História Behind The Mask - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 17
Palavras 1.328
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello bolinhos
Tudo bem com vocês?
Espero que sim!

Mas um cap especialmente para vocês!!!

É o seguinte kkk obrigadinho de coração a todos os comentários, lista de leituras, favoritos, comentários e visualizações.

E falando em visualizações....já somos mais de 50 caraca maluco do céu é muita gente aaaaaaaa!!!!

Obrigadinho mesmo

Bom vou para de enrrolar, boa leitura ....

Capítulo 3 - Pânico


Fanfic / Fanfiction Behind The Mask - Capítulo 3 - Pânico

Sentir-se angustiado por um sentimento de tristeza é como estar acorrentado a escuridão, é estar preso a uma uma gaiola sendo puxado para o fundo do mar....depois um tempo é impossível ver a luz.
É assim que  sinto, neste exato momento, eu não quero isso, não quero coroação, nem bailes, nem convocações da realeza, eu nao quero ter que enfrentar o mundo lá fora.
É ai que entro en desespero. Pânico. Nos últimos três anos eu não planejei minha vida, eu apenas queria que ela cabasse. Rápida e sem sofrimentos....me enganei quanto a isso.
Agora sei que não estou e provavelmente nunca estarei preparada para governar este reino só, por que esta temerosa hipótese se quer passou pela minha vaga e mórbida mente.
Minha garganta arranha, e pirragueio, meu peito aperta-se nas batidas descompassadas do coração, o sangue parece pulsar com mais vigor, minha cabeça roda, as palpebras tremem em um ardor de choro, as pernas parecem perder a força, e o ar fica rarefeito. Parece não existir, e falta nos pulmões.
Não pode ser....as únicas palavras que consigo colocar em ordem, uma combustão de pânico e angustia se alastra pela extensão do corpo.
E então me lembro, e minha mente raciocina...durante todos esses longos e dolorosos anos para mim meu mundo desbaou e parou neste sofrimento, mas o mundo lá fora não. 
O mundo de appa e omma jamais parou definitivamente como o meu, e de alguma maneira eu sabia, lá no fundo, que meus pais teriam que fazer decisões para mim.
Para que de algum jeito quando eles partissem eu tivesse a chance de ter uma vida meramente digna.
Não estão errados, suas preocupações são reais e eu as entendo, mas nunca havia me recordado delas até hoje. Pânico.

-Como assim Mi-cha? - me viro para ela.

- Seu appa, o rei, pensou em muitas coisas durante todo este tempo que você esteve em uma fase delicada, mas aconteceram coisas durante este perido minha querida- com aquele sorriso singelo, ela se aproximou e colocou uma mecha do meu cabelo para de trás da orelha- Ele vai te explicar e você vai entender tudo, seja forte querida....você vai conseguir,  tenha fé. 

- Eu já não creio que tenha mais nada além de dor e sofrimento....Ma-mas não estou preparada- não estava de  fato- Oque eu vou fazer?

- Você tem muito mais do que imagina querida, espere um pouco e você vai descobrir- sorriu- Você vai saber oque fazer quando o momento chegar.

Então com aquele sorriso singelo de Mi-cha, ela apenas deixou o quarto e junto dela, todas as minhas dúvidas de como iria ser agora.....engoli em seco e o pânico se fez presente novamente.
Um tempo depois de me desesperar por mais um breve período eu descidi que em algum momento eu teria que enfrentar esta situação.
Aqueles corredores nunca foram tão longos, e meus passos nunca foram tão vagarosos, os segundos nunca foram tão lentos, e não me lembro quando os minutos viraram anos.
Já devidamente em pé ao grande e majestoso portal da principal porta de quele castelo, eu vi de longe a silhueta de appa com as duas mãos puxando as rédeas dos majestosos cavalos que trotavam em minha direção.

- Que tal fazermos um passeio mais longo? - chegou perto- Vamos até o alto do vale de lá da para ver o reino todo, quer ir?

Nao queria chatea-lo, de maneira nenhuma então coloquei um sorriso no rosto, que por mais que fosse verdadeiro, era mais repleto de medo do que qualquer outra coisa. 
Com maestria appa me ajudou a subir no cavalo, já com cela e rédeas como deveriam estar, então ele subiu e em pouco tempo já cavalgavamos para fora dos portões do castelo.  

