História Beleza através do olhar - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Drama, Kim Taehyung, Morte, Revestrés, Romance, Taetae
Visualizações 4
Palavras 979
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me perdoemmmmmmmmmm pela demoraaaaaa desculpa mesmo, essa semana foi uma completa desgraça pra mim (resumindo: me perdi em minha própria cidade :´3)


Mas enfim, vamos ao que interessa Boa leitura! e desculpem os erros :´)

Capítulo 12 - Uma briga, uma morte e uma culpa


Fanfic / Fanfiction Beleza através do olhar - Capítulo 12 - Uma briga, uma morte e uma culpa

Após muito pensar acabo saindo do quarto, por conta de um cheiro maravilhoso que preenchia minhas narinas e estava vindo da cozinha.

 

_O-Oi – olhando pro chão digo.

 

_A, Oi também, está com fome? – diz tentando mudar de assunto.

 

_Estou sim – o encaro nos olhos finalmente.

 

_Já está pronta a lasanha.

 

   Comemos tudo e pra ser sincera, aquela comida estava muito boa mesmo Tae não tinha me dito que cozinhava, e ainda por cima bem.

 

 

   Quebra de tempo...

 

 

   21h 34min

 

_Uau! Viu aqueles golpes?! – me concerto no sofá e vidrada na TV.

 

_Eu vi! Nossa que defesa louca! Viu aquilo?! – me cutucava com os cotovelos sem tirar os olhos da TV.

 

   De repente tudo ficou escuro.

 

_Não! Mas que droga! – praguejava ao perceber que havia faltado energia.

 

_Mas tava na melhor parte do filme! A não! – tentava se localizar em meio aquela escuridão.

 

_Já sei... – diz o ruivo – tem velas na gaveta do armário da cozinha – após sua fala, vai em busca do que disse.

 

_Achou? – tento o procurar também.

 

_Hm... Achei! – Taehyung ascende as poucas velas e as coloca no meio da sala, me sento no tapete da mesma.

 

_Eu tenho uma idéia! – o mais velho me encara.

 

_Qual? – pergunta se sentando na minha frente.

 

_Que tal contarmos histórias de terror? Está é uma boa hora...

 

_Ta bom, você começa.

 

_O que? Eu pensei que você poderia começar... – faço uma carinha fofa.

 

_Eu não, quem deu a idéia foi tu.

 

_Mas eu não sei nenhuma...

 

_Então pode me contar o porquê de a Júlia não me contar que tinha uma irmã gêmea. – me olha meio curioso.

 _Bom...

 

 

                                História ponto de vista Autora

 

 

 _Ei! – diz a mais velha (um minuto mais velha) – o que vai ser quando crescer?

_Eu vou me casar com um homem bonitão! Que me ame e cuide muito bem de mim – a outra encarava com uma cara de reprovação.

_Pra que quer se casar? Aish! Credo, homens são nojentos – cruzava os bracinhos miúdos.

_E o que vai ser?

_Eu vou ser médica – se punha em uma postura de superioridade.

_Que sem graça! Porque quer ser média é muito chato! – zombava da escolha feita pela irmã.

_Eu vou salvar muitas vidas e inclusive talvez do seu namoradinho bonitão – zombava de volta mostrando a língua e a outra retribuía da mesma forma.

 

 

 

 

            11 anos depois...

 

 

 

    As irmãs continuavam suas vidas normalmente, Isabella estava indo pra uma festa com o namorado que arrumou aos 15 anos os pais não foram contra, pois o rapaz era de boa índole. Júlia estudava firme para conseguir alcançar seu sonho de se tornar uma médica exemplar, já a outra não se importava tanto assim com os estudos

 

_Papai! Papai! Ajude-me! Alguém!

_O que foi Isabella?! Nossos pais viajaram!

 

_Me ajuda! Eu e o Lucas estávamos dentro do carro e discutimos, quando ele foi me impedir de entrar outro carro o atropelou me ajuda, por favor – implorava a mais nova com lágrimas aos olhos em total desespero.

 

_Onde ele está? – perguntou a outra com rapidez.

 

_Está lá fora... – disse chorando.

 

_Ok liga pra uma ambulância! – foi correndo para efetuar os primeiros socorros, enquanto Isabella fazia a ligação.

 

_L-Lucas? – tentou reanimá-lo – p-pode me ouvir?- o rapaz tentou falar alguma coisa que Júlia não compreendia.

 

_E-eu – tossiu – amo você Isabella.

_Não sou Isabella, sou Júlia, por favor fique acordado – a mais velha se desesperou quando avistou um destroço do carro completamente dentro do abdômen do namorado da irmã pensou em estancar a ferida, porém o corte foi profundo demais e se retirasse a peça talvez morresse de hemorragia – Você precisa ficar acordado.

 

_S-só diga q-que a amo... – a moça entrou em real desespero ao perceber que a respiração do mais velho simplesmente não estava mais presente.

 

_Lucas? L-Lucas?! Me responde! –sua atenção foi retirada do rapaz quando a ambulância chegou e avistou a irmã com o celular na mão observando o que aconteceu.

 

_E-ele está bem não é? Ele vai ficar bem? Me diga!

 

_Isabella... Ele morreu, eu sinto muito – a mais nova posse a chorar mais, entretanto encara a irmã.

 

_A culpa foi sua... A CULPA FOI SUA! De que adianta ficar fins de semana e todas as horas possíveis estudando para não conseguir salvar uma vida?! – seu semblante era de raiva pura – Você não serve pra ser médica e nunca vai servir – já não calculava o peso das suas palavras – Eu te odeio! Quando me vir finja que não me conhece – a mais nova se retirou correndo.

 

   Júlia ficou totalmente sem palavras naquele momento, se sentia culpada, com raiva, e triste.

 

   A partir daquele dia as duas irmãs nunca mais se olharam ou dirigiam à palavra uma a outra, Isabella passou em primeiro lugar na prova de medicina não porque gostava da profissão de ser médica, mas sim porque se sentiu muito chateada com a irmã e queria superar a mesma em todos os sentidos inclusive nos sonhos. Júlia desistiu da carreira e se declarou vencida pela mais nova quando se mudou pra Seul para ser garçonete, já não agüentava mais todas as brigas que tinha em casa e a tensão que existia entre até então duas irmãs unidas.

 

 

 

_Eu me arrependo profundamente por ter ditos aquelas palavras a ela, eu me culpo por isso todos os dias desde a sua vinda pra cá, mas meu orgulho foi maior do que meu amor, se eu pudesse ao menos ter me despedido... – sem perceber lágrimas escorriam pelo rosto da moça e um sentimento que escondia se libertou a culpa – não tinha o direito de agir daquela maneira, eu...eu, não mereço cada gesto de carinho que ela me deu, ou sua presença a minha vida, seus conselhos... seu amor.

 

   Taehyung podia ver sinceridade em seus olhos marejados, junto consigo uma revolta imensa dentro de si própria, queria abraçá-la, ou confortá-la, mas permaneceu imóvel a cada palavra.

 

 

      Perdoe-me irmã, de todo meu coração eu te amo muito...

 

 

 

 


Notas Finais


aaaaa eu amo vcsss não desistam de mim, não me esqueçam, me esqueçam sim, na verdade não me esqueçam não :´3 u.u <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...