História Behind the Scenes - ChaeLisa - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


e aí

como ces tão? eu tô muito bem. então gente esse capítulo tá relativamente curto se comparado aos outros mas ele é apenas um capítulo pra acalmar os nervos depois do último.

espero que tenham uma boa leitura 💜

Capítulo 31 - C a l m a r i a;


Fanfic / Fanfiction Behind the Scenes - ChaeLisa - Capítulo 31 - C a l m a r i a;

A chuva ainda caía forte lá fora quando TaeSeob estacionou o carro em frente à casa de Chaeyoung. O garoto pegou seu guarda-chuva e segurou firmemente as sacolas em seus braços. Saiu do carro e correu até a porta da casa torcendo para que não molhasse os lanches que carregava. Entrou na casa rapidamente e agradeceu aos céus pela música triste ter parado de tocar no ambiente. Aquilo significava que Chaeyoung, pelo menos, estava lidando com o acontecimento de uma forma melhor. 


— Rosie, eles não tinham o sanduíche que você gosta mas eu trouxe os melhores do cardápio vegetariano — TaeSeob começou a falar enquanto trancava a porta. Estava, até então, distraído com sua ação e não percebeu que a figura feminina na cozinha não era Chaeyoung. — Comprei alguns com carne para mim, se você não se impor… — Sua voz se perdeu quando ele virou o corpo e encontrou Lalisa o olhando com um meio sorriso enquanto segurava a porta da geladeira aberta. — Lalisa?! — Indagou completamente chocado. 


— E aí — Lisa o cumprimentou com um riso divertido. 


— O que você? — Perguntou afoito enquanto se aproximava da bancada da cozinha e deixava as sacolas em cima da mesa. — Você e Chaeyoung…? — Suas perguntas não faziam sentido pois se perdiam no meio da fala. TaeSeob parecia surpreso demais para formular uma frase completa. 


— Voltaram? — A voz de Chaeyoung soou do corredor. TaeSeob olhou em direção a garota que caminhava até eles sorrindo. Chaeyoung parecia ter acabado de sair de outro banho, assim como Lisa. A tailandesa sorriu fechando a porta da geladeira. — Podemos dizer que sim — Disse abraçando a cintura da tailandesa por trás. 


A ficha de TaeSeob foi caindo aos poucos. O garoto fitou o casal recém reconciliado e um sorriso foi crescendo gradativamente em seu rosto. Soltou um grito animado e deu alguns pulinho no mesmo lugar. 


— Mentira! — TaeSeob exclamou ainda um pouco desacreditado, mas mesmo assim mantendo o sorriso contente no rosto. 


— Verdade — Lisa disse sorrindo igualmente ao seu amigo. Segurou as mãos de Chaeyoung que estavam em sua cintura. 


— Ah, eu sabia! — Praticamente gritou enquanto corria até as garotas e as envolvia em um abraço apertado. — Sabia que não iriam conseguir ficar muito tempo longe uma da outra — Confessou enquanto se afastava. — Quando deixei Chaeyoung aqui, até pensei em ir atrás de você para te trazer pra cá, não iria deixar que vocês terminassem assim — Revelou seu plano que não havia sido executado. 


— Não ia precisar, Lisa veio andando na chuva até chegar aqui — Chaeyoung disse saindo do abraço. Olhou para Lisa como se desaprovasse aquela ação mas ao mesmo tempo como se a achasse encantadora. 


— Nossa, que tipo de filme clichê é esse? — TaeSeob perguntou rindo e se sentando nos bancos que cercavam a bancada. 


— Meu filho, eu sou atriz — Lisa se defendeu imitando o ato do garoto. — O que você esperava? — Indagou com as sobrancelhas arqueadas. 


— Não esperava menos que uma declaração na chuva — Disse sorrindo ainda perplexo pela história que havia sido contada a ele. — Você é incrível, Manoban — Piscou um olho e ergueu a mão esperando que Lisa bastasse na mesma, e assim a garota fez. — Juro que já estava entrando em desespero — TaeSeob confessou enquanto pegava um dos sanduíches que Chaeyoung servia. — Não consigo nem imaginar um mundo onde vocês não estejam juntas, isso vai contra a lei da humanidade — Negou com a cabeça mordendo o sanduíche. 


