História Behind The Spotlight - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags 5 Seconds Of Summer, 5sos, 5sosfam, Amor, Ashton Irwin, Bandas, Calum Hood, Calumhood, Celebridades, Famosos, Fanfic, Gomez, Hollywood, Los Angeles, Luke Hemmings, Michael Clifford, Romance, Selena, Selena Gomez, Vida
Visualizações 51
Palavras 3.768
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi nenes

Capítulo 13 - Sorry


Fanfic / Fanfiction Behind The Spotlight - Capítulo 13 - Sorry

— Você é muito talentoso. — é tudo que consigo dizer em meio aquele silêncio constrangedor que havia pairado entre nós

— Obrigado! — Calum agradece. 

Um pequeno sorriso aparece no canto de seus lábios mas ele disfarça e olha para seus dedos que dedilham as cordas do contrabaixo. Fico em silêncio novamente, apenas ouvindo e me ajeito no sofá, me sentando de maneira que pudesse ficar de frente para ele 

— Luke me disse que você e Michael escreveram aquela musica. — digo. Calum para o que esta fazendo e olha para mim — É linda!

— Michael é um ótimo compositor. 

— Sim, mas você também é. 

— É, talvez. — ele desvia o olhar

— Você não tem mesmo ideia do quão bom e talentoso você é, né?! — mais afirmo do que pergunto. Indignada e irritada. Calum sempre teve esse defeito em não reconhecer e aceitar suas qualidades e talentos, ele não tem noção da grandeza das coisas boas que ele faz, isso sempre me tirou do sério. Então ele olha para mim novamente e não consegue segurar o riso

— Não é isso... é que... — ele até tenta inventar alguma coisa mas não consegue 

— Apenas aceita o meu elogio. — digo e sorrio

— Ok. — ele ri fraco — Obrigado, então. Mas você também é talentosa.

— Eu me esforço bastante. — dou de ombros — Você sabe como sou insistente quando quero algo! 

— Eu sei. — ele confirma e balança a cabeça — É por isso que veio parar em Los Angeles. 

— Exatamente. — sorrio fraco e ficamos em silencio novamente. Calum desvia o olhar, tira o contrabaixo do seu colo, coloca no suporte ao lado do sofá e se ajeita quando volta a se encostar. Me sinto obrigada naquele momento em olhar para ele, observar seus movimentos, é algo mais forte do que eu. — Calum...

— Hum? — seus olhos encontram os meus, aquelas duas bolas de chocolate me encarando e imediatamente fico nervosa. Sinto minhas mãos suando. Não sabia exatamente o que dizer mas sentia a necessidade de fazer isso

— Será que... — sou interrompida pela porta se abrindo em um baque que me assusta. Ashton entra sem perceber o que esta acontecendo, em suas mãos ele segura uma sacola com algo de comer dentro dela. Olho para Calum novamente e no mesmo momento ele me olha, seu olhar parecia irritado, talvez por ter sido interrompido naquele momento

— Que isso? — pergunto para Ashton e desvio meu olhar para ele

— Lanche natural. — responde. Ashton coloca a sacola em cima da mesa, tirando de dentro caixas pequenas de isopor que guardavam os lanches dentro delas. Calum então se levanta, pega um e olha pra mim

— Quer um? — ele pergunta

— Ah, sim. — balanço a cabeça e ele então pega outro, volta para o sofá, se senta e me entrega uma das caixas. Abro a mesma tirando de dentro um lanche natural de patê de frango com alface, tomate e maionese. Luke entra na sala logo depois e nos entrega garrafinhas de suco natural, em seguida ele se senta ao meu lado enquanto devora um dos lanches e puxa assunto ainda de boca cheia:

— O meu é de frango e o de vocês? — ele pergunta e me faz rir

— A boca cheia. — dou um tapa em sua perna 

— Ai. — Luke resmunga — Desculpa. 

