História Bem-Vindo Ao Clã (ItaDei MPreg) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Fugaku Uchiha, Itachi