1. Spirit Fanfics >
  2. Becoming the Future >
  3. Perdidos - Parte 2

História Becoming the Future - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, Hi, Hola, how r u guys doing?
Mais um capítulo aqui para nossa alegria :]

Esse capítulo era pra ser só o Imamu e a Kayla, mas resolvi colocar algumas coisinhas a mais pra não ficar algo muito monótomo, adicionei algumas coisas diferentes.

Tô sem muita coisa pra colocar aqui, então, enjoy!

Capítulo 8 - Perdidos - Parte 2


Imamu POV

Eu consegui ouvir algumas aves começando a voar assim que eu passei que nem um raio por elas com o coelho na minha boca, eu quero chegar o mais rápido possível na Kayla, eu tenho medo do que possa ter acontecido com ela enquanto eu estava fora atrás de comida, ela está ferida, indefesa, e praticamente imóvel no chão, e vai saber quem vai querer experimentar carne de guepardo logo hoje?

Felizmente eu não acabei indo tão longe da onde eu deixei ela, eu já sentia o cheiro dela bem próximo, eu estava ansioso pra entregar esse coelho para ela, eu preciso que ela se recupere logo, talvez eu tenha descoberto um jeito da gente voltar para o nosso acampamento sem querer, mas antes eu preciso que ela consiga andar sem minha ajuda.

Eu fui desacelerando aos poucos enquanto o cheiro dela foi ficando mais forte, eu passei por dentro de alguns arbustos até chegar na pequena clareira, eu vi Kayla deitada, tentando dormir, mas era claro que ela não conseguia, já que ela estava se remexendo, colocando a pata em cima do curativo dela, eu abri um pequeno sorriso de alivio ao ver que ela estava bem. 

Eu me aproximei dela lentamente, eu consegui ouvir alguns gemidos vindos dela, me deixando mais preocupado do que antes. Eu deixei o coelho de lado por um momento, só para que eu conseguisse falar algo direito.

— Kayla! — A chamei animadamente,  tentando ignorar o modo estranho em que eu estava a observando, ela abriu os olhos lentamente, olhando diretamente para mim.

— Oi? — Ela abriu os olhos lentamente, pareceu se esforçar para conseguir falar — ...Que animação toda é essa Imamu? 

— É que eu acho que eu descobri como a gente vai poder voltar pra casa!

— Sério? Como?

— Bem, primeiro eu preciso que você se recupere antes de tudo, eu não quero você desmaiando no caminho — Eu empurrei o coelho com minha pata até perto dela, deixando em um local que ela conseguisse comer deitada e sem minha ajuda.

— Aw, obrigada — Me agradeceu, tentando esconder a dor que ela estava sentindo, eu respondi com um sorriso forçado.
Assim que ela conseguiu se posicionar melhor para degustar o coelho, eu me virei para a deixar em paz. 

Eu estava ficando com fome, talvez tenha sido pelo motivo do sangue do coelho ter caído na minha boca, fazendo a minha barriga desejar aquele coelho, só que Kayla precisa mais dele do que eu, eu posso pegar algo para mim mais tarde.

O sol tinha ficado muito mais forte do que mais cedo, não é algo insuportável, pra falar a verdade, é bem confortável, todos os animais por aqui são acostumados com o frio a maior parte dos dias, que chega ser estranho quando esquenta só um pouquinho.

Eu espero que Kayla consiga se recuperar o mais rápido possível, eu não quero que meus pais ou meus irmãozinhos fiquem desesperados com o meu sumiço, e também penso na família dela, eu sei que o meu pai mandou alguém para nos procurar, e eu realmente espero que eles consigam nos achar, já que eu não sei se o jeito que eu pensei para voltar é tão efetivo.

Eu me deitei com a barriga para cima, observando o céu com poucas nuvens, tomando cuidado para não olhar diretamente para o sol, eu havia resolvido que enquanto eu espero ela comer e se recuperar o suficiente, eu resolvi tomar um banho de sol, já que não é todo dia que eu posso fazer isso, também, depois de tudo que aconteceu, tão rápido como aconteceu, eu preciso de um descanso.

