História Believe - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber, Katherine Langford
Visualizações 50
Palavras 4.216
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Era apenas um garoto que cantava baby e jogava o cabelo pro lado. Era apenas uma febre. Era apenas uma fase até não ser mais, até o sentimento crescer tanto e passar de admiração para amor. Foi ai que entendi o que ser Belieber significa, é amar sem nunca ter tocado, é amar sem nunca realmente ter trocado algumas palavras. Hoje eu digito sem saber o que dizer, quem está aqui à muito tempo entende o quão dura a jornada foi. Justin vai casar, ele finalmente encontrou alguém que mereça sua luz. (Não estou dizendo que a Selena não era mulher para ele, afinal, não ACHO que os dois foram suficientes um para o outro) Talvez um dia eles se reencontrem, talvez eles terminem juntos, bom eu não sei. O que eu sei é que meu garotinho de baby cresceu, virou um homem e resolveu voar.
Só quero dizer que desejo o melhor do Mundo para você Bieber. Espero que um dia possa te dizer isso pessoalmente, mas por hoje, parabéns!


GENTE, EU PRECISAVA DIZER ESSAS PALAVRAS, PRECISAVA DIZER ALGO. JUSTIN VAI CASAR CARA!
E SIM EU SEI QUE O NOIVADO FOI ANUNCIADO À UNS DIAS ASSIM COMO ESSAS NOTAS FORAM ESCRITAS À UMAS SEMANAS. SÓ TIVE UM PROBLEMA QUE IMPEDIU A POSTAGEM!

Desculpem a demora <3
Xoxo.

Capítulo 4 - Be Alright


Fanfic / Fanfiction Believe - Capítulo 4 - Be Alright

Sei que você me quer também 
Querida, nós podemos passar por qualquer coisa
Porque tudo vai ficar bem 
Vai ficar bem
 


Nova York - EUA
06:37 A.M 

P.O.V. Ariel Griffin 

- Eu recomendo severamente descanso para a senhorita Griffin- Meus sentidos voltaram já ouvindo resmungos autoritários - Ela tem câncer, aliás desde criança possui o AT/RT e o fato de ainda estar viva é um milagre, está tão avançado que pode acabar com sua vida, então qual foi a intenção de vocês ao ir em uma festa onde claramente Ariel consumiria álcool?- Pelo fato da voz não demonstrar desespero, deduzi que esse seria o médico, porém permaneci de olhos fechados. 

-Olha..- O nervosismo é a excitação na voz de Ariana era visível - Ela queria conhecer o Bieber...- Parei estaticamente de prestar atenção no que ela dizia e abri os olhos. 

Foquei a visão completa no teto, ignorei os chamados pelo meu nome, ignorei tudo e deixei que minhas pupilas dilatassem ao se recordarem de momentos antes.


(...) Quando acordei de suas carícias virei a cabeça para pedir que o mesmo desistisse, porém meus sentidos simplesmente sumiram, tudo começou a rodar, minha cabeça explodiu e o câncer voltou drasticamente para foder a minha vida, minha boca secou, meus olhos marejaram, e todo o planejamento havia ido para o fundo do poço. (...)

 

Eu o havia conhecido, não do jeito que eu queria, não da forma planejada e arquitetada por anos, não como as Fanfics idealizavam, mas sim com uma extrema dose de realidade no meio, melhor dizendo, com câncer atrapalhando. 

Câncer, esse maldito câncer. 

Quando sai do transe foi que percebi tantas lágrimas molhando o colchão. 

-Ariel, para! Você está me ouvindo? - Virei o rosto ao encarar minha irmã, assenti em concordância , fazendo com que atrapalhadamente ela me abraçasse - Você não pode mais fazer isso! - Seus soluços molhavam por completo minha pele, arregalei os olhos a afastando gentilmente para observar meu corpo totalmente despido por debaixo da coberta.

Antes que Ariana pudesse recomeçar a tagarelar fiz um sinal para que a mesma e o médico que até então, estava intacto me encarando, permanecessem em silêncio. 

