História Belas Mentiras - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Jikook, Jimin!bottom, Jungkook!top, Kookmin
Visualizações 390
Palavras 3.047
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Policial, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 18 - Capítulo Dezessete


Jimin

Quando abri os olhos e vi Jungkook olhando para mim, percebi que esta seria a noite que daríamos o próximo passo independentemente do que acontecesse. É isso que eu quero. Mais do que qualquer coisa.

Eu quero Jungkook. Hoje. Agora. Quero o impulsivo, o espontâneo. Quero a paixão. E estou bem perto de alcançar isso.

A música está alta a ponto de não conseguirmos conversar por todo o caminho de volta, para a casa de Jungkook, no elegante bairro de Atlanta. Após desligar o motor, ele salta do carro, dá a volta e me ajuda a sair, me levando em silêncio até a porta. Quando entramos, Jungkook pega a minha pequena bolsa e a joga no sofá. Em seguida, se vira para mim e segura o meu queixo.

— Como está sua cabeça?

— Está ótima. Tudo bem - digo, com um sorriso.

— Não está confuso?

— Não, só um pouco… leve.

— Então que tal uma sauna? O calor vai intensificar o zumbido que você está sentindo agora, mas vou levar um pouco de água para não ficar insuportável.

— Parece uma boa ideia - respondo. E parece mesmo.

— Esperava que dissesse isso - confessa Jungkook, sorrindo. — Já volto.

Alguns minutos depois, ele volta com um balde cheio de gelo e várias outras coisas. Então pega a minha mão e me conduz pelo hall e por uma porta. A madeira de lei dá lugar a belos azulejos de travertino, que levam a um pequeno corredor, enfileirado por grandes vasos repletos de plantas exóticas. Dá para sentir o cheiro do cloro, portanto sei que estamos perto da piscina.

Jungkook para em frente a uma porta de madeira maciça, com uma janelinha na parte de cima. Gira um botão na parede e pousa o balde.

— Já esteve em uma sauna antes?

Faço um gesto negativo com a cabeça.

— Não, mas sei como é.

— Então sabe que é bem quente e úmida. E que nós vamos suar.

— Sei.

— Portanto é melhor entrar sem roupa.

Tenho vontade de sorrir e reclamar ao mesmo tempo. Algo na expressão de Jungkook e em sua voz, e no fato de esta noite ser tão agradável para mim, de tantas maneiras, me deixa um tanto confuso diante da avalanche de sensações e expectativa.

— Bem, não vai ser a primeira vez que você me vê nu.

Os olhos dele escurecem, do castanho tranquilo ao erótico negro.

— Como eu poderia esquecer? Me deixe ajudar você - diz ele, pegando a bainha da minha blusa e levantando-a.

Jungkook puxa a blusa por cima da minha cabeça e a joga no chão. Os olhos dele percorrem meu corpo, como se eu não estivesse usando nada. Então ele me segura pelos ombros, me vira de frente para a porta e me pressiona contra ela. Em seguida, levanta os meus braços acima da minha cabeça e pousa as palmas das minhas mãos na madeira.

Sinto seus dedos tocarem meu corpo. Eu perco o fôlego quando ele acaricia a minha barriga e desliza as mãos até os meus mamilos, que estão espremidos contra a porta. Então dou um gemido e arqueio as costas.

Quando ele tira as mãos, inclina-se sobre mim, pressionando minha pele nua contra a madeira fria da porta. Dou um suspiro.

— Seus mamilos estão ficando duros? Com a porta fria na sua pele quente?

Ele não espera por uma resposta. E eu não respondo. Estou concentrado demais nas suas mãos deslizando pelo meu corpo, até minha bermuda.

Quando sua língua tocar as minhas costas, eu me inclino mais em direção à porta, para ter um apoio. Ele lambe toda a minha coluna e fica de joelhos, atrás de mim. Então segura o cós da minha bermuda e desliza-o pelo meu quadril, me deixando só de cueca e tênis.

— Sua bunda é muito gostosa - elogia ele, murmurando e acariciando-a com a língua, antes de me dar uma leve mordida. Eu respiro fundo, me sentindo mais tonto do que quando cheguei. Ele tira minha cueca e acaricia a parte interna da minha coxa. — E as pernas mais lindas que já vi. - Suas mãos param um pouco antes do ponto onde estou mais excitado. — Sempre que vejo você de costas, me dá vontade de gozar na sua bunda e ver você tremendo de prazer, enquanto meu gozo escorre entre as suas pernas. Assim - continua ele, abrindo as minhas pernas para traçar um caminho da base da minha coluna até seus dedos. Mas ele para quando está bem perto. Tão perto… Sinto um gemido preso em minha garganta.

— Mas não agora - interrompe Jungkook, afastando as mãos lentamente e me deixando decepcionado e com a sensação de vazio.

