História Behind the mask. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Michael Jackson
Tags Amor, Drama, Michael Jackson, Rei Do Pop, Romance
Visualizações 19
Palavras 945
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, FemmeSlash, Hentai, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo pra vocês, meus amores.

Capítulo 3 - O poderoso chefão.


Pamella narrando. 

 

Você já notou como é maravilhoso o sol pela manhã? Aquele que invade as janelas do seu quarto e toca sua pele como se fizesse um carinho que aquece seu corpo. Bem, foi assim que eu acordei. Olhei no relógio, ia dar 8 da manhã. Sentei em minha cama e respirei fundo. Eu começaria uma nova etapa da minha vida, como assessora de imprensa de Michael Jackson.  Isto não é incrível?!

Tomei meu banho, dessa vez um pouco mais gelado e demorado para relaxar. Assim que terminei meu telefone tocou. Era uma voz irreconhecível. 

- Pamella? - O homem disse do outro lado da linha.

- Sim, sou eu.  

- Aqui é  Dave, motorista do Sr. Jackson. Estou esperando você aqui fora, em seu portão.

- Como assim?  - Corri para a janela e olhei pela fresta dase cortinas. Realmente tinha um carro preto parado atrás do meu fusca. - Ok, certo. Já  estou descendo. - Respondi.  - Ok. - e desligou o telefone. 

Comecei a me arrumar depressa, quase desesperadamente, colocando minha saia social azul e minha blusa de manga longa de renda. Vesti meu inseparável salto alto azul,  que combinavai perfeitamente com a saia. Fiz um coque no cabelo e assim que peguei minha bolsa saí. 

Ao entrar no carro, vi o rapaz do telefonema.  Um homem louro e já de meia idade, que, automaticamente olhou para minhas pernas quando eu entrei no carro. - Bom dia. - ele me disse assim que me ajeitei. - Bom dia. - Respondi tentando soar simpática. 

- Tivemos que pegar seus dados pessoais, então por isso soube o endereço daqui. - Ele contou enquanto saíamos do local.

- Michael estará naquele rancho?  - perguntei curiosa sem tirar os da janela do carro. Eu tinha essa curiosidade. Apesar de não conhece-lo muito, era o desejo de qualquer um entrar em Neverand.

- Não,  O Sr. Jackson estará na sua outra casa, há mais o menos uns 10 quilômetros daqui.  - desviei o olhar para ele durantes alguns segundos. Eu iria na casa de Michael Jackson.  Aquilo era inacreditável.  Imaginei a reação de Deborah Cooper, minha inimiga número 1 no ensino médio ao saber de um negócio desse. Ela  morreria de inveja. 

Eu saí de casa sem comer absolutamente nada. Meu estômago doía e roncava um pouco. Mas não ia chegar na casa do rei do pop pedindo alguma coisa para comer. Então, me forcei a segurar a fome um pouco. Demoramos cerca de quarenta minutos para chegar até a outra casa de Michael, que ficava um pouco distante dos arredores de Los Angeles. Eu ouvia uma música dentro do carro. Por incrível que pareça,  aquele americano sentado do meu lado dirigindo, tinha um ótimo gosto musical. Peguei uma balinha de menta dentro da bolsa. E então aquele belo carro foi encostando lentamente em frente uma mansão totalmente branca. Entramos em um longo jardim onde haviam lindas flores por toda a parte. Flores que só desabrochavam apenas uma vez em cada estação do ano. Perto do portão de entrada havia duas fontes que tinham a forma de leões que esguichavam água pela boca. Corri meus olhos por aquela casa onde a estrutura era nova mas a arquitetura parecia antiga. Era tudo realmente lindo. Saí do carro, assim que Dave abriu a porta para mim. Me guiou calmamente  até  a porta principal. 

- Esteja pronta, e boa sorte.  - ele me desejou.

Eu não  pensei em bater na porta. 

Eu não  pensei em mais nada. 

Eu simplesmente entrei.

Lá estava ele. Sentado em uma poltrona vermelha, me parecia veludo. Atrás de uma mesa. Sozinho.

- Pamella. - Ele disse com uma voz suave,  mas de um jeito muito sedutor. 

- Michael.  Disse olhando diretamente pra ele. Ele se levantou e como quem flutua, chegou perto calmamente.  - Michael Jackson. - Ele falou sorrindo. Sim, eu sabia o nome dele. Eu e o mundo inteiro, inclusive.  - Sente-se.  Ele disse. Trajava preto, dessa vez. E sem óculos.  Pude ver seus olhos grandes e cílios volumosos. 

- Vamos lá.  - ele me disse  - Podemos começar hoje mesmo. Você irá ser minha porta-voz agora.  - Enquanto ele falava eu olhava para ele diretamente em seus olhos.  Ele falava em um tom neutro e seguro, mas de repente ele emudeceu, dando uma breve risada.

- O que foi? - perguntei séria.  

- Não gosto que me olhe nos olhos. Nem você nem ninguém.  - ele falou mais para ele do que para mim, na verdade. E qual o problema de eu olhar nos olhos dele?

- Tudo bem. Me desculpe.  - disse sem jeito. 

- Está tudo bem. - ele disse calmamente. 

- Bem, eu não sei exatamente  o que fazer agora. - Corri meus olhos pela sala rapidamente até voltar para ele. Ele ajeitou o colarinho da camisa e limpou a garganta.

- Deixe absolutamente tudo relacionado a  mim. De absolutamente tudo relacionado a Michael Jackson.  - Ele falou dele mesmo na terceira pessoa? Que tipo de pessoa faz isso?! Acenti com a cabeça e conversamos por mais ou menos meia hora. Estávamos agora falando da mídia. 

- ... Bem, fica difícil ser discreta sendo quase uma babá de um cara como você.  - soltei as palavras como um soco. Michael mudou completamente sua postura. - Eu não sou nenhuma aberração! Ele afirmou, alterando o tom da voz. Aquilo realmente não me intimidou.  

- Certo. Vejo que teremos problemas, Sr. Jackson. - Ele mordeu a parte inferior dos lábios.  

- Certo Pamella. 

O rapaz sorriu levemente, se levantando como uma pantera. Andando sorrateiramente pelo pequeno espaço que havia entre nossas cadeiras.

- Esteja pronta, quero contratar você. 

Oh, Shit!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...