Encarei o ambiente sem esconder a minha surpresa aparente com o luxo. Cama King Size, decoração em ouro percorrida praticamente por todos os objetos, um lustre de diamantes, e analisando bem, a minha casa completa não valeria tudo o que estava aqui. 

-O que diabos você fez? - Perguntei para a minha irmã - Ariana se por um acaso você alugou esse quarto de hotel e contratou o doutor, gostaria de dizer que é uma garota morta- Com bastante impulso me coloquei sentada na cama - MORTA MESMO! Porquê nós não temos condições de pagar isso tudo e a mamãe vai te matar para conseguir o dinheiro vendendo seus órgãos no mercado negro! - A morena ao meu lado de repente suavizou a expressão ao segurar o riso.

- Não paguei por esse quarto- Essa afirmação por algum motivo, só serviu para minha preocupação aumentar e o câncer nesse momento dar um alô fazendo uma certa pontada na cabeça surgir. 

-Você precisa urgentemente fazer uma TC e uma RM, eu trouxe o raio-x portátil, porém só ele não é suficiente para avaliarmos os danos na sua cabeça. -RAIO-X PORTÁTIL? Minha cabeça iria explodir, se bem que essa seria uma ótima hora para bater as botas.

- Ariel, calma. - Depois de muito tempo, quis estapear Ariana - Não estamos pagando nada disso - A encarei exigindo uma continuação com o olhar. 

Minha irmã sempre foi irresponsável, mas agora eu me sentia na obrigação de concordar com a mamãe.

Essa garota está fora de controle.

Como ela pode permanecer calma com o tamanho da dívida que provavelmente arrumou ? Por mais que não esteja pagando agora, uma hora irá. Pois se aprendi algo nesta vida com o câncer é que exceto por ele, nada vem de graça. 

Eu vou morrer, eventualmente isso não irá demorar muito e saber que partirei sem colocar juízo na cabeça da minha irmã, é algo doloroso

Não que eu tenha muita responsabilidade, mas pelo menos sei que tudo tem um custo, e que pessoas como nós, não podem se dar o luxo da hospedagem em um hotel cinco estrelas.

-Eu prescrevi alguns remédios, para que..- O cortei sem nenhuma educação.

-DA PRA VOCÊ CALAR A BOCA?- Fechei as mãos em punhos 

-Ela é nervosinha, ela. - Assim que meu olhar se prendeu ao dono dessa frase, pode-se dizer que o Mundo parou. 

Encostado na porta de entrada do quarto, estava um moreno que poderia destruir civilizações com o seu sorriso, meu coração disparou e de repente toda a Ariel concentrada foi para o ralo. 

Alfredo Flores me observava com uma expressão divertida, senti minhas pupilas lacrimejarem e soube que não demoraria muito tempo para chorar

Ariana segurou em meu braço querendo um repouso para seu coração que deveria estar tão acelerado quanto o meu 

-Se vocês estão assim ao me olhar , imagino que terão um infarto ao conhecer o Bieber - Foi naquele momento que voltei a entender o que se passava na cabeça de Ariana 

Não importa quanto tempo, eu nunca serei adulta suficiente quando o assunto for esse Fandom 

-Ai meu coração - Pelo menos minha irmãzinha ainda conseguia falar. 

Flores soltou um riso baixo antes de caminhar ate nós, eu poderia dar um resumo de sua vida, 30 anos, americano e tudo mais que qualquer um quisesse saber. 

Ele é um dançarino que conquistou não só as Beliebers como o próprio Bieber, Alfredo se tornou importante demais.

E o apelido a que eu e Ana mais gostamos de usar é o "guaraná" para nominar ele, que o ganhou devido a sua preferência pelo Antártica no Brasil. Balancei a cabeça tentando limpar a mente.

- Vem cá - Ele me puxou para um abraço, correspondi toda atrapalhada, encaixei a cabeça em seu ombro e me permiti chorar por quanto tempo foi necessário.

Assim que se afastou de mim o moreno foi tomado por uma Ariana desesperada, ri da sua delicadeza arrumando minha coberta que praticamente estava deixando meus peitos expostos

A pergunta do ano era : CADÊ O MEU VESTIDO?

