História Back to Me - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Gigi Hadid, Justin Bieber, Kendall Jenner, Martin Garrix
Personagens Gigi Hadid, Justin Bieber, Kendall Jenner, Martin Garrix
Tags Fama, Musica, Perdão, Recomeço, Romance
Visualizações 53
Palavras 2.326
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey meus amores mil desculpas pela demora, mas, eu andei meio ocupada nos últimos dias, senti muita falta de vocês e o Justin e a Kendall também. Espero que gostem nos vemos nas notas finais (tenho novidadeee).

Capítulo 9 - Capítulo 7


Fanfic / Fanfiction Back to Me - Capítulo 9 - Capítulo 7

"Você não tem que atender nenhuma das minhas ligações

Eu estou acreditando que você vai atender um dia

Eu não quero contribuir ainda mais pra sua dor

Eu estou orando para que o tempo faça uma mudança na sua vida

Eu estou percebendo o quanto você fez diferença na minha vida

E eu não quero passar isso com mais ninguém

Ta ouvindo? Ninguém me merece

Oh não, querida o que eu estou tentando dizer é.."

No Pressure – Justin Bieber feat. Big Sean 

 

Kendall

Justin e eu rimos acomodados na confortável mesa do restaurante japonês, do lado fora é possível ouvir o som dos flashes e tento ignorar, minutos atrás eles me enchiam de perguntas e falavam sem parar ao pé do meu ouvido enquanto eu deixava a igreja junto a Justin, eu tinha ido pela primeira vez como combinamos que faríamos. E Eu já podia imaginar os boatos que sairiam no jornal amanhã e em como as pessoas adorariam me julgar por isso, era sempre assim afinal.

- Como você se sente depois dessa noite?- ele me pergunta e sorrio ao ver o brilho ansioso em seus olhos, um sentimento diferente dominado meu coração.

- Muito bem- me acomodo um pouco melhor no pequeno sofá- Quer dizer foi diferente de tudo que eu já vi, eu me senti em casa e foi tudo tão inexplicável e incrível , posso voltar na semana que vem?- ele sorri enquanto toca minha mão sobre a mesa com um gesto de carinho, seus dedos sobre minha pele me causam choques por todo o corpo e tento ignorar, é só isso que tenho feito nos últimos dias, ignorado as sensações que ele me traz e me fazem sentir viva.

- Claro que pode, pode ir sempre que quiser – concordo enquanto o garçom chega e fazemos nossos pedidos, minutos depois ele nos serve o vinho e se retira. – Como esta Khloe?- suspiro ao ouvir o nome de minha irmã, havíamos conversado ontem pela tarde e ela havia me dito como as coisas estavam difíceis principalmente entre a nossa família, eu sabia que nossas irmãs estavam preocupadas e no fundo ela também sabia, ao menos True trazia um pouco mais de paz para ela esse momento, falando em minha sobrinha, eu recebia fotos dela todos os dias e estava cada vez mais linda.

- Ela ainda esta em Cleveland apesar de minha mãe querer que ela volte- dou de ombros ao lembrar que ouvi uma das discussões entre as duas- Ela já é adulta não precisamos intervir em suas decisões, então só espero que fique bem apesar de tudo isso ser tão complicado e cansativo para todos nós, já True está cada dia mais bonita e fofa -ele concorda e sorri quando toco no nome de minha sobrinha .

- Relações podem ser meio complicadas e confusas às vezes– vejo a intensidade em seus olhos e engulo em seco, sabendo que não estamos mais falando sobre minha irmã, isso me parece mais sobre nós e sobre nosso passado até então visivelmente bem resolvido, sinto um bolo no estômago e me pergunto se realmente deveríamos falar sobre isso.

- Sim elas são na maioria das vezes na verdade– dou de ombros tentando ignorar as lembranças que ameaçam me dominar, e não essa não é a hora certa para uma conversa assim pelo menos essa noite eu posso manter o controle, ou penso que posso.

- Você estava saindo com um cara, sim?- ele comenta depois de algum tempo em silêncio, suspiro é claro que ele não quer falar sobre nós ele quer falar sobre ela, reviro os olhos seria tão fácil se ele fosse direto e não fingisse que eu não o conheço o suficiente, mas seus olhos brilham interessados e isso me confunde um pouco sobre onde realmente estamos chegando com isso e a possibilidade de terminar a noite em uma crise de choro não me parece muito viável.

- Sim, mas tínhamos visões de vida diferentes- dou de ombros e sorrio- Saímos algumas vezes, os jornais começaram a falar e então começamos a divergir opiniões ele não concordava muito com meu estilo de vida e de repente tudo parecia um problema, minha sede por liberdade era uma delas, na verdade eu pareço não ter muita sorte com isso– solto um riso amargo ao lembrar minhas tentativas fracassasse de uma relação, ele discorda.

