1. Spirit Fanfics >
  2. Beijoqueiro >
  3. Ranço

História Beijoqueiro - Capítulo 57


Escrita por:


Capítulo 57 - Ranço


Fanfic / Fanfiction Beijoqueiro - Capítulo 57 - Ranço

2 semanas antes (dia da viagem de T/N) 

Flashback on 

Christopher (POV) 

Ao reconhecer Luciana, pedi aos meus amigos que fossem embora porque queria lidar com aquilo sozinho. 

- Juliana: Tem certeza de que consegue cuidar dela sozinho? 

- Christopher: Tenho, fica tranquila! 

- Richard: Nós vamos estar naquela cafeteria e... 

 

- Christopher: Podem ir embora, eu estou bem, só preciso me acostumar com esse vazio no peito
. Eu sei que costumo preocupar vocês mas não vou fazer nada que me arrependa. De coração, podem ir! 

Digo empurrando eles pra longe de mim mas Juliana volta e me dá um abraço. Dou uma risada baixa e a afasto de mim. Quando vejo que os dois estão na saída do aeroporto, me viro de frente para minha ex (?) 

- Luciana: Achei que eu nunca mais ia te ver gatinho! 

Ela disse me dando um abraço mas logo me separei

- Luciana: Quem era aquela garota? 

- Christopher: Minha ex...

Digo e só então percebo que estou dando satisfação pra ela. Como ela me tem em suas mãos depois de tanto tempo? Que decepção que você é Christopher Vélez!

- Luciana: Você está chorando por causa da sua ex? Acho que já ouvi essa historia antes! 

Disse rindo e lembrando do que aconteceu há anos atrás 

- Christopher: O que faz aqui? 

- Luciana: Meu avô faleceu!

- Christopher: Meus sentimentos! 

- Luciana: Não precisa não, ele já tava velho mesmo! 

Disse olhando para as próprias unhas. Parece que só o tempo passou porque ela continua a mesma garota imatura 

- Christopher: Foi bom te ver. Mas eu tenho que ir agora, tchau. 

- Luciana: Me passa seu número pra gente continuar em contato..

Nem morto eu queria fazer isso 

- Christopher: Eu realmente preciso ir, mas a gente se vê por aí! 

Digo tentando sair de lá mas ela me puxa pelo braço 

- Luciana: Eu te passo meu número, então! 

Ela diz sorrindo e alguém a chama, aproveito sua distração e sumo do aeroporto. Entro no meu carro e antes que eu dê a partida alguém bate em meu vidro. 

- Christopher: Eu já falei que depois a gente conversa Luciana! 

Richard me olhou confuso 

- Richard: Eu sou o Richard, não sei se você ainda se lembra... 

Rimos e ele pegou a chave da minha mão dizendo que eu não estava em condições de dirigir mas que a Ju já estava em casa e em segurança. 

Flashback off 

Não respondo sua mensagem e apenas desligo meu celular. Hoje era sábado, então era dia de beber e chorar pela T/N, assim como todos os outros dias da semana. Não que vocês precisassem saber disso. 

Coloco uma roupa de ginástica e saio para caminhar pela cidade sem rumo e depois de meia hora, paro em uma cafeteria para pedir uma água e acabo encontrando Richard lá. 

- Richard: Podemos conversar? 

Eu já sabia do que ele queria falar: Luciana. Eu vivo evitando as perguntas dele há duas semanas. Não quero falar sobre meu passado mas ele não entende. 

- Christopher: Não! 

- Richard: Até quando você vai esconder isso de mim? Sabia que desabafar ajuda? 

Vendo que ele não ia desistir, fomos caminhando até minha casa e conversando pelo caminho 

- Christopher: Era uma excursão do colégio para uma fazenda e eu tinha 14 anos. Luciana era instrutora dessa fazenda, tinha 19. Teve um jantar e eu me retirei pra descansar e ela foi até o meu quarto perguntar se eu estava bem e começou a me seduzir e então perdi o bv. Ficávamos nos encontrando as escondidas no meio da noite pra namorar... essa viagem durou cerca de um mês! 