Relaxei o meu corpo, eu ainda estou dolorido da corridas, também o meu ombro, tentei esvaziar minha cabeça totalmente, esquecer do problema que eu to metido agora, mas a minha cabeça fez eu me lembrar do meu "Encontro" com aqueles leões e sobre o que eles conversavam.

Kion, o filho de Simba, e uma chita? Chega até ser engraçado pensar que qualquer leão daquele grupo conseguiria ter uma amizade com um guepardo nosso, mesmo que pareça uma tremenda mentira, isso na realidade é algo para se preocupar, eu queria ter ficado um pouco mais ali pra ver se eu conseguia o nome dessa chita ou qualquer coisa.

—  Ei, imamu?— Ouvi Kayla me chamando, interrompendo os meus pensamentos, ainda deitado olhei para ela — Você não vai quer um pedaço do coelho? 

— O quê? Eu não estou com fome, ele é todo seu Kayla.

— Não é o que a sua barriga está dizendo — Afirmou ela, entre risos.

— ... Quê? — Perguntei confuso.

— Você não ouviu o ronco que a sua barriga fez?

— Não... Olha, você precisa desse coelho mais que eu Kayla, eu caço outra coisa pra mim depois — Eu me coloquei de volta na posição de antes, observando os céus.

— Você comeu o que no café da manhã? — Insistiu ela, eu voltei a olhar pra ela.

— Bem... Eu estava atrasado, então... Nada.

— Eu sabia, come só um pedaço — Ofereceu ela novamente, empurrando o coelho já deformado em minha direção — Eu não quero você desmaiando no caminho — Falou me imitando.

— Tá bom — Cedi meio incomodado.

Eu me espreguicei antes de me levantar, indo em direção dela, vendo que não sobrava tanto do coelho, eu não queria dar uma mordida tão grande para ela comesse mais, eu mordi um pedaço que não era muito, mas que iria enganar minha fome por enquanto.

— Você tá parecendo minha mãe — Reclamei em um murmuro.

— Isso foi um elogio? 

— Entenda como quiser... Obrigado pela preocupação.

— De nada Imamu, só garantindo que você está bem.

Kanye POV

Comecei a dar alguns goles na água, a fim de começar a me acalmar, mas eu simplesmente não conseguia, meu filho está lá fora, no meio do nada, exposto a todos os perigos que a floresta pode oferecer, sem contar da chita que também sumiu durante aquele ataque.
Por quê? Só por quê? Aqueles leões e leopardos resolveram nos atacar assim do nada? Aquele desgraçado do Simba tem de estar por trás disso, literalmente ninguém faz acordos com o Makucha, já que o mesmo nem se importa em propor algo para alguém. Como diabos Simba conseguira aqueles leopardos para atacar a gente?

Por agora, a única coisa que eu podia fazer agora, é esperar e torcer para que alguém os encontre, eu não consegui ver como Kenya ficou assim que recebeu a noticia, eu tentei me manter firme, eu pedi que ela ficasse com os nosso outros filhos, e que ela não falasse nada para eles, só para eles não entrarem em desespero com o sumiço do irmão.

Eu comecei a me redirecionar até a tenda das curandeiras, que era aonde Kenya entrou depois que eu pedi pra ficar com os nosso filhos, eu quero passar um tempo com eles, tentar me acalmar um pouco, eu tenho que ter fé no meu filho, fé que ele vai ficar bem...

Adentrei a tenda, dando de encontro algumas curandeiras, que estavam aflitas com o que tinha acontecido, forcei um sorriso para mostrar tentar mostrar estava tudo bem — Que obviamente não estava — Senti o cheiro da minha amada vindo de um dos cômodos, segui andando, eu sei Imani e Imari estavam dormindo no mesmo cômodo que Fuli estava, que tinha passado muito mal ontem a noite, e provavelmente eles estariam por ali.

Entrei no cômodo e imediatamente vi os meus filhos, ainda adormecidos, Fuli parecia acordada, mas ela estava de costas para mim e não consegui ver o que ela fazia, Kenya estava num canto, só observando, ela estava abalada, assim que ela me viu, veio em minha direção, com uma feição preocupada.

— Kenya? — Sussurrei assim que ela se pôs em minha frente.

