História Behind my belly - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Jurassic Park
Personagens Claire Dearing, Owen Grady, Personagens Originais, Simon Masrani
Tags Clawen
Visualizações 86
Palavras 2.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ooooi amores! ❤️
Bem por aí?
Quero agradecer todo o carinho de vocês ❤️

Avisinho: pode ser que as postagens atrasem um pouquinho, mas, é por conta dos meus compromissos durante a semana💔 Porém, sempre que der vou postar e pretendo não perder a frequência.

Boa leitura. ❤️

Capítulo 12 - Capítulo 12


Capítulo 12

Claire Dearing.

Estou organizando todas as embalagens de presente que já ganhei dentro de uma caixa completamente enfeitada pela mãe de Zia.

Tudo está tranquilo por aqui, pessoal comendo e bebendo ao som de uma boa playlist gravada por Franklin. Mamãe e papai já estão aqui para passarem a temporada comigo e gosto de ver como papai está animado conversando com os meninos enquanto bebem cerveja. Mamãe está rindo horrores com as péssimas piadas de Zia e como de costume, as o são péssimas.

Suspiro passando a mão na barriga, feliz em observar todo mundo de divertindo.

Owen me encara e caminha até mim, segurando uma latinha. Sorrio de volta, gosto quando ele me lança um olhar misterioso, transparente, me deixado curiosa sobre seus sentimentos, sobre o que quer passar.

- Tem alguém no portão. - ele diz assim que se aproxima - Acho que é o Taylor. - sinto meu peito arder. Taylor está sendo tão infantil que mal consigo falar com ele sem sentir náuseas.

- Achei que ele não viria. - digo caminhando em direção ao portão enquanto Owen me acompanha.

- É bom que ele veio, não? - pergunta dando os ombros.

- Talvez. - dou os ombros também enquanto o mesmo ri fraco.

Suspiro e encaro o portão, Taylor está adentrando o local ao lado da sua nova namorada a qual não me lembro o nome. Com o meu melhor sorriso, caminho até eles.

  - Olá, Claire. Olá, Owen. - Taylor diz me estendendo duas sacolas - Essa é Débora, minha namorada.

Ela sorri para nós se aproximando de mim e dando beijinhos em meu rosto.

- Olá, Claire! É um prazer enfim te conhecer. - sorriu segurando minhas mãos - Você, não sei quem é, mas, bom te conhecer também. - estendeu a mão para Owen que a agarra com um sorriso forçado.

- Oi, Débora. - digo disfarçando o fato de ter achado ela um pouco esquisita - Prazer te conhecer, também. - minto.

  - Não sabia que vocês estavam tão próximos. - Taylor nos encara - Até onde me lembro, vocês se odiavam. 

  - As coisas mudam. - Owen o encarou - E vou te corrigir, nunca nos odiamos, Taylor.

  - Preciso usar o banheiro. - Débora encarou Taylor que sorriu - Onde fica, Claire?

  - Á esquerda da piscina. - forço simpatia - Fique a vontade. 

  - Obrigada! - sorri me soltando, deu um beijo no rosto de Taylor e caminhou em direção ao banheiro. 

Taylor me encara com as mãos no bolso da calça, arqueou a sombrancelha e suspirou.

  - Eu realmente achava que vocês se odiavam. - sorriu encarando dentro dos seus olhos - Mas, como estão essa vida a dois?

  - Vida a dois? - Pergunto confusa.

  - É. - deu os ombros - Uma vez, vi vocês dois tomando um grande Milk Shake na lanchonete do Bob's... Qual é, vocês não precisam esconder o romance. 

  - Não estamos escondendo nada. - Owen nega. 

  - Sempre desconfiei que você sentia uma atração por Claire, Owen. - Taylor cruza os braços - As olhadas que você lançava pra ela nas festas de confraternização da empresa.

  - É mesmo? - Owen pergunta - Interessante, não sabia que você prestava Tábata antenção em mim assim. 

  - Que coisa feia. - ele nega com a cabeça devagar - Assim que nos separamos você arranjou um jeito de conquistar o mole e sensível coração de Claire... Não esperava algo assim de você não.

Owen ri.

  - Me desculpa, Taylor. - Owen dá um passo para frente, encarando o mesmo nos olhos - Feio mesmo é engravidar e depois fingir que a responsabilidade não é sua. 

  - O que está dizendo? - Taylor descruza os braços - Eu estou fazendo a minha parte, você não tem nada a ver com isso, acho melhor você ir cuidar dos seus filinhos dinossauros. 

