História Begin Again - Chaelisa - Capítulo 5


Escrita por:

Visualizações 94
Palavras 2.887
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - ...


Lisa empurrou Chaeyoung para a única sala vazia que encontrou no esquisito e pouco habitado Bloco E do Campus, tão conhecido pelos seus alunos quando queriam ficar sozinhos e tirarem suas roupas.   

A agressividade de Lisa e seus olhos flamejantes de vontade de enfim beijá-la, a deixou sem saber o que fazer. A mais velha pegou em sua cintura e com certa força, a colocou sentada em cima da mesa exclusiva para os professores de Stanford.   

- Eu deveria te dizer pra ir embora - a australiana dizia baixinho, sua voz quase falhando - porque sei onde exatamente isso vai parar. Mas continuamos dando voltas e voltas... - franziu o cenho em frustração.   

A tailandesa ficou em silêncio e séria demais, apenas observando cada detalhe do rosto da mais nova.   

- Ouvi dizer que você está andando por aí com uma outra garota - Disse, tentando deixar, mas sem sucesso Lisa longe dela.   

Com um meio sorriso nos lábios, Lisa respondeu:   

- O que você ouviu é verdade, mas eu não consigo parar de pensar em você -   estava tão perto dessa vez, que Chaeyoung conseguia ver os detalhes dos olhos de Lalisa.   

- Eu também não consigo... - Fez uma careta ainda frustrada consigo mesma por não ser forte o suficiente para aquela garota em seus cabelos longos jogados para trás e camiseta branca.                    

Chaeyoung sabia que tinha exatamente tudo para atrair Lisa naquele instante. O batom vermelho clássico que ela sabia que a maior gostava, sua saia curta apertada. Indícios da forte atração que a tailandesa sentia, faiscavam em seus olhos, praticamente ardendo pelo contato que teria com a australiana.               

Seus lábios se tocaram com pressa, paixão.               

A australiana poderia começar a se acostumar com a presença de Lisa e com seu beijo, se não tivesse acordado daquele sonho no mesmo instante.  

Sua testa soada, seus batimentos parecendo que havia tomado aqueles sustos repentinos. Passou as costas da mão sobre a testa, limpando a camada fina de suor, engolindo em seco pela sensação que ainda corria em seu interior.               

A atual líder da nova UKB, podia sentir o gosto dos lábios da cujo nome não poderia ser dito, formigando, como se ainda estivessem colados sobre os dela e se odiou por isso. Por ainda se sentir assim quando se tratava dela.               

- Ugh, Chaeyoung! – falou para si mesmo, ainda no grande quarto escuro da fraternidade – Quando vai parar de uma vez em sentir isso? – e balançou a cabeça se alto reprovando pelas sensações estúpidas que a cujo nome não poderia ser dito, a fazia sentir.               

Olhou para o relógio e ainda nem se passava das 23hrs.  

Um hábito de dormir cedo ainda era tolerado por essa nova Chaeyoung. Aquela antiga vida pacata e nerd tinha ido embora, porém havia certos costumes que perduravam.               

Se levantou e vestiu seu roupão com pressa, pegando uma garrafa de água e dando fortes goles, enquanto que abria a porta do quarto e sem pensar muito no que faria, andou pelos corredores ainda movimentados de fraternistas que não se importaram muito com a sua presença, apenas dando espaço para que ela passasse.               

Deu um bocejo ao abrir o armário e pegar uma caixa de cereal, a comendo diretamente ali, não se importando em colocar na tigela. Suspirou forte e com impaciência ao ver um casal sentado sobre o balcão de cerâmica onde ela fazia suas refeições, franzindo o cenho em perceber que eles estavam quase se pegando bem ali na cozinha.               

- Há quartos privativos nesse casarão, porque diabos vocês não vão pra lá? – falava com rispidez – saiam fora do meu lugar!               

O casal grunhiu baixo em chateação, porem nada disseram.    

Rosé sentou e olhando para um canto fixo, começou a comer roboticamente o cereal. Ela apenas queria esquecer mais outro sonho com a  Lisa. Não queria lembrar do seu coração batendo eufórico pela presença da mais velha por perto, do seu beijo que ainda a perseguia em seus sonhos. Fechou os olhos e respirou fundo, sentindo sua cabeça latejar, ainda seu corpo quente pelo sonho do mesmo nível.               

- Chae? – Jennie chegou, falando calmamente ao ver o semblante da menor – Você está bem?             

Rosé abriu os olhos lentamente e olhou para a outra, franzindo o cenho.               