— Oi mor... Alguma noticia? — Me perguntou, com um tom que parecia que ela tinha acabado de chorar.

— Por enquanto nada... Mas ele vai ficar bem, eu juro... — Ela desviou o olhar, respirando fundo enquanto absolvia aquela informação — Olha, nós dois criamos ele muito bem, ele vai saber se virar — Eu tentei acalmar ela um pouco, mas eu não sei se foi uma boa ideia, já que ela pareceu se preocupar mais ainda com aquilo.

— Eu estou preocupada o que pode acontecer com ele — Disse, enquanto dava pequenas fungadas.

— Vai tudo dar certo amor.

Senti que Kenya estava prestes a desmoronar bem na minha frente, senti um aperto no meu coração, eu não consigo ver ela desse modo. Antes que ela começasse a desmoronar de vez, eu a abracei, tentando de alguma forma a acalmar, e me acalmar também.

— Eu quero o meu bebê de volta.

Essa última fala, que veio acompanhada com um tom de desespero, pareceu como uma estaca entrando no meu peito bem lentamente, eu apertei mais ainda o abraço, tentando acabar com esses maus pensamentos, ela desabou no meu peito, se agarrando ainda mais em mim, eu fechei os meus olhos assim que eu senti que os meus olhos começaram a lacrimejar.

De algum modo eu sinto que nós estamos exagerando, mas era nosso filho que nós estamos falando sobre, mesmo que agora ele já seja um adulto, nós não conseguimos deixar ele ir, nós ainda queremos o proteger de qualquer perigo. Afinal, de qualquer forma, ele ainda é nosso bebê.

Imamu POV

Já estava escurecendo, aquele calor bom de mais cedo foi indo embora, dando lugar para o frio da noite que nós estamos acostumados, eu reconheci o local em que nós estamos, era o mesmo lugar em que eu tive um quase encontro com aqueles leões mais cedo, antes de sair ao céu aberto, garanti que não tinha mais ninguém além de nós.

Kayla disse que já conseguia se locomover sem que eu precisasse a carregar, mesmo que eu ainda tivesse minhas duvidas, ela insistiu que ela estava bem e que a gente podia ir, eu até tentei argumentar que ela podia não estar preparada ou que a gente podia esperar mais um pouco para ver se alguém nos encontrasse, mas eu acabei de descobrindo que ela é muito teimosa.

Depois de andarmos mais um pouco, avistamos uma árvore, eu fiquei impressionado com o tamanho dela, isso definitivamente não era comum, talvez essa árvore seja de um tipo que eu nunca vi? De qualquer forma, eu sei que em volta dela é o acampamento dos leões, e isso era o mais importante de saber agora.

— Então, é aqui que é o acampamento dos leões? — Perguntou curiosamente para mim.

— Yep... Bem bonito, não é? — Respondi, desinteressado na minha própria fala.

— É... Mas então, como a gente volta pra casa?

— Deixa eu te explicar uma coisa — Tentei me manter sério, enquanto ela tinha um sorriso bobo no rosto — O local que os grupos se encontram tem caminhos que são ligados diretamente aos acampamentos de cada, por exemplo, na entrada do nosso acampamento sabe aquela maior estrada?

— Sei... — A fala dela veio junto de um bocejo, fazendo um duvidar se ela prestava atenção no que eu falava, já que a mesma continuava analisando o local.

— É aquela estrada que nós usamos pra ir na reunião — Continuei explicando, com ela escutando ou não — A minha ideia é achar essa estrada pra ir até a área da reunião, então a gente pode pegar a nossa estrada e voltar pra casa.

— Ok... Isso faz sentido — Finalmente ela olhou para mim — Mas como a gente vai saber qual é a estrada certa?

— Esse é o nosso maior problema — Falei preocupado — A gente vai ter que se basear de como é no nosso acampamento, a gente tem de achar a maior estrada daqui ou a que a que mais chamar a nossa atenção.

—  Então a gente vai entrar no acampamento pra procurar a entrada? — Ela deu alguns passos em direção do acampamento, ela parecia deveras interessada naquele local.

— O quê? Não! A gente vai dando a volta no acampamento até achar a estrada.

— Dar a volta? Imamu, isso vai demorar a noite toda!

