1. Spirit Fanfics >
  2. Believe in yourself, like a hero - Boku no Hero - Interativa >
  3. Capítulo 7 - Sorria, eu estou aqui!

História Believe in yourself, like a hero - Boku no Hero - Interativa - Capítulo 10



Notas do Autor


(Finge que tem menos luz nessa foto -^-)
Boa leitura♡
Espero que gostem.
Leiam com bastante calma.^^

Capítulo 10 - Capítulo 7 - Sorria, eu estou aqui!


Fanfic / Fanfiction Believe in yourself, like a hero - Boku no Hero - Interativa - Capítulo 10 - Capítulo 7 - Sorria, eu estou aqui!

Hmm.. Q-que barulho é esse? *Um barulho de sirene invadia a minha cabeça* É a polícia? Eles m-me acharam? 

???: Não se preocupe filha, eu estou aqui.

Deku? É você?

Abro os olhos e vejo a coisa mais aterrorizante que minhas pupilas poderiam enxergar. Era meu "pai". Eu queria falar tudo que eu pensava dele e gritar, mas por alguma razão minha boca não respondia aos meus comandos.

???: Vamos para casa, pare de uma vez com essa brincadeira de ser heroína.

Ele vai aproximando sua mão do meu braço e tudo que eu tentava fazer agora, era gritar. Quando eu finalmente consegui… Acordei.

Sayuri: AAAAAAH!!

???: Ai meu Deus, tá morrendo.

Hã? Foi um sonho? Um pesadelo, né. Ainda bem. Eu estava ensopada de suor, foi o pior pesadelo que eu já tive. Olho para frente e vejo uma menina com um sorriso simpático. Ela parecia ser uma médica, já que tinha um jaleco e nele havia um crachá escrito: Recovery Girl.

Ela veio na minha direção e perguntou se eu estava bem, além disso me explicou quem era ela e como fui curada, aparentemente sua individualidade é de cura, ela dá um beijo no local machucado e o paciente prejudicado começa a se curar. 

Mas uma coisa me parecia estranha, a Recovery me disse uma coisa muito incomum:

Recovery Girl: "Quando aquele menino te trouxe aqui, você estava muito machucada no braço, no tornozelo e tinha alguns arranhões nos joelhos. Eu estava na minha folga então tive que colocar todo o meu uniforme assim fazendo você esperar desacordada, quando eu estava pronta para tomar as devidas medidas, eu percebi que seu braço estava menos roxo, seu tornozelo estava só um pouco arranhado e os joelhos estavam sem nenhum arranhão, como se nada tivesse acontecido no local. Parecia que você estava se auto-curando. Bem, mesmo vendo a recuperação lhe dei um beijo no local mais danificado, o braço, e o resto do seu corpo se curou por completo. Não tenho certeza, mas talvez se eu tivesse esperado mais uma hora ou meia você poderia sem minha ajuda ter se curado sozinha".

Depois de refletir um pouco suas palavras, lembrei da minha mãe, será que eu possuo seu dom? Com esse pensamento na cabeça sorri, minhas lembranças com ela de quando eu era bem pequena são poucas mas são mágicas, minha mãe é incrível, calma, amorosa… Herdar seu poder seria como estar perto dela mesmo estando a quilômetros de distância, sentindo seu amor e carinho… Já estou com saudade….

Cortada de meus pensamentos escuto um barulho, olho para o lado e vejo um menino que parecia estar no décimo sono na maca ao lado. Era August.

Sayuri: 💭Esse tem sono pesado, dei o maior berro aqui e ele nem deu sinal de vida.💭

Levantei da cama pois já me sentia bem, me despedi da menina e fui na direção de August.

Sayuri: Você é tão frio que eu vou começar a te chamar de Jack Frost. *Brinco sussurrando para mim*

August: Nem pense nisso.

Sayuri: Ai meu Deus, v-você escutou? *Sinto minha bochecha começar a esquentar*

August: Claro, não sou surdo.

Sayuri: N-na minha opinião, você escuta demais, afinal eu apenas sussurrei.