- Por que o "Chae" agora? O que deu em você? Porque me chamou...   

- Preciso que saiba de algo – Jennie a interrompeu seriamente.              

A líder ainda comia despreocupadamente, bocejando enquanto o fazia.              

- Está parecendo que viu um fantasma, Jen – Deu um meio sorriso, colocando a caixa da comida sobre a mesa – O que houve?             Jennie a olhava ainda incerta. Não queria dizer naquele momento, talvez devesse esperar pela hora certa. A sua eterna Chae nerd e tímida tinha ido embora, mas a outra cada vez mais sentia falta daquela Chaeyoung. Se dissesse naquele momento que viu Lisa trabalhando na biblioteca central do Campus e que falou com ela, talvez aquela antiga pessoa que Chaeyoung um dia foi, voltasse a tona ou fosse embora de vez.           

   "Por favor, Jennie. Não diga nada a ela agora eu imploro. Me deixe vê-la primeiro."               

A outra balançou a cabeça, ainda ouvindo aquela frase em sua cabeça, mas não se importou. Só Jen sabia da tristeza da menor, do seu choro baixo à noite. Da mudança drástica de Chaeyoung, que foi por culpa de Lisa. Do seu abandono, e agora estava de volta achando que tudo seria a mesma coisa. Lalisa estava enganada se achava que Jennie ia deixar isso barato. Ela não deixaria.               

Ouviu os estalar de dedos de Rosé.               

- Você ainda está por aqui ou foi abduzida?               

- Lalisa Manoban está de volta a Stanford – Jennie falou de uma vez, do jeito que ela sabia que Chaeyoung queria que ela dissesse se um dia a tailandesa voltasse, em seu nome e sobrenome, como se nada entre elas tivesse acontecido – Não apenas a vi como falei com ela.    

A única coisa que se sucedeu depois disso, foi o som abafado da caixa de cereal que caiu ao chão.      

***               

Rosé passou como uma bala pelos cômodos, ainda ouvindo a voz de Jennie aos fundos, pedindo para que ela parasse, mas não adiantava. Sua expressão ao ouvir aquilo da outra congelou, mas sabia que uma hora ou outra iria desmoronar ao saber daquela notícia, apenas não queria que fosse na frente da pessoa que acompanhou seu crescimento como a forte e indestrutível nova garota que se tornou.     

Respirou fundo, estufando seu peito enquanto que empurrava as pessoas que se encontravam em sua frente.               

- Me deem espaço, seus imbecis!               

Ouviu algumas reclamações pela sua ação, mas não se importou. Subiu em seu quarto, o fechando com violência e raiva, pegando uma garrafa de vodka, colocando no copo, sem se importar em derramar um pouco do conteúdo no tapete felpudo.  

Ela como líder não poderia beber no meio da semana, mas foda-se. Todos seguiam as regras da UKB com religiosidade, com exceção de Chaeyoung. Nos últimos tempos, suas próprias regras estavam chatas e entediantes demais para ela. Como se nada a agradasse mais. Ela não estava bem, não queria pensar, apenas queria manter a cabeça vazia enquanto que bebia sem parar e observando o jardim aos fundos, a piscina fazendo companhia e sem ninguém por perto.    

Meio tonta, mas ainda inquieta demais, saiu de novo do quarto e seguiu para os fundos do casarão, passando pelo seu jardim bem aparado e regado, trancando a única porta de acesso a piscina privativa da UKB. Aquele lugar era um dos preferidos de Rosé e essa era a hora que os fraternistas nunca usavam por conta do horário de dormir. Então sempre quando queria não pensar em mais nada, ela seguia para aquele lugar, sentindo o silêncio e calmaria, apenas ouvindo os esguichos de água, regando o jardim que cercava a piscina.   

Olhou fixamente para a água, franzindo o cenho e evitando pensar em mais nada enquanto que tirava o roupão, apenas ficando de sutiã e calcinha, sabendo que naquela hora a água estava em uma temperatura agradável, em meio ao frio ameno que Stanford se encontrava antes de vir o inverno forte.   

- Não vai ficar em minha cabeça, você não vai... – disse baixinho e evitando mais uma vez os pensamentos da sua antiga Chaeyoung. Não existia nada dela em si, apenas Rosé, sem pudores ou sentimentos por alguém.  

Chegou à beirada da piscina e pulou, dando um mergulho sem nem ao menos imaginar os olhos pretos que acompanhava cada ação sua, ao longe.   

****  

30min antes.               