— É, eu também não consigo imaginar isso — Chaeyoung concordou sorrindo e olhando para Lisa. A tailandesa correspondeu seu olhar e também sorriu se aproximando e deixando um rápido selinho nos lábios da namorada. 


— Ah — TaeSeob murmurou um tanto desgostoso daquele imagem. — Claro, como eu poderia viver sem ser a vela que ilumina esse relacionamento? — Provocou com um meio sorriso nos lábios. Chaeyoung apenas revirou os olhos e riu sabendo que o garoto não estava chateado de verdade.


O trio de amigos então embarcaram em um noite cheia de conversas e risadas. TaeSeob, entretanto, em determinado momento da noite decidiu que estava na hora de voltar para seu apartamento. Usou a desculpa de que queria dar privacidade ao casal, mas Chaeyoung sabia muito bem que ele iria encontrar-se com algum homem daquele aplicativo de namoro o qual ele era viciado. 


— Aposta quanto que amanhã meu telefone vai estar cheio de fotos do corpo do encontro dele? — Chaeyoung perguntou rindo enquanto sentava na cama cruzando as pernas e mexendo no celular. 


Lisa riu do banheiro. 


— Não duvido de nada — Admitiu em um riso divertido. Guardou sua escova de dentes reserva em seu devido lugar e então saiu do banheiro após checar seu rosto no espelho. — Vai ter pelo menos quinze fotos do tanquinho do cara — Disse se deitando na cama de costas para Chaeyoung. 


— E isso é um fato — Chaeyoung complementou desligando o celular e se deitando atrás de Lisa. Abraçou a cintura da mais nova e enfiou o nariz em seus cabelos. — Adoro esse shampoo — Murmurou ainda sobre os cabelos de Lisa. 


— É o seu shampoo — Lisa disse em um tom divertido. 


— Por isso mesmo — Chaeyoung riu. 


Lisa cobriu a mão de Chaeyoung com a sua e também riu em meio a um suspiro aliviado. Se dissessem para ela a algumas horas atrás que estaria daquele jeito com Chaeyoung ela bateria na pessoa e a acusaria de maldade por ter um coração tão frio como aquele para mentir daquele jeito. Mas ali estavam. Lisa nunca conseguiria achar palavras o suficiente para descrever como era encantada com a bondade e a compreensão de Chaeyoung, mesmo ela tendo feito todas aquelas coisas Chaeyoung ainda havia a aceitado de volta. Lisa sentia a necessidade de fazer coisas extraordinárias para Chaeyoung para compensar por aquilo. 


— Obrigada — Murmurou depois de algum tempo em silêncio. 


— Pelo o que? — Chaeyoung perguntou um tanto confusa com aquela gratidão repentina. 


Lisa suspirou e virou seu corpo no abraço de Chaeyoung ficando de frente para a mesma. Olhou para as íris castanhas e sorriu fracamente levando uma das mãos até o rosto da garota. 


— Por isso — Disse baixinho para que apenas Chaeyoung escutasse. Acariciou a bochecha esquerda da garota com o polegar. — Por estar comigo mesmo com todos esses problemas — Desviou o olhar naqueles segundos apenas para olhar para os lábios avermelhados de Chaeyoung. — Eu sei que isso é muito mais difícil para você. 


— Eu amo você, nunca poderia te deixar sozinha nessa situação — Chaeyoung disse aquilo como se fosse absurdo para ela fazer o contrário do que havia falado. — Estamos nessa juntas e a dor é muito menor se for dividida por dois — Um sorriso se abriu em seu rosto após ela falar aquilo.


— Você é um anjo, sabia? — Lisa indagou sorrindo e se inclinando sobre o corpo de Chaeyoung apenas para beijar seus lábios de uma forma delicada. 


— As pessoas me dizem isso — Chaeyoung afirmou sobre os lábios sorridentes de Lisa. 


— As pessoas estão certas — Lisa concordou tomando os lábios da garota novamente. 