— Mais seguro e eficiente do que passar por dentro, não acha?

Um silêncio se instaurou naquele momento, ela parecia atentada em entrar naquele local mesmo dos perigos que a gente pode passar por lá, passar por volta é o melhor para se fazer agora, além de seguro, a gente vai ter contato mais fácil com as estradas.

— Quer ver quem acha primeiro? — Ela me desafiou, eu fiquei sem reação com aquilo, agora não é hora disso...

— O quê? — Perguntei, torcendo para que eu tivesse ouvido errado.

— Exato, vamos ver quem acha o caminho primeiro, eu vou por dentro, e você da a volta.

— Se eu fosse um filhotinho, talvez eu aceitasse — Respondi meio irritado — Nós não podemos nos separar, e a gente deve ir por volta — Eu acabei falando com um tom autoritário, mesmo que eu não queria ter falado com esse tom.

— Certo certo, te vejo mais tarde — Se despediu de mim, começando a fazer seu caminho em direção do acampamento, sem esperar qualquer resposta minha.

— O quê?

Kayla me ignorou e continuou a andar em direção do acampamento, sem pensar duas vezes, em fui logo atrás dela, para a convencer de voltar, o local é totalmente desconhecido para nós dois, e a gente pode facilmente ser vistos, e eu não quero que alguém rasgue o meu braço de novo.

Enquanto eu tentava a convencer de não ir, eu acabei avistando alguns leões rondando por perto, o que fazia sentido pois não faz tanto tempo que escureceu, então é claro que teria alguém acordado, eu identifiquei aqueles leões, eram os mesmos de mais cedo, mais um outro que tinha uma juba bem estranha, ele parecia da idade daquela leoa mais nova. Eu apertei o meu passo para chegar perto de

Kayla e a alertar, ela estava praticamente andando em direção da máquina mortífera. Nem foi preciso eu avisar, Kayla também notou eles e se deitou, tentando se esconder na vegetação, eu não esperei e logo fiz o mesmo.

O leão mais velho, de algum modo, novamente sentiu nossa presença, ele começou a olhar pros lados com o focinho empinado, tentando farejar algo suspeito, ele começou lentamente a se aproximar da onde nós estamos, nós dois nos encolhemos, meu coração começou a bater mais rápido e forte, aquele leão estava muito próximo de Kayla, eu vi na cara dela o medo daquele leão que era consideravelmente maior que ela. 

— Surak... O que aconteceu agora? — A mesma leoa de antes chegou perto do leão, aborrecida com a situação.

— Eu não sei — Respondeu ele confuso — Eu só sinto que tem alguém nos observando.

— Você tá bem com a cabeça? Já é a segunda vez que isso acontece hoje, eu acho que você precisa ir descansar.

— Eu tô ótimo... Eu só devo estar sendo um pouco paranoico.

— Um pouco? — Respondeu ironicamente

A leoa deu meia volta, voltando para os outros dois leões que esperavam os dois, o leão mais velho deu uma última olhada em volta dele, tentando se convencer de que ele não estava completamente louco, ele bufou assim que não avistou ninguém, dando meia volta, voltando pro grupo.

Eu olhei diretamente para Kayla, ela continuava assustada, nós ficamos paralisados até que tivemos certeza que eles já tinham ido embora, ela se aproximou de mim com medo daqueles leões acabarem encontrarem ela.

— Imamu? Nós podemos voltar e dar a volta? 

— Mas ué? Por dentro não seria mais rápido? — Disse ironicamente, imitando a voz dela.

— Olha, desculpa, eu não sabia que seria TÃO perigoso assim, a gente pode voltar?

— Bem, como você quiser princesa.

Vitani POV

Que dia... Conseguimos fazer o que Khari e Zira tinha pedido para que a gente fizesse, e mais, conseguimos caçar algumas ótimas presas! Mesmo que eu tenho medo de que Zira pegue tudo para ela e Khari como ela sempre faz, mas eu tenho certeza que a gente conseguiria acabar com boa parte da fome do grupo com essa caçada.