- Eu acho que você deveria ir na UKB falar com ela – Jisoo dizia, observando Lisa entregar para ela uma revista em quadrinhos e ajeitar em seus braços o sonolento Luke, que dormiu após escutar uma história do Batman – Chaeyoung não pode expulsá-la uma vez que você irá de surpresa.               

- Fale baixo... – Lisa a repreendeu, por ver o garoto fazendo uma careta um pouco sonolenta, talvez incomodado pela conversa no quarto – e sim, ela pode muito bem me expulsar de lá – disse aos sussurros ao colocar a criança na cama.               

Jisoo rolou os olhos, sem se importar com a resposta.               

- Será o mínimo que ela pode fazer, mas depois que a viu na biblioteca você não cansa de dizer que precisa vê-la – explicava – Nós não temos mais a mesma vida, Lisa. Nunca iremos nos esbarrar com ela em festas, por isso se não for até ela, jamais ela virá até você.            

- Mas vocês se esquecem da confraternização do começo de semestre. Todos estarão presentes! – falou batendo palmas, empolgada.  - Qual é, meninas! Vocês podem sim encontrar elas. Jennie e Chaeyoung não estão tão inacessíveis assim – Joy continuava com sua animação.               

- Apenas estão no topo da lista e são duas líderes da melhor fraternidade do campus – agora Tzuyu dizia, colocando as pernas preguiçosamente no colo da Joy – apoio a Jichu. Você deve ir ao casarão. Não custa nada tentar.               

O novo quarto de Lisa estava pequeno demais para as quatro, porém ela não se importava em ter suas amigas ali, praticamente uma por cima da outra enquanto que a incentivavam a ir.               

Olhou para Luke, o vendo se aconchegar para mais perto dela, ao se cobrir com o lençol. Ele estaria dormindo aquela noite em seu quarto, depois de chorar a noite anterior no colo de Jinny, sentindo falta da presença de Lisa por perto. Passar um ano inteiro com a tailandesa o fazia ficar dependente dela.               

- Vocês cuidam dele enquanto isso? – disse, acariciando os cabelos lisos da criança – Prometo que não demoro.               

As três garotas a olharam com espanto.               

- Vai agora? Você tá louca? – Jisoo quase gritou, ouvindo um "shiu!" de repreensão de Lisa logo depois.               

- Não. Apenas preciso sair, só isso – tranquilizou a coreana que olhava para ela desconfiada – Vão ficar de olho nele?               

- Sim, claro. Não se preocupe – Tzuyu respondeu.               

Em silêncio, Lisa pegou as chaves da antiga e tão familiar Chevy e saiu do quarto sem nem ao menos reparar nas expressões confusas das meninas, que se entreolhavam, sabendo o que uma e a outra estavam pensando, mas apenas uma teve coragem para dizer em voz alta:               

- Sim, ela vai na UKB, isso eu tenho certeza – Joy disse enfim 

*** 

Lisa fechou com força a porta da antiga caminhonete de Chaeyoung.  

O seu pai que tinha uma paixão por aquele carro, o viu abandonado logo depois que a antiga nerd assumiu o posto como líder de fraternidade. Encontrou o Tom largado perto da entrada de acesso a Stanford. Um descampado pouco habitado onde apenas tinha a placa de boas vindas dando destaque. Passou meses o concertando, tirando as peças velhas e trocando por algumas novas, o motor sendo silenciado, mas ainda não passando dos 80km/hr. Tom tinha um aspecto melhor, apesar de ainda ter aquela cor alaranjada velha, meio enferrujada nos cantos. Mas sim, ele estava novinho em folha e pronto para Lisa que chegou em casa e se deparou com uma parte de Chaeyoung melhorada, reconstruída. Como se ela estivesse ali com Lisa assim que aceitou ficar com aquele carro, prometendo ao seu pai que um dia daria para a sua respectiva antiga dona.   

Vagou com determinação até a área que ela prometeu a si mesmo jamais ir de novo: a dos populares. Encarou a noite, passando pelas ruas agora pouco movimentadas por conta das horas. Sabia que as irmandades tinham um toque de recolher depois das onze e isso nunca mudou.  Estacionou na esquina do seu antigo lar, para que ninguém realmente a notasse.  