— Todos são de frango. — Ashton responde e se senta em uma das cadeiras para poder comer. Fico em silencio enquanto como meu lanche e eles conversam entre si. John entra na sala segurando apenas uma latinha de refrigerante, se senta onde estava e volta a mexer no computador, depois diz algo que não presto atenção por estar focada no meu lanche. Luke se levanta até ele, olha algo no computador e depois volta ao seu lugar. 

 

Em seguida, quando todos finalmente terminam de comer e beber seus alimentos, jogar tudo na sacola e deixar de canto. John volta a falar sobre as musicas com os três garotos e nesse momento eu me perco completamente. Resolvo tirar meu celular do bolso e fuçar nas redes sociais, o que não faço a dias por causa da loucura que tem sido ultimamente. Depois que os meninos passaram a me seguir, tem sido uma bagunça todos os dias, pessoas comentando, me seguindo a todo segundo e eu não estava acostumada com toda essa atenção. É bizarro e engraçado pra mim ainda, não sei quando irei me acostumar, ainda mais com os comentários negativos por causa das fãs que acreditam profundamente que sou a nova namorada do Luke. Sempre dou risada quando leio algo do tipo na internet, ou quando vejo nossas fotos e as pessoas dizendo se apoiam ou não. Eu sei que pra elas é o que parece, mas eu já expliquei, ninguém entende completamente a nossa relação. Uma pena.

 

Havia se passado pelo menos meia hora que os meninos estavam discutindo sobre uma musica especifica. Mas eu não estava prestando muita atenção, não queria atrapalhar o trabalho deles, ainda mais algo tão importante assim que deve sair perfeito. Porém, quando vejo Calum se levantar da cadeira que ele estava sentado perto de John, sou obrigada a segui-lo com o olhar e no mesmo momento ele olha pra mim por pelo menos três segundos, seu olhar diz algo que não compreendo, depois caminha até a porta, abre e sai. 

 

Fico apreensiva e nervosa com a ideia que se passava em minha cabeça, tanto que demoro cerca de cinco minutos para criar coragem e me levantar sem ser percebida. Caminho até a porta, abro e saio sem saber para onde ir, isso faz com que eu solte um riso de mim mesma, andando em uma casa que eu conheci hoje e não tenho ideia de quem mais esteja ali naquele momento, mas apenas sigo os meus instintos. Caminho pelo longo corredor e acabo parando na sala, olho para os lados, vejo a porta para o que me parece ser a cozinha, depois do outro lado há uma escada que provavelmente leva ao andar de cima e logo a minha frente uma grande porta de vidro que tinha a visão toda do jardim, mas não sabia dizer se era da frente ou dos fundos. Percebo que uma das portas está aberta, então me arrisco em sair dali, encontrando exatamente o que eu queria. Calum sentado de costas para a casa, provavelmente em um degrau das escadas que desciam para o jardim e conforme vou me aproximando, consigo avistar de longe uma grande piscina logo mais aos fundos. Saio para fora e ele percebe minha presença, olha para trás mas não demonstra surpresa, como se esperasse por aquilo. Talvez seja isso que seu olhar havia me passado naquele momento. Esperança ou um pedido para que eu o seguisse. Quando me aproximo, percebo o cigarro entre os seus dedos e reviro os olhos mas me sento ao seu lado. 

— Desde quando você fuma? — pergunto

— Vai fazer um ano, eu acho. — ele responde brevemente, olha pra mim e solta um riso ao perceber em meu olhar o quão irritada aquilo me deixava — Relaxa, eu não fumo todos os dias. Só de vez em quando!

— Mesmo assim, faz mal. — retruco de cara feia

— Não vai me matar. — se defende

— Não agora. — reviro os olhos. Calum sorri, leva o cigarro até seus lábios tragando logo em seguida e soltando a fumaça para cima. Porém o vento acaba batendo em minha direção, jogando a fumaça toda em mim e me fazendo tossir de imediato — Calum!!!

