1. Spirit Fanfics >
  2. Behind the cameras - Jikook - >
  3. Baixinho.

História Behind the cameras - Jikook - - Capítulo 37


Escrita por:


Capítulo 37 - Baixinho.


Park Jimin

Acordo com meu celular tocando. Era Manny me ligando as quatro horas da manhã. Não posso mais nem dormir em paz?!

Desligo, mas logo depois ela me liga de novo e eu percebo que não vai adiantar ficar nessa brincadeira. Saio de meu quarto para não acordar Taehyung e vou até a sala, me sentando no sofá.

— O que você quer? - disparo ríspido -

Oi amor da minha vida. - ri -

A voz dela está falhada e rouca, além de que há um barulho tremendo atrás da voz dela. Despois que falou, soluçou. Ela está bêbada. Muito bêbada.

— O que você bebeu?

Ah eu tomei alguns goles de - soluça - cerveja, soju e um pouco de…

Fico esperando ela terminar a frase, mas sem paciência e com sono, não aguento tanto tempo.

— De quê?

An?

— Manny onde você é que você tá?

Numa balada.

— Qual o nome?

—  Ellui. - soluça, com a voz sofrega -

— Eu vou te buscar.

Não precisa.

— Você me ligou as quatro da manhã chapada, eu vou te buscar, sim!

que você insiste tanto. - suspira -

— Já estou indo.

Amanhã irá ser lançado o MV de Blood Sweat and Tears que gravamos há três dias e daqui a dois meses vamos fazer a tour de Wings. Eu e os meninos estamos treinando faz tempo, mesmo que não tenha contado a vocês. Eu estou morto de cansado, hoje treinamos mais algumas músicas e eu fiquei na sala de treino até uma da manhã. E mesmo assim, estou indo até meu quarto trocar de roupa e pegando um casaco para ir buscar minha melhor amiga que está numa balada extremamente bêbada.

Coloco meu tênis que estava ao lado da porta de saída. Escuto um barulho de uma porta se abrindo enquanto procuro a chave do carro de Jungkook, eu iria perguntar a ele antes de usar, claro. Só espero que eu esteja acordado o suficiente para dirijir até lá…

— Jimin hyung? 

Olho para trás e vejo Jungkook coçando os olhinhos na frente da porta de seu quarto.

— Oi, bebê. - me aproximo de si e o abraço -

— Por que você tá acordado essa hora? 

Ele apoia a cabeça em meu ombro e seu nariz em meu pescoço me faz uma cócega fraquinha que me faz sorrir. Faço um carinho em sua nuca.

— Eu vou ter que buscar a Manny numa balada, ela não tá bem. Você me empresta seu carro?

— O quê? - ele levanta a cabeça - Não, eu te levo! Vou me arrumar, me dá um segundo.

O carro é dele, o que eu posso fazer? 

— Tá, mas só porque o carro é seu.

— Sem essa, hyung, se o carro fosse seu eu falaria a mesma coisa. - rio e reviro levemente os olhos -

— Vai lá se vestir, Gguk. Quanto mais rápido a gente for, mais rápido você volta pra sua cama.

— Tá. - entra no quarto, mas volta logo em seguida - Ela vai dormir aqui?

— Vai, ela não está em condições de ficar sozinha. 

— Ah… 

— O que foi?

— Eu ia perguntar se você queria dormir comigo depois, mas já que ela vai dormir aqui.

Dou um sorriso e o empurro de leve.

— Vai se vestir, a gente vai ter muito tempo ainda para dormir juntos.

— Tá bom!

Depois de entrar no quarto, alguns minutos depois ele sai com um casaco, uma meia e uma blusa na mão. Jungkook vai até a sala e tira a blusa. Meus olhos agradecem. Coloca a blusa que havia pego e coloca os tênis também. Vai até a porta e coloca o casaco, destranca a porta e me olha.

