História Believe, I'm your everything. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Fifth Harmony, Justin Bieber, One Direction, Sabrina Carpenter
Personagens Ariana Grande, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Alfa, Ômega, Romance, Vampiro
Visualizações 38
Palavras 4.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI OI GENTEE!
Virei a Kefera 😂
Bom eu fiz uma mudança radical na história mas acho que assim fica melhor
Enfim Boa Leitura ❤

Capítulo 5 - Chapter Four


Eu comecei a negar freneticamente com a cabeça sustentando o olhar assustador da Vampira a minha frente 

–O q-que ? E-ele quem? N-ninguem me mandou! P-por favor não me mata!.

-Se ninguém te mandou como sabe o que eu sou?- Esbravejou me encarando com fúria nós olhos

-V-você hipnotizou o barman na minha frente, e-eu não sou tapada!- Falei fechando os olhos já me preparando para uma mordida no pescoço. Mas nada aconteceu. 

Hesitei um pouco antes de abrir-los novamente mas quando o fiz dei de cara com o semblante confuso de Ariana que ainda me encarava pensativa.

Ela pareceu raciocinar por alguns segundos e concordou

–Ah...é você tem razão.

Depois disso um silencio estranho se instalou no local logo sendo preenchido por...uma risada?. Exatamente! Ariana estava se acabando de rir enquanto eu ainda tentava controlar meus batimentos cardíacos. Papai dizia que as emoções dos Vampiros são bem mais intensas comparadas a dos outros mas eu nunca pensei que fosse tão extremo assim! Eles devem ser bem bipolares.

A encarei confusa por um momento tentando pensar em algo pra dizer mas não saiu nada. Aquela risada era extremamente fofa! Dava vontade de rir junto , e bom...foi o que eu fiz. Se não pode vence-los junte-se a eles.

 Nós ficamos ali igual duas doidas rindo de algo que nem tinha tanta graça assim. Não sei porque mas aquilo me fez bem, fazia tempo que eu não ria daquele jeito...na verdade fazia tempo que eu não ria de nada.

-Você tinha que ver sua cara!- Ela disse sem parar de rir

Nós ficamos ali por mais alguns segundos até eu conseguir finalmente parar

-Eu quase morri porque estou rindo?.

Ariana suspirou fundo recuperando o folego e depois me encarou divertida

-Acho que é o nervosismo, muitas pessoas tem esse tipo de reação após passar por uma experiência de risco.

Nossa além de Vampira ela é psicóloga? 

–Não é isso...e que faz tempo que eu não dou risada assim.

-Serio? Então eu devo ser bem engraçada mesmo!- Ela falou brincalhona -Mas mudando de assunto como você soube tão facilmente que eu hipnotizei o cara?-

-Bom...meus pais me alertam desde sempre sobre vocês, e não sei se percebeu mas eu também não sou uma mortal- Digo me amaldiçoando mentalmente por lembrar de meus pais novamente.

Ela concordou com a cabeça

 –Mas é claro como não percebi antes? Você é uma Ômega não é? Por isso eu estava sentindo aquele cheiro doce- A Vampira falou pensativa

-...Sou sim- Nossa será que meu cheiro é tão forte assim?

-Mas espera ai, teus pais te alertam sobre vampiros e mesmo assim deixam você ir para uma boate no centro da cidade a essa hora da noite? Eles devem ser bem liberais- A Vampira disse arqueando a sobrancelha.

Mas que droga! Eu vou ter mesmo que falar no assunto que eu vim pra esquecer? Só pode ser brincadeira. Porque isso sempre acaba voltando pra mim?.

Suspirei fundo pra não chorar e neguei com a cabeça

 –...Meus pais não sabem que estou aqui esta noite e se eles soubessem eu não precisaria estar aqui.

Ela me olhou confusa

 –Como assim? Você saiu escondida?.

-Eles não estão mais entre nós...-Falei em um sussurro. Ariana me encarou surpresa. 