Em seguida, ele me afasta da porta antes de abri-la. O vapor emana do interior suavemente perfumado.

— Sente-se. Eu volto logo.

Então tiro os tênis e entro na sauna, indo para a parte superior para me sentar empertigado na borda. Quando olho para a porta, vejo Jungkook se despir e pegar o balde de gelo. Seus movimentos são rápidos. Ele entra na sauna e se vira para fechar a porta. É quando ele olha para mim, carregando o balde de gelo e algumas toalhas, que vejo a verdadeira perfeição masculina que Jungkook possui.

Eu já o tinha visto praticamente nu antes, na praia, e depois no hotel. Mas vê-lo assim de pé diante de mim, sem roupa nenhuma, com um olhar intenso e a pintura que ajudei a

aplicar em sua pele, é excitante.

Meus olhos viajam do seu maxilar quadrado aos seus ombros largos, e pelos seus braços musculosos. Observo sua barriga trincada e seus quadris estreitos, antes de pausar os olhos no membro excitado, bem no meio.

Eu já tinha visto um homem nu de perto, sou um, mas nunca um como este. Nunca um tão perfeito. Ou tão… grande. Fico empolgado por Jungkook estar excitado de forma tão óbvia.

Seu pênis é grande, grosso, e se ergue firme logo abaixo do seu abdome, estendendo-se até o umbigo. Minha boca resseca só de imaginá-lo tentando ajustá-lo em mim, mas meu corpo anseia que ele faça isso. E logo.

Meu olhar percorre as coxas fortes de

Jungkook, antes de voltar ao seu rosto.

— Não se preocupe, garoto - diz Jungkook com sua voz rouca. — Até o fim da noite eu te mostro como deve usá-lo.

O calor explode com a palpitação entre as minhas pernas, e eu faço um gesto com a cabeça, concordando com o que ele diz.

Fico observando Jungkook colocar o balde na primeira prateleira da sauna e ajoelhar-se aos meus pés. Em seguida, ele estende três toalhas grossas no assento de madeira, ao meu lado.

— Deite na toalha. É mais macio - sugere ele, colocando uma sob seus joelhos, também.

Quando faço o que ele diz, Jungkook pega o balde de gelo, de onde tira uma garrafa de água, abrindo-a em seguida. Ele toma um gole e joga um pouco no carvão quente, fazendo o vapor encher a sauna. Então volta-se para mim e leva a garrafa aos meus lábios, e eu me inclino sobre os cotovelos.

— Beba. Não quero que você fique desidratado.

Faço o que ele diz, fechando os lábios em volta da garrafa. Jungkook a inclina o suficiente para que o líquido fresco toque a minha língua e depois a abaixa. O sabor é incrível; geladinho e refrescante, o contraste perfeito com o ambiente quente.

— Quer mais? - pergunta ele. Faço um gesto afirmativo com a cabeça, e ele inclina a garrafa novamente, desta vez um pouco mais, para que eu possa beber uma quantidade maior.

O líquido escorre pelos cantos da minha boca e goteja no meu pescoço, deixando um rastro gelado. Eu me engasgo com a surpresa.

— Está geledo? - pergunta. Eu faço que sim com a cabeça novamente.

Ele se aproxima e põe a língua onde a água parou de escorrer, bem no meio da minha barriga e lambe o rastro molhado até o meu pescoço.

— Quer mais? - oferece de novo.

Mais uma vez, faço que sim.

Jungkook mantém a garrafa de água acima da minha boca, sem deixá-la tocar meus lábios. Despeja um pouco na minha língua, depois joga algumas gotas no meu pescoço. Eu respiro fundo quando ele afasta a garrafa para incliná-la, deixando a água fria escorrer sobre o meu mamilo enrijecido. A água desce pela barriga até a minha coxa. Jungkook pousa os lábios no meu peitoral, lambe o rastro do líquido até o mamilo e o beija.

— Humm, não acho frio - murmura, deixando meu braço todo arrepiado.

Então dá um forte chupão no meu mamilo e, ao tirar a boca, faz um caminho de beijos até a minha

barriga. — Deixe eu verificar outro lugar.

Jungkook mergulha profundamente e desliza a língua pelo meu corpo até a virilha. Depois segue em direção à extremidade das minhas pernas. Sinto o calor da sua boca na minha pele e abro as pernas, desejando mais contato. Desejando Jungkook.

— Não está nem um pouco frio - sussurra ele. — Mas se você está com calor… e quer sentir frio…

Jungkook pega o balde, tira um cubo de gelo e o coloca na boca. Ele o mantém lá durante alguns segundos, antes de engolir. Então abre mais as minhas pernas e usa os dedos de uma das mãos para abrir caminho na minha entrada, e abaixa a cabeça.

