. Quando eles conseguirem colocar um pé dentro da casa vão encontrar armas apontadas para suas cabeças.

Só precisamos que as coisas não saiam do nosso controle e tudo terminará bem.

Jacob não está mais na mansão, desde ontem Alyson o levou para um lugar protegido, preferimos não saber onde é, caso a coisa fique feia e haja uma tortura para algum da gente, não acredito que nenhum de nós fosse abrir a boca, mas é melhor não arriscar.

- Tá pensativa docinho? - Ouvi Ryan perguntar e eu o olhei fazendo uma careta.

- De onde você brotou, garoto? - Perguntei me ajeitando no sofá e fitando a TV que passava um filme qualquer.

- Ué, aqui é minha casa também. - Falou simples.

- É, mas eu estava aqui sozinha e... quer saber? Esquece. - Revirei os olhos e ele riu. - Cadê o Justin? - Perguntei mudando de assunto.

- Tá no escritório falando com o Nolan. - Respondeu arrancando o controle da minha mão e trocando de canal. 

- Você acha que a gente vai conseguir? - Perguntei depois de um tempo em silêncio e Ryan me olhou arqueando as sobrancelhas. - O que eu tô querendo dizer é... acha que temos chance contra o Jeremy? 

- Que pergunta idiota, é claro que temos! - Respondeu óbvio. - Por que? Você acha que não? - Questionou sério e eu suspirei.

- Sinceramente, eu não sei o que achar. Justin é ótimo no que faz, mas Jeremy... ele conseguiu forjar a própria morte por anos, a gente pode esperar qualquer coisa de uma pessoa assim e sem contar que ele não está sozinho, tem um exército de cobras ao seu lado. - Falei bufando e Ryan riu concordando. 

- Mas não se esqueça que Justin também não está sozinho. - Ele falou ficando sério agora. - O Bieber é o meu melhor amigo e tudo que eu puder fazer para mantê-lo seguro esse noite, eu vou fazer. - Garantiu.

- Eu tenho certeza disso. - Sorri pequeno. - Mas... - Respirei fundo. - Eu tenho medo. - Confessei e Ryan me olhou esperando minha continuação. - Tenho medo dessa noite terminar mal, tenho medo de alguma coisa acontecer com o Justin ou com algum de vocês, eu tenho medo da gente fracassar e... tenho ainda mais medo de Jacob ficar sozinho. - Falei a última frase num sussurro. 

- Não precisa ter medo, Sel, vai ficar tudo bem. - Ryan falou me puxando para um abraço. - Jeremy pode ser um tremendo filho da puta, mas  como filho de peixe, peixinho é, Justin é mil vezes pior. - Falou e eu ri fraco.

- Acho que você tem razão.

- Eu sempre tenho. - Se gabou e eu lhe dei um tapa no braço, me afastando dele, mas ao erguer meu rosto, me deparei com Justin parado em pé no corredor que ligava a sala ao seu escritório nos olhando com uma cara nada boa.

- Atrapalho alguma coisa? - Perguntou  seco arqueando as sobrancelhas e eu revirei os olhos. 

- Claro, eu e Ryan estávamos prestes a transar aqui mesmo. - Respondi cínica e ele me fuzilou com os olhos.

- Wow! - Ryan exclamou rindo surpreso. - Calma aí garotinha, eu sou muito jovem para morrer. - Falou se afastando de mim e olhando para Justin. - A gente só tava conversando, ela é toda sua, cara. E pra ser sincero, Selena nem faz o meu tipo, eu prefiro as...

- Cala a boca Butler. - Bieber resmumgou o interrompendo. - Eu quero que você ajude Nolan com umas paradas, ele tá lá no escritório, vaza daqui. - Falou indiferente e Ryan se levantou do sofá a passos largos, passando por Justin sem ao menos o olhar e eu senti vontade de rir. Mas é um frouxo mesmo. 

- O que você e o Nolan estavam conversando? - Perguntei quando Justin se sentou ao meu lado. 

- Não te interessa. - Respondeu seco. 

- Grosso. - Resmunguei cruzando os braços.

- O que você tava fazendo agarrada com o Ryan? - Perguntou me olhando. 

- Não te interessa. - Rebati, afinal, nós dois podemos jogar esse jogo.

- Eu não estou brincando Selena. - Falou sério e eu revirei os olhos, impaciente. - Por que estavam se agarrando? 

- A gente não tava se agarrando. - Bufei. - Foi apenas um abraço. 

- E quem te deu permissão para abraçar um homem que não fosse eu? - Perguntou franzindo a testa e eu ri irônica. 

- Me poupe, Justin Bieber. - Ri ainda mais. - Eu abraço quem eu quiser e quando eu quiser. 