- Cobre isso - Ela sussurrou e eu apenas assenti ainda meio atordoada

- Alguém pode, é...- Procurei pela melhor forma de me expressar - Me explicar isso ? - Apontei para todos, Flores abraçou Ariana rapidamente antes de se voltar a mim.

- Bom, você desmaiou no Justin. - Fechei os olhos amaldiçoando novamente o meu câncer - Lembra disso ? - Assenti completamente envergonhada - Ele achou perigoso te levar para um hospital no estado que estava, e a trouxe para o Hotel. - Agora sim o luxo fazia sentido. 

Justin Bieber é o cara que desfilava por aí ostentando um carro com estampa de oncinha, obviamente não é alguém que "poupa" despesas.

MAS ELE ESTAVA PAGANDO ALGO PRA MIM

Não que eu me importe com grana, me importo com o fato dele finalmente ter de encarar a minha existência. 

- Cadê ele ? - O meu desespero era vidente 

- Olha Ariel, você precisa entender que..- Ana o cortou sem classe nenhuma.

- Estamos no mesmo hotel que ele, tem milhões de paparazzis aí embaixo, eu te amo para caralho Alfredo, dos amigos do Justin sempre te achei o mais gato - Naquele momento eu só queria um buraco, não para me enfiar, mas para jogar Ana nele-  Porém se você vier com um papinho de que o lindo do Bieber não vai conhecer minha irmã, por estar "ocupado" - Ela deu um passo em direção ao moreno praticamente colando seus corpos - Eu vou armar o barraco. - Arregalei os olhos e a cutuquei - O que é? A mamãe já vai me matar, preciso sair com alguma coisa boa disso. 

Não era assim que eu queria, acredito mesmo que o Alfredo não tenha vindo aqui apenas para me dizer que o Justin não está afim. 

Eu nunca fiz nada que merecesse essa total falta de atenção que ele está me dando, sempre fui daquelas que o defendia em tudo, até quando era impossível.

Por exemplo: cuspe nas fãs, prisão, e outras coisas que não vou perder meu tempo citando.

Minha cabeça voltou a latejar demonstrando que ainda estava frágil, apoiei-a na mão trazendo a atenção de todos 

-Ela não pode passar nervoso - Bem observado Doutor

-Vocês tem que entender que o Justin não é obrigado - Soltei um riso irônico, mas me calei com o sinal que Ariana fez para mim 

- Ah ele é obrigado sim. Eu estou defecando, sabe o que é isso Alfredo ? - Ele assentiu parecendo nervoso - Pois é, estou cagando para o que ele tem ou não que fazer. MINHA IRMÃ ESTÁ MORRENDO, E...-Cortei um discurso que provavelmente demoraria muito 

-Ariana, vamos embora. - Ela me olhou indignada. 

Senti meus olhos marejarem e agora não só a minha cabeça como o meu coração também gritava em dor 

Já é ruim o bastante ser fã e ter de esperar um milagre para conhecer o seu ídolo, agora imagine como deve ser o fato dele saber quem você é e não querer te conhecer ?

Dói quase quanto estar morrendo. 

O olhar de pena que Alfredo me lançava servia apenas para ele se auto consolar, pois me dava uma raiva tremenda disso tudo, peguei impulso no fundo da alma para poder me levantar da cama 

-Cade meu vestido Ariana ? - Entendendo a deixa, Flores se retirou sem dizer mais nada. O doutor fez um sinal À minha irmã apontando para baixo, como um indicativo de que nos explicaria tudo no outro andar.

Entretanto, assim que ficamos as sós, foi como um alivio para que o desmoronássemos. Ariana me abraçou e eu sem exitar correspondi, suas lágrimas molharam minha pele, fazendo com que a coberta caísse.  Procurei ao máximo um abrigo dentro de seus braços, procurei uma concha para me esconder, sei que assim como eu ela esperava outra reação do Bieber. 

- Ele é um idiota - Ana disse em meio a lágrimas.