O prazer toma conta do meu corpo com a língua gelada dele, primeiro só por fora, dando uma lambida, e depois dentro de mim, me fazendo delirar com a habilidade de sua boca, me penetrando com o músculo molhado. É como se ele me tocasse com o gelo.

— Nossa, eu adoro o sabor do seu corpo. Tão gostoso.

Jungkook pega a garrafa de água. Então derrama o líquido fresco entre as minhas pernas, deixando-o escorrer antes de lamber meu pau. O quente e o frio, o filete de água e a pressão de sua língua em minha glande; estou prestes a perder o controle quando sinto os dedos de Jungkook, frios do gelo, me penetrarem. Só uma vez. Um empurrão forte e logo ele os retira.

— Você é tão apertado. E eu vou alargá-lo bem - sussurra ele, se curvando para me devorar com seus lábios e sua língua enquanto me penetra, novamente, com os dedos. — Na primeira vez, não vou muito profundamente. Não quero te machucar. Mas na próxima vez... Na próxima vez não vou ter piedade. E você vai me amar por isso.

As palavras de Jungkook são mais afrodisíacas do que qualquer coisa naquele boate. Elas penetram meu corpo e me aquecem por dentro, fazendo meu corpo se contorcer com sua boca experiente.

Várias sensações me inundam: sua língua fria entrando e saindo de mim; seus lábios sugando a minha pele; seus dentes conforme ele os raspa suavemente no pau e no meu corpo. E seus dedos, quando me penetram profundamente.

Então ele levanta meu quadril até a altura da sua boca, refestelando-se entre minhas pernas abertas.

O som diminui, como se desaparecesse em um túnel. O fôlego some, como se tivesse sido consumido por um vácuo. Os olhos se fecham, como se o prazer estivesse fechando

as cortinas para a minha visão. E logo, sob o toque sutilmente torturante de Jungkook, me sinto atravessar o teto e voar no escuro da noite, me desintegrando e voltando à Terra em um milhão de pequenos pedaços.

Nem me dou conta de que estou com os dedos cravados no seu cabelo. Segurando sua cabeça. Mexendo o quadril em sua boca. Gritando seu nome diversas vezes. Só consigo sentir. Sentir Jungkook

Quando ele desce meu quadril, eu olho para baixo. Ele então ergue uma das minhas pernas e me vira ligeiramente de lado. Em seguida põe minha outra perna sob seu braço, e se instala entre eles. Eu observo, fascinado, como ele guia a ponta grossa do seu pênis à minha abertura. Eu posso senti-lo, e meu corpo o suga, conforme Jungkook o move em pequenos círculos, ligeiramente, para dentro e para fora. Não consigo fazê-lo penetrar mais profundamente. Sou forçado a esperar, a ansiedade torcendo cada músculo do meu corpo.

Sinto a diferença no modo como ele entra e sai de mim, naquelas carícias superficiais, mal me penetrando. Posso sentir o quanto está escorregadio agora, coberto com a sua

saliva. Então ele começa a deslizá-lo na minha bunda, deixando um rastro molhado de pré-gozo em uma das bandas, vez ou outra, esfregando a ponta lisa do pênis na minha entrada, me deixando sem fôlego mais uma vez. Sinto uma tensão no peito. Talvez um gemido. Ou um lamento. Ou um pedido.

— Huum, você gosta assim, não é? Está vendo como você está molhadinho? E como o meu pau vai deslizar fácil? - Eu deixo escapar um som sufocado. É tudo que consigo fazer no momento. — Isso é você, anjo. Desta vez, quando você gozar, quero sentir meu abdômen sujo. Quero sentir tudo fluindo de você para mim.

— Por favor, Jungkook. - Eu nem sei o que estou pedindo. Só sei que preciso dele. E agora.

O ar, o som e meu coração se comprimem no meu peito, quando Jungkook volta à entrada do meu ânus.

— Não quero te machucar, mas provavelmente vou. Mas só por uns segundos.

— Faça isso. Agora. Por favor.

Com um forte movimento do quadril, Jungkook me penetra e fica completamente imóvel.

Sinto uma dor lancinante que reflete até as coxas. Dura alguns longos segundos. Jungkook não se move. Nem eu. Finalmente, a dor diminui e dá lugar a uma incrível sensação agradável de plenitude.

Não sabia que tinha fechado os olhos, até abri-los e fitar Jungkook. Ele está completamente imóvel, as veias no seu pescoço dilatadas pelo esforço de não se mover. Olho para o ponto onde nossos corpos se unem. Vejo que a maior parte dele ainda não está dentro de mim, mas a simples visão de um contato tão íntimo me excita, mais uma vez.

Sinto meu corpo se contrair ao redor do dele. Em seguida, uma pulsação, reagindo ao que está dentro de mim.