Chaeyoung abraçou a cintura da garota em cima dela e suspirou em meio ao beijo. O corpo de Lisa se encaixou perfeitamente no seu, Chaeyoung aproveitou aquilo para arranhar as costas da garota delicadamente debaixo da camisa da mesma. Sorriu quando sentiu a pele de Lisa se arrepiar contra seus dedos, aquilo estranhamente a fez lembrar de algo de meses atrás. Separou o beijo com um sorriso um tanto intrigado. 


— O que foi? — Lisa indagou confusa apoiando uma mão no colchão ao lado da cabeça de Chaeyoung e erguendo minimamente seu torso. 


— Você lembra da nossa primeira noite na Austrália? — Perguntou realmente intrigada com aquela sensação estranhamente familiar que havia sentido. 


Lisa franziu o cenho e desviou o olhar para a parede tentando se lembrar. Olhou novamente para Chaeyoung quando lampejos daquela madrugada surgiram embaçados em sua cabeça. 


— Lembro — Afirmou ainda um pouco desconfiada. 


— Você tem alguma ideia do que fizemos? — Perguntou rindo. 


Lisa então riu altamente saindo de cima da garota e deitando ao seu lado. 


— Acho que estávamos bêbadas demais para lembrar de qualquer coisa — Comentou ainda rindo lembrando de como beberam tudo o que puderam naquela noite.  


— Eu só queria ter continuado com aquela investigação que planejamos fazer — Chaeyoung admitiu. 


Lisa suspirou se lembrando de que deveriam ter ficado o dia todo investigando aquela noite se não fosse por Ji Hwan e seu afastamento. 


— Nós deveríamos ter investigado — Disse como se tivesse se arrependido por não ter feito aquilo. — Estou curiosa até hoje para saber o que fizemos. 


— Eu também — Chaeyoung concordou de olhos fechados. Tentava ao máximo lembrar daquela noite, porém nada vinha a sua cabeça. — Mas eu sei o que queria ter feito aquela noite — Disse sorrindo e virando seu corpo na direção de Lisa. 


— O que? — A tailandesa perguntou sorrindo. 


Chaeyoung sorriu sugestiva e se inclinou tomando os lábios da garota novamente. As duas teriam, de fato, iniciado uma sessão de beijos e carinhos se não fosse pelo celular de Lisa tocando. A tailandesa saiu a muito contragosto de cima do corpo de sua namorada e se a esticou até que o aparelho estivesse em sua mão. Se sentou rapidamente na cama ao ver que a chamada era de seu pai, atendeu tão rapidamente quanto sentou. 


— Oi, pai — Atendeu se levantando da cama. 


Chaeyoung franziu o cenho e se ajeitou na cama confusa ao perceber que Lisa falava em seu idioma natal. A tailandesa ficou no telefone por minutos e não parecia estar muito satisfeita com aquele chamada. Sua expressão era preocupada e um tanto triste, Chaeyoung logo assumiu uma expressão preocupada também. Quando Lisa desligou a chamada Chaeyoung já tinha inúmeras perguntas. 


— O que aconteceu? — Perguntou preocupada quando Lisa se sentou em seu lado novamente. 


O olhar de Lisa estava um tanto perdido. Parecia que a garota ainda estava processando o que havia escutado. 


— São tantas coisas, não sei como começar — Riu um tanto perplexa e sem ter qualquer resquícios de humor em sua voz. Levantou o olhar para Chaeyoung e então respirou fundo antes de falar. — Meu pai está se divorciando da minha mãe — Falou aquilo um tanto inexpressiva, como se não soubesse exatamente como reagir àquilo. O ar fugiu dos pulmões de Chaeyoung. — O restaurante dele está passando por outra crise financeira e ele está vindo para a Coreia me visitar e te conhecer — Despejou aqueles informações em cima de Chaeyoung de uma só vez. 


Chaeyoung a fitou por longos segundos com a testa franzida em confusão. Aquilo tudo a atingiu como grãos de areia que a cobriam cada vez mais deixando seu corpo pesado. Fechou e abriu a boca como se estivesse procurando por palavras apropriadas e então respirou estupefata pronta para proferir as únicas palavras que seus neurônios foram capazes de formular. 


