História Beijando Deuses - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Aiden, Allison Argent, Derek Hale, Ethan, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Personagens Originais, Scott McCall, Stiles Stilinski, Talia Hale, Theo Raeken
Tags Deuses Gregos, Monte Olimpo, Scisaac, Sterek, Thiam
Visualizações 274
Palavras 2.964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Geeeenteee

Amanhã eu não vou poder postar nada, o que me fez terminar logo esse.

E o que dá tempo também para feedbacks de vocês. Eu realmente nunca peço para comentar além de responderem as minhas perguntas, até pq favoritar já me dá combustível para a fic. Mas eu amo os comentários viu kkkk😍

⚠️Lá vem mais uma pergunta⚠️ Eu sinto a necessidade de as vezes voltar para o passado do Stiles para explicações, não deixando-os alheios tipo: Tá, mas por que disso?
Porém sei que muitos ficam querendo pular essa parte, e como hoje deu praticamente um cap inteiro, alguns podem não gostar. Então peço que criticam a história (bem ou mal nos pontos que não gostarem) pois assim tento fazer a leitura ser mais prazerosa.

❤Obrigado a todos pelo apoio❤

❗P.S.: As dúvidas presentes em um cap são respondidas no cap seguinte ou mais para frente e assim vai.❗

Nota grande, eu sei... não me matem 😂

Vocês leem as notas do autor? Se sim, me digam plx (please), sou curiosa❤

Acho que aqui é um jeito legal de eu me comunicar com vocês 💕

Esqueci de falar: cap passado eu disse que ia aparecer novos personagens, não apareceu assim ainda porque ficou grande só essa parte, então sei que gostam de postagem rápido, por isso postei logo, já que amanhã vou estar ocupada. MAAAAS no próximo tem \○/

Capítulo 8 - Pelo menos, não até agora.


Fanfic / Fanfiction Beijando Deuses - Capítulo 8 - Pelo menos, não até agora.

Grécia Antiga

 

 

Stiles e Hector estavam sentados em cima de um lençol bonito, num campo de flores com alguns alimentos no canto para o caso de fome.

 

Stiles sorriu olhando o lugar que o príncipe o levou para um piquenique.

 

- Fui eu que arrumei tudo - gabou-se Hector para o deus.

 

Stiles riu e fingiu um olhar surpreso.

 

- Muito bem, e você preparou a cesta também? - perguntou já sabendo a resposta.

 

Hector cora e desviar o olhar momentaneamente.

 

- Não, mas eu tive a ideia - disse defendendo-se.

 

Os dois riem e se beijam.

 

- Além do mais, me casarei com você, me fazendo o homem mais feliz do mundo e então você cozinhará para mim enquanto eu vou guerrear - Hector abre um grande sorriso com o pensamento.

 

Stiles suspira.

 

- Colocarei fogo da cozinha e então tentarão me matar por achar que eu pretendo assassiná-lo - Stiles descontrai, mas volta a ficar serio. - Você sabe que é proibido por Zeus casamentos entre deuses e humanos - diz Stiles cuidadoso para não ferir Hector.

 

Hector beija a bochecha de Stiles e apoia a cabeça na do deus.

 

- Eu seria capaz de guerrear por você - fala Hector. - Aqui, lá...

 

- Sabes que eu não gosto de guerra - diz Stiles.

 

Hector assente.

 

Stiles se afasta para olhá-lo, sempre gostou de Hector por sua lábia.

 

- Tu és diferente de todos que conheci - fala Hector. - Não me olhas vendo um príncipe, não me beijas pensando no poder que te implica. Tu és uma pessoa linda, além do mais.

 

Stiles sorri encantado e não impede seus olhos de se acenderem em ouro, e o deus lembra porque ficou com o príncipe no início. Ele gostaria de conseguir falar como Hector, porém nunca conseguiu.

 

- Eu sei que sou belo, mas tu também és - Stiles acaricia a face do príncipe.

 

Hector ri e olha encantado para os olhos de ouro do deus.

 

- Eu não quis dizer essa beleza, mas sim, tu também és lindo por fora - diz Hector. - E com certeza tu não és o deus da lábia. - Ri.

 

Stiles bate de leve no braço de Hector e o puxa para um beijo. Eles deitam no lençol continuando o beijo apaixonado.