Eu estou caminhando junto com todos os envolvidos no ataque, ao lado do meu irmão, que carregava com um antílope e uma zebra em suas costas, com o seu ar misterioso que ele sempre tem, eu não conseguia entender como ele estava se sentindo sobre o nosso sucesso, pode ser coisa da minha cabeça, mas ele tem ficado cada vez só na dele desde daquela visita surpresa do santo do Kopa e da irmã dele, e como irmã mais velha, eu quero saber se ele está bem.

— Eu estou orgulhosa do que a gente fez hoje, e você Kovu? — Tentei chamar a atenção dele, de um jeito mais descontraído, mas fui respondida com um simples "Meh", sem qualquer contato visual.

Bufei frustada com a "resposta" dele, eu odeio quando ele se fecha totalmente e não fala nada, as vezes eu quero ter uma conversa de irmã e irmão com ele, e ele simplesmente me ignora, eu sinto falta de quando ele era mais extrovertido na nossa infância, mas foi Zira começar a se envolver com esse Khari, foi quando os dois EXIGIRAM que ele mudasse pra essa postura mais séria. Eu sei que ele não iria ceder e começar a voltar como ele era, então eu resolvi me calar também e continuar o caminho.

Nem muito tempo depois, nós já chegamos no nosso acampamento, várias leoas e leopardos que antes estavam deitados no chão, ao verem aquelas presas que nós carregamos, se levantaram e vieram na nossa direção, na esperança que eles fossem comer, eu até deixaria alguma coisa para eles, mas eu tenho cem por cento de certeza que alguém me delataria para Khari ou Zira, eles decidem quem vai comer e quando vai comer, com a desculpa de que eles queriam economizar na comida. Mas doí ver esses animais todos praticamente implorando por comida.

E não demorou muito para que chegamos até Khari e Zira, acompanhado por alguns animais famintos que nos seguiram para ver se conseguiam alguma coisa para comer, eu vi o sorriso do quase a orelha a orelha de Khari ao nos ver com aquelas caças, e não demorou tanto para que os dois ficassem em nossa frente.

— Viu Vitani? Eu disse que vocês conseguiriam! — Disse Khari, do jeito mais animado que eu já o vi na minha vida toda.

— É, foi bem rápido, ficamos lá por mais algum tempo para ver se eles queriam contra atacar — Expliquei, já pensando que eles reclamariam com a demora de nós voltarmos.

— Sem problemas pequena Vitani, nós vemos que vocês pegaram algumas presas, adorei a eficiência de vocês — Disse Zira, com aquela voz tremula dela que ainda me da arrepios de vez enquanto — Vamos guardar tudo isso, já está perto do toque de recolher, venham.

Zira começou a dar meia volta e algumas leoas e leopardos começaram a seguir ela, eu olhei para aqueles animais novamente, já desanimados por não conseguirem nada para comer, prestes a retornar para suas tocas, senti que eu devia fazer algo por eles.

— Erhm... Khari? — Chamei a atenção do leão do olho de prata, assim que nós o chamávamos — Você não acha que nós devemos dar um pouco dessas presas para eles? — Apontei para os animais, que perceberam e voltando a se aproximar da gente.

Khari por outro lado, pareceu não gostar do que eu disse, sua cara demonstrava isso, ele arqueou uma de suas sobrancelhas, enquanto se aproximava lentamente de mim.

— Desculpe, eu acho que eu não ouvi direito, você pode repetir?

— Bem, eu só quero uma pequena parte dessa caça vá para eles, eu tenho certeza que eles estão bem famintos, não é? — Olhei para eles, e assentiram com a cabeça.

Khari me olhou seriamente assim que eu terminei minha sentença, se afastando um pouco de mim, eu comecei a ficar tensa com aquilo, provavelmente não foi uma boa ideia isso e eu devia ter ficado na minha, Khari fechou os olhos por alguns segundos, e então, ele começou a rir, e não era uma risada normal, não, era uma risada maligna, que te deixa desconfortável só de ouvir, a risada parecia que ecoava pelo cânion, o que a deixava mais tenebrosa, ele continuou rindo por mais alguns segundos, até parar, pegando um tempo para respirar, então, ele olhou diretamente nos meus olhos, com uma face seria.

— Eu vou dizer de um modo que você não esqueça, ok? — Começou calmamente.