— Desculpa. — diz mas solta uma risada, depois coloca o cigarro no chão e pisa em cima

— Eu deveria matar por você por isso. — digo, visivelmente irritada 

— Você não conseguiria. — ele ri

— Você não sabe. — cruzo os braços

— Você se importa demais para conseguir me matar. — ele joga aquilo no ar e antes que eu possa dizer algo, ele completa — Eu sei disso só pelo fato de você ficar irritada com a ideia de que eu esteja fumando, mostra o quanto você se preocupa comigo.

— Eu sempre me importei com você, porque eu não me importaria? — digo tudo tão rápido que me pergunto se ele iria entender 

— Porque eu sou um babaca por ter parado de falar com a minha melhor amiga?!! — Calum mais afirma do que pergunta, sem conseguir me olhar nos olhos e naquele momento eu entendo tudo. A festa. A briga. Eu tinha certeza de que aquilo havia saído da minha boca e mesmo que eu não me lembrasse de nada, eu simplesmente sabia.

— Calum... — tento dizer mas ele não deixa

— Não, tá tudo bem. 

— Não. — retruco — Eu estava bêbada, ok? 

— Você sabe que as pessoas costumam ser mais sinceras quando estão bêbadas, certo? — ele consegue finalmente voltar a me olhar. Sinto um arrepio que faz meu corpo estremecer

— Eu sei. — solto um longo suspiro — Mas isso não importa mais, não foi uma conversa civilizada...

— Então você quer uma conversa civilizada?

— Sim, porque não? Ou você prefere ficar desse jeito pra sempre? — pergunto e ele balança a cabeça negativamente. Ficamos em silencio.

— Me desculpa. — Calum murmura mas fico em silencio esperando ele continuar — Quando você foi embora, nós saímos em turnê. Foi algo tão surreal e fora do comum que eu não conseguia manter contato, sempre estava cansado depois dos shows, das longas viagens que acabava apenas querendo dormir no tempo livre e o fuso horário nunca ajudava e foi assim durante um ano todo. — Calum faz uma pausa, umedece os lábios e continua — Depois quando voltei para casa, eu tentei ligar, eu juro pra você que eu tentei mas tudo o que eu consegui foi uma gravação dizendo que o numero não existia mais... 

— Foi quando eu me mudei para Los Angeles e troquei de numero. — expliquei conforme tentava encaixar as peças daquele problema

— Porque não avisou? 

— Porque eu perdi todos os meus contatos. 

— Eu tentei ligar para sua mãe mas ela nunca me atendeu. 

— Oh! — franzo a testa — Eu não tenho explicação para isso. 

— De qualquer forma eu tentei durante algum tempo, até que mudamos para Londres e a banda começou a caminhar para frente. 

— Bom, eu... eu tentei o twitter mas... — faço careta e ele ri — Era como falar com as paredes. 

— É, eu escuto isso bastante. — diz Calum e depois fica em silencio novamente 

— E naquele dia? Na gravação? — pergunto

— Eu juro por Deus que não vi você. — Calum solta uma risada se lembrando daquilo e acabo rindo junto — Eu estava nervoso.

— Calum, você literalmente esbarrou em mim, derrubou o meu celular e não se desculpou.

— Porra! — ele ri, então tiro o celular do bolso e coloco em uma altura em que ele consiga ver o que havia feito na tela e ao invés de dizer algo ele apenas ri mais alto — Caralho!

— Eu deveria terminar de quebrar na sua cabeça! — resmungo mas sorrio. Calum pega o celular de minhas mãos para olhar melhor

— Nossa, eu... — ele ri — Não foi proposital.

— Nossa, me sinto bem melhor. — digo, ironicamente e ele ri me devolvendo o celular, reviro os olhos e guardo no bolso

— Sério, Mary. — Calum fica sério novamente e olha para mim — Me perdoa?

— Perdoado. — relaxo os ombros por dizer aquilo, por causa daquele momento, por tirar um peso nas costas — E me desculpa pelo...

— Você não precisa se desculpar por dizer a verdade. — ele me interrompe

— Mas foi de maneira desagradável. — sorrio

— Não importa. — retruca e eu apenas suspiro

— Podemos ser amigos de novo? — pergunto e seu rosto se ilumina com um sorriso

— Se você quiser.