Colocou o capuz cinza mais uma vez sobre a cabeça, uma coisa que aprendeu a usar assim que chegou, porque evitava olhares curiosos nela. Deu um meio sorriso porque as vezes se sentia como o Arqueiro Verde daquela série com aquele capuz, mas sem as partes das flechas e brigas com bandidos.  Chacoalhou a cabeça em negação, fazendo uma careta. Começou a assistir séries demais estando em Londres. Esqueceu os demais pensamentos ao pôr seus fones modo no aleatório. Uma das coisas que fazia sempre e a tranquilizava.  Rumou para os fundos, sabendo muito bem o caminho a percorrer até o jardim que sabia naquela hora que estava calmo. Ao passar entre os arbustos, ela apenas escutava os esguichos de água ao longe, até isso ela conhecendo tão bem.   

Lisa não estava pensando muito quando se deparou com o cercado alto de madeira. Franziu o cenho ao se perguntar o que diabos estava fazendo ali, porque ao certo ela não sabia. Chaeyoung poderia estar dormindo, poderia estar em alguma festa, com Sehun ...  

Tantas possibilidades.   

Mas por extinto, continuou seguindo para o seu alvo: a varanda do seu antigo quarto de líder em que Chaeyoung havia se instalado. Tinha a piscina privativa da casa para a sua disposição e como vista principal.  Ela sabia muito bem da única falha que havia naquele grande cercado. Falha essa que tinha feito propositalmente, como uma saída de emergência quando queria ficar sozinha, sem toda a pressão de ser uma líder na sua antiga vida.   

Passou seus dedos analisando a parte onde havia a madeira que saía do lugar e não deu outra. A larga fresta ainda estava ali, preparada para que qualquer um tivesse acesso aos fundos da UKB, dando em frente para a grande piscina do jardim.   

Assim que ia passar por entre as barras, se deu conta de alguém chegando e como em uma guerra com várias bombas e tiros sendo lançados, mergulhou ao chão feito um cão covarde. Arrumou alguns segundos para se recompor, porque nem viu quem era direito, então com curiosidade foi aos poucos e com cuidado colar uma parte do seu rosto entre as frestas que ela mesma criou, esbugalhando os olhos ao ver quem era.               

A australiana tão familiar para Lisa estava bem ali não muito longe, um pouco distraída olhando para a piscina. A tailandesa percebeu seus olhos franzidos de preocupações e pensativa.               

O coração da mais velha disparou como um louco, enquanto que congelada, a via começar a tirar seu roupão.               

- Argh... De novo não, meu Deus...   

Pra o universo ainda ajudar, em seus fones de ouvido ainda foi ao seu favor e começou a tocar Fuck Em Only we Know da Banks, fazendo Lisa praguejar internamente por ainda não ter coragem de ter excluído sua playlist do sexo e por ter colocado no aleatório.               

Levantou suas sobrancelhas, engolindo em seco ao ver a cena não muito longe. Era golpe baixo ao ver Chaeyoung naquele micro conjunto de peças azul, uma de suas cores preferidas para lingeries depois do clássico preto.               

- Porra, ela está malhando? O que eu perdi?               

Se indagava ao ver que o corpo da australiana estava mais definido e proeminentes. Sua barriga criava leves tonificações, suas pernas mais grossas como se tivesse realmente trabalhado em sua aparência no último ano.  Pigarreou em nervoso ao ver a garota ficar de costas e destacar a parte que Lisa mais amava, a sua bunda, e mergulhar com agilidade na piscina.  

Aquele ar tão raivosa, a expressão de quem estava em conflito com algo, fazia com que vibrações dentro de Lisa despertasse como luzes em neon, que em tempos não havia sido desperto. Como em um click. Seu corpo reagindo com aquela visão dos deuses do Olimpo que aquele novo corpo de Chaeyoung trazia para seus olhos, que transbordavam luxúria e atração com aquelas curvas fodidamente gostosas da australiana.   

Nem se lembrava da última vez que transou e com quem. Claro que sua mente estava sendo irônica, ela sabia muito bem. Ela não havia feito sexo com mais ninguém além de Chaeyoung. Todo aquele tempo em Londres ela havia criado uma rejeição por qualquer um que a tocasse, como se a australiana tivesse feito algo dentro dela. Como se tivesse a marcado, e era isso mesmo que havia acontecido no coração da ex-líder.  

Uma eletricidade passou pelo seu corpo. Energia essa que ela sabia muito bem o que era.  Tesão.       

- Foda-se. Que se foda tudo – falou para si mesma enquanto que finalmente entrava no jardim, se aproximando da piscina e ficando em sua beirada.               

Rosé emergiu na água, e ao limpar os olhos e os abrir, se assustou ao se deparar com a visão de uma garota com capuz, agachada e olhando para baixo, brincando com a água, desenhando padrões com a ponta dos dedos 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...