Eu fiquei confusa com aquilo, tentando entender o que ele queria dizer, eu assenti com a cabeça, fazendo ele sorrir.

Antes que eu pudesse fazer qualquer outra coisa, ele avançou em cima de mim, dando um jeito de me derrubar bruscamente de costas no chão, colocando o pata em cima do meu pescoço, ele aproximou a cabeça de mim, com um sorriso ameaçador para mim.

— Escuta aqui Vitani, você sabe que quem da as cartas aqui sou eu, eles só comem QUANDO EU QUISER — ele deu uma pequena risada melancólica — E você não pode chegar em mim e falar "Eles estão com fome, devemos dar algo pra eles", eu te pergunto, o que eles fizeram de bom para merecer isso? — Eu apenas olhei para ele, sem falar nada — EXATAMENTE, NADA! — Ele olhou para os animais que estavam observando tudo isso, mas na mesma hora, eu senti ele forçando mais a pata no meu pescoço, fazendo eu começar a ter problemas pra respirar — O QUE VOCÊS AINDA ESTÃO FAZENDO AQUI? SUMAM DAQUI.

Na mesma hora, eu consegui ouvir todos eles correndo, mas eu não me importei com isso, eu só estava preocupado com tirar a pata dele em cima do meu pescoço, o que foi inútil, obviamente ele tem muito mais força que eu, então eu não consegui tirar a pata dele, ele me olhou com o canto de olho e voltou a sorrir pra mim.

— Parece que alguém está tendo problemas para respirar... Você quer que eu tire minha pata da sua garganta? — Em desespero, eu tentei me rebater e falar para ele que sim, mas tudo que saiu da minha boca fora alguns sons estranhos — O que Vitani? Eu não estou te entendendo — Ele se abaixou, só que apertando mais ainda meu pescoço, como que ele queria que eu me asfixiar ali — Eu sei que você consegue Vitani, VOCÊ CONSEGUE — Me ironizou, rindo novamente, eu comecei a me sentir mais fraca, meus movimentos já começavam a ficar mais lentos, eu olhei nos olhos dele, e ele não parecia querer me soltar — Pra falar a verdade, eu estou gostando disso, e você?

Ele começou com sua risada novamente, eu desconfio que eu estou prestes a desmaiar, e quem sabe o que pode acontecer comigo se isso acontecer, senti minhas pálbebras ficando mais pesadas, senti que eu estava a um triz de desmaiar... 

— Khari, Zira precisa falar com você — Ouvi uma voz, que parecia que vinha do além, Khari tirou um pouco da força que ele aplicava no meu pescoço assim que virou e olhou quem era.

— Oh, obrigado por me avisar Kovu — Ele voltou a olhar diretamente para mim — Foi bom passar um tempinho com você Vitani, espero que possamos fazer isso de novo outro hora.

Finalmente ele me soltou completamente, foi como o oxigênio invadisse minhas os meus pulmões, mesmo que provavelmente não foi quase um minuto sem ar, parecia que foram horas.

Pelo jeito eu nem preciso falar sobre como esse leão é doente, ele se deu meia volta e foi embora, deixando só eu e Kovu ali, eu demorei mas consegui recuperar todo o oxigênio para eu recuperar minhas forças, eu me coloquei em pé e olhei para o meu irmão que provavelmente tinha me salvado.

— Você tá bem? — Perguntou ele, demonstrando a primeira emoção dele hoje.

— Vou ficar bem... Eu preciso descansar...

— Ok... — Falou desviando o olhar — Só uma dica, o quanto menos você falar perto dele, melhor, ele se irrita bem fácil.

— É, eu percebi... Obrigada
 


Notas Finais


Será que Kayla vai conseguir dar a volta do acampamento? Descubram no próximo capítulo... kk
Doí muito fazer essas cenas com a Keyna, eu amo muito ela pra fazer isso com ela :[
Essa última cena da Vitani foi de última hora, espero que tenha ficado bom :]

(Uma coisa que eu tô descobrindo é que eu nunca mais devo fazer muitos personagens com nomes parecidos, tô me perdendo todo)

E, lembrando... pelo amor de deus lavem e higienizem as mãos, eu amo muito voc~es pra perder vs pro coronoa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...