Ela abriu e fechou a boca varias vezes mas não conseguiu dizer nada. Era sempre assim...sua reação não foi diferente da dos outros.

-Desculpa eu...- Antes que ela pudesse terminar eu a interrompi impaciente. 

Porque eu esperaria ela terminar se eu já sei exatamente o que vai dizer? Melhor acabar com essa palhaçada de uma vez.

–Você o que Ariana? Não sabe o que dizer? Sente muito? Se for isso por favor poupe sua saliva por que eu não quero escutar! De novo não! Você sabe quantas vezes eu ouvi as pessoas me dizendo essas coisas? E o que é ainda pior, eu escuto elas cochichando coisas do tipo “Aquela é a garota que perdeu os pais?” ou “Nossa coitadinha dela” eu sinceramente não aguento mais. Apenas me poupe de sua pena e me coloque no chão-

Quando terminei Ariana não disse nada apenas me soltou e observou enquanto eu escorregava pela parede ate chegar no chão. Eu fiquei ali sentada sem dizer uma palavra olhando as luzes de alguns prédios da cidade por um tempo. Ate que aquele lugar era bem alto pra uma simples boate. Será que é melhor ir pra casa? De qualquer forma mesmo que eu quisesse não teria como sair daqui de cima agora. 

Depois de alguns minutos pude ver pelo canto do olho Ariana se sentar do meu lado e observar os prédios junto a mim.

-Sabe eu te entendo, meu pai biologico abandonou a mim e a minha mãe quando eu era muito pequena, e depois que ela se casou novamente eu fiquei feliz em ter meu padrasto na família, ele foi uma homem muito bom... mas acabou tendo o mesmo destino que seus pais. Quando ele morreu eu achei que nunca mais teria alguém para substituir seu carinho paterno até conhecer o homem que me fez contráriar esse pensamento- Ela falou quebrando o silencio –Mas a pouco tempo ele tambem faleceu. E estranho como todo homem que tenta ser uma figura paterna pra mim acaba sumindo ou apenas morrendo. As vezes eu fico me perguntando se tem algo de errado comigo- A garota disse sorrindo fraco, mas pude ver que era um sorriso triste

Por que Ariana esta sendo tão legal assim? Eu fui uma idiota com ela e a garota continua aqui? Esta fazendo eu me sentir mal...ela não tem que escutar os problemas de uma adolescente revoltada que não tem mais ninguém em quem possa desconta-los.

–Acho legal você compartilhar isso comigo, deve ser muito difícil perder tantas pessoas importantes assim... me desculpe por ter falado daquele jeito, eu não queria ser grossa nem nada mas é que tudo ainda é muito recente, esta sendo complicado pra mim- Falo suspirando

Ela deu de ombros 

-Tudo bem as vezes nos temos que explodir pra liberar um peso da consciência, aposto que você não tinha falado sobre aquilo com ninguém antes estou certa?.

–Esta sim...você foi a primeira a escutar- Ainda continuo com a ideia de que ela era psicóloga antes de ser transformada

Ariana assentiu e coçou a nuca um pouco sem graça em seguida

-Você comentou que foi recente, então hã não precisa responder se não quiser mas tem quanto tempo?-

Imagino que ela esteja se referindo a morte deles. Eu não sei porque mas confio em Ariana o suficiente para contar, o que é bem estranho já que nos conhecemos a apenas 1 hora ou menos.

 –Aconteceu a 3 semanas...foi um acidente de carro.

Ela me encarou confusa 

–Espera foi a 3 semanas em um acidente de carro?.

-Sim ué eu acabei de dizer- Digo dando de ombros

A garota me olhou como se acabasse de descobrir algo muito importante me fazendo franzir o senso 

–Ei como você disse que era seu nome mesmo?.

Serio que ela só se deu ao trabalho de saber meu nome agora?

-Oh eu não disse...e que você não me perguntou.