Ele me olhava atento como se eu estivesse contando um livro. Minha vida não é tãooooo interessante assim. Não precisa fingir que é. 

- Christopher: Ela se declarava pra mim dizendo que eu era um garoto diferente dos outros com quem ela já tinha ficado, dizia que eu era lindo, deixava bilhetes no meu quarto... enfim, eu me “apaixonei”. E no último dia tivemos a nossa primeira vez e a minha primeira vez. Eu estava me sentindo um cara foda e tal, até o dia seguinte, que foi quando ela me disse que não poderíamos estar juntos porque ela contou de nós para o pai dela e inventou toda uma história e então terminou comigo. E como eu disse, era o dia de voltar dessa maldita viagem... 

- Richard: Continua... 

Eu ri 

- Christopher: E antes de subir no ônibus ela me disse que só queria me usar e que nunca gostou de mim... foi então que eu prometi que nunca seria idiota a ponto de me apaixonar por nenhuma outra mulher e eu cumpri essa promessa... não totalmente: só até a T/N chegar em minha vida! 

Ele ficou me dando conselhos de como eu fui idiota naquela época mas eu não dei ouvidos, apenas fingi interesse para que ele não brigasse comigo 

- Christopher: E você e a Juliana? 

- Richard: Tivemos nossa primeira vez e foi a noite mais incrível da minha vida! 

Disse com um sorriso enorme nos lábios e eu sorri vendo meu amigo feliz. Poderia não estar em condições de sorrir mas se ele estava bem, eu ficava contente por ele. 

Joel (POV) 

Entro no quarto de hotel sem bater na porta 

- Joel: Você perdeu a cabeça? 

T/N nem me olha, apenas ignora meu comentário e continua arrumando suas roupas no armário 

- Joel: Você mora comigo, na minha casa. Por que vir pra um hotel? 

Fecho a porta e caminho em sua direção 

- T/N: Eu não estava me sentindo confortável lá... 

- Joel: Era só ter me dito! 

- T/N: Achei que já estava bem claro...

- Joel: Eu não pego as coisas no ar... poderia ter falado comigo que eu resolvia! 

- T/N: O fato do seu irmão me xingar e do seu pai gritar comigo, ambos, na sua frente já não foi algo bem claro pra você? 

Passo as mãos pelo rosto, desacreditado de que vamos discutir isso de novo 

- Joel: Amor, você sabe como eles são. Não é todos os dias em que eles estão de boa humor e... 

- T/N: Todo mundo tem seus dias ruins, mas ser humilhada todos os dias não é a vida que eu quero pra mim Joel. Eu não deixei minha vida, minha carreira, minha família e amigos em outro país pra ser tratada feito um lixo pelos familiares do meu namorado! 

- Joel: Exato, seu namorado, eu vou resolver tudo! Você vai ver! 

- T/N: Ah, você vai resolver? Como? Quando? Até quando eu vou ter que esperar?

- Joel: Você sabe que minha família é geniosa e tem um temperamento difícil, eu não consigo mudar a opinião deles de um dia pro outro! 

- T/N: Ainda bem que você fala isso sem nem ter tentado...

- Joel: Como que eu não tentei? Eu te prometi que ia resolver isso! 

- T/N: Joel, se seu pai ou seu irmão falam mal de mim na sua frente, tudo que você faz é abaixar a cabeça e aceitar os comentários! 

- Joel: Eu não posso gritar com eles, isso é falta de respeito T/N! 

- T/N: Eu não pedi que gritasse com eles, eu só queria que o meu namorado me defendesse... 

Ela disse parando tudo o que estava fazendo e se sentando na cama. Me aproximo lentamente e quando vejo que ela não vai fugir de mim, me sento ao seu lado mas só a encaro quando ouço seu choro. Infelizmente é só isso que tenho ouvido dela desde que estamos aqui no México. 

