1. Spirit Fanfics >
  2. Beijo de Autoajuda >
  3. Capítulo V - Calma

História Beijo de Autoajuda - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Capítulo V - Calma


Fanfic / Fanfiction Beijo de Autoajuda - Capítulo 5 - Capítulo V - Calma

Gizelly POV's

De relance vi Prior e Luíza sentados no puff conversando, pareciam bem íntimos e ele parecia bem à vontade, da forma que ele só aparentava a ficar com babu. Sentei um pouco afastada e comecei a reparar. Provavelmente o ele disse alguma merda que ela não gostou nenhum pouco de ouvir e ela levantou, ele foi atrás e puxou ela pelo braço, logo me prontifiquei para me colocar no meio mas vi que o que rolava ali não precisava da minha ajuda. Os olhares deles estavam se cruzando e ela alternava o olhar entre ele e a boca dela. Algo foi dito por ela e ele sorriu de canto, e então eles se beijaram.
Não, eu não estava com ciúmes. Talvez não o mesmo ciúme que eu senti da Marcela quando ela ficou com o Daniel, mas aquele beijo me incomodou, se ela assistiu o BBB desde o início não teria visto meu beijo e o do Prior? Me senti mal, por todas as investidas que eu tinha feito pra ficar com ele de novo, e ele não tinha caído, muito menos mostrado interesse, pelo contrário tentou pegar minha cabeça inúmeras vezes. Aí pra uma estranha ele se entregou em quatro dias… Aí não noia Gi deve ser só mais um beijinho de festa como foi comigo e amanhã ele não vai nem olhar pra ela de vergonha. Bom espero que sim.

Luíza POV's

O beijo durou uma eternidade mais ou menos, aconteceu o que eu não queria que acontecesse, ao mesmo tempo que eu pensava em parar de beija-lo eu queria continuar o beijo por muito tempo, nossas línguas brincavam e meu coração estava disparado. Aos poucos fomos finalizando o beijo mas parece que com medo do que viria depois, os únicos sons que ouvíamos era os aplausos do babu junto com seus gritos de a moleque, e a música da festa. Nos separamos e ele me olhou, parecia estar um pouco assustado com o que aconteceu, mas rimos, ergui minha latinha de cerveja e chacoalhei mostrando que estava vazia e fui buscar mais, quando me virei estavam todos olhando e meu coração disparou novamente, mas dessa vez não era por uma coisa boa e sim porque eu sabia que todos estavam me julgando. Estava pegando mais uma bebida e Thelma se aproximou de mim:
Thelma – Bem beijoqueira – deu risada brincando, eu olhei pra ela provavelmente eu estava vermelha- Mas você está 100% certa, tem que viver cada segundo disso aqui, porque se não de nada vale a experiência e nem o sacrifícios que você fez pra entrar aqui. 
Eu – Muito obrigada Thelminha, você é um anjo que veio me acalmar da vergonha que eu estava
Thelma – Que nada menia, você fez o que tá todo mundo morrendo de saudade de fazer.
Ri e fui voltar onde estava com Prior, mas ele já não estava mais ali, não estava nem na festa, nem ele, nem babu. Provavelmente eles tinham ido pro quarto conversar, então voltei a curtia festa maravilhosa que estava sendo. Gabi veio dançar comigo, e trocamos algumas pavaras e acabei por ver que ela é uma menina ingenua mesmo e que nada é por papel no jogo, Rafa e Manu fizeram algumas brincadeirinhas comigo mas logo foram dormir, acho que estava me enturmando bem e estava feliz com isso, mesmo que determinadas pessoas virassem a cara pra mim. Então Babu saiu do quarto do líder e veio rindo em minha direção.
Babu – Vamo dormir? - olhei pra ele sem entender
Eu – Séria que el mago ainda vai me aceitar no quarto? - ele riu- To falando sério em – tentando fazer a cara de mais brava que eu tinha, ele ficou me olhando sério – Ta bom vamos.
Babu- Vai indo lá que eu vou pegar nossas coisas.
Larguei minha latinha de cerveja na mesa e comi mais um brigadeiro e fui, prior abriu a porta pra mim, e fomos obrigados a dar risada. Me joguei na cama, estava exausta parece que tinha sido uns 20 dias num só. Felipe começou a fazer cócegas nos meus pés e eu ri.
Felipe – Ta toda suja, vai tomar um banho, pra dormir na minha caminha cheirosinha.
Eu – Seu pedido é uma ordem só estou esperando o Babu trazer minhas coisas – Me virando de frente pra ele pois estava deitada de bruços, ele sorriu, mais uma vez ele com aquele maldito e infernal sorriso – Vamos falar sobre o que aconteceu lá fora ou vamos fingir que nada aconteceu e seguir nossa amizade – ele sentou ao meu lado, é acho que falaríamos sobre o que aconteceu. 
Felipe – Eu não sei o que me deu, simplesmente me deu vontade de te beijar e eu fiz – eu sorri, maldito sorriso me entregando – e pelo jeito você gostou também 
Eu- Gostei, mas vamos com calma estou me aproximando de você agora não quero que eu vire um alvo seu assim como a Gi virou – ele riu – é serio, você é muito bad boy – dei um soquinho de brincadeira nele e ele caiu na gargalhada 
Felipe – Tu é fera demais – Obrigada por não ser como as outras meninas da casa, estava precisando de uma presença feminina do meu lado – encarei ele nos olhos, mas dessa vez via sinceridade em seu olhar e não desejo. Dessa vez foi eu quem beijou, mas foi um beijo simples, sem fogo, ele retribuiu e logo babu entrou no quarto. Fingimos que nada havia acontecido e então nos deitamos pra dormir fazendo piadas e rindo, dormi no meio dos dois.