-Bom estou perguntando agora, qual e??- Ela pediu impaciente

Achei estranho mas respondi mesmo assim

–É Laura.

-Laura? Você só pode estar brincando comigo, isso é impossível ! E o sobrenome?–Ariana perguntou me encarando com um sorriso que ia de orelha a orelha

Qual o problema com meu nome? Não entendi essa reação 

–É Foster...Laura Foster, porque?.

Depois disso ela praticamente pulou de onde estava sentada me encarando com uma felicidade irreal...como eu disse, bipolar!

-Eu não acredito! Você é a Laura filha do Paul certo?.

-Ariana como você sabe o nome do meu pai??- Perguntei me levantando rapidamente assim como ela  

Aquilo era loucura, papai conhecia uma Vampira? Porque ele nunca me contou?

Ela me encarou como se eu tivesse dito algo que a deixou ofendida

 –Como eu sei o nome dele? Laura ele era a pessoa em quem mais confiava na face da terra! Ele me acolheu quando ninguém deu a mínima pra mim, ele...ele era o homem de que eu estava falando agora mesmo!.

-Isso não faz sentido nenhum! Como ele te acolheu se eu nunca nem ouvi falar nada sobre você ate hoje a noite?- Questionei a encarando com a sobrancelha arqueada

Ariana suspirou fundo e negou com a cabeça 

–Esse assunto é bem delicado...eu não sei se você esta preparada pra saber.

Oque? Do que ela esta falando agora?

-Ariana me explica essa historia direito! Se ele te conheceu realmente porque esconderia isso de mim? Nós éramos muito próximos tenho certeza que se ele conhecesse uma Vampira iria me contar.

-Seu Pai era um homem cheio de segredos Laura- Disse em um tom sério. Porque ela estava falando aquilo? Papai não escondia nada!

Eu cruzei os braços

 –E porque eu acreditaria em você? Quer dizer a gente se conhece a apenas alguns minutos e bom eu passei a vida inteira com meu Pai...esta obvio em quem eu confio mais.

Ela assentiu com a cabeça e me encarou calada por alguns segundos 

–Eu não espero que confie em mim mas o que você tem a perder? Me diz o nome de uma pessoa que saiba tanto sobre seu Pai quanto eu-

-Bom além de você apenas minha tia...mas mesmo assim eles não eram tão chegados- Se Ariana estivesse realmente falando a verdade ela estaria certa, mas como eu vou saber? 

Ela concordou animada

-Então! Porque eu iria inventar isso? Se acha que estou te enganando pra beber seu sangue pode ficar tranquila porque se eu realmente quisesse já teria feito a muito tempo.

Eu me encolhi com sua fala

 –Você disse isso pra me deixar mais tranquila?.

Ariana deu risada

-Fica calma eu não vou te machucar, ate porque eu não me alimento assim direto da fonte a muito tempo. 

Ela tem razão...afinal qual será minha outra chance de me conectar com algo do Papai novamente?

Eu suspirei e assenti com a cabeça

–Ok hipoteticamente falando , se você realmente soubesse algum segredo do meu pai que segredo seria esse?.

-Hipoteticamente falando?- Ela perguntou me fazendo concordar –Bom...talvez ele não tivesse o emprego que dizia ter-

Eu arregalei os olhos

 –Porque diz isso??- Minha voz saiu mais tensa que o esperado

Como isso era possível? Papai realmente mentiu todos esses anos pra mim e pra mamãe? 

Ariana suspirou 

-Muito bem vamos falar sério agora! Isso pode ser um pouco chocante mas apenas escute o que eu vou te dizer sem interromper ok?- Hesitei um pouco na hora de responder mas acabei concordando com a cabeça –Tá você não devia estar sabendo por mim mas já que não existe ninguém vivo que saiba disso então eu tenho que contar. Paul não trabalhava como contador como disse pra você e sua mãe, na verdade ele perdeu esse emprego a alguns anos pois a empresa onde trabalhava acabou sendo fechada, como era o homem da casa e se sentia responsavel por voces duas ele não teve coragem de contar porque queria orgulhar sua mae .Veja bem Laura essa decisão dele que eu vou lhe contar agora não o torna uma pessoa má, muito pelo contrario, ele era ótimo! Mas infelizmente o dinheiro estava acabando e ele não teve escolha.