— Como é que é?! 


(...) 


— Será que você pode se acalmar? — Lisa perguntou um tanto agoniada com o jeito que Chaeyoung andava por sua sala de estar. 


— Como eu posso ficar calma? — Chaeyoung respondeu com outra pergunta parando por um segundo no lugar e olhando para Lisa com um olhar apreensivo. — Eu vou conhecer o seu pai! 


— Chaeng, é só o meu pai — Lisa sorriu fracamente apoiando os cotovelos sobre a bancada da cozinha. — Ele não é um monstro de sete cabeças é apenas um chefe de cozinha fofo — Assegurou tentando amenizar o nervosismo de sua namorada. 


— Mas mesmo assim é o seu pai — Chaeyoung disse se sentando no braço do grande sofá. Olhou para Lisa com um olhar preocupado, os dois dias que teve para se preparar não haviam sido o suficiente. — Eu nunca fiz isso — Confessou em uma voz baixa. 


Lisa a olhou surpresa e soltou uma risada ainda mais surpresa.


— Isso é sério? — Perguntou em meio ao riso. 


Chaeyoung assentiu em um suspiro nervoso. 


— Eu nunca conheci os pais de nenhuma namorada minha — Disse mordendo o lábio inferior em um sinal claro de nervosismo. — Eu nunca cheguei nessa fase na verdade — Lisa suspirou quando viu que Chaeyoung estava realmente nervosa com aquilo. 


— Amor, vai dar tudo certo — Assegurou enquanto saia da cozinha e caminhava até a garota. Foi até o sofá e se colocou no meio das pernas de Chaeyoung. Tomou o rosto da coreana entre suas mãos e sorriu tentando acalmar sua namorada. — Meu pai já te ama, ele apenas quer te conhecer pessoalmente — Disse calmamente roubando um selinho da garota. 


Chaeyoung suspirou um pouquinho aliviada. 


— Tudo bem — Disse tentando sorrir como Lisa. A tailandesa sorriu abertamente e deixou vários selinhos lábios de Chaeyoung. — Ele vai demorar? 


— Acho que não, ele já havia chegado em Seul quando me ligou — Disse dando de ombros. 


— Queria ter um tempo para me preparar melhor — Chaeyoung admitiu abraçando a cintura de Lisa e deitando sua cabeça no peito da tailandesa. — Foi tudo tão rápido, e ele já estava vindo para cá — Murmurou abafadamente enquanto sentia as mãos de Lisa fazerem um carinho em seu cabelo. 


— Você vai se sair bem — Lisa insistiu tirando a cabeça de Chaeyoung de seu peito e a fazendo olhar para seus olhos. — Meu pai é um amor de pessoa. 


Lisa mal terminou de falar e o interfone tocou. O porteiro dizia que seu pai já estava lá em baixo e então Lisa liberou suas entrada. Quando avisou que o mais velho estava subindo pensou que Chaeyoung iria desmaiar, a pele da coreana ficou branca demais e seus lábios estavam um tanto roxos. A coreana levantou e começou a caminhar de um lado para o outro nervosamente. Logo a campainha tocava e o coração de Chaeyoung pulava desesperado em seu peito. Quando viu o homem mais velho e bem ajeitado na porta Chaeyoung mordeu sua língua tentando não ter uma crise nervosa ali mesmo. Tudo pareceu ficar em câmera lenta quando o pai de Lisa se aproximou dela sorrindo. Chaeyoung engoliu seco quando o homem direcionou suas primeiras palavras para ela. 


— Você deve ser a Chaeyoung, não é? — Perguntou sorrindo e abrindo os braços para logo abraçar Chaeyoung de um jeito apertado e acolhedor. Chaeyoung abraçou o homem e olhou por trás dos ombros do mesmo encontrando Lisa com um sorriso aberto. — Eu sou Marco, o pai de Lisa. 


Chaeyoung sorriu quando o homem se afastou. 


— É um prazer conhecer o senhor — Disse educadamente tentando transparecer uma boa impressão para seu sogro. 