August: Que seja. 

Eu me retirei do lugar, não queria continuar a bater boca com aquele bloco de gelo.

Fui até um local que parecia ser o refeitório, já que tinha ficado desacordada por um longo tempo, estava no horário de almoço. Sem demora encontrei as meninas em uma mesa, Mei estava acenando para mim ir até lá, peguei minha refeição e fui ao encontro delas. 

Sayuri: Oie.

Yasu: O-olá *Sorri com os olhos*

Tsuke: Eai. *Faz um sinal de paz com a mão*

Mei: Oii! Como está seu tornozelo?

Sayuri: Bem melhor. *Sorrio um pouco* Parece até que eu nem me machuquei.

Mei: Ótimo! A Recovery Girl sabe o que faz!

Sayuri: Já conhece ela? 

Mei: Sim, eu cheguei cedo aqui na U.A. então fiquei conversando com ela. Além disso ela havia me curado antes de vocês.

Tsuke: Falando nisso, cadê aquele August lá?

Sayuri: Aquele bloco de gelo tá lá ainda.

Tsuke: Hm.. 

Um silêncio se fez presente no local, permitindo que o clima ficasse meio estranho, não entendi o porquê, acho que elas gostam de conversar. Yasu então, finalmente se pronunciou e quebrou aquela saia justa.

Yasu: C-como será que são os outros alunos da nossa classe?

Tsuke: Devem ser normais. *Suspira apoiando a cabeça em sua mão com o cotovelo na mesa*

Sayuri: Eu gostaria que esse reforço passasse rápido, quero conhecer as divergente individualidades dos nossos colegas. 

Incrível! Eu falei sem gaguejar!

Mei: Também estou, vamos conhecer pessoas novas! Só esse tantinho de alunos não tem graça.*Faz bico e depois sorri*

Ai ai.. Elas são tão legais, será que  eu vou fazer novas amizades ou serão só elas?... Realmente estou nervosa, nesse momento tudo é novo e a U.A. é o meu desafio. Agora o que eu mais quero, é poder interagir com várias pessoas. Tudo que meu "pai" não me permitia fazer, eu farei. 

Quebra de tempo

| Sábado, 11:00 AM. |

Já havia se passado o período de reforço na U.A. Segunda começavam pra valer as aulas.

Eu já tinha me acostumado com as meninas e a sala já tinha se conhecido bem. Lógico que tem pessoas reservadas. Cof! Cof! August. E pessoas arrogantes. Cof! Cof! Bakugo e Takahashi. Mas apesar disso a sala estava interagindo bem.

Nesse momento eu estou nos dormitórios da U.A. deitada na minha cama, lendo o livro "O Jardim Secreto". Gosto muito da maneira como o autor do livro descreve as coisas, da sua escrita e da história, literalmente tudo no livro é apaixonante. 

De repente, escuto várias batidas frenéticas na minha porta, então receosa marquei a página do meu livro e fui atendê-la.

Sayuri: Olá?

Mei: Sayuriiiiii!!

Mei pula em cima de mim como se fosse a primeira vez que me via no dia.

Sayuri: A-ah, t-tudo bem? *Digo ruborizada nas bochechas por conta da aproximação repentina*

Mei: Você NÃO sabe o que eu descobri!

Sayuri: Pode falar *Rio um pouco*

Mei: Eu acho que a Gimi tá gostando de alguém.. *Sussurra de uma maneira engraçada para mim, como se fosse uma espiã ou algo do tipo*

Sayuri: Ah.. É isso.. Sim, ela gosta do.. Ah não sei se eu falo. Mas Meu já tava na cara. *Segura o riso*

Mei: Como assim minha filha! Eu descobri agorinha! Ah não! Você  começou, agora termina! *Infla as bochechas indignada e cruza os braços*

Sayuri: Eu não. Descubra sozinha, é mais divertido assim. *Já não aguentei mais segurar e comecei a dar risada*

Mei: Ah nããão! Assim não vale!😢

Sayuri: Kkkkkkkkk

Quebra de tempo

A hora passou e as meninas foram tomar sorvete, Mei não parava de perguntar a Gimi de quem ela gostava. 