Eu escutei tudo calada. Mas mesmo sem dizer nada por fora eu estava explodindo por dentro. Quer dizer que ele realmente escondia algo? Eu sei que era para o nosso bem mas porque ele não contou pelo menos pra mim? Nada daquilo fazia sentido. Mas o que era tão grave que ele não pode contar?

-É então? Qual foi a escolha dele Ariana?- Perguntei impaciente

-...Seu Pai foi um dos maiores fornecedores de Boston! Ele era dono de uma dessas boates aqui do centro- Quandl terminou de falar ela me encarou esperando uma reação.

-Dono de boate? Eu nem sabia que ele frequentava esse tipo de lugar! E como assim fornecedor?. 

-Esqueci que você tem apenas 15 anos!- Ariana disse levemente exaltada

Revirei os olhos

- Minha idade não faz diferença...só me diz e pronto.

Ela negou com a cabaça 

–Não revire os olhos pra mim mocinha  eu estou apenas tentando achar uma maneira melhor de te falar isso sem te chocar!.

Arqueei a sobrancelha 

–Eu não preciso que você pegue leve comigo só por causa da minha idade. 

-Ele era fornecedor de drogas! Tá satisfeita agora?-Esbravejou começando a ficar alterada mas logo seu semblante se suavizou dando lugar a uma feição mais tranquila. Pude ver em seus olhos que a culpa foi tomando o lugar da raiva. 

Eu havia me esquecido de seu temperamento forte por ser uma Vampira, era melhor tomar mais cuidado com minhas atitudes ao lado de Ariana 

Mas agora recapitulando tudo, então quer dizer que eu passei minha vida inteira morando com alguém que não era quem dizia ser? Papai era uma farsa? Não isso não pode estar certo!.

 Eu fiquei perdida em meus próprios pensamentos enquanto Ariana me encarava com misto de culpa e curiosidade.

–Foi mal eu não deveria ter falado desse jeito...Paul realmente não fez as melhores escolhas na vida, mas entenda que foi tudo por vocês! Eu acompanhei de perto como ele se sentia mal por mentir! O plano era fazer isso por pouco tempo e depois conseguir um trabalho descente mas quando se entra nesse mundo não da pra sair entende? Não fique chateada com ele por isso- Falou em um tom de voz dócil

Eu realmente queria mesmo ficar com raiva dele mas...qual seria a diferença? Ele foi o melhor Pai do mundo mesmo trabalhando com isso então não faz sentido eu me irritar

-Eu entendo, ele fez isso por nós e devo admitir que fez muito bem- Mesmo ainda estando atordoada eu consegui manter a calma. Era muita informação para raciocinar 

A Vampira deu um lindo sorriso

 –Isso é muito legal da sua parte...na verdade foi uma decisão bem adulta, tenho certeza de que ele ficaria muito orgulhoso se estivesse aqui-

-Obrigada Ariana- Digo retribuindo o sorriso

-Olha só, eu fiz Laura Foster sorrir pela primeira vez na noite, acho que é algo com que eu possa me gabar- Ela falou brincalhona

Dei risada 

–É talvez...mas não se acostuma não.

A garota riu junto negando com a cabeça

 –Você se parece muito com ele sabia? O sorriso, os olhos são quase a mesma coisa.

-Sério? Todo mundo dizia que eu era o xerox dele quando era criança - Falo coçando a nunca um pouco sem graça

Ela suspirou 

–Ele faz muita falta não faz?- Ariana realmente devia gostar bastante do Papai assim como eu. Acho que era disso que eu estava precisando, alguém que compartilhasse da mesma dor que eu.

