História Before- shawn mendes - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Visualizações 9
Palavras 885
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Before 1


- faz um favor pra mim, pai. Não me liga antes das nove pra perguntar se eu já vou dormir, porque a resposta vai ser não. 

As minhas malas estavam espalhadas por todos os lados da sala estranha emoldurada da minha casa. Era estranho ainda estar ali, depois de tantos anos. Respirei fundo checando o celular em cinco e cinco segundos pra vê se o Harry tinha mandado alguma mensagem que realmente prestasse.

Mas nada. 

- a sua mãe não gostaria nada disso - ele tinha um cigarro entre os dentes. Torci o nariz.

- ela não gostaria disso também- apontei pro negócio fedido na boca dele e pisquei-, mas ninguém está falando nada sobre isso, está?- ele se calou. Eu fechei os olhos.

Harry: estou na esquina. Não surta!😐

eu: se você demorar mais um segundo, pode contar com isso.

Como se ele tivesse lido a minha mensagem rapidamente, o carro surgiu na minha rua. Estufei o peito. Meu passaporte de liberdade.

-bem, te vejo no verão.- ele piscou pra mim. Fiz o mesmo.

- apenas dois por dia, mais do que isso você morre, lembre disso.- puxei as malas enormes e andei até o jeep azul meio que correndo. 

Queria correr, fugir dali o mais rápido possível. Harry abriu o tipico sorriso convencido de que sabia que estava sendo o salvador da pátria de todos os momentos ilustres do mundo. Retribui o sorriso. Joguei a mala no banco de trás e sentei ao lado do meu colega de viagem. 

- vim correndo assim que li a sua mensagem, looi.- eu adorava como o sotaque britânico dele brincava com o meu apelido, escolhido e reservado a ele.

- faça um favor, acelere e coloque lady gaga pra tocar nesse rádio de merda.- ele fez o que pedi e ainda deu sorriso meio sem graça.

- não fale do meu rádio...


O aerporto estava mais gelado do que eu pensava. Eu não tinha tantas experiências com ele, tirando quando mamãe viajou pela última vez. Eu estava segurando um plaquinha de boas vindas quando eu descobri que ela não voltaria mais e por mais estranho que pareça, eu não sentia nada em voltar.

- seria bom que você me visitasse de vez em quando...- Harry estava descarregado as minhas malas em um pontezinha eletrônica perfeita.

- seria bom, se Ny não fosse do outro lado do planeta pra Inglaterra.- ele falava concentrado em alguma coisa no celular. Eu tentei espiar, mas não deu muito certo.

Ny- primeira chamada.

Encarei o televisor meio sem ânimo. Não queria deixar a Califórnia, não como eu realmente pensei que eu quisesse. Meus olhos preocupados encontraram o de Harry.

- hey, é a Cecília?- ele assentiu.

Cecília  e Harry namoravam há 6 anos, ou seja um namorinho de infância que até hoje dá certo. Mas nos últimos anos, pelo fato dela fazer faculdade na Escócia e ele na Inglaterra, precisa de desdobrar em dois pra poder ser namorado e amigo ao mesmo tempo. E além disso, ela foi diagnosticada com crise de ansiedade e bem, ela tem isso toda a vez. Não queria que isso acontecesse, nem com ela, nem com ele.

- foi um surto, rápido- ele passou as mãos pelo cabelo cacheado.

- ela vai fica bem...- segurei na mão dele e o observei concordar. Quem passasse por ali pensaria que nós dois éramos um casal, mas mal sabem que eu tô consolando ele pra namorada.

Ny- segunda chamada.

- é melhor você ir- ele suspirou- não vai querer perder o vôo, né?- eu concordei resignada. Dei um beijo na bochecha macia do meu melhor amigo e uma olhada rapida pra vê se ele estava chorando.

- desista, nunca verá essa cena.- ele riu, mas eu já vi.

- nunca, claro que não.- caminhei para a atendente do outro lado e pisquei pra ele- a sua hora vai chegar um dia, afinal.

Ele deu de ombros conformado com o destino desconfortável de lágrimas dele. 


O vôo foi normal, nada demais. Queen durante todo o percurso, a minha colega de viagem tinha um playlist completa do Justir Bieber. Eu quase morri.

Ny é assustadora a noite. Fria demais, tentei não desmaiar ao sentir a lufada entrar nos meus pulmões e ficarem ali pra sempre. Fechei os olhos, sentindo as luzes da rua deserta me atacarem. Um táxi sempre é bom.

- bestolard, por favor. - falei o nome do meu campus e ele concordou meio confuso. 

- é muito isolado pra lá.- ele comentou meio sem jeito de estar se intrometendo.

- não tinha mais vaga.- menti.

A viagem foi igual a minha pra cá, nada muito diferente. Eu não queria dormir, meus olhos também não. Esse lado da universidade realmente era meio isolado, mas dei de ombros. Por que não, né? Minhas malas pareciam mais leves. Peguei a maior de todas e coloquei as outras nas costas, não me traria nenhuma dor tão difícil de suportar.

O prédio era enorme. Maior ainda devia ser a univerdidade, não tinha a menor vontade de conhecer logo.

- senhora Malik?- meus olhos se arregalaram. Uma senhora baixinha com um coque ruivo e uma expressão vaga me encarando. 

- sou eu...- ela me entregou uma ficha com uma descrição do meu quarto. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...