- Não mesmo. - Agora foi ele quem riu irônico. - Só vou deixar passar dessa vez porque tenho problemas maiores para resolver, mas na próxima eu arranco os braços dos dois. Estamos entendidos? - Perguntou "sério", mas eu sabia que ele estava brincando. Pelo menos eu esperava que sim.

- Idiota. - Revirei os olhos e ele sorriu de canto. - Agora me fala, o que você e o Nolan tanto conversavam? - Perguntei com minha melhor voz meiga.

- Você vai saber mais tarde. - Disse simples. - Agora bora almoçar que a tarde tem mais treino. - Falou se levantando e me puxando pelas mãos para eu ficar de pé, enquanto eu fazia corpo mole.

- Eu tô com preguiça. - Resmunguei sendo arrastada por ele.

- Não me importo. - Disse óbvio e eu rolei os olhos.

- Te odeio. - Murmurei o fazendo rir debochado. 

- Eu também amo você. 

(...)


                                          01:00hrs

- A Hailey mandou mensagem agora, eles acabaram de sair de lá. - Justin falou quando estávamos todos reunidos na sala.

- Quanto tempo acha que eles levam para chegar aqui? - Chaz perguntou.

- Vinte minutos, no máximo. - Nolan respondeu.

- Eu quero cada um em suas posições. - Bieber falou sério. - Tomem cuidado para não serem mortos e matem o máximo de pessoas que comseguirem, mas o Jeremy é meu. - Acrescentou e todos assentiram. - Boa sorte, galera! - Ergueu sua arma para o alto, como se fosse um "brinde", e todos fizeram seu famoso grito de guerra.

Logo os homens começaram a se dispersarem e Justin veio até mim, me deu um abraço e um beijo casto.

- Se cuida. - Sussurrei o olhando preocupada depois de nos afastarmos.

- Eu digo o mesmo. - Sorriu fraco e eu respirei fundo.

- Justin, se acontecer alguma coisa, eu quero que saiba que... 

- Não diga nada agora. - Falou me interrompendo. - Você vai ter todo o tempo do mundo para me dizer tudo que você quiser quando isso acabar. - Disse acariciando meu rosto e eu respirei fundo assentindo. 

Lutei contra o aperto que sentia no peito e me forcei a acreditar que ia ficar tudo bem. Dei um selinho demorado em Justin e me afastei antes que eu desistisse de tudo e o pedisse para fugirmos dali antes que o massacre começasse.

Fui para o segundo andar, mais precisamente para a sala de jogos, onde tinha uma entrada e segundo Hailey, eles a usariam. A mansão estava repleta de guardas, só naquele cômodo havia uns vinte, mas sabemos que no fim da noite, a história não seria assim. Poderíamos acabar com toda a equipe de Jeremy, mas sem sombras de dúvidas, muitos de nós também iríamos morrer.

A cada minuto que se passava era uma tortura, ao mesmo tempo que eu queria que eles não vinhessem, eu torcia para que chegassem logo e pudéssemos acabar de vez com isso.

Estava sentada em uma poltrona e olhando minhas unhas que gritavam por uma manicure quando escuto uma movimentação vindo da sacada e imediatamente todos entramos em sinal de alerta.

Os guardas procuraram cada um se posicionar em um lugar e escondido e eu fiz o mesmo. Como as lâmpadas estavam apagadas, os homens da equipe de Jeremy entraram despreocupados, achando estarem abalando as estruturas, mas quando um deles acendeu a luz foram recebidos por uma chuva de tiros.

Alguns tentaram revidar, mas como não estavam preparados, não adiantou muito, em questões de segundos, todos, sem exceção estavam no chão.

- Um ponto pra nós. - Sussurrei olhando para o entulho de corpos no chão.


JUSTIN POV 

Quando ouvi a porta da sala ser destrancada tinha a certeza que meu pai passaria por ela. Jeremy era um líder da equipe, é claro que entraria pela porta principal, mas não foi isso que aconteceu. Ao invés disso, Dylan e outros dez homens foram os sortudos.

O'brien arregalou os olhos ao me ver ali e engoliu em seco quando os meus seguranças ergueram suas armas e apontaram para sua equipe.

A troca de tiro começou e eu rapidamente atirei na mão e em uma perna de Dylan, o vendo ir para o chão, antes que ele morresse por uma bala na cabeça disparada por outra pessoa. Eu não queria que ele morresse agora, ainda tinha algo que ele precisava saber antes disso.

Quando matamos todos os homens de lá - perdendo uns de cá também, faz parte - eu me aproximei de Dylan vendo-o tentar pegar uma arma que estava próximo a ele e pisei em sua mão e ele deixou um grito escapar.

- Seja bem-vindo a minha humilde residência, O'brien. 


Notas Finais


O capítulo da "invasão" ficou muito grande, então achei melhor dividir em dois. O próximo está quase pronto, então talvez, dependendo do número de comentário, volto ainda hoje! ❤

Até breve! 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...