— Vamos? - pergunta, e só então eu percebo que estava parado esse tempo todo só olhando pra ele -

— S-sim.

Ótima hora para gaguejar, Park Jimin. Saio logo depois dele e fico esperando ele trancar a porta para descermos do prédio. Pegamos o elevador, vamos até o estacionamento e entramos no carro. Abro o maps no meu celular e procuro o endereço da boate em que ela está.

— É aqui. 

Seguro o celular sobre a minha perna para que ele possa ver e seguir o caminho. Chegamos lá depois de uns dez minutos.

— Quer que eu saia? - Ao me ver guardar o celular no bolso do casaco e pôr a mão na maçaneta da porta, ele pergunta -

— Não precisa, eu já volto. 

Saio do carro e recebo na cara um vento gelado e quase corro para dentro do estabelecimento. Procuro Manny com os olhos e não a encontro, começo a andar pelo lugar e não a encontro. Começando a ficar preocupado, pego meu celular e ligo para ela.

Chamada perdida.

Tento de novo.

Chamada perdida.

— Caralho atende…!

Tento de novo.

Alô?

— Até que enfim! Onde você está?

No banheiro. Eu não to bem, Jiminnie!

Ai meu santo Deus, Manny eu não posso entrar no banheiro feminino, então sai daí pra eu poder te tirar desse lugar.

bom.

Suspiro e desligo a ligação, até que percebo que não sei onde ficam os banheiros para eu poder me encontrar com Manny.

— Oi, boa noite. Eu nunca vim aqui antes, será que você poderia me dizer onde ficam os banheiros? - pergunto a mulher que estava ao meu lado -

— Aham, fica ali em cima. - aponta para uma escada - É no corredor e tá com desenhos na porta.

— Okay, muito obrigado.

Curvo brevemente minha coluna em sinal de respeito e agradecimento e subo as escadas, encontrando Manny no corredor olhando para a parede.

— Oi! Garota, o que é que você tá fazendo? 

Viro ela para mim e percebo seu rostinho todo inchado e seus olhos vermelhos. A envolvo com meus braços e faço um carinho em suas costas, tentando acalma-la. Senti ela soluçar e ter um pequeno solavanco enquanto me abraçava.

— Shhhh. Tá tudo bem, vai ficar tudo bem, okay? Vamos pra minha casa e você me conta o que aconteceu, tudo bem?

Ela faz que sim e eu pego em sua mão, a levando até o carro. Abro a porta traseira e deixo que ela sente.

— Chega pra lá eu vou ficar aqui com você. 

Sentei no banco após ela se arrastar e ficar ao lado da porta esquerda. Jungkook ligou o carro e me olhou pelo retrovisor, ao mesmo tempo em que ela deita a cabeça em meu ombro.

— Shh… Calma, vai ficar tudo bem. 

— O que aconteceu? - Jungkook pergunta, olhando para a estrada -

— Ainda não sei também. - mudo a direção de meu olhar para Manny - Você quer me contar? 

Ela coça os olhos e os fecha, respirando fundo ainda com alguns, porém poucos, soluços pelo choro.

— Ainda não.

Assenti e fiz carinho em seu ombro, vendo que estávamos a poucos minutos de casa agora, mas estamos no trânsito.

— Desculpa. - Manny diz -

— O quê? Por quê?

— Eu acordei vocês…

— Tudo bem, você precisava de ajuda e quem acordou o Gguk fui eu. Inclusive, desculpa Jungkook.

— Tudo bem, eu não ia deixar você dirgir meu carro mesmo.

— Jungkook!

— Ué! Eu nunca vi você dirigindo, como vou saber se você não vai bater meu carro?

— Aish! Idiota…

Tenho certeza que Manny riria da minha cara se estivesse acordada agora.

— Jeonggukie. - chamei, manhoso -

— Fala, bebê.

— Eu quero carinho… Quando a gente chegar em casa e ela estiver na cama, você me dá carinho?