Fechei os olhos quando a raiva começou a me consumir 

Não era só eu que ele estava decepcionando, era a ela também, e isso de repente se tornou demais. 

- Quer saber ? Eu vou morrer mesmo - Me soltei de seu abraço, tentando ignorar a dor de cabeça e comecei a caminhar para fora do quarto 

- Ariel o que você está fazendo ? - Ariana deu uma leve corridinha para conseguir me acompanhar 

-Se ele não vem ate mim, eu vou ate ele. - Ela soltou um riso 

-Não quer colocar uma roupa antes ? - Neguei, se era para ser insana, que realmente fosse. 

Abri a porta do quarto e nem me surpreendi com o luxo do corredor, Ana segurou em minha mão como se depositasse toda a sua força.
Mas a raiva que eu estava sentindo era impulso de sobra para dizer umas verdades aquele canadense. Descemos as escadas encontrando algumas pessoas na sala, literalmente todos me encararam e a ideia de por uma roupa não parecia tão ruim agora. 

- Cadê aquele filho da puta ?-  Segurei minha vontade de abraçar a todos e a vergonha pelo meu corpo exposto.

-Gostei dessa garota - Tive de engolir a vontade de gritar quando CAITLIN BEADLES disse isso 

-Eu perguntei: CADÊ AQUELE FILHO DA PUTA? - Scooter era o único que parecia de certa forma irritado com essa situação. 

Coloquei as duas mãos na cintura e comecei a bater o pé, de fato nem eu estava me reconhecendo. 

Ariana caminhou folgadamente ate o sofá e se sentou com um sorriso vitorioso, senti meu corpo inteiro corar com os olhares sobre mim, droga Ariel. 

-Gostosa pra porra - Ryan comentou levando um tapa do Christian em seguida. 

Claro que eu conheço todos eles, sei praticamente a história de todos, são amigos do Justin, são sua família, e por mais que ansiasse esse momento desde que me conheço por gente, nunca pensei que aconteceria comigo sem roupa 

-Seguinte. VOCÊ APARECE... - Comecei a berrar enquanto caminhava para a varanda - OU TEREI QUE MOSTRAR AOS PAPARAZZIS O CARINHO QUE VOCÊ TEM AOS SEUS FÃS- O Doutor me encarava na sala com uma expressão de quem claramente me indicaria um psicólogo.

Caitlin se sentou ao lado de minha irmã e juntas pareciam amigas de infância rindo da situação. 

- Ele não está aqui - Braun disse com a mesma cara lavada com que foi no hospital

-Mentiroso. 

Abri as cortinas e o vidro antes de dar mais uma encarada em todos na sala, dando de ombros, pisei na varanda e tão rápido quanto o barulho de flashes meu corpo foi puxado bruscamente para dentro 

- O que diabos você pensa que está fazendo, garota ?- Suas mãos apertavam meus braços

-Olá Justin- Sorri esquecendo do Mundo inteiro.

Nova York - EUA

08:52 A.M


P.O.V. Justin Bieber

A maioria das pessoas que conheci e estão no meio artístico odeiam toda a pressão da mídia e dos fãs.

Enquanto encarava Ariel exigindo uma explicação ela sorria como se tudo fosse perfeito, o que de fato não era. Eu estou totalmente irritado pela sua falta de estabilidade

Ate então, sempre que ouvia falar nessa garota, imaginava alguém moribundo e sem vontade de viver, pois exceto por Avalanna, nunca conheci alguém que conseguisse lutar contra o câncer de cabeça erguida. 

-Veste isso - Retirei as mãos de sua pele e entreguei a minha camisa para que ela pudesse vestir 

-Caralho - Segurei o sorriso com o seu comentário, era melhor que eu ficasse sem camisa do que ela completamente nua 

A avaliei de cima a baixo, sem nem procurar esconder que estava secando o seu corpo, louca ela podia ate ser, mas gostosa para caralho também. 