Felipe POV's

A noite de ontem foi simplesmente uma loucura ou foi um surto coletivo um devaneio, eu tão louco beijei uma pessoa de novo que era uma coisa que eu falei que não faria mais nesse BBB. Mas com ele tinha sido diferente e pelo que percebi pra ela também foi, vou deixar rolar pra ver o que acontece, no momento minha intenção é proteger ela e babu aqui dentro, claro sem esquecer nenhum momento do meu jogo.
Eles estavam fazendo a prova do anjo e eu estava sozinho na casa aguardando. Nâo queria que o Babu ganhasse porque se não ele não pode receber, a única esperança é se luíza ganhasse. 
O tempo passou e eu comecei ouvir barulhos no quinta, fui até lá e vi que Daniel e Ivy ganharam a prova, provavelmente imunizariam, Marcela ou Gizelly, então meu voto estava entre Pyong e Daniel. Mas ainda amadureceria a ideia de qual votar. 
Na hora de dar o monstro estava todo mundo sentado na sala e eu tinha praticamente certeza que o monstros vinha pra mim e pro babu, mas não, foi pra Thelma e pra Flay, como disse Thelminha, faltou culhão dos dois para me colocar porque sabiam que o deles iria pra reta. Almocei e o trio parada dura (eu, babu e lu) nos dirigimos para o quarto do líder, Luíza estava no banho e eu e babu sentado conversando sobre o jogo. 
Babu – Meu medo é do Pyong ser forte lá fora… por ele já ser famoso e tudo.
Felipe – Mas ele não pode dizer que você é fraco, você já voltou de três paredões, isso não significa que você é fraco. - Lu desligou o chuveiro e saiu, não consegui evitar de olhar pra ela que visivelmente ficou envergonhada
Babu – Tenha modos rapaz – Todos rimos. Ela pegou o roupão colocou e sentou conosco.
Luiza- Babu, lá fora, as pessoas veem cada erro nosso e julgam da forma que acham pertinente, eu vi alguns julgamentos em relação ao prior e a você em situações que eles buscam alguém perfeito que nem eles são, mas o pyong também cometeu erros no entanto da forma que julgaram os outros meninos, as próprias pessoas aqui da casa passaram a mão na cabeça dele, mas lá fora espero que o Público tenha uma atitude diferente e se justiça existir você fica e ele sai.
Aquela fala da Luíza me fez admirar ainda mais ela como jogadora, não disse quais foram os meus erros e os do Babu mas explicou que ninguém é perfeito. 
O dia se seguiu monótono mas o importante era o dia de amanhã. Hora de dormir, mesmo inquieto, só não sei se é com indicar alguém para o paredão o pela Luíza do meu lado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...