Jungkook para no sinal e olha para mim.

— Eu te dou tudo que você quiser, Jimin-ssi.

Sorrio do tamanho do mundo e sinto Manny se mexer ao meu lado e deitar em meu colo.

— Quanta melação… - ela diz - Continuem, to adorando.

Eu e Jungkook rimos, os dois corando instantaneamente. 

— Pensei que tava dormindo.

— Eu tô meio zumbi… Nem acordada, nem dormindo.

— Entendi.

Olhei para Jungkook novamente, este que já me olhava. Mantemos contato vizual até o sinal ficar verde e eu avisar para ele que ele deveria ir para chegarmos logo em casa. Mais alguns minutinhos e estamos no prédio. 

— Vem. Levanta. - ela resmunga alguma coisa - Vamos logo e eu te dou sorvete.

Ela se levanta numa velocidade absurda e me encara como se estivesse pensando sobre a vida, o universo e tudo isso. Pfft. Tonta pela bebida.

— Ela gosta de sorvete tanto assim? 

Jungkook questiona ao meu lado enquanto eu espero Manny se reestabilizar na Terra.

— Ela gosta de quase qualquer comida. - ele começa a acariciar minha cintura - Tipo, qualquer comida mesmo. - respiro fundo e olho pra ele - Jungkook, aqui não.

Tiro suas mãos de mim e estalo o dedo em frente ao rosto de Manny.

— Por quê? 

— Em casa eu te falo. Manny vem logo, acorda pra vida.

— Que?

— Bora, anda! 

Não sei pra onde foi minha paciência, provavelmente para a casa do caralho. Graças a Deus ela voltou logo depois que eu dei um grito quase sussurado para Manny.

— Tá, já to indo. Calma aí, senhor Flash!

Reviro levemente os olhos porque sei que ela diria a mesma coisa se não estivesse bêbada. Subimos pelo elevador e entramos no apartamento que não era nem enorme, nem pequeno. Era extremamente confortável e todos concordávamos.

— Olha, você vai tomar um banho que eu te empresto umas roupas minhas e você dorme no meu quarto, okay?

— E onde você vai dormir? 

Viro para trás.

— Posso dormir com você, Jeonggukie?

— É óbvio!

Sorrio agradecido e cansado. Olho para Manny.

— Espera aqui, vou pegar uma blusa e uma calça.

Fiquei pensando então no que ela iria usar por baixo. Vish!

— Ny, chega aqui rapidinho. - a chamei para um canto - O que você vai usar de… - engoli em seco, minhas bochechas ruborizando e a vergonha se intensificando a cada segundo, mas eu precisava perguntar. - roupas íntimas?

Ela também ficou com vergonha, pelo visto. Suas bochechas fazem parecer que ela correu uma maratona de tão vermelhas que estão.

— Me empresta uma box? Eu juro que devolvo amanhã de manhã! - se apressou em dizer -

— Okay, e não precisa ser tão cedo assim. Eu sei que você não acorda cedo.

— Obrigada. De verdade. Por tudo.

Fico impressionado com ela parecendo raciocinar quase normalmente, mesmo com o – suponho eu – tanto de bebida que ela ingeriu.

Busquei as roupas e escondi uma box nova que eu havia comprado há poucos dias e ainda não tinha usado no meio das roupas. Entreguei a ela olhando para baixo e vi ela entrar no banheiro. Respirei fundo e me arrastei pela parede até estar sentado no chão. Fechei meus olhos e apoiei a cabeça em meus joelhos.

Ouvi passos perto de mim e então, alguém sentar do meu lado. Levantei a cabeça vendo que era Jungkook, o que eu já esperava, e segurou minha cabeça a colocando em seu peito.


— Você tá cansado? Com sono? - mesmo sendo eu a ter acordado ele, ele quem me pergunta -

— Mor-ren-do. 

Digo assim, pausadamente e sibilando minha exaustão. 