Os peitos mais fartos que qualquer moribundo, umas coxas salientes e uma curva na cintura que fez minha mão coçar

Quis pedir para ela virar apenas para ver sua bunda, mas deduzi que isso não seria um bom início de conversa, ela era gostosa e só. Já vi muitas gostosas por aí, tudo bem que esses peitos são...

-Esta me ouvindo ? - Sai do transe vendo que ela já vestia minha camisa - Por quê evitou tanto me conhecer ? - Caminhei para um dos sofás me afastando de vez da garota e sentando ao lado de minha mãe 

-Ariel, não é nada pessoal. - A plateia que nos encarava nem ousava se pronunciar. 

- Justin, você é a única coisa que me faz levantar da cama de manhã.- Balancei a cabeça negativamente quando ela se auto abraçou, como se aquele momento não fosse como tanto esperava 

- Garota, o Justin Bieber é bem diferente do que eu sou. - Sua confusão era vidente - O cara que você vê nas câmeras não existe. Eu não sou assim, não sou alguém que valha apena conhecer, estou te fazendo um favor. - Minha mãe pousou uma de suas mãos na minha coxa 

- Isso é ridículo - Encarei uma morena que sentada ao lado de Caitlin abriu a boca - Você é vigiado praticamente 24horas por dia, ninguém finge tanto assim. - Quando parei para a observar foquei na sua tatuagem que dizia "Stay Strong" no pulso 

- Me diga uma coisa, você percebeu que a Demi estava na merda ? Ou de repente ela teve uma overdose e foi um choque ?- Seu olhar rapidamente ficou na defensiva- Vocês não nos conhecem, não fazem a mínima ideia do que passa na cabeça de cada um de nós - Me levantei do sofá querendo por as duas para fora 

Ryan como o bom cavalheiro que é, direcionou Ariel para um puf que havia no local e lhe mostrou seu melhor sorriso. Conheço Butler com a palma da minha mão, e o seu pau deveria estar rasgando a calça de tanto tesão para ele fazer um gesto educado como esse. 

Prendi minha atenção em Griffin, sei que eu deveria estar decepcionando todas as suas expectativas para esse momento, mas a realidade não é como Fanfics que minhas fãs escrevem idealizando um eu que não existe.

-Eu sinto muito por não ser o que você esperava - Ela levantou a cabeça e só então percebi suas íris marejadas - Espero que você melhore dessa doença - Iria sair andando mas Hailey se colocou na minha frente

-Não ouse dar mais um passo - Sussurrou apenas para que eu ouvisse

-Eu sou tão tóxica ao ponto de você não poder passar cinco minutos ao meu lado Bieber ?- Fechei os olhos ao ouvir seu tom áspero

-Ariel..- Ela me cortou se levantando

-Vai tomar no cu, Justin Bieber. - Todos sem exceção, fizeram um "Uau" como reação- Desde os meus onze anos sonho com o momento em que finalmente iria te conhecer, pra que ? - Ela começou a caminhar em direção a janela.

De novo não. 

O celular de Scooter começou a tocar e ele suspirou parecendo aliviado por ter uma desculpa para sair dali.

Caitlin e a irmã de Ariel a observavam atentamente, os garotos se divertiam com a situação, minha mãe era indescritível e Hailey, bom, Baldiwn se pudesse já teria me matado com o olhar . A morena soltou um sorriso vitorioso e naquele momento eu soube que ela iria fazer alguma merda, quando a garota abriu a cortina e correu para varanda a fora, travei o corpo completamente.

-Façam alguma coisa. - O Doutor era o único que não estava acostumado com os flashes, pois ate a irmã de Ariel, parecia surpresa apenas com a atitude da morena 

Eu vou matar essa garota. 

-OLÁ AMIGOS - Ela pegou o berrante que tinha ali e começou a gritar, encarei os restos humanos que haviam na sala os amaldiçoando.

-Achei que você iria querer falar com suas fãs que estavam lá embaixo, então eu trouxe um auto falante - Se eu tivesse uma arma, talvez mataria Charles sem pensar duas vezes.