  - Pelo menos eu cuido deles. - Owen deu os ombros - Seja homem e pelo menos, assuma o que você fez, porque na hora do sexo você estava disposto, e para criar um filho, está com disposição também? 

Taylor o encarou com ódio, suspiro agarrando o braço de Owen, sei que isso não acabaria nada bem, em algum momento, um deles vai perder a paciência e a última coisa que quero hoje, é uma luta de MMA.

  - Ok. - puxo Owen para trás - Chega, vocês dois.

Eles me encaram enquanto Owen fuzila Taylor com o olhar pela última vez até virar as costas e sair caminhando até a churrasqueira, se juntando com o restante.

  - Podemos conversar, agora? Sem o seu namoradinho. - Taylor me olha. 

  - E o que você tem pra me falar, em? - pergunto de braços cruzados.

  - Desculpe o sumiço. - ele diz suspirando - Estava ocupado.

Claro, ocupado demais com a sua viagem para o Havaí, porém, não posso falar que sei sobre isso, não quero que ele saiba que andei vasculhando suas redes sociais em busca de uma explicação.

  - É, você sempre está ocupado. - digo cruzando os braços. 

  - Claire, estou te dando apoio nisso tudo. - ele bufa - Só não posso estar presente o tempo todo, eu tenho uma vida. 

  - Sério, Taylor? - pergunto irônica - Eu tenho uma sendo gerada dentro de mim, sabe disso, né? - ele encara o chão - Não estou pedindo para que voltemos a nos falar como dois grandes amigos ou que assumimos um relacionamento novamente pelo simples fato de eu estar grávida! Mas, eu realmente esperava uma reação mais madura da sua parte.  - cuspo as palavras em sua cara. 

  - Estou fazendo minha parte, mando uma quantia de dinheiro, para ajudar. - ele bufa. 

  - E eu agradeço. - digo revirando os olhos - Mas, sei que você não está interessado em assumir seu papel de pai. 

  - Tá legal, Claire, eu vou te dar todo o suporte que precisar, já te disse isso... - suspirou retirando as mãos do bolso - Quando Beatrice nascer, decidimos esse negócio de quando a busco na sua casa para passamos um dia juntos e esse tipo de coisa. 

  - Ok. - digo suspirando - Tudo bem. 

  - Se está preocupada com a pensão, não precisa. - eu lhe encaro séria - Eu vou mandar todos os meses. 

  - Acha mesmo que estou preocupada com o seu dinheiro? - pergunto incrédula - Por favor, Taylor. 

  - É o que parece. - disse me encarando sério. 

  - Não acredito. - rio sarcástica - O que veio fazer aqui, afinal? 

  - Débora me disse que era a coisa certa a se fazer. - deu os ombros.

  - Hum. - reviro os olhos - Então, aproveite a festa. 

Digo virando minhas costas para ele. Taylor definitivamente cuspiu em meu rosto que não quer mesmo assumir a responsabilidade, está querendo me empurrar dinheiro, achando que isso substitui qualquer atenção que ele pudesse dar para Beatrice. Em nenhum momento pensei em mim em relação a isso, sempre pensei nela, aliás, sei como as crianças sofrem com essa confusão mental do tipo: Quem é meu pai? Quando vêem crianças com os papais nos parques ou até mesmo buscando na porta da escola, queria que Beatrice soubesse desde cedo que o papai e a mamãe dela não estão juntos, mas, ela tem sim, uma figura paterna em sua vida.

  - Filha, pegue um. - papai chama minha atenção oferecendo espetinhos de frango - Está uma delícia. 

  - Obrigada, pai. - digo agarrando um. 

Ele sorri e volta a oferecer para outras pessoas, suspiro saboreando o alimento e passando a mão sobre minha barriga nú. Estou com top preto é uma saia longa combinando, gosto de ficar assim, me sinto confortável e livre.

Coloco as duas embalagens que Taylor me entregou dentro da caixa e vejo Zia caminhando em minha direção.

  - Caramba, aquela tal de Débora é a nova namorada do Taylor? - Zia pergunta assim que se aproximou de mim bebendo uma batida. Concordo com a cabeça mastigando - Hum, o que achou dela? 

  - Simpática demais. - digo dando os ombros - Chega a ser falso. - Zia revira os olhos rindo - Acredita que Taylor disse que parece que estou preocupada com a pensão?