Eu não fui junto delas, em vez disso resolvi caminhar pelas ruas da cidade para pensar um pouco.

Estava frio e chuviscando um pouco, o doce cheiro de café aguçava meu paladar enquanto eu passava em frente a uma aconchegante cafeteria. Fiquei olhando as pessoas lá dentro, havia um herói conversando com uma criança que tinha seus olhos brilhantes perante a luminosidade ofuscante do mesmo.

Sayuri: Todos temos nossos heróis do coração, aquele que ansiamos em conhecer algum dia.. *Sussurro para mim mesma observando a fumaça sair da minha fala*

Naquele momento, um mistério chegou a minha cabeça. All Might. Meu pai disse que somente a geração dele, eu e minha mãe sabíamos algo a mais sobre ele, porque foi proibido pelo governo dar detalhes daquela época. As pessoas só sabem que ele foi o antigo Símbolo da Paz, nem sabem como ele era. Isso quer dizer que se eu não tivesse conhecido o Deku, talvez não soubesse sobre sua existência.. Uma das minhas inspirações poderia não existir em minha mente. Fora isso, tem várias coisas que perguntei ao meu pai mas ele não respondeu, como: Como ele morreu? Quem o matou? Qual a razão de tê-lo matado? Alguém estava por trás dessa mente criminosa? Por que foi proibido falar sobre ele? Quem foi sua antecessora? Qual era o seu verdadeiro nome? Como o mundo reagiu quando ele morreu?

Muitas perguntas.Perguntas complexas demais para se responder. Onde eu poderia encontrar as respostas?

Entrei na cafeteria no intuito de pensar com mais calma na resposta.

Uma idosa veio me atender e me sugeriu um "café especial", eu pensei que ela tinha dito que era especial para despertar minha curiosidade, afinal era um pouco caro, se ela falou por essa razão então conseguiu, porque agora estou muito curiosa. Não demorou muito e ela já veio trazer meu pedido. Ela disse, que depois que eu tomasse o café, era para deixar um restinho e olhar no fundo do copo, assim eu fiz e tentei ver o que tinha lá dentro, olhei e olhei e não consegui dar uma forma àquele retângulo no fundo do copo. Resolvi chamar a idosa para que decifrasse aquele desenho.

Idosinha: Ah! Isso é um livro. *Sorriu*

Sayuri: 💭Pronto, ela que é a idosa e sou eu que não enxergo.💭

Idosinha: É que eu tenho muito tempo no ramo mocinha. *Dá uma risada*

Sayuri: Hã? *Olho assustada para ela*

Idosinha: *Dá mais uma risada* Não se preocupe Hirai, é só minha individualidade que me permite ler sua mente.

Sayuri: Ataa.

A idosa se retira e eu fico olhando para o "livro" em meu copo. Livro… Livraria! Nossa como eu não pensei nisso antes! *Me dei um tapa na testa* Paguei meu café e fui embora de lá. 

Sayuri: Próxima parada, biblioteca! *Digo para mim mesma*

Vou para a biblioteca da cidade e quando chego lá verifico a hora, eram 16:00 PM. Entro lá dentro e a primeira coisa que faço é perguntar a bibliotecária onde ficam os livros antigos. Depois de ouvir a resposta fui correndo para o corredor indicado. 

Sayuri: Meu Deus eu nunca vou achar.. *Digo baixo*

Começo a procurar livro por livro. Pode ter certeza que procuro nesta biblioteca inteira se preciso.

| 20:00 PM |

A biblioteca acabou de fechar. Procurei em todos os lugares imagináveis, e nada. Mas descobri que esse livro existe, porque quando eu subi na última parte de uma prateleira com a ajuda de uma escada, e vi um espaço faltando, fui até ele e olhei no fundo do lugar que faltava um livro, nele estava escrito. "Sorria, eu estou aqui! - All- " Tinha uma parte rasgada, mas tenho certeza que estava escrito "All Might", acho que tiraram esse livro de lá. Droga. Bom, agora vai ficar mais fácil já que sei o nome do livro. Pena que não sei mais onde procurar.