- Joel: Meu amor, me dá um abraço! Eu te prometo que isso é só uma fase e que vamos superar isso! 

- T/N: Será? 

- Joel: O que quer dizer com isso? 

Pergunto me aproximando para envolvê-la num abraço porém ela se levanta da cama e se afasta de mim bruscamente 

- T/N: Será que tudo isso é só uma fase mesmo? Será que vamos passar por isso? Eu não achei que seria tão difícil... 

Ela respondeu limpando as lágrimas 

- Joel: Ninguém disse que seria fácil! 

- T/N: Ninguém me falou que seria impossível ter a aprovação da sua família! 

- Joel: Qual é o problema com a minha família ser desse jeito? Te incomoda tanto assim? Não quer ficar comigo por causa deles? 

- T/N: Se eu não quero ficar com você é por sua culpa! Põe a mão na consciência por cinco segundos e se coloca em meu lugar! Eu não me importo que seus parentes me humilhem ou me maltratem, mas o que me dói de verdade, o que me faz chorar todas as noites, é saber que você não dá a mínima pra isso. Você só promete que vai fazer isso ou aquilo e cadê a ação? 

Ela pergunta apontando o dedo em minha cara e me levanto da cama 

- T/N: Tudo que você faz são promessas e que nunca são cumpridas! Até quando você acha que eu vou aguentar ser sua namorada? Se você me valorizasse tanto quanto diz, pelo menos cumpriria com suas palavras! 

- Joel: Eu não entendo onde você tá querendo chegar com isso... quer terminar? Termina de uma vez então! 

- T/N: O que eu to querendo dizer e que você sabe porém se nega a aceitar é o fato de que a sua família não tem respeito por mim por ter uma “opinião” formada. Lá de onde eu venho isso se chama preconceito! 

- Joel: Quem é a preconceituosa aqui? Você tá falando deles pra mim e quer que eu escolha um lado? 

- T/N: Você pode não ter tido mãe, mas você sempre teve do bom e do melhor. Sempre foi rico, dinheiro nunca foi problema, você não sabe o que é passar fome, passar necessidade, correr atrás das coisas... você sempre teve tudo de mão beijada e com um estalar de dedos tinha o que queria na hora em que queria e do jeito que queria. Eu tinha que trabalhar desde criança, aprendi a me sustentar, corri atrás dos meus sonhos e hoje me viro com o tenho. Mas eu não sou de família rica e eu nunca vou ser milionária, entendeu? Porque sua família não entende isso! Eles não aceitam que você arrumou uma namorada que veio do lixão! 

A encaro de boca aberta 

- Joel: Do lixão? T/N, você é uma mulher culta, estudada, inteligentíssima, linda e sabe até mais do que eu. Como tem coragem de se descrever assim? 

- T/N: De tudo o que eu falei você só prestou atenção nisso? 

Me pergunta indignada 

- Joel: Amor, eu sei que eles não gostaram muito de você, mas eu acho que se o nosso amor for mais forte do que tudo, não há nada que não podemos superar juntos. Eu sei que parece impossível a primeira vista e te confesso que eu não sei o que fazer pra mudar essa situação, mas só nós conhecemos nossa história e, por mais curta que seja, tem muito significado...  só nós vamos poder resolver isso, entendeu? Vamos descobrir o que fazer juntos. Confia em mim? 

Ela negou com a cabeça 

- Joel: Como assim você não confia em mim? 

- T/N: Mesmo depois do meu término com Christopher, por mais que eu odiasse quando acontecia, ele me fazia sorrir e, pra mim, na pior das hipóteses ele me fazia dar aquelas gargalhadas de doer a barriga... 

Ela sempre tem que citar o nome do ex. Por que não volta pra ele, então? 

- T/N: Você prometeu me fazer sorrir todos os dias mas desde que cheguei eu só tenho chorado e por você... 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...