— Eu quero, não da pra ficar nesse clima nem mais um segundo. — jogo aquilo pra fora — Sinto sua falta todos os dias. 

— Luke é um ótimo amigo. — ele diz, dando de ombros. Respiro fundo e ignoro o fato dele ter trazido o Luke para nossa conversa

— Eu sei disso, mas vocês dois tem personalidades diferentes, digo, eu não sei explicar. — suspiro alto

— Eu entendi. — ele ri fraco — E eu admito... também sinto sua falta.

— Eu sei que sim. — sorrio e empurro de leve seu ombro. Calum olha para mim, encontrando meu olhar e logo sinto meu rosto queimar, isso vem acontecendo frequentemente, algo que não acontecia antes. Uma lembrança do passado vem em minha mente naquele momento e por isso acabo me levantando, parada de frente para ele, um pouco inquieta 

— O que foi? — Calum questiona, confuso

— Nada. — disfarço e mudo de assunto — Como é ser mundialmente conhecido?

— É estranho, sei la. — ele da de ombros

— Mas você gosta? — pergunto

— Tudo tem seu lado bom e seu lado ruim, mas eu amo o que eu faço. 

— Bom, fico feliz por você. — digo, sinceramente e sorrio — E desculpa por não ter acompanhado tudo e por saber apenas duas músicas até hoje.

— O que? — ele começou a rir — Sério? Que tipo de amiga você é?

— Faculdade suga o tempo das pessoas, sabia?

— Mary! — ele se levanta rindo — Que absurdo.

— Desculpa. — digo e sou obrigada a rir 

— Qual música você sabe? 

— Amnesia e a outra eu não sei o nome.

— Nossa. — Calum coloca a mão no peito, fingindo estar ofendido

— Para! — fico sem graça — Mas olha, eu estou de férias, posso me dedicar agora.

— Oh! O que pretende fazer?

— Eu não tenho ideia. — balanço o ombro

— Oi lindos, estamos indo embora. — Ashton aparece na porta chamando nossa atenção e me assustando levemente. Calum olha para mim rapidamente, esperando que eu fosse primeiro, então assim faço e saio em sua frente acompanhando o outro garoto até a porta. John se despede de mim com um abraço apertado e acolhedor, me fazendo gostar dele mais do que ja havia gostado. Logo depois quando ja estamos dentro do carro, os meninos decidem que eu deveria ficar um pouco na casa deles até a hora do jantar porque eles iriam pedir pizza e eu não tenho muita escolha, afinal ainda era de tarde e Bea só iria chegar de noite.

 

Assim que boto os pés dentro da casa do Ashton e Calum, a primeira coisa que faço é que me jogar no sofá enorme e macio deles, deixando meu corpo relaxar. Calum sobe as escadas, Ashton se joga no sofá também e Luke se senta ao meu lado, liga a televisão e tenta ficar quieto mas logo me cutuca

— O que foi? — pergunto quando olho para ele

— Eu vi você e Calum conversando... 

— Luke, você é fofoqueiro. — digo e sorrio ao ouvir o som da sua risada 

— Vocês se acertaram? 

— Sim. — não consigo evitar o sorriso em meus lábios, me sentia idiota e boba por aquilo

— Finalmente! — Luke comemora — Pensei que eu ia precisar trancar os dois até fazerem as pazes.

— Que exagero. — solto um riso e encosto minha cabeça em seu ombro — Eu estou cansada.

— Porque?

— Porque acordei cedo. — respondo e no mesmo momento abro um bocejo longo. 

— Se quiser dormir...

— Não, to de boa. — respondo e ele fica quieto quando escutamos a voz do Ashton falando no telefone para pedir a pizza. Então tento me focar no que esta passando na televisão mas tudo que se passa em minha mente é minha conversa com Calum de mais cedo, suas palavras e as minhas rodando e rodando milhões de vezes, sem parar como se meu cérebro tivesse gravado tudo e todos os detalhes. Suspiro e Luke percebe

— Ei, você não esta de ferias? — ele questiona

— Sim. — levanto a cabeça e olho para ele

— Vamos marcar nossa viagem então!!