-VOU CONTAR PARA VOCÊS O QUÃO TROUXA FUI..- Comecei a caminhar rapidamente ate a varanda -JUSTIN BIEBER NA VERDADE É..- Sem saber como calar sua boca, a puxei para um beijo. 

De começo ela apenas deixou a porra do alto falante cair lá embaixo, não me dando passagem nenhuma. Praticamente empurrei minha língua boca a dentro e prendi as mãos em seu quadril, Ariel colocou seus braços em volta do meu pescoço e me deixou conduzir.

Não sei ao certo como foi beija-la, apenas permaneci de olhos fechados para os flashes e quando notei que ela não faria uma cena, caminhei com a mesma para dentro do apartamento sem cortar o laço. Com uma mão, fechei o vidro e as cortinas e assim que as luzes diminuíram me afastei dela totalmente.

-O que que..- A cortei sem paciência.

-VOCÊ É LOUCA? PUTA QUE PARIU GAROTA, TEM NOÇÃO DO QUE HOUVE ALI? - Minhas veias começaram a saltar devido ao nervoso - O QUE ACHA QUE ESTAVA FAZENDO? - Fui caminhar de um lado para o outro na intenção de relaxar.

-Justin, ela não parece bem e...- Cortei sei lá quem que falou 

-AINDA PERGUNTA POR QUÊ EU NÃO QUERIA TE CONHECER? - Soltei uma risada irônica - É MELHOR VOCÊ MORRER DE UMA VEZ- A irmã de Ariel iria partir para cima de mim mas foi impedida com o barulho que tomou conta do ambiente quando o corpo da morena caiu no chão.

E naquele momento, tudo pareceu parar. 

O Doutor correu ao encontro de Ariel medindo seu pulso com os dedos, a sua irmã começou a chorar desesperada

Chaz pegou a garota no colo quado o médico disse algo, todos pareciam saber o que fazer mas permaneci parado no mesmo lugar, só observando. 

Eles saíram do apartamento e Hailey me pegou pelo pulso também me direcionando a ir para sei lá aonde. Tudo o que eu conseguia pensar era o fato de que ela poderia estar morta. 

-Qual o hospital mais próximo ? - Sai do transe enquanto Christian desesperado perguntava ao Doutor, quis pedir para Charles me entregar Ariel mas parei antes mesmo de abrir a boca.

- O Hospital Mount Sinai. - O médico disse novamente checando o pulso de Ariel 

Esteja viva, fique viva. 

-Vamos logo - Falei entrando no elevador com todos, comecei a bater o pé no chão devido a claustrofobia, Caitlin segurou em minha mão me passando conforto.

Segui o Chaz para o primeiro carro que já nos esperava fora do hotel, flashes e sussurros incomodaram assim que saímos do local. 
Dentro do automóvel, percebi que só veio nesta limousine, Somers, Griffins, Beadles, Baldwin e o médico, imaginei que os outros estivessem no carro de trás

Acariciei a perna de Ariel enquanto a cabeça dela permanecia no peito de Chaz, ela tem câncer seu idiota, o que te faz pensar que pode gritar com ela dessa forma ? Era só o que minha mente dizia 

- Anda mais rápido. Anda mais rápido. - Chris depositou a cabeça no ombro da irmã de Ariel como se pudesse confortá-la - Doutor, ela vai sobreviver ? - Acho que nunca tive tanto medo de uma resposta

-É impossível dizer Ariana. - Finalmente eu descobri o nome da morena - Sua irmã passou por um estresse muito alto o dia inteiro, consumiu álcool noite passada, ela está literalmente brincando com fogo - Quando o carro parou em frente o hospital, deixei que todos saíssem e segurei Christian pelo braço fazendo um sinal para que ele não fosse embora.

Assim que ficamos sozinhos e entendendo o que eu queria, ele balançou a cabeça negativamente mas me forneceu um pacote de cocaína.

Me sentei no chão da limousine vendo o loiro sair às pressas, eu precisava me acalmar e apenas a droga faria isso. Arrumei uma carreira da substância e deixei que um sorriso escapasse só de imaginar a sensação que viria a seguir, quando aspirei tudo para dentro me senti pela primeira vez no dia, vivo. 