- Eu gosto da sua liberdade, você é quem quer ser e se um cara não valoriza isso então ele realmente não merece você- sorrio um pouco emocionada com o elogio -É meio complicado achar alguém que pense como nós no nosso meio, isso às vezes frustra- encaro seus olhos mais uma vez e o garçom nos traz nossos pedidos, sorrimos em agradecimento e me concentro por alguns minutos nos sushis a minha frente, reviro os olhos antes de soltar as palavras.

- Você e Selena reataram, não?- seus olhos encontram os meus por alguns segundos e eu procuro mais uma vez me ajeitar melhor em meu lugar, o espaço parece pequeno agora e me pergunto quando foi que deixamos de falar de algo tão leve e passamos a isso.

- Estávamos tentando, na verdade eu pensei que dessa vez realmente daríamos certo- ele dá de ombros os olhos cor de mel que tanto me causaram suspiros um pouco distantes – Pensei que talvez por estarmos mais maduros, não cometeríamos mais os mesmos erros, não nos magoaríamos mais. – respiro fundo enquanto ele dá de ombros e solta um suspiro.

- Mas se magoaram- concluo- foi ela ou você dessa vez?- minha voz sai um pouco dura demais.

- Os dois- ele dá de ombros mais uma vez e me pergunto se algum dia isso vai deixar de estar entre nós – Na verdade as coisas já não são mais do mesmo jeito e isso é complicado, não somos mais as mesmas pessoas e é claro que eu sei que mudaríamos, mas...

- Ainda queria que ela fosse a mesma garota de anos atrás- concluo e ele concorda.

- O que tivemos passou- ele dá de ombros como se aquela realidade não doesse tanto para ele como doeria e doeu anos atrás, eu sabia bem como Justin e Selena podiam ser uma granada, eu sabia como eles podiam destroçar as pessoas ao seu redor e eu era um claro exemplo disso.

- Como pode ter tanta certeza?- seus olhos encontram os meus e dizem me compreender, mas não sei se posso confiar neles.

- Tentamos não demos certo, não podemos continuar nisso pelo resto da vida – dá de ombros e bufa. - Chega não quero falar mais nisso, nem sei por que procurei falar sobre isso.

- Porque queria desabafar, queria jogar para fora suas dúvidas- um sorriso nasce em seu rosto- ainda conheço você Bieber – o sorriso que nasce em seus lábios faz meu estômago revirar e me pergunto se eu realmente vou ser capaz de continuar a ignorar.

- Eu sei que conhece, talvez nem você saiba o quanto- talvez seja a intensidade de suas palavras que nos causam a intensa troca de olhares pelos minutos seguintes e que só é rompida depois que Justin rouba um de meus sushis, aproveito para pegar um dos seus também e no fim estamos os dois rindo e comendo os sushis um do outro, eu realmente não poderia descrever o quanto havia sentido sua falta, todo esse tempo e eu não fazia ideia do quanto sua presença era importante para mim, pela primeira vez me pergunto o que tanto tempo de mágoas e raiva podem ter feito comigo, talvez as coisas com Justin não pudessem realmente ter sido resolvidas no momento seguinte, mas mesmo meses depois eu ainda guardava rancor, ainda guardava tristeza e sentir que ainda há vestígios deles aqui dentro me apavora.

Certa altura da noite meus olhos encontram os seus e queremos dizer coisas um ao outro que parecem sair no silêncio e nem nós mesmos entendemos.

- Talvez esteja na hora de falarmos sobre nós, sobre o que houve anos atrás- ele começa a falar e suspiro não me sinto pronta e nem quero imaginar os danos que isso me traria.

- Justin, por favor, não, não hoje, não agora – busco fugir do assunto como fiz tantas vezes seu olhar não deixa brechas, eu sei que ele quer falar e eu também quero, sei que passou o tempo de fugir que agora chegou a hora de enfrentarmos tudo isso, todo nosso passado e todas as nossas lembranças, seus olhos me dizem que tem coisas que preciso escutar que preciso deixá-lo falar, mas a magoa e o medo me travam, falar o que quero e desejo e ouvir Justin significa uma vulnerabilidade que não sei se quero e não sei se estou pronta, me sinto fraca e me xingo por tamanha covardia, mas sei que não posso, não agora.

- Kendall- sua voz soa receosa, seus olhos suplicam, mas não posso.

- Eu acho que preciso ir, vejo você depois – beijo seu rosto enquanto aproveito para sentir seu cheiro mais uma vez, não deveria, mas, sempre me aproveito desses momentos, não deveria e ainda assim quero seus lábios, seus olhos em mim, seu corpo junto ao meu, a tantas coisas que não deveria e quero de novo, e não posso simplesmente falar, me sinto sufocada. – Sei que precisamos falar sobre isso, em algum momento vamos falar e vou ouvir você, mas não hoje – suplico e ele suspira concordando, seus olhos não escondem a tristeza e os meus não devem estar muito diferentes. – Sinto muito – meus olhos lagrimam e ele nega rapidamente e repetidamente.

