História Been Through - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Abo, Baeksoo, Chanbaek, Chenbaek, Hunhan, Kaibaek, Krisbaek, Subaek, Taoxing, Xiubaek
Visualizações 476
Palavras 1.050
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 24 - XXIV


6° Mês

Byun Baekhyun

Estava deitado no quarto do Soo observando Minsuk dormir agarrado ao meu peito. Ele é um completo anjo e a mesma aparência do Soo. Os olhinhos grandes e a boquinha linda de coração. Me senti um pouco mais sonolento e vi Kyungsoo entrar no quarto com Chanyeol e se deitarem um de cada lado. O alfa maior atrás de mim grudou o leito em minhas costas e fez carinhos no meu braço. Sorri com aquilo.

-Você está bem? O bebê mexeu muito hoje?

-Nem tanto. Eu passei a semana toda agitado, vocês sabem, mas agora estou mais relaxado.

-Também, se não estivesse relaxado depois que eu peguei Jongdae te pagando um boquete... -Rosnei envergonhado e bati em Chanyeol ouvindo a risada de Kyungsoo.

-Para de falar disso caramba. Você é um idiota Park Chanyeol.

-Aish Baek, sua mão é pesada. -Ele murmurou enfiando o rosto no meu pescoço. -Mudando um pouco de assunto. Nós não conversamos sobre a situação. Kai e Minseok falaram com você mas como foi?

-Eu estava apenas com o Minnie quando Kai entrou. Eles falaram as coisas e sei lá. O choque para mim foi enorme, não posso negar. Eu poderia imaginar até do Jongdae já que eles tiveram vários momentos mas como Kai e ele nunca tinham sem se falado além de cumprimentos foi meio chocante. Claro que eu não posso julgar ninguém. Jongin é um pouco além do controle quando bebe.

-Acha que ele forçou o Minseok e ele não quer dizer? Você está pensando em... Estupro? -Kyungsoo me olhou. Parecia atravessar minha alma querendo uma resposta, talvez ele mesmo tenha pensado aquilo antes.

-Não. Minseok é alguém frágil e transparente. Eu teria percebido facilmente e não acho que Jongin chegaria a tanto. Ele mesmo disse que não estava completamente bêbado, só estava começando a ficar "altinho". Jongin disse que quando começou a se alterar um pouco saiu de lá com medo de fazer a mesma besteira de antes.

-Como Minseok cedeu? Eu não pensava que ele poderia aceitar assim tão fácil, principalmente por ele ter um envolvimento com você e Jongdae também.

-Vocês nunca viveram com um Minseok pós cio. Ele é a pessoa mais carente do mundo. Chora por tudo e só quer um pouco de amor e carinho. Costuma se sentir muito para baixo, ele se acha feio depois que tudo passa e ele toma mais consciência. Se alguém tiver disposto a se doar para ele. Não é culpa dele, mas daquela família nojenta que Minseok teve. Ele passou por alguns psicólogos por causa disso. As palavras ruins que foram dirigidas a ele ficaram gravadas na mente. Houve um período cheio de pesadelos e medo. Eu presenciei tudo e entendo ele sabe? Não posso julgar meu amigo. Kai também decide o que quer para a vida dele.

-Então... Você o perdoou?

-Perdoei sim e perdoar não significa esquecer, só que eu estou no sexto mês de gravidez. Não acho justo comigo mesmo ficar alimentando ódio e ficando ansioso por coisas pequenas. O que ocorreu naquela noite foi um erro. Você mesmo já teve sua conversa com Jongin. Um pouco violento tudo aquilo, já tive certa vingança, afinal, você quebrou o braço dele Kyungsoo.

Eu nem consegui compreender como Kyungsoo teve a coragem de quebrar o braço do amigo. Eles são praticamente irmãos e foi uma violência grande e agoniante escutar os gritos desesperados de dor do Jongin e aquele braço torto. Quando vi a cena acabei desmaiando de pavor. Aquilo tudo tinha sido demais e eu odeio violência.

-Aquilo não é nada de mais para mim. Eu e Jongin sempre fomos muito fáceis de brigar sabe? Eu acho que é normal entre melhores amigos. Somos meio que irmãos, meio que namorados. Nós tomamos conta um do outro sem conseguir definir exatamente o que somos. Nós já nos quebramos muitas vezes brigando. -Soo disse olhando para cima. Eu entendi bem o que ele quis dizer. Essa relação entre eles é única.

-Aquilo foi cruel demais para mim. Odeio violência. Eu não acho que ele merecia um braço quebrado. Por mais que ele tenha me afetado muito, seus atos foram verbais e eu não saí com nenhum arranhão.

-Não se culpe por isso. Eles dois sempre foram assim. -Chanyeol murmurou.

-Vamos dormir. -Kyungsoo apagou a luz e como estava cansado ele logo apagou. Chanyeol ainda continuava fazendo carinho no meu cabelo. Aproveitei que Minsuk agarrou-se ao appa e me virei ficando de frente para o Chan. Pude ver seu sorriso pela pequena claridade que entrava da janela. Sua mão veio para meu rosto e fazia carinho ali. Chanyeol conforme o passar do tempo ficava ainda mais carinhoso, eu sentia que não era apenas atração ali, talvez dentre todos, ele e Kyungsoo sejam os que sinto coisas como borboletas dentro de mim.

-Eu tenho orgulho de você Hyunie.  Sei que não é fácil ouvir as coisas que Kai diz. Eu, mesmo sendo amigo e companheiro de anos nunca soube lidar muito bem com as ignorâncias dele. Sempre acabei ficando chateado e passava dias ou semanas sem falar com ele mas acho que vê-lo fazer isso com alguém que gosto é ainda pior. Eu me controlei muito porque sabia que o Soo daria um jeito.

-Obrigado por manter seu controle. Ficaria tudo muito pior se você resolvesse bater nele também. Eu entendo que é normal esse instinto de alfa mas para mim é um pouco assustador ver alguém usar violência para corrigir algo. Pode ser porque sou mais frágil, eu não sei. A minha família não era de bons exemplos, pode ser um medo de vivenciar a mesma coisa.

-Não se preocupe. Se você não gosta, tenho certeza que vamos conseguir nos controlar melhor. E não sei por quê, mas parece que o Jongin está mais calmo agora com a gravidez.

-Eu estava pensando, será que ele não ficou irritado esse tempo todo por não saber quem é o pai do bebê e viver essa situação? Ele é muito menino ainda e viver de incertezas pode ter afetado ele de alguma maneira. Veja, Jongin tem a certeza de ser o appa do bebê do Minseok e ele parece estar mais calmo com isso mesmo. Eu não o vi "surtando" ou talvez eles sejam almas gêmeas.

-Você é um amor sabia?

-Eu sei, agora quero muitos beijinhos. -E nossa noite terminou regada de carinhos e beijos enquanto Kyung e Suk dormiam logo ali.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...