-Isso, ah porra. - Fechei os olhos curtindo a brisa chegar

Após alguns minutos, limpei o nariz e sai do carro já vendo vários repórteres rondando o local.

"Justin você está com os olhos  vermelhos, estava chorando?" 

"Bieber desde quando você e a Ariel estão juntos ?" 

Eu sabia que aquele beijo iria dar merda, meus seguranças me escoltam até a entrada impedindo que aqueles paparazzis levassem a surra que merecem. 

-Ai Justin - Minha mãe me tomou para um abraço - Cheguei agora, onde você estava ? - Ela me encarou, temendo a resposta;

Dona Patrícia sempre descobria quando eu estava drogado de uma forma ou outra. 

-Estão no quinto andar. - Scooter apareceu nos dando a notícia, assenti indo direto para as escadas e os deixando sozinhos.

Nem fodendo eu pegaria um elevador. 

Caminhei ate Chaz e os outros assim que os avistei próximos à uma sala, meu olhar foi direto a Caitlin

Ela sempre foi sensível demais, se tivesse acontecido algo mórbido por mais que Ariel não fosse sua amiga, Beadles estaria aos prantos e barrancos;

- Droga. - Ariana discava desesperadamente para alguém no telefone 

-  O que aconteceu ? - Perguntei para Hailey que seria a única capaz de me responder 

- Ariel precisa de uma transfusão de sangue em quinze minutos. - Não quis nem saber o que aconteceria se ela não conseguisse - Mas os médicos não tem o tipo dela no estoque e Ariana está tentando contatar o seu pai que é o único compatível na família. 

- Faltam apenas dez minutos. - Anunciou Chris deixando todo mundo mais apreensivo.

-Ela está fraca. - Um doutor que ate então eu não tinha percebido entre todos se pronunciou - Justin Bieber! prazer, sou um grande fã - Soltei um riso irônico 

-Você tem uma garota quase morta aí dentro e quer o que ? Que eu cante baby no seu ouvido ? - Todos me encararam pasmos, Baldwin revirou os olhos. 

-Não podia deixar pra se drogar mais tarde ? - Sussurrou extremamente puta.

- Enfim, conseguiram alguma coisa ? - O doutor "Edward" pelo que dizia o crachá, voltou a se pronunciar quando minha mãe chegou - Ninguém aqui é O negativo ?- Pattie suspirou aliviada 

-Justin e eu somos, porém não posso doar, sou anêmica. - É mamãe, isso porque vive me mandando comer ferro.

Todos se voltaram a mim, Ariana soltou um sorriso aliviado, afinal eu poderia salvar Ariel, meu tipo sanguíneo é igual ao dela. Seria uma obrigação fazer isso já que parte da culpa por estarmos aqui era minha. Nunca foi a intenção vir parar em um hospital no meio do dia.

Concordei sem precisar usar palavras dizendo que doaria, nem pensar duas vezes era realmente necessário. Minha mãe sorriu como se estivesse orgulhosa por finalmente eu fazer algo bom.

-Justin não pode doar. - Hailey acabando a comemoração se intrometeu 

-Senhorita temos apenas sete minutos - O crepúsculo voltou a falar

-Arrumem outro, ele não pode. - Só então percebi do que se tratava

-Por que? - Ariana perguntou soando frio

-Porque estou drogado. - Anunciei vendo que o relógio estava contra nós e mais uma vez, eu havia estragado tudo. 


Notas Finais


Sei que demorei para caralhos! Muita coisa aconteceu e dessa vez não posso sair divulgando o que foi. Me desculpem! Dependendo do progresso da fanfic, vou ver se consigo postar durante mais dias na semana para recompensar a demora.

ME AJUDEM A DIVULGAR?
Desculpem erros ortográficos!

XOXO

Link das minhas outras histórias

Demons: https://www.spiritfanfiction.com/historia/demons-2903855


Once Upon a Time: https://www.spiritfanfiction.com/historia/once-upon-a-time-7810102


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...