Eu concordei 

–Sim Muita- Ficamos alguns minutos nos encarando em silêncio até eu puxar assunto novamente -Ariana nessa boate que você falou agora pouco ainda tem algumas coisas dele?. 

Talvez fosse uma boa ideia ir lá pegar algo pra mim, apenas pra ficar de lembrança já que eu só consegui ficar com a caixa de musica da mamãe.

-Hã claro, acho que a maioria das coisas ainda esta la...na verdade você acabou de me lembrar algo- Ela falou pensativa

Ótimo! Agora e só convencê-la a me levar até lá

 –Lembrei? De que?.

-Bom Paul disse que se algum dia acontecesse alguma coisa com ele a Boate iria ficar pra mim, mas eu sinceramente não sei o que fazer com aquele lugar- A garota disse frustrada

Eu assenti pensativa. Deve ser uma responsabilidade bem grande tomar conta de um lugar desses...mas não era impossível 

-Escuta eu não quero incomodar mas, você poderia me levar lá? Eu só quero buscar algo dele.

Ela negou

 –Sinto muito mas acho que não é uma boa ideia, eu não volto lá desde o acidente.

Eu tinha que convencer Ariana de algum jeito.

 -Por favor! Eu só quero uma lembrança dele...é que minha tia já tirou todos os pertences deles lá de casa pra gente não ficar se lembrando a todo momento, mas eu só fiquei com uma coisa da minha mãe-

Ela me encarou alguns segundos como se estivesse considerando a ideia e acabou cedendo

 –Tudo bem, mas a gente só vai pegar e sair ok?.

Concordei rapidamente

-Pode deixar, prometo não demorar.

 A Vampira concordou caminhando até a beirada do prédio e olhando pra rua provavelmente com a intenção de nós colocar no chão novamente.

-Então hã, você acha que é perto o suficiente para irmos a pé?- Perguntei me aproximando

-Você quer ir andando?- Ela gargalhou –Nós não vamos chegar lá antes do amanhecer se formos a pé.

Eu franzi o senso 

–Então nós vamos de carro?.

Ariana deu um sorrisinho de lado e veio ate mim parando a minha frente 

 –Acho que você se esqueceu de que esta falando com uma Vampira...monta aí.

Eu encarei suas costas um pouco confusa mas aos poucos fui raciocinando 

–De jeito nenhum! Porque não pegamos um ônibus ou algo do tipo? É mais seguro.

Ela revirou os olhos 

-Não seja medrosa, não vai demorar nem 10 minutos! Paul não te contou da super velocidade?.

-Eu não vou montada de cavalinho em você! Ele me contou sim e essa é uma das razões pela qual eu não vou- Digo cruzando os braços. Ela só pode estar louca! E se eu cair e morrer?

–Então tá...vamos ficar aqui o resto da noite então- Disse se afastando

Mas que droga! Eu não tenho outra escolha

 -Tá bom! Mas nós vamos devagar.

 Digo indo ate ela e pulando em suas costas. 

Essa com certeza esta sendo a noite mais louca da minha vida. Quando eu imaginaria que ia pegar uma carona nas costas de uma Vampira pra ir na boate que aparentemente é do meu Pai?.

                           ***

Ariana obedeceu minha ordem e foi pulando aqueles prédios em uma velocidade aparentemente normal o que me deixou bem aliviada. Eu permaneci o caminho inteiro calada, ela ate tentou puxar assunto mas depois de um tempo percebeu que eu não estava afim de conversar naquele momento. Eu não sabia a quanto tempo estávamos ali mas a tal boate deve ser bem longe mesmo porque devem ter se passado uns 15 minutos e Ariana ainda estava dando uma de Spider Man pulando aqueles prédios. Depois de um tempo senti ela parar.

-Hey Laura pode abrir seus olhos nós já chegamos- A garota disse brincalhona me fazendo abri-los.

 Agora nós estávamos em cima de outro prédio mas esse era umas 2 vezes maior que aquele outro.