- Não faz isso, conversamos em outro momento, desculpe estragar a noite – sua voz soa triste e quando meus olhos encontram os seus mais uma vez eu vejo a tempestade dentro deles, minhas paredes estão ruindo e essa conclusão me desespera um pouco mais.

- Não estragou, nos falamos depois – ele suspira.

- Me avisa assim que chegar em casa, por favor- concordo me afastando e deixando o restaurante, assim que meu rosto encontra o lado de fora flashes tomam minha vista e corro até o carro o mais rápido que consigo, todos citam o nome de Justin e perguntam o que há entre nós, como se eu fosse simplesmente dizer, acho que talvez eles possam me responder o que nem mesmo eu sei responder.

Depois do banho tomado e de me sentir um pouco menos exausta, me jogo sobre a cama, não sei em que horas ele vem, mas o sono chega e me leva sem que eu sequer perceba.

- Justin não seja tão idiota – eu rio enquanto ele continua com a voz irritante reclamando ao pé do meu ouvido passam das duas da manhã e ele diz imitar o cara que vimos na boate, mal sabe ele que esta três vezes mais ridículo.

- Qual é ele estava muito engraçado, você viu aquelas roupas? – nego ainda rindo.

- Eu achei até um pouco fofo – confesso, eu sabia que aquele cara loiro estava querendo chamar minha atenção e se ele não fosse tão absurdamente estranho eu teria ido até ele, agora Justin achava um ótimo momento para me zoar por isso.

- Qual é você viu o jeito que ele dançava? Espera eu vou demonstrar para você- ele então começa algo como três passos para lá e dois para cá, finge dançar uma música eletrônica depois, mãos nos cabelos e no fim é um rockeiro desequilibrado e que toca uma guitarra sem qualquer ritmo e meu riso ecoa pela casa quando eu sei que deveria estar em minha casa, os dias com Justin quando não eram problemas eram riso e isso era algo realmente confuso, quando ele não me ligava em meio a uma encrenca ele me fazia rir como ninguém nunca conseguiu, eu poderia ir da raiva ao riso em segundos e talvez aquele fosse seu efeito sobre mim, desde que nos tornamos amigos no ano passado depois de ele frequentar festas em minha casa.

Não sei em que momento nossos corpos se aproximam tanto, mas quando percebo nossos olhares estão um no outro e um de seus braços aperta minha cintura, o riso morreu e deu lugar ao seu olhar intenso, encaro seus lábios rosados sentindo um imenso desejo de senti-los e engulo em seco sem me importar muito sobre o que estamos fazendo, Justin tinha esse dom de me deixar aérea simplesmente por olha-lo.

- Talvez ele tivesse pegada- minha voz soa como um sussurro e só tenho certeza de que ele escutou quando vejo seus olhos escurecerem um pouco mais vejo a raiva e uma espécie de desafio neles.

- Talvez eu também tenha – e então seus lábios tocam os meus e pedem passagem desesperados, sinto sua língua invadir minha boca e me aperto mais ao seu corpo, suas mãos apertam minha cintura querendo unir ainda mais nossos corpos como se isso fosse possível e sinto vontade de me fundir a ele, nossas línguas se encontram desesperadas pedindo por mais, me sinto fora de órbita viajo por um mundo paralelo, os lábios grossos e vermelhos que sempre quis sentir estão agora junto aos meus, os dedos quentes e firmes seguindo o caminho para debaixo da minha blusa de pano fino me causando sensações nunca antes sentidas e que eu desejo não parar de sentir...

Salto na cama com a respiração acelerada e consigo ouvir as batidas do meu coração, me pergunto se é realmente possível que ele saía pela boca, fecho os olhos por alguns segundos e as lembranças vindas do sonho preenchem minha mente mais uma vez, o relógio de cabeceira marca três da manhã e busco respirar um pouco mais, meu corpo quente pelas lembranças de nosso primeiro beijo, os dedos tocam sem permissão os mesmos lábios preenchidos pelos seus anos atrás e me atiro sobre a cama sabendo que não dormirei mais o resto da noite, perdida, estou perdida essa é a única conclusão que posso chegar neste momento.


Notas Finais


Gostaram? Nossa querida Kendall lembrando o primeiro beijo do nosso casal. Justin tentando conversar sobre o passado... Adianto logo que vem muita coisaa por aí.

Não deixem de comentar a opinião de vocês ela é muito importante para mim.

Vamos à novidade: Vou tentar ao meu máximo postar capítulos novos as quartas-feiras e aos sábados.

Entrem em contato comigo também pelo instagram: autoraluana.

Amo vocês, um beijo da Lu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...