- Sério? - ela perguntou com cara de nojo - Nossa, achava que ele não conseguiria ser mais imbecil... Claire, ele é um babaca.

- E como. - bufo sentindo todo o ódio atingir minhas veias - Fazer o que se engravidei do homem errado. - dou os ombros.

- Acontece, né. - ela dá os ombros com um sorrisinho - Olha, mas, não deixe isso estragar seu dia. - agarrou minha mão - Vamos até lá e dançar com os meninos.  

  - Dançar? - pergunto enquanto a mesma me puxa - Olha o meu tamanho, Zia. 

  - Pare de ser chata. - revirou os olhos - Owen! - ela o chama. 

O mesmo nos encara e caminha até nós mastigando alguma coisa. Sorrio envergonhada enquanto Zia mantém um sorriso enorme no rosto.

  - Por favor, faça essa linda moça dançar. - entregou minha mão para Owen que sorriu. 

  Ele deu os ombros e colocou sua bebida sobre o balcão ao lado da churrasqueira, me encarou e me puxou.

  - Vamos lá. - disse colocando sua mão nas minhas costas e com a outra segurou minha mão.

  - Eu não sei dançar. - digo colocando minha outra mão em seu ombro - Zia é maluca. - rio. 

  - Pare com isso. - sorriu colando nossos corpos - Dança comigo.

Minha barriga nos distancia, mas, não suficiente. Consigo sentir seu rosto ao lado do meu, sentir sua pele enquanto fareja meu cabelo como de costume. Nossos cheiros se misturando no decorrer dos dois passos para cá e dois pra lá, com um gingado maravilhoso de Owen enquanto ele conduz a dança de forma natural.

Sorrio. Tê-lo pertinho assim do meu rosto, do meu coração, faz com que sinta um sentimento diferente dentro do peito, o real sentido da expressão: "Quero lhe guardar num potinho", mas, Owen é grande de mais para um potinho, por isso, guardo ele sempre no meu coração para não correr o risco de esquecê-lo em algum lugar.

  - Para quem não dançava, você se saiu bem. - ele sorri depositando um beijo em meu rosto assim que a música acabou - Mais uma? 

  - Sim. - concordo sorrindo - Agora, vai ser difícil se livrar de mim. - brinco e ele nega. 

  - E quem disse que quero me livrar? - pergunta ele. 

Sorrio sentindo meu rosto queimar. Ele dá os ombros e novamente ficamos em silêncio, dançando ali, no meio de todos, porém, só sinto nós dois, em uma pista completamente vazia.

Fim de festa por aqui e todos já se foram. Taylor não se despediu, mas Débora sim. Ela parece ser uma menina legal, mas, sua simpatia - que tenho certeza que é forçada - me cansa.

Mamãe está me ajudando a colocar todos os presentes no carro enquanto papai e Owen limpam a churrasqueira. Me sento cansada no banco do passageiro, suspirando e passando a mão na barriga, como um bebê pode pesar tanto?

  - Tudo bem? - mamãe aparece ao meu lado. 

  - Sim. - digo sorrindo - Só descansando. 

  - Entendo. - ela ri - Zia me falou do Taylor. - eu a encaro - Você devia deixar esse rapaz, sabe? Não correr atrás, não ligar quando Beatrice nascer, não fazer mais nada. - deu os ombros - Ele não é um homem maduro para esse tipo de responsabilidade. 

  - Com certeza não é. - digo a encarando - Eu só o comunico sobre o que está acontecendo com Beatrice, porque ele continua sendo o pai dela... Mas, ele deixou claro que não se importa, então para mim tudo bem. 

  - É o pai da menina, mas, não age como um , então. - deu os ombros sorrindo - Mande ele para o inferno. 

  - Mãe! - digo rindo - A senhora não fala essas coisas, o que está acontecendo? - pergunto estranhando. Mamãe nunca perdeu sua formalidade. 

  - Zia me ensinou essa expressão hoje. - disse rindo - Seu pai falou bem do menino Owen. 

  - Áh. - sorrio passando a mão sobre a testa - É, percebi que ambos estavam se divertindo. 

  - E muito. - disse rindo - Podemos ir? 

  - Sim. - sorrio me descendo do carro e observando Owen. 

Caramba, Claire, o que você está sentindo por esse homem?



 


Notas Finais


Aaaaah vocês gostaram? Não podia perder a dancinha com o barrigão!
Não esqueçam de avaliar ❤️
Beijão e até a próxima! ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...