— O prazer é todo meu — Marco sorriu contagiantemente. — Sempre quis conhecer a namorada de Lisa, já que ela não para de falar de você sequer um segundo quando conversamos — Disse fazendo o casal ficar um tanto envergonhado. 


— Ei! — Lisa reclamou em uma falsa expressão brava. Seu pai levantou as mãos para cima como se estivesse se defendendo. — Vamos comer, já está pronto. 


— Você cozinhou? — Marco perguntou surpreso. Lisa o olhou com a boca entreaberta como se estivesse ofendida com o tom que ele havia usado. 


Chaeyoung riu fracamente se sentando na mesa em que o dois já estavam. 


— Fui eu, na verdade — Chaeyoung disse um tanto acanhada. Marco sorriu para ela ignorando as reclamações de Lisa em seu lado. 


— Vamos ver se ficou bom — Disse arrumando os talheres em suas mãos e causando um terror psicológico em Chaeyoung. Não é sempre que se tem um chefe de cozinha para criticar sua comida. Marco cortou um pedaço da lasanha e a colocou em seu prato. Chaeyoung observava suas ações com atenção e temor. Marco fechou os olhos quando colocou o primeiro pedaço em sua boca, mastigou durante alguns segundos e então abriu os olhos sorrindo sem mostrar os dentes. — Isso está ótimo, Chaeyoung — Exclamou realmente surpreso. 


Chaeyoung respirou aliviada e sorriu agradecendo. Lisa repetiu seu ato e sorriu fitando a interação de seu pai e sua namorada, em que mundo pensaria que aquilo iria acontecer? Seu pai nunca sequer havia conhecido seu ex namorado pessoalmente e agora conhecia uma namorada sua. Lisa suspirou encantada com a conversa dos dois, eles falavam sobre comida e seu pai até mesmo havia pedido a receita que Chaeyoung usou. Lisa se concentrou em comer e preferiu deixar que os outros dois conversassem, queria que eles criassem certa intimidade e queria que Chaeyoung tivesse uma boa experiência dessa vez, a assombração de sua mãe ainda rondava por ali. Chaeyoung e Marco conversaram durante todo o almoço e a garota se sentiu muito mais aliviada enquanto estava conversando com o mais velho. Marco era um homem muito simpático e fácil de se manter uma conversa. Ele havia até inventado um apelido para ela, Subchefe. Chaeyoung amou o apelido na mesma hora em que foi criado, Marco brincou que Chaeyoung cozinha tão bem que deveria ser sua Subchefe. 


— Eu falei que ele ia te amar — Lisa disse quando se sentaram no sofá. Seu pai havia as expulsado da cozinha alegando que iria lavar a louça e não precisava da ajuda delas. 


— Eu amei ele — Chaeyoung disse sorrindo e deitando a cabeça no ombro de Lisa. Se sentia muito mais aliviada agora. Nunca pensou que se daria tão bem com seu sogro, mas aparentemente Marco gostou dela também. 


— Fico feliz por isso — Lisa admitiu em um suspiro aliviado. Entrelaçou seus dedos com Chaeyoung e encostou sua cabeça na da garota. 


— Eu fico muito mais — Chaeyoung disse sorrindo enquanto observava as costas do homem. — Seu pai é uma pessoa muito amável. 


— Ele é — Lisa disse também sorrindo e olhando para seu pai. — Muito mais simpático que minha mãe — Disse aquilo com um peso em seu coração.


Chaeyoung suspirou pesadamente e levantou sua cabeça olhando para o rosto de Lisa. 


— Como você está com tudo isso? — Perguntou se referindo ao divórcio dos pais de Lisa. 


A tailandesa deu de ombros e abaixou a cabeça. Lisa se sentia impotente naquele momento, seus pais estavam se separando e tudo o que ela podia fazer era assistir aquilo na plateia. 


— Não sei dizer — Confessou se soltando no sofá. — Eu fico feliz pelo meu pai, ele merece ser feliz e definitivamente não está sendo com minha mãe agora. Mas mesmo assim fico triste, não quero ver os dois separados — Seu tom de voz foi diminuindo à medida que falava. Chaeyoung torceu os lábios odiando ver aquela expressão triste no rosto de sua namorada. 