Ela me colocou no chão e voltou a falar

–Vista bacana ne? Eu gostava de vir aqui em cima pra ficar olhando...quando tinha tempo é claro. 

-Porque diz isso? Era muito raro você conseguir um tempo livre?- Perguntei enquanto nós caminhávamos ate uma porta que dava para aquele terraço.

Ariana parou em frente a porta e se abaixou onde tinha um tapete levantando o mesmo e pegando uma chave em seguida.

–Mais ou menos, é que as coisas aqui eram sempre muito corridas então não sobrava muito tempo pra fazer algo diferente- Disse destrancando a porta.

-Belo esconderijo pra sua chave- Falei fazendo a garota gargalhar.

Assim que nós entramos no lugar eu dei de cara com uma outra porta, só que dessa vez era uma porta de elevador. Aquela era a única coisa de diferente que existia naquele cubículo. Sem dizer nada Ariana apertou o botão do elevador e nós esperamos em silencio. Ela parecia estar imersa em seus próprios pensamentos então eu não disse nada. 

Finalmente o elevador chegou e nós entramos.

–É um prédio bem alto- Comentei enquanto ela apertava o botão para um dos andares

Ariana concordou

 –Verdade, mas tem apenas 5 andares.

Aquilo era loucura, quer dizer se eu não tivesse sido rebelde e fugido nada disso teria acontecido. O engraçado é que eu sai de casa pra esquecer um pouco meus Pais e acabei me aprofundando ainda mais na vida de um deles.

 Fui despertada de meus pensamentos quando a porta do elevador se abriu revelando um grande corredor. Caminhamos por ele em silêncio até entrar em uma espécie de quarto. Era um cômodo bem grande onde havia uma cama bem exagerada no centro, umas janelas de vidro enormes que davam uma vista bem linda da cidade, um closet e etc...enfim era um quarto bem bacana.

-Você gostou?- Ariana perguntou dando espaço pra eu passar

Assenti com a cabeça

 –Adorei!.

Ela sorriu 

–Sério? Seu Pai vivia dizendo que era um pouco exagerado já que eram raras as vezes que ele realmente dormia aqui.

 –Isso é bem a cara dele, meu Pai nao foi um homem muito agarrado a bens materiais.

A garota concordou se sentando na cama grande cama 

-Pois é, ele sempre foi um exemplo pra mim, eu adorava sua ideia de um mundo onde lobos e vampiros pudessem viver em paz...pena que não pode ser assim-

Ela disse dando um sorriso triste. Era interessante a maneira como a morte dele afetou nós duas da mesma forma

 –Você o amava também não é?.

-Claro que sim!- Disse enquanto eu caminhava ate lá.

Me sentei ao seu lado e olhei em volta 

–Esse prédio deve ser enorme! Você tem seu próprio quarto?-

Ariana assentiu

 –Tenho sim, na verdade eu moro aqui.

Eu a encarei confusa 

–Ué mas você não disse que não vinha aqui desde o acidente?.

Ela suspirou 

–Pois é...eu não consegui pregar os olhos desde o ocorrido, e como sou Vampira algumas semanas sem dormir nao me afetam muito. Então eu fico andando por ai tentando me distrair pra evitar voltar pra cá.

–Hm...eu te entendo, pra ser sincera foi por isso que saí de casa hoje a noite. 

Deve estar sendo tão difícil pra ela quanto é pra mim

-Ele falava muito de você sabia? Várias vezes chegava aqui me pedindo conselhos de como lidar com garotas da sua idade, de que presente ele devia lhe dar e etc...- Ela disse rindo

Franzi o senso

 –Então quer dizer que maioria dos presentes que eu ganhei de aniversario foram ideia suas?-

Ela deu de ombros 

–Provavelmente sim, eu não tive a oportunidade de conhecer sua mãe e nunca vi nenhum retrato dela nem seu mas mesmo sem estar presente eu tecnicamente tinha muita influencia na vida de vocês duas-

-Isso é muito bizarro- Digo pensativa

A Vampira gargalhou

 –Verdade! Mas e ai...não quer escolher algum dos pertences de seu pai?- Perguntou fazendo eu me levantar rapidamente.