— Pra onde, Luke? 

— Eu tenho uma ideia já, quando eu resolver tudo, te aviso. Mas você vai mesmo, né?

— Sim, e a Bea também.

— Oh! — não consigo segurar minha risada ao ver sia expressão e ele fica sem jeito.

— Só me avisa para podermos dividir as despesas, ok? 

— Como quiser. — Luke balança a cabeça. Não digo mais nada, apenas volto a encostar minha cabeça em seu ombro, com preguiça demais para qualquer coisa. Suspiro alto e longo. Luke decide passar seu braço em volta dos meus ombros e então eu coloco minhas pernas em cima das suas, me ajeitando em meio ao seu braço, tentando encontrar uma posição confortável para ficar. Ficamos em silencio e tudo que me lembro é o som da televisão ficando cada vez mais baixo. 

 

 

Abro os olhos lentamente, acordando depois de algum tempo suponho, por causa da voz do Luke discutindo com o Calum se eles me deixavam dormindo ou não, porque a pizza havia finalmente chegado.

— Ela disse que estava can... — Luke para de falar quando percebe que estou acordando

— E vocês acordaram ela, parabéns! — Ashton se levanta do sofá dando risada dos amigos

— Bom dia. — diz Luke. Me separo de seus braços, me espreguiçando e bocejando. Depois logo coço os olhos, ainda muito sonolenta

— Quanto tempo eu dormi? — pergunto

— Eu acho que uns trinta minutos ou mais. 

— Ah! — bocejo novamente e olho paro o outro lado percebendo a presença de Calum

— Oi bela adormecida. — ele diz, achando graça da minha situação. Sinto Luke se levantar ao meu outro lado e rapidamente olho para ver onde ele iria 

— Oi. — volto a olhar para Calum e assim percebo que ele havia tomado banho

— Cansada? 

— Um pouco. 

— Vem, vamos comer. — ele logo se levanta e eu não demoro para fazer o mesmo. Vou para a cozinha e me sento ao lado do Ashton que ja devorava um pedaço de pizza. Coloco para mim e Luke me entrega um copo cheio de coca cola, agradeço e volto a comer em silencio, ainda sonolenta e bastante cansada. Quando acabamos de comer, Ashton se oferece para lavar a louça. Ajudo ele a secar tudo e guardar, depois que terminamos, eu caminho de volta a para sala desejando apenas tomar um banho e dormir, então me sento ao lado do Luke 

— Luke? — chamo sua atenção para mim

— Hm? 

— Me leva pra casa? — murmuro

— Ainda esta cansada? — ele questiona e eu apenas balanço a cabeça confirmando — Tudo bem, então vamos. 

— Obrigada. — agradeço e me levanto. 

— Vão embora? — Ashton aparece na sala secando as mãos no short e nos olhando

— Mary esta cansada. — Luke responde para mim. Vejo Calum aparecer na sala logo depois mas por outro lado, provavelmente voltando do banheiro. Só consigo caminhar em direção ao garoto loiro a minha frente

— Obrigado pela pizza. — digo ao envolver Ashton em um abraço e ser rapidamente correspondida

— Não precisa agradecer!

— Boa noite, Ash!

— Boa noite. — me afasto mas ele segura meu rosto e beija a minha testa, me fazendo sorrir. Me viro e observo Luke abrir a porta da frente para se preparar em sair. Sinto um frio na barriga quando desvio minha atenção do garoto loiro para o moreno a poucos passos de mim. Seus olhos encontram os meus, uma imensidão de sentimentos escondidos. Então sem pensar muito, faço o que venho querendo fazer desde o dia que o reencontrei, quebro a distancia que nos separada e fico na ponta dos pés para envolver seus ombros em um abraço extremamente apertado. Calum não hesita nenhum segundo para corresponder, seus braços logo estão ao redor da minha cintura, trazendo meu corpo o mais próximo possível do seu, fazendo o frio na minha barriga aumentar. Com isso, fecho os olhos e sou atingida por um turbilhão de sentimentos, desde nostalgia, carinho, como saudade. Muita saudade. Só Deus sabe como eu senti saudade, como eu passei noites em claro desejando e pedindo por aquele abraço durante todos esses anos, ainda mais eu que gosto tanto de abraçar as pessoas e colocar tudo que sinto através deles. Enfim, após longos segundos, talvez quase minuto, eu finalmente crio coragem para me afastar e olhar para ele 