— Mas você ainda vai ter os dois, amor — Chaeyoung disse entendendo perfeitamente como Lisa estava se sentindo naquele momento. — Sua mãe por mais que seja daquele jeito vai ficar bem e seu pai também. Você ainda vai ver os dois com a mesma frequência de sempre — Assegurou tentando diminuir um pouco a dor de Lisa.


Lisa concordou com a cabeça não querendo mais falar sobre aquele assunto. 


— Aquele grupo de teatro já te ligou de volta? — Perguntou mudando de assunto. 


Chaeyoung sorriu e assentiu. Um grupo de teatro havia a contatado anteriormente oferecendo o papel de protagonista em uma peça que rodaria o país todo. Chaeyoung se sentiu animada e logo aceitou e tudo o que precisava fazer era acertar os detalhes agora. 


— Vou a uma reunião hoje à noite para pegar o roteiro e assinar o contrato — Disse em um sorriso animado. — Estou tão ansiosa. 


Lisa sorriu com Chaeyoung. Estava realmente orgulhosa da garota, Chaeyoung estava ganhando um espaço realmente bom no meio da atuação. Lisa mal podia esperar para ver Chaeyoung estreando como a única protagonista em uma peça.


— Bem, Subchefe guardei um pouco de sua lasanha para levar de volta comigo — O pai de Lisa disse entrando na sala com aquele sorriso grande no rosto. 


Chaeyoung sorriu e assentiu se ajeitando no sofá. 


— Fico feliz que tenha gostado. 


— Se algum dia desistir da carreira de atriz pode trabalhar comigo no restaurante — Sugeriu e Chaeyoung não pode dizer se era algo real ou apenas uma brincadeira pela expressão do homem. 


Lisa fez um biquinho triste quando percebeu que seu pai pegava seu casaco. 


— Você já vai? — Perguntou tristemente. 


Marco suspirou e assentiu colocando seu chapéu na cabeça. As duas garotas se levantaram tristemente do sofá. 


— Tenho uma reunião com os investidores de Seul — Revelou enquanto se despedia de sua filha com um abraço apertado e cheio de saudade. — Até mais, Subchefe — Se despediu de Chaeyoung com o mesmo abraço acolhedor e apertado. 


— Queria que ficasse mais — Lisa voltou a dizer enquanto já caminhavam até a porta. 


— Eu também — Marco concordou. — Mas vim apenas conhecer minha nora e matar a saudade de você — Disse um sorriso se mantendo no corredor na frente da porta de Lisa. 


— Tudo bem — Lisa murmurou se apoiando no batente da porta. — Eu te amo, se cuida na rua — Desejou com uma expressão triste por ver seu pai indo embora. 


— Eu também te amo — Marco disse e deu aceno com a mão para logo ir até o elevador. 


Lisa só fechou a porta quando teve certeza de que o elevador tinha chegado no térreo. Se virou e encontrou Chaeyoung com um sorriso intacto no rosto. 


— O que foi? — Perguntou também sorrindo contagiada com a expressão de Chaeyoung. 


Chaeyoung negou com a cabeça porém manteu o sorriso nos lábios. 


— Nada, apenas estou feliz que isso deu certo — Respondeu abraçando a cintura de Lisa quando a mesma abraçou seu pescoço. — Estava tudo tão bagunçado, uma coisa como essa me deixa mais aliviada e feliz. 


Lisa sorriu e assentiu beijando os lábios da garota. Realmente precisavam de um momento de calmaria em meio àquelas turbulências. Seu coração bateu calmo como se estivesse finalmente em paz depois de dias. 




Notas Finais


a

então pra quem não sabe eu tô reescrevendo a minha outra fic e eu repostei o primeiro capítulo lá hj então vou deixar o link aqui pra quem lia e pra quem quiser ler 😔👌

https://www.spiritfanfiction.com/historia/my-ex-girlfriend--chaelisa-14949174

twitter: maniacjisoo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...