História Become Human - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Detroit: Become Human
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 18
Palavras 1.072
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi meus consagrados tudo na paz? minha primeira long jikook saindo do forno, espero nao decepcionar ninguém.

muito que bem quero conversar rapidão com vcs

essa fic é inspirada na minha au, que foi inspirada no jogo detroit become human (um jogo lindíssimo e cheiroso no qual vou deixar o link da gameplay do delicinha do alanzoka nas notas finais). por isso antes que alguém venha bostejar aqui dizendo que plagiei fanfic x eu vou dar o famoso block. as ideias sao inteiramente minhas e inspiraradas no jogo.

essa fanfic vai ter como foco principal os jikook, porém alguns capítulos vao ser focados em outro personagem.

sobre as atts, nao prometo att todo sábado ou tal dia de tal mes, pq quase sempre eu to com trabalho atrasado até o talo do cu, e nao quero repetir de ano. a próxima att provavelmente vai ser nessa semana ou no próximo sábado, ja que é o único capítulo que eu escrevi (que vergonha).

mais uma coisinha: os andróides da fic vao ser diferentes dos andróides do jogo. eles vao ser 99% humanos. vao comer, dormir, tomar banho, fazer xixi coco etc. a única coisa que os difere dos humanos é um chip que eles tem na têmpora.

sem mais delongas, fiquem com essa "intro" e espero realmente que gostem 💕

Capítulo 1 - Prólogo


5 de novembro de 2038


O elevador subia aceleradamente conforme os andares iam passando. A pessoa que estava ali dentro tira do bolso de sua calça social uma moeda, na qual ele começa a fazer uma espécie de truques. O rapaz passa a moeda sob seus dedos, joga de uma mão a outra e pega pela última vez quando chega no septuagésimo andar, onde iria descer. Ele guarda a moeda de volta em seu bolso e arruma a gravata assim que a porta se abre.


Negociador no local! Repito, negociador no local! — Um policial diz no rádio quando o tal negociador sai do elevador. Em passos apressados ele anda até o grande corredor que dá acesso à sala de estar, onde o capitão deveria estar.


Eu não posso ir! Vocês tem que salvá-la! — A voz de uma mulher se torna mais alta conforme o homem se aproxima. A mulher consegue se soltar brevemente dos policiais e segura o “negociador” pelos ombros.—  Salve a minha menina! Eu te imploro! — Ela olha para o maior e se afasta, com um olhar confuso. — E-eu não acre… Vocês enviaram um andróide?


Vamos, senhora! Temos que ir. — Um dos policiais a segura pelo braço, a levando para o elevador.


—Por que não enviam uma pessoa de verdade! — A mais velha aponta o dedo para o andróide, enquanto se debatia e tentava se soltar do policial, enquanto o andróide se vira, tendo como principal objetivo sua missão. O local estava um completo caos, muitos policiais espalhados pelo cômodo, vidros quebrados e sangue no chão. Ele se vira ao ouvir algumas vozes vindo do quarto, onde se encontravam três homens da polícia se comunicando com outros através de rádios e um computador. O andróide adentra o quarto e se aproxima do capitão, que parece não notar sua aproximação.


Capitão Smith — O andróide chama e o homem vira apenas sua cabeça. — Meu nome é Taehyung, sou o andróide enviado da Cyberlife. — O capitão o ignora completamente e volta ao seu trabalho, deixando Taehyung parado ali sem saber qual o próximo que passo tomaria.


Ele está no terraço com a garota. Ele está apontando uma arma para sua cabeça. — O capitão suspira. — Se a gente atirar. — Ele pausa brevemente e olha para Taehyung. —  A garota morre.  — Taehyung é um andróide que foi feito para caçar divergentes. O que são os divergentes? Divergentes são andróides que não tem um comportamento submisso aos humanos. Eles param de obedecer as pessoas e se rebelam, demonstrando ter sentimentos. Alguns são até violentos. Nesse momento Taehyung está em uma missão: Ele tem que salvar a garota que foi pega por um andróide que era da família.


Você sabe o nome do divergente? —  O andróide pergunta, ainda de pé atrás do capitão.


E isso importa? — O homem dá de ombros. Taehyung percebe que seria inútil ficar ali parado. Ele teria que investigar a cena. O andróide sai do quarto e volta para a sala, investigando praticamente tudo que havia ali. Ele descobriu que o divergente se chamava Daniel e teve essa atitude de sequestrar a garota pois soube que seria trocado por uma máquina mais moderna.