-Agora mesmo! Afinal foi por isso que viemos aqui certo?- Perguntei encarando a garota que sorriu concordando

                                   ***

Ariana foi muito paciente comigo. Talvez eu tenha demorado muito mais do que o normal para escolher algo. Mas ela me ajudou com uma calma inimaginável. Talvez fosse uma forma dela de se redimir com o papai, por isso estava me tratando tão bem...ou talvez não. Eu realmente não faço a mínima ideia, mas ela foi muito boa então é isso que importa.

Depois que eu finalmente escolhi minha lembrança, que a proposito era uma gaita que ele costumava tocar de vez em quando, a garota me levou pra conhecer melhor o lugar. Um dia aquela gaita sumiu lá de casa e eu nunca mais a vi...agora eu sei onde ela veio parar. 

Se eu fosse lá sem saber que eles forneciam drogas com certeza não ia desconfiar de nada já que é era tudo super limpo e organizado. A única parte que me fez contradizer esse pensamento foi a boate que ficava no primeiro andar. Ela não era muito diferente da outra que eu tinha ido só estava vazia.

Enquanto nós esperávamos o dia amanhecer pra Ariana me levar pra casa eu fiquei com um pensamento na cabeça. O que ia acontecer depois dali? Nós nunca mais íamos nos ver? Eu não teria mais nenhum contato com nada de meu Pai e nem com Ariana? Bom era o que estava parecendo. Eu iria voltar pra minha vida normal e fingir que aquilo nunca aconteceu. Mas e se não precisasse ser assim? E se Tia Mary ficasse melhor sem mim? Talvez seja mais fácil estabilizar as coisas com apenas uma pessoa na casa já que assim ela não gastaria tanta grana com comida, contas e etc... Talvez eu pudesse ajudar de longe. Não tem ninguém que me prenda nessa vida a não ser minha Tia. O que eu tenho a perder? 

Depois de tudo que aconteceu no baile! Todos aqueles sonhos com a Alfa misterioso que me “salvou” daqueles garotos. Provavelmente nós nunca nos veríamos novamente. Mas de alguma forma ele me ajudou a passar por isso...talvez como uma distração para essa loucura? Não sei quem ele era nem seu nome, mas eu agradeço muito por ele tecnicamente me fazer esquecer pelo menos que um terço de meus problemas nessas ultimas semanas.

 Estava na hora deixar isso tudo pra trás. Eu tinha que focar em minha nova meta!.

-No que você tanto pensa?- Ariana perguntou me acordando de meus devaneios

Eu a encarei pensativa 

–N-nada, hã o que você pretende fazer com esse lugar?.

Ela pensou alguns segundos e negou com a cabeça

 –Eu sinceramente não faço ideia.

Tá aí, nem mesmo Ariana vê seu futuro em outro lugar...talvez ela não precisasse

-Serio? Mas o que você fazia realmente? Apenas ajudava nas necessidades do meu Pai?.

-Não, na verdade eu era o braço direito dele, meio que ele precisava de mim de 5 em 5 minutos, porque?- Perguntou confusa.

Quer saber foda-se tudo. Minha vida nunca mais será a mesma! E hora de recomeçar! Não há nada nem ninguém que me impeça de fazer essa decisão. Esta na hora de honrar meu Pai de alguma forma e eu vou fazer isso terminando o que ele começou!

-Pois é Ariana eu estive pensando...o que acha de recuperar seu emprego??-Perguntei encarando a Vampira que retribuiu o olhar com um lindo sorriso nos lábios


Notas Finais


E aí? Gostou?
Que coisa louca não é mesmo? O que sera que Laura tem em mente?
Bom só vamos descobrir no próximo Capítulo
Até lá ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...