— Por que você não vai colocar seu pijama, eu coloco o meu, você espera ela sair do banho e dá uma aspirina pra ela tomar amanhã quando acordar?

— Quando eu acordar? - já estava lerdo demais para raciocinar -

— Não, amor, quando ela acordar. Você deixa na cômoda da  sua cama e fala pra ela beber quando acordar.

Quando ela acordar. Pra ela beber quando ela acordar. Tá bom. Ia me levantar, mas Jungkook segurou meu rosto e me deu um selinho tão carinhoso e demorado que eu senti vontade de poder dormir aqui mesmo.

— Assim eu durmo. - resmungo baixinho -

Ele riu baixinho, me deu um selinho estalado e me lembrou de ir trocar de roupa. Sim, eu quase esqueci. Entrei no quarto com a lanterna de meu celular ligada e nem precisei procurar muito, já que meu pijama estava em cima de minha cama. Entrei no banheiro e troquei de roupa, jogando a outra que eu estava usando dentro do guarda-roupas. Quando saí vi Manny sentada no sofá com sua bolsa em sua mão na qual deveriam estar suas roupas.

— Min, onde fica a lavanderia de vocês?

Fiquei um pouco confuso sobre o que ela queria na lavanderia, até que pensei que ela teria que colocar a calcinha dela para secar. Fiz um gesto com a cabeça para que ela me seguisse e mostrei que para chegar à lavanderia teria que passar por uma porta que era dentro da cozinha.

— E onde eu posso pendurar… Hm… Aquilo lá, sabe? Aquil

— Sim, eu entendi. - firmei -

Mostrei um varal um pouco mais afastado dos outros e saí para pegar a aspirina para ela. A ressaca que ela vai ter amanhã pelo menos vai diminuir um pouco. Tentei pegar a caixa de remédios mas emburrei a feição, já não alcancei nem a prateleira em que a caixa estava. É muito alto, poxa!

— Gguk, pega a caixa de remédios pra mim?

Ele também já está de pijama e está no sentado sofá, quando me ouviu, me olhou e riu. Hmf.

— Não alcançou, foi? - chegou perto de mim e abraçou minha cintura com um sorriso traiçoeiro -

— Não! É alto demais!

— Você que é muito baixo. - pegou a caixa com facilidade - Viu?

— Mas… Mas você é só um pouquinho mais alto que eu!

— Baixinho.

— Idiota!

Manny parou do nosso lado e ficamos os três nos olhando até cairmos na risada. Escovei meus dentes e emprestei uma escova nova para Manny escovar os seus, ela deitou na minha cama, lhe dei boa noite e fui para o quarto de Jungkook junto dele mesmo.

Deitamos na cama e ele tentou fazer com que eu lhe desse a mão quando me fez a conchinha de dentro, ele sabe que eu adoro ser a conchinha de dentro.

— Me dá sua mão Minnie! - bradou sussurrando, já que Jin hyung estava na cama ao lado -

— Não, você me chamou de baixo!

Estavamos discutindo baixinho e falsamente, já que eu não estava verdadeiramente bravo com ele.

— Por favor!

Com a voz manhosa, ele pediu. Sem conseguir negar mais por muito tempo, dei minha mão a ele, este que me apertou como se eu fosse um ursinho de pelúcia.

— Vira rapidinho. - pediu -

— Pra que?

— Beijinho de boa noite.

Ele é um bebê. É isso que ele é. Um bebezinho. Girei na cama e me pus de frente para si, este que me deu um selinho muito amoroso e quentinho, seguido por beijinhos em todo o meu rosto. Segurei seu rostinho com minhas duas mãos e deixei um selinho rápido e estalado em sua boca e me virei novamente, sorrindo.

— Boa noite, Jimin-ssi.

— Boa noite, bebê.

Me abraçou com carinho e adormecemos nessa posição que eu tanto amo. Eu me sinto tão bem quando durmo com Jungkook.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...