 

Alguém faz som com a garganta e eles se viram para olhar a pessoa.

 

- Pai? - fala Stiles confuso.

 

Hector logo se põe de joelho em respeito ao deus e pai de seu amado. Stiles se levantou e temeu ser repreendido por seu pai. Uma vez que seu pai nunca o procurava, apenas para repreendê-lo.

 

- Me encontre naquela cachoeira que sua mãe gosta quando terminar de se despedir do mortal - disse e sumiu.

 

Stiles olhou para Hector e esse se levantou com os olhos molhados.

 

- É a última vez que vou lhe ver? - pergunta Hector pegando a mão de Stiles apertando entre as suas.

 

Stiles dá de ombros, não sabendo do que se tratar o assunto com seu pai.

 

Stiles sela seus lábios nos do príncipe e esse aprofunda com dor.

 

- Talvez - fala Stiles e o beija rápido uma última vez. - Adeus Hector, seja feliz em sua vida.

 

Stiles sumiu daquele local e reapareceu no lugar indicado por seu pai. Ele avistou Adonis, ele parecia nervoso, e foi em sua direção.

 

- Está tudo bem, meu pai? - pergunta Stiles.

 

Adonis para de mexer nervosamente as mãos e coloca a mão no ombro de Stiles e o filho estranha o contato. Seu pai nunca o havia tratado assim antes, era sempre Stiles que pedia por atenção, e agora Adonis o tratava assim. Stiles não deixou de ficar feliz.

 

- É claro, meu filho - disse Adonis sorrindo belamente.

 

E Stiles se alegrou mais, Adonis apenas lhe chamara de filho umas duas vezes durante toda sua vida. Stiles achava que o pai não gostava da palavra por fazê-lo se sentir velho, então nunca reclamou pela falta da palavra. Porém não negava que ficava muito feliz quando o pai o chamava de filho.

 

- Por que me chamou aqui? - perguntou Stiles curioso.

 

Adonis sorriu.

 

- Bem, amanhã é seu aniversário de 1001 anos, e não se faz sempre essa idade, não é mesmo? - perguntou Adonis.

 

"É, também não se faz nenhuma idade duas vezes, e você nunca se importou com a anteriores", a dor de Stiles falou mais alta em seus pensamentos.

 

Porém Stiles se negou a pensar no passado, seu pai estava ali agora, pelo menos agora ele se importava, pensava Stiles.

 

- Quero lhe dar um presente - Adonis falou com um ar misterioso que encheu Stiles de curiosidade. - Porém só o terás depois da tua festa. Cumprimente todo mundo, ria com suas amigos. Pois no final da festa você estará casado.

 

Stiles se espantou.

 

- Como assim? - perguntou.

 

Adonis riu.

 

- Ora, meu filho, eu sei que sonha em se casar com quem amas. E eu achei uma pessoa perfeita. Bonita em todas as medidas. E essa pessoa estará o esperando no monte Parnaso - disse Adonis.

 

Stiles se encheu de alegria, mas algo em seu instinto o alertou.

 

- Mas não é lá o novo ninho da Medusa? - perguntou Stiles temeroso.

 

Adonis ficou nervoso então balançou a cabeça.

 

- Achei que estava na hora de você ser o herói, invés de ficar com eles.

 

Stiles fica nervoso.

 

- Eu não fico com eles por isso, eu... - enrolou-se. - Apenas não consigo encantar tanto os olimpianos, por causa... você sabe.

 

Adonis assentiu e deu uma batidinha no ombro do filho.

 

- Eu sei, e você não tem culpa nenhuma. Você sabe quem merece toda a culpa disso - fala Adonis serio.

 

Stiles assente com raiva.

 

- Voltando ao assunto. - Adonis revira os olhos. - Eu soube que essa pessoa, que eu estava de olho para você, estará andando por lá por volta desse horário. Apenas a tire ela de lá antes dela ser pega pela Medusa. Tamanha sua coragem, talvez Zeus até o recompense deixando acontecer o casamento de vocês.

 

Stiles sorri engolindo em seco de nervoso e assente para o pai, decidindo orgulhá-lo.

 

- Farei isso.

