História Bem vindo a Transilvânia Chanbaek - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Chanbaek, Vampiros
Visualizações 28
Palavras 1.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Sobrenatural, Survival, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vou demorar para postar novamente, por isso postei pelo menos um extra, para que não fique sem atualizar.

Capítulo 21 - EXTRA- Byun é pervertidp


Byun BaekHyun
Eu me prometi que não iria chorar.
Chanyeol é uma prova na qual não passei, um exame na qual não estudei, uma matéria que não entendo completamente. Como ele pode ser tão fofo, amoroso e ao mesmo tempo ser tão sombrio e monstruoso? Eu estou prestes a dar minha vida para um bipolar e nem mesmo pensei no quanto isso poderia fazer mal para meu psicológico.
Ele Matou o pai, matou milhares de pessoas, mas agora sei que matou alguém por ganância e vontade de guerra. Ele literalmente não pensa no que faz e isso pode dizer muito sobre uma pessoa. Muito mais do que eu sei com certeza.
Não sei por que me motivo a continuar pensando coisas erradas como estás que vieram. Chanyeol é um doce de namorado e nunca -nunca depois das agressões- me machucou. Ele tem sido cuidadoso e até tentou ser romântico da forma dele. Eu sou o louco, isto é óbvio.
      *Depois de ter pegado no sono*
Sentia minhas pernas doerem e aquela voz grossa rente ao meu ouvido fez meus braços fraquejarem. Pedi por ar e lutei contra meus pulmões que ainda tentavam e insistiam em procurar mais ar dentro daquela cena erótica entre nossos corpos. Ele beijou meu queixo e desceu seus beijos molhados pelo meu peito até chegar no meu umbigo onde ele lambeu e voltou a subir. Aprofundou mais seu pênis dentro de meu ânus e foi estocando bem forte e lentamente, o que dava mais êxtase em tudo aquilo.
— Você já chegou lá? -Me olhou atencioso enquanto eu arfava e tentava respirar corretamente.
— M... Me sint-oh estranho -Respirei entre soluços e arfares.
Ele sorriu e voltou a se movimentar até que todo meu gozo estivesse em meu abdômen quase alcançando minha boca. Quando já estava no meu final.

Acordei assustado olhando para o lado e vendo que Chanyeol estava ao meu lado com um machucado no seu olho direito. Quis me importar mas quando olhei para meu colo coberto pelo edredom vi uma ereção e rapidamente corri para o banheiro. Me sentei na privada, abaixei as calças e sem querer me masturbar abanei e assoprei até que saísse todo o calor de dentro de mim, o que não funcionou.
Aquele ventinho me fez lembrar da respiração de Chanyeol batendo na minha pele enquanto chupava meu membro e isso foi meu ápice da loucura. 
Terminei de tirar a bermuda e cueca e me colocando de quatro direcionei meu dedo até meu ânus, onde penetrei e Conti o gemido. Inclinei meu dedo para a direita dobrando ele para a mesma direção, achando um ponto fixo e mexendo ele ali, fazendo exatamente o que aprendi com Heechul sobre massagem de próstata. 
Meus olhos reviraram e comecei a salivar, não pensava em nada só em como era bom fazer aquilo. Quando me dei conta estava gemendo o nome do cara que estava brigado e isso claramente deve ter o acordado.
           — QUE MERDA É ESSA? -disse ele enquanto abria a porta do banheiro.