Eu estou pronto. — Taehyung diz ao policial, que abre espaço para que o andróide entre no terraço. E lá está o divergente, na beirada do prédio e segurando a garota, que tinha uma arma apontada para sua cabeça.


Não chegue perto!  — Daniel grita e atira contra Taehyung, o que acaba atingindo seu braço esquerdo. O andróide se aproxima lentamente, tomando o máximo de cuidado possível.


Calma Daniel, eu só quero conversar! Sou Taehyung e estou aqui para resolver tudo. — Tae grita por conta do barulho do helicóptero, que estava muito próximo.


Como sabe meu nome? — Ele pergunta. - Argh, isso não importa! Se afaste ou a garota morre.  — Daniel encosta o cano da arma na têmpora da menina, que chora.


Daniel, eu estou aqui apenas para conversar! Quero apenas entender o que está acontecendo. — Taehyung anda lentamente para perto do divergente, de modo que fique a uns dois metros dele. O terraço estava de cabeça para baixo. Um helicóptero sobrevoando o local, tudo revirado e até um policial ferido. Era sem dúvida alguma uma noite agitada e tensa.


Certo. Está armado? — No mesmo instante Taehyung tira a arma do bolso e a joga para longe, conquistando um pouco da confiança do outro.


Está vendo? Não tenho mais nenhuma arma. - Ele anda para mais perto. — Por que está fazendo isso com a Emily? Ela te amava, Daniel!


Me amava tanto que ia me jogar fora! Em poucos dias eu estaria no lixão, totalmente abandonado, apenas esperando a morte! — Daniel empurra a arma na cabeça da garota, que grita por socorro.


Daniel, não temos sentimentos! Somos só máquinas. Isso certamente é um problema no seu software! — Taehyung já está perto o suficiente de Daniel. Ele podia muito bem empurá-lo, porém era um risco, já que o mesmo ainda tinha a criança em seus braços.


Não! Não é isso! — Ele grita! — Esse barulho está me irritando! Mande-os sair daqui agora!  —  O andróide diz e Taehyung faz um sinal para que o helicóptero se afaste.


Está vendo? Fiz o que queria. Agora desça daí para que possamos conversar, ok?— Daniel estava com medo. Ele sentia tanto medo de ser morto bem ali que não tinha certeza se podia acreditar no andróide da polícia.


Como posso acreditar em você? Como posso ter certeza que não vai me matar? —  Daniel afasta a arma da cabeça da garota. As coisas estavam parcialmente controladas.


Apenas confie em mim, ok? Eu te prometo que nada de ruim vai te acontecer. — Tae levanta sua mão e Daniel faz um breve aceno com a cabeça. Ele acreditou na palavra do outro. Taehyung não o trairia, era como ele, certo?


Certo, eu confio em você. — O divergente solta a garota, que praticamente corre para longe. Em questão de segundos diversos tiros são disparados contra o divergente, que logo se vê  caído no chão. Ele suspira e com dificuldades olha para o outro. — Mentiu pra mim, Taehyung, mentiu pra… — E então pelo fato de estar completamente danificado, Daniel se desliga. O andróide levanta a cabeça e arruma sua gravata, virando-se e indo para a direção oposta e saindo do local. Era tão gratificante ter cumprido sua missão. Taehyung não se sentia culpado por aquilo. Daniel era apenas uma máquina, sem nenhum sentimento.


Notas Finais


OLHA EU AQUI DE NOVO!

gente eu tava mt ansiosa pra essa fic e eu espero realmente que gostem dela. nao espero que ela seja a mais top do site a mais famosa etc, se ela ganhar pelo menos 1k de fav eu vou ser a pessoa mais feliz da internet.

o que acharam do tae? pra quem conhece o jogo ele lembra alguém??

bem, é isso, espero que tenham gostado, aceito críticas construtivas mas nao peguem pesado ok? sou sensível. divulguem a fic pras amigas jikookas e ate pras amigas nao jikookas.

até a próxima att que provavelmente nao demora.

big beijos

minha au: https://twitter.com/_softyoon/status/1017519763025747969?s=19

gameplay: https://www.youtube.com/playlist?list=PLzIEWeoHwYmYhDy-jPYusjVrGGVACRpee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...