— Ahhh - geme Jungkook entre os dentes, jogando a cabeça para trás e dando um breve resmungo. — Não faça isso.

— O quê? - pergunto.

— Não se mexa por enquanto. Não quero te machucar.

— Você não está me machucando. Eu quero que você se mexa - confesso, sentindo o impulso de mexer o quadril. Não luto contra isso. Somente me deixo levar.

— Grrr - rosna Jungkook, enfiando os dedos de uma das mãos na minha perna levantada. — Jimin...

Eu o sinto dentro de mim, quente e grosso. E quero mais.

— Por favor, Jungkook. Quero mais. Quero você todo. Dentro de mim. Completamente.

Jungkook lança um olhar fulminante na minha direção. Por um momento, chego a pensar que ele deve me odiar. No entanto, ele empurra o quadril para a frente um pouco mais, e sua expressão se transforma em um semblante de prazer aflitivo.

— Está gostando? - pergunta Jungkook.

— É muito bom - respondo, ajeitando o quadril para senti-lo ainda mais.

— Ahhh! - geme ele, retirando e enfiando um pouco mais. — Você é tão apertadinho. Tão gostoso. Ahhh.

Ele parece um animal, grunhindo e rosnando, mas não me assusta. Eu quero suas garras. E seus dentes. Quero sua selvageria.

— Pode meter tudo - digo, instintivamente.

— Meu Deus… puta merda… que boquinha suja!

Após uma breve pausa, eu o ouço sibilar entre os dentes, pouco antes de se entregar. A mim. E então ele me dá o que eu quero.

Jungkook se afasta alguns centímetros, em seguida joga o corpo no meu, me deixando sem fôlego. Eu o sinto todo dentro de mim. Ele me leva a um lugar de dolorido prazer, de onde não quero mais sair.

— Mais… Jungkook! - Ele gira o quadril e eu sinto a tensão dentro de mim aumentar rapidamente. — Assim. É assim que eu quero.

— Quer sentir o meu pau? - incita ele com os dentes cerrados. — Vou meter o meu pau na sua bunda. Vou comer você com tanta força que toda vez que fechar os olhos vai me sentir dentro de você. A semana inteira.

Enquanto fala, Jungkook continua enfiando tudo em mim, com mais força e mais profundamente, me deixando louco. É quando ele leva sua mão ao meu pau e toca-o novamente que vou à loucura, meu corpo se contorcendo.

No momento em que Jungkook me vira de costas e puxa meu quadril, estou ofegante e quase cego de prazer. Então ele coloca as mãos na parte interna das minhas coxas, abrindo-as e me penetrando mais.

Cada impulso me lança a uma nova onda de prazer, prolongando meu orgasmo até eu ficar desesperado.

— Será que você aguenta, anjo?

Eu faço que sim com a cabeça, incapaz de falar com os lábios secos.

Jungkook desliza as mãos na parte de trás das minhas pernas, dobra minhas coxas sobre o meu peito e se debruça em mim.

— Que bom, porque eu vou meter tudo. Bem. Fundo.

Quando ele tira tudo e volta a me penetrar, chego a pensar, por um momento, que eu poderia morrer de prazer. E quando acho que não há nada melhor, mais nada a

experimentar do seu corpo, ele me conduz a um novo patamar.

— E depois você vai me ver gozar. Em você. Tudo em você.

Jungkook me penetra mais duas vezes, então eu o ouço gemer no quarto pequeno e silencioso. Em seguida, sai rapidamente de dentro de mim e abre as minhas pernas, conforme guia a cabeça lisa e inchada ao meu cuzinho. Eu observo fascinado como ele põe a mão em volta da base larga de seu pau e brinca comigo, roçando ele na minha entrada antes de me penetrar de novo. Ele arqueia as costas, expelindo o líquido quente dentro de mim.

Eu me dou conta de que estou sem fôlego enquanto o observo. É uma coisa tão safada, tão íntima. Jungkook mexe o quadril, jorrando, até que não sobre mais nada. Eu fito o seu rosto. Seus olhos estão ardentes e intensos. E logo sinto a sua mão. Quando olho para baixo, vejo que ele está esfregando os dedos na cabecinha do meu pau.

— Isso - diz ele, molhando a ponta do dedão em mim — é meu. - Na última palavra, ele desliza a mão por toda a minha extensão — Todo meu. Na próxima vez, vou gozar junto com você. Vou saciar todo o nosso corpo, punhetar nós dois ao mesmo tempo.

Mesmo me sentindo saciado, desde já eu mal posso esperar. Mal posso esperar até a próxima vez que ele irá me tocar, me beijar, colocar os dedos, a língua ou… o que quiser, em mim.


Notas Finais


Gostaram? Aaa eu me esforcei bastante pra escrever.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...