—C-chany posso explicar -olhei para meu dedo e o tirei de dentro rapidamente acabando por soltar um gemido comprido.
— Byun se limpa primeiro -Chanyeol fechou a porta do banheiro e me deixou ali sozinho.
De acordo com Heechul, quando alguém nos vê masturbar ele se excita e nos deseja, mas Chanyeol saiu como se não fosse nada. Talvez ele não deseje tanto assim o meu corpo e talvez seja por isso que tenho tanta insegurança.
Me levantei agora, não pensando em mais nada só em como meu dedo estava sujo de melado. Entrei debaixo da água do chuveiro e comecei a molhar meu corpo. Limpando principalmente meu interior e minha bunda, deixando ambos bem limpos e cheirosos.
Sai do banho e fiquei encarando a sacola que Heechul havia me dado. Puxei a mesma e escolhi vesti aquelas coisas humilhantes. Coloquei as orelhas de gato, o rabinho – plug que doeu para um caralho não aconselho- e as luvas e meias. Vesti minha cueca branca e sai do banheiro.
Estava corado e envergonhado. Tive coragem de sair assim e ainda fui capaz de andar até ele engatinhando.
— Por que tudo isso Byun? -Perguntou ele.
— Eu quero por fogo nisso. Quero te fazer me desejar cada dia mais. Porra que se foda Chanyeol. Que se foda romance, que se foda cartas de amor ou lágrimas. Lutas e das caralha toda. Vamos transar! Fazer sexo e nos desejar até que cada um se canse um do outro. E vamos desejar que este dia não chegue -Falei rápido olhando para as coxas de Chanyeol. – No momento vamos fazer isso -Subi apenas o olhar lançando o famoso clima malicioso.
— Você é um pervertido Byun BaekHyun -Lembrou.
— Não. Eu sou um gatinho -Falei esfregando a patinha na minha bochecha e ronronando.
— Isto seria Zoofilia-comentou.
— Só fode meu buraco e para de mimimi -Revirei os olhos.
— Eu acho que o plano era ser fofo 
— É. Mas só depois que a foda começar.
Chanyeol me lançou aquela olhada que denominei selvagem já que parecia querer roubar e morder minha carne como se faz com as de vaca. Ou algo canibalista assim, o que já não foge do seu alcance.
— Então assim será 
Puxou meu pescoço me fazendo inclinar para frente e colocar as mãos uma em cada coxa. Forçou que minha cabeça fosse de encontro com seu membro, pegando agora em minha nuca e esfregando meu rosto ali. Entendendo o jogo passei a língua por cima da cueca recebendo um gemido de aprovação. Abaixei sua cueca com dificuldade e de cara já estava com a boca em seu membro rijo, sugando e chupando toda sua extensão. Movimentando rápido e lentamente, de acordo com a força de sua mão e quantas vezes ela impulsionava minha cabeça para frente.
Ele gozou e me soltou eu o olhei ofegante com as bochechas rosadas e creio de esperma em meus lábios. Passei a língua por eles não querendo deixar resíduos e como troca recebi um beijo que me forçou deitar na cama e me prendeu na semana segurando minhas “patas”.
— Gyaah -Gemi alto quando sua mão desceu rastejando do cós da cueca até o plug anal injetado na minha bunda.
Pensei que iria remover, mas o mesmo ficou brincando com aquilo o que só me excitava mais e fazia aquilo mover dentro de mim trazendo uma situação incrível de prazer. Fechei meus olhos aproveitando aquela sequência de coisas boas até que ele colocou o dedo juntamente com o plug. 
Minhas pernas falharam e meu corpo perdeu toda a força que eu tinha reservado. Ele ficava estocando o dedo movimentando o mesmo e fazendo o plug se remexer no meu interior me trazendo dor e prazer, duas coisas que andam juntas e de mãos dadas.
Com sua outra mão ele fez questão de abrir minhas pernas e posicionar seu membro no meu ânus. Retirou o dedo e o plug colocando no lugar disso seu pênis. Começou devagar e então foi acelerando e cada vez mais surpreendente é diferente. Trazendo mais gemidos e mais espasmos, mais formas de grunhir e pedir carinho.
— D-deixa eu fazer -Pedi 
Usei as minhas únicas forças para mudar a posição e fixar por cima. Vendo ele daquela visão pude ter certeza que a Foda com Park Chanyeol sempre seria inesquecível por muitos fatos variáveis e este era apenas mais um deles.
Quiquei e rebolei apressando os movimentos com suas mãos em meus quadris movendo tudo e tentando tomar posse do controle. Coloquei minhas mãos em seu peito para ter um melhor apoio enquanto me movia daquela forma é alargava mais meu buraco.
Fizemos sexo por uma hora. E depois disso não tinha um osso no meu corpo que funcionasse corretamente. Não levantaria, iria querer café na cama e não iria no banheiro, teria que ser levado no colo, minhas pernas estavam doloridas demais para muito esforço.
— Você finalmente aceitou que é meu passivo? -Disse impaciente por uma resposta.
— Cala boca. Sua sorte é que o sexo assim também é gostoso. -Fechei a cara da forma mais fofa que consegui.
— Isso significa que... Vai usar roupas femininas quando eu pedir? Ou simplesmente para me agradar? -Arqueou uma sobrancelha e abriu um sorriso.
— Vou pensar no seu caso
Ele beijou meu cabelo e sussurrou um “ta” enquanto me abraçava, me aconchegando no seus braços e me fazendo deitar a cabeça no seu ombro até que finalmente eu pudesse ter o sonho que tanto merecia

 


Notas Finais


Amo vocês
Por favor leiam minha nova Fanfic (nem é Fanfic é uma história mesmo)
https://www.spiritfanfiction.com/historia/doces-garotos-aprendem-a-amar-12065261

Ela foi baseada em alguns casos que tive risos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...