Fui para os dormitórios desapontada, queria tanto aquele livro. Cheguei no meu quarto e me joguei na cama, agora estou exausta. Assim que respirei um pouco, pude escutar batidas em minha porta, levantei parecendo um zumbi e abri a mesma. 

Tsuke: Oi Sayuri. *Sorri minimamente*

Yasu: Oie. *Sorri com os olhos*

Sayuri: Olá meninas. *Sorrio um pouco*

Tsuke: Percebemos que você chegou meio pra baixo.

Yasu: Aconteceu alguma coisa?

Sayuri: Não é nada. 

Tsuke: Pode confiar.

Yasu: É, a gente pode te ajudar.

Suspiro e abro espaço para elas entrarem, fecho a porta e me sento na cama.

Sayuri: Eu.. Estou tentando achar um livro.. Mas ele é muuuito antigo, então não consegui encontrá-lo em lugar nenhum.

Tsuke: Hmm. Procurou na internet?

Sayuri: Não é possível encontrá-lo lá.

Yasu: Procurou naquela biblioteca grandona? Se não estiver lá não sei onde poderia estar.

Sayuri:.. Já procurei… Acabei de voltar de lá, procurei durante 4 horas seguidas.

Yasu: Eita.

Tsuke: Já procurou na.. biblioteca abandonada da U.A.?

Sayuri: Hã? *Me aproximo de Tsuke*

Yasu: *Suspiro* Não dê ouvido a ela Sayuri, enfiou na cabeça que existe uma biblioteca que está inutilizada aqui.

Tsuke: Ela existe! Eu já fui lá!

Sayuri: Por favor me mostre onde é!

Yasu: Ai meu Deus… *Suspira e deita na cama*

Tsuke me disse exatamente onde a biblioteca ficava, até desenhou pra mim. Depois disso Tsuke e Yasu foram embora e eu me despedi delas.

Sayuri: Tchau meninas e obrigada. *Sorrio*

Tsuke: Imagina, foi um prazer ajudar.

Yasu: Olha Sayuri, vá amanhã de manhã, de noite pode ser perigoso. *Me disse com aquele olhar jeito e preocupado*

Sayuri: Não se preocupe Yasu, eu não tenho medo de nada. E eu nem vou hoje mesmo, já são 22:30. *Sorri*

Yasu: Estou confiando em você, boa noite Sayuri.

Sayuri: Boa noite para as duas.

Elas vão para seus quartos e eu fecho a porta. Deitei na minha cama e esperei…. 

| 00:59 AM |

Abro os olhos, levanto da cama, coloco minha pantufa de panda e vou para a porta, abro ela bem devagar e vou nas pontas dos pés para a U.A.

5 minutos de caminhada depois

Eu estava com a péssima sensação de estar sendo seguida mas deve ser só a minha mente tentando me pregar uma peça.

Cheguei no local em que Tsuke me falou, a Biblioteca parecia mesmo abandonada. A porta parecia trancada mas só estava emperrada, com um pouco de força abri a porta cautelosamente. Já dentro da biblioteca comecei a procurar pelos livros que começavam com a letra "S" porque a biblioteca era organizada por ordem alfabética, ia ser difícil já que só tinham algumas janelas iluminando o local.

Eu fiquei procurando por um tempo e aquela sensação de estar sendo seguida não passava, agora me sentia observada e estava suando muito, essa sensação parou um pouco quando meus olhos passaram pela seguinte frase: "Sorria, eu estou aqui! - All Might." 

Senti um alívio tão grande, não acredito que achei. Pego o livro, tiro o pó dele e observo sua capa linda.

Sayuri: Será que ele era assim? *Sussurro* 

Assim que disse isso senti algo vindo em minha direção e dizendo:

???: O que você está fazendo aqui?

Sayuri: A-ah!


















Continua….


Notas Finais


Os próximos personagens aparecerão no próximo capítulo.^^
Espero que vocês estejam gostando.^^♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...