— O que vai fazer amanha? — Calum me questiona antes que eu dissesse algo

— Nada, estou de férias. — sorrio fraco

— Ótimo, poderíamos fazer alguma coisa.

— O que? — questiono 

— Eu vou pensar em algo e te aviso, ok?

— Ta bom. — me afasto e só ai que eu percebo Ashton e Luke na porta nos observando, como duas crianças curiosas. Sorrio mas olho para Calum novamente — Boa noite, Cal.

— Boa noite. — ele abre um sorrisinho no canto dos lábios e eu não resisto em abraça-lo novamente, fazendo Luke dar risada e Calum também. Me sinto envergonhada, porque eu simplesmente não sei lidar comigo mesma quando estou desse jeito, explodindo de sentimentos e sonolenta

— Agora que finalmente eles se resolverem,  ninguém aguenta. — diz Ashton, me fazendo sorrir e me separar novamente do Calum. Não digo nada, apenas sorrio para ele e me viro, andando até a porta com calma 

— Tchau, Ashton! — digo e sou respondida por uma risada gostosa. Luke se vira e eu me aproveito daquele momento, pulo em suas costas e apesar do susto, ele me segura e depois grita "Boa noite" para seus amigos, andando em seguida até onde seu carro estava parado

 

O caminho todo Luke e eu só trocamos algumas palavras, ele havia percebido como eu estava cansada e resolveu me deixar quieta. Então depois de algum tempo ele para o carro de frente a meu apartamento, agradeço com um abraço apertado, um beijo em seu rosto e um breve boa noite. 

— Se cuida. — sua voz carinhosa me faz sorrir quando ja estou do lado de fora do carro. Aceno para ele de longe, sorrindo e logo em seguida entro com um pouco de pressa para subir logo. Assim que chego em meu apartamento, Beatrice esta sentada no sofá, assistindo televisão com um balde de pipoca em suas mãos e uma garrafa de refrigerante

— Oi, sumida. — diz ela assim que me sento ao seu lado e sorrio sem abrir a boca

— Oi. — digo

— Onde esteve? — questiona

— No estúdio com os meninos. 

— Que legal. — Bea enche uma mão com pipocas e enfia na boca, me fazendo rir 

— Fiz as pazes com o Calum. — solto aquilo no ar e ela se engasga. Rapidamente dou tapinha em suas costas, pego a garrafa de coca cola e ela logo bebe, parando de tossir em seguida enquanto dou risada da sua cara 

— Você o que? — ela finalmente olha pra mim

— Conversamos hoje, ele se desculpou e eu aceitei, fim. — explico e ela começa a rir 

— Aleluia, né? Ja havia passado da hora. 

— Ai, eu sei. — dou risada mas logo paro, me lembrando do abraço de mais cedo 

— Você esta toda boba. — Beatrice começa a rir novamente e me taca uma pipoca

— Ei, eu fiquei feliz, ta? Só isso e também eu estou morrendo de sono. — me defendo enquanto ela ri da minha cara e decido me levantar — Então eu vou tomar um banho e dormir até não aguentar mais, afinal estamos de férias.

— Que delicia. — Bea começa a rir e eu não me seguro, acompanho sua risada por alguns segundos, até perceber que estou rindo sozinha enquanto a idiota esta me encarando

— O que foi? — questiono

— Você fica mais radiante quando esta de bem com o Calum, sabia? 

— Oh meu Deus! — viro as costas saio caminhando até o banheiro

— ISSO SE CHAMA AMOR!!!!!!!


Notas Finais


NENES OQ TAO ACHANDO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...