-Sei que não está pronta, pelo menos não por enquanto, então vamos passar por fora do povoado oque você acha?- Appa sabia exatamente como fazer as coisas.  

- Eu acho perfeito appa- sorri. Mas o pânico ainda se fazia presente.

- Certo, então vamos.

Ah um bom tempo eu não  saía  do meu quarto para nem para andar nos corredores do castelo, tão pouco saía  para andar pelo reino,principalmente pelo povoado. 
E não seria agora neste momento que eu iria mudar este hábito. Não mesmo. 
Então por um segundo meu pânico se esvaiu, levado pelo vento eu pude olhar em volta, as terras que faziam o reino eram todas em um verde bonito e vibrante, as árvores eram altas e pareciam ter sido colocadas sob medida, o canto dos pássaros podeia ser ouvido em uma melódica canção enquanto o vento de tão forte e vigoroso poderia ser ouvido uivando. Por este motivo as árvores balançavam e suas folhas mais frágeis voavam.
Então sem que nem ao menos me desse conta appa parou, estávamos bem no alto de um vale. O reino todo pedia ser visto dele.

- Consegue ver?- o som morno da voz de appa se fez presente e junto com ela meu pânico retornou.

- O-que appa?- foi impossível não gaguejar.

- Este é o seu futuro minha filha, este é o seu reino- sabia oque viria.

- Appa....

-Sei que está com medo e acredite eu também tive, tive muito.... - sua voz era calma mas podia  ouvir o nervosismo da tristeza passada nela.

-Eu sei disso appa mas eu....

- Escute minha filha- inspirou fundo- Sei que para você esses últimos três anos foram terríveis, e digo que não poderia de forma alguma medir sua tristeza perante aos ocorridos do passado, sei que por muito tempo você só queria que as coisas acabassem e....

- Appa eu realmente...

-Deixe-me continuar- então me calei e resolvi apenas escuta-lo - E que o seu sofrimento nunca teria fim, então me escute com atenção querida- olhou diretamente para meus olhos e eu apenas tive vontade de chorar- Dificilmente ela terá por que o amor é algo involuntário e na maioria das vezes nem percebemos que ele está presente, você entende isso não entede?

- Sim appa eu entendo- apenas confirmei ainda olhando.

- Eu não queria te submeter a nada, por que eu jamais te obrigaria a fazer algo que realmente não queira, mas nas circunstâncias presentes minha filha eu preciso de você- sua voz passou de calma para angustiada.

-Porque appa? Digo por que precisa de mim? - pânico. Eu queria apenas fugir.

-Durante este tempo em que você esteve ausente algumas coisas aconteceram, dentre elas a algumas que não posso lhe contar agora, mas na hora certa você saberá,  mas a outras que você já deveria ter sido alertada e infelizmente não foi.

- E oque é appa? - medo, pânico ou qualquer outra palavra que resuma, medo em abundância, representaria neste exato momento oque sinto agora.

- Você já passou da maioridade minha filha, como não tenho herdeiros homems e você é a única herdeira direta na linha do trono não a outra escolha a não ser que você assuma o reino.

- Sim appa eu sei mas....

- Porém - minha nossa - Você sabe que posso governar o reino como bem entender, mas para algumas coisas eu preciso de aprovação do parlamento, e eles nao aprovaram que você governasse este reino só.

- Posso não estar pronta, mas consigo comandar este reino todo apenas com a minha capacidade - junto a pânico coloque revolta ao que sinto.

- Eu sei querida, não duvido e nunca duvidei , e eu disse  a eles sobre tal fato, o problema é que eles não aceitaram - ele direcionou o olhar novamente a passagem repleta de pequenas casas ao longe.

- E oque você quer dizer com isso appa? - engoli em seco, meu coração está mais acelerado do que o normal e as palmas das minhas mãos estão suando frio. Estou nervosa.

- Quero dizer que eles não deixaram que uma ômega, por mais que tenha potencial e capacidade, governe um reino sem se casar.

Não. 


Notas Finais


Hello bolinhos sou eu dee novo kkk

Espero que tenham gostado e obrigada pela sua leitura, paciência e colaboração!!!

Até sábado que vem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...