 

Adonis sorri como se achasse um grande tesouro.

 

- Não se arrependerás filho - diz Adonis beijando a bochecha de Stiles.

 

Adonis da um passo para o lado e para encarando o pássaro no galho da árvore.

 

- Odeio corvos - reclama Adonis antes de sumir.

 

Stiles olha para o corvo e faz uma careta, desgostando do pássaro também, antes de sumir.

 

 

Já era o dia seguinte e Stiles havia saído da festa tarde, tentando criar coragem para ir até o monte Parnaso como pedira seu pai. Ele vai andando quase lentamente para o monte Parnaso, depois de uma hora ele chega ao local.

 

Ele se aproxima da entrada e procura ao redor, apenas achando mais corvos.

 

- Que isso? - fala Stiles para um com irritação. - É convenção de vocês agora?

 

Stiles ri nervoso olhando para a entrada.

 

- É suicídio isso - pensa Stiles em voz alta.

 

Stiles esfrega as mãos já suadas na túnica.

 

"E meu pai não apareceu de novo no meu aniversário" pensa Stiles com pesar.

 

Stiles balança a cabeça espantando os pensamentos.

 

- Tudo bem - fala. - É só eu entrar e sair rápido, se ele estiver aí, ótimo, senão eu saio rápido e lamento para meu pai. Vai dar certo.

 

Stiles dá um passo em direção a entrada, mas alguns corvos o atacam, o puxando para fora do local. Porém com o susto, ele acaba tropeçando e anda de costas até se apoiar em algo para não cair.

 

Stiles bate as coisas em uma estatua perto da entrada e olha com horror. Stiles escuta um barulho vindo do seu lado e fecha os olhos tentando voltar para a saída, mas se esbarra em outras estátuas e continua andando, porém uma hora encosta em um corpo e escuta sons de cobras e ele treme de medo, engolindo em seco.

 

- Olá, querido - fala Medusa com uma voz melodiosa. - Me veio fazer uma visita?

 

Stiles permanece em silêncio com as mãos longe da mulher e tenta dar um passo para trás e se esbarra em outra estátua.

 

- Amo receber visitas - Medusa sorri provocativa, mesmo Stiles não podendo ver. - Você pode se machucar, lindo, abra os olhos para se localizar.

 

Stiles sorri nervoso e balança a cabeça.

 

- Não tão cedo, meu doce - diz Stiles sarcástico.

 

Medusa anda até o deus e passa sua mão pelo rosto deste, fazendo o deus virar sua cabeça com um puxão e batendo ela em uma estátua, gemendo de dor.

 

- Eu disse - disse Medusa cantando.

 

- Pode me levar para a saída, dama Medusa? - Stiles sorri tentando um seduzir a mulher.

 

- Acho que não, que tal você abrir os olhos? Soube que são como ouro líquido - diz Medusa com tom sonhador. - Parecido com o do...

 

- É melhor parar de falar agora, veja bem, não gosto de escutar mentirosos, e me avisaram que você é uma excelente - diz Stiles tentando fugir por outro lugar e se esbarrando em outra estátua.

 

O problema do ninho da Medusa era que você poderia sair sem problemas se achasse a saída, porém de olhos fechados, tudo dentro daquele lugar servia para enganar sua mente, confundindo as direções.

 

- Maldição - gritou Stiles. - Ao menos a pessoa devia ser muito bonita, não? Para suprir a burrice.

 

Medusa fica em silêncio, achando que Stiles falava consigo mesmo, porém estranhou quando percebeu que ele esperava por uma resposta.

 

- Não entendi, quem era muito bonito? - perguntou Medusa. - Você é o primeiro que aparece a um bom tempo aqui.

 

Stiles se irritou.

 

- Então eu vim por nada? - perguntou Stiles.

 

Medusa riu.

 

- Claro que não, meu querido. Soube que uma pessoa foi castigada por Zeus para passear em minha casa, mas seja ela qual foi, deve tê-lo enganado, e com um motivo muito bom, acredito, para morrer no lugar da pessoa. - Riu perversa.

 

- Está mentindo! - acusa Stiles negando.

 

- Ah, querido - fala Medusa se aproximando mais do deus. - Não. Eu apenas digo a verdade que ninguém quer acreditar por ser cruel demais, e então sou acusada de mentirosa.

 

Stiles apertando forte os olhos, deixou uma lágrima cair.

 

- Meus deuses, é lindo - diz Medusa hipnotizada vendo a lágrima rolar pelo rosto do deus.

 

Stiles limpa a lágrima.

 

- Não tenha medo, apenas olhe para mim - pede Medusa. - Olhos tão lindos não devem ser escondidos.

 

Stiles nega e tenta correr para a saída com as mãos para o alto para se proteger de impactos com algumas estátuas ou paredes. Stiles acaba tropeçando novamente e de instinto abre os olhos. Medusa o puxa e Stiles não é rápido o suficiente, na fresta dos olhos, pode ver os olhos da mulher.

 

Stiles começa a se petrificar. Uma luz forte atinge Medusa e essa foge para dentro do ninho. Apolo se aproximou do amigo com algumas lágrimas prontas.

 

 

- Mi... Stiles, por favor não - Apolo tenta curar a maldição. Mas seu poder é repelido. - Não, não, NÃO!

 

Apolo soube por uma mensagem anônima onde estaria o amigo, e antes de terminar de ler já estava correndo para chegar rápido ao local. Azar o seu quando percebeu que era tarde mais. Mas, talvez não tão tarde para os poderes desse deus.

 

- Eu escrevo agora uma profecia, meu amigo - Apolo se apressa para escrever algumas frases na areia do local, que ao final se transformou em um papiro escrito. Apolo cavou ao lado dos pés de Stiles e enterrou o papiro e colocou areia por cima.

 

- Não tenho tempo para lhe sussurrar ela agora, apenas posso lhe falar que a folha está enterrada contigo, terá que pegar certas coisas para voltar, você precisa da pessoa que lhe beijar. - Apolo beija rápido os lábios do deus antes de se tornarem pedra. - Com um beijo eu selo a profecia, com um beijo você acordará e com outro você retornará para casa.

 

Apolo escuta sons vindo em sua direção, mas é rápido e foge do local.

 

Aquele local era impossível de teletransportar, por isso Apolo se lamenta por não ter chegado a tempo, mas tem esperanças de um dia seu amigo voltar a acordar.

 

 

Dias Atuais

 

Stiles acorda assustado, sentindo uma lágrima escorrer.

 

"Merda", pensa olhando a mão molhada.

 

Stiles levanta antes de Derek o ver e vai apressado lavar o rosto. Enquanto lavava é surpreendido pelo abraço de Derek.

 

Stiles enxuga o rosto na toalha e se vira.

 

- Está tudo bem? - Derek faz carinho na face de Stiles.

 

Stiles sorri confuso.

 

- Sim, por que não estaria? - Stiles olha para baixo e para sua infelicidade Derek estava de cueca.

 

Stiles revira os olhos olhando para a peça e volta a olhar os olhos preocupados de Derek.

 

- Saiu rápido da cama, senti uma diferença no seu estado emocional e agora você tá com um rostinho triste - diz Derek carinhoso.

 

Stiles beija a mão de Derek em seu rosto e sorri o puxando para se sentarem na cama.

 

- Estou bem, acho que seu instinto canino-...

 

- Lupino - corrige Derek.

 

- Como queira - diz sarcástico. - Seu instinto não esteja tão bem - sorri. - Mas eu estou bem - garante Stiles. - Apenas tive uma lembrança.

 

- Ruim? - perguntou Derek.

 

Stiles nega e então assente e volta a negar.

 

- Mais ou menos - Stiles sorriu amarelo. - Sonhei com Hector, meu pai, meu aniversário...

 

De repente Derek sente frio.

 

- Você amava esse Hector? - pergunta Derek temeroso.

 

Mesmo sendo uma pessoa que morreu milênios atrás, Derek se sentia pouco para o que Stiles estava acostumado.

 

Stiles riu pelo nariz com cenho franzido.

 

- Eu achei que amava, sabe - disse Stiles. - Na verdade, se o que senti com ele foi amor, então eu amei muita gente. - Stiles sorriu amarelo e deu de ombros. - O que posso fazer se sou filho de Afrodite? - Stiles riu sem graça.

 

Derek ficou triste desviando seu olhar, porém não demonstrou seus sentimentos.

 

- Mas - diz Stiles ganhando a atenção de Derek novamente. - Eu nunca soube o que era amor. Talvez eu não saiba ainda - Stiles balançou a cabeça. - Eu realmente achei que era uma coisa. Mas então eu vi meu melhor amigo se apaixonando tão profundamente que quando a pessoa morreu ele conseguiu fazer ela se tornar uma flor. Jacinto - sussurrou no final o nome. - E então eu soube que nunca amei de verdade - Stiles olha nos olhos do lobo. - Pelo menos, não até agora.

 

Derek ficou com medo de acreditar naquilo. Teve medo de seus ouvidos estarem se enganando, de Stiles não estar se referindo a ele, ou apenas falando que ainda não achou o seu amor. Derek queria acreditar que ainda poderia ser inocente do feitiço que era se apaixonar por Stiles, mas de feitiços podemos fugir ou nos proteger. Porém não era feitiço, e de sentimentos ninguém conseguia se esconder.

 

Os dois se beijam e Stiles sobe no colo de Derek.

 

- Vamos fazer de novo? - pergunta Stiles sorrindo malicioso.

 

Derek fecha os olhos com peso e bufa afastando Stiles de si.

 

"Com certeza ele não é o deus das palavras românticas", pensou Derek sobre Stiles ter quebrado todo o clima romântico construído agora a pouco.

 

Stiles resmungou frustado e escondeu sua semi ereção com a coberta.

 

- E o que de ruim você sonhou? - perguntou Derek.

 

Silêncio.

 

- Tudo bem se não-...

 

- Minha morte - disse Stiles cortando a fala de Derek. - Ou quase ela. Apolo chegou antes de eu ter me transformado completamente - Stiles espanta os pensamentos. - Não gosto de pensar nisso.

 

Derek assentiu.

 

- Claro - e abraçou Stiles. - Desculpa ter feito a pergunta.

 

Stiles prefere não falar nada, aproveitando o abraço. Porém o que realmente pesava em sua cabeça era as palavras indiretas de Medusa sobre Adonis. E a mente de Stiles trabalhando fervorosamente para achar uma defesa para o pai.

 

Stiles impediu uma lágrima de cair e levou a mão até o membro de Derek.

 

- É serio, vamos fazer - pede Stiles lambendo um pedaço do pescoço de Derek.

 

Derek se arrepia e se afasta de Stiles saindo da cama.

 

- Vou tomar banho, não me siga - disse Derek. - Melhor eu trancar a porta mesmo - pensa em voz alta. - Tô em um quarto com um tarado.

 

Stiles arregala os olhos ao ver Derek se afastar.

 

- Uma rapidinha - diz o deus e Derek entra no banheiro. Stiles corre para tentar entrar, mas Derek já havia trancando a porta. - Derek vamos lá, não precisa nem se mexer, eu mexo por você - choraminga Stiles.

 

Derek do outro lado da porta respirava ofegante, com os olhos vermelhos, se controlando para não atacar Stiles e fazerem mais sexo até que o deus não conseguisse andar.

 

Mas Derek queria fazer Stiles experimentar um tipo de relacionamento onde o sexo não rege e sim o amor, e com certeza sexo com amor era muito melhor que qualquer outra prática na cama, assim Derek pensava.

 

Derek se descola da porta e vai tomar banho.

 

- Pulguento! - xinga Stiles do outro lado da porta. - Você tá me devendo um grandioso café da manhã agora!

 

"O que comida tem a ver com isso?", Derek se pergunta ligando o chuveiro.

 

E a água leva embora todas suas dúvidas, apenas os pensamentos de como agiriam naquele dia.


Notas Finais


Eu reviso, juro que reviso chicos, mas um s, uma palavra, sempre passa despercebido, pq Deus? \○/

Acharam que ia ser pornô?

É pornô 👀, mas pornô de respeito😂

Sobre Derek e Stiles terem filhos.... Yo no sé nada👀

P.S.: Qual o número considerável de lemon em uma fic? Eu nunca sei. Mas tentarei torná-los humanos nessa parte 😂

P.S.S.: Para quem manja das mitologias talvez tenha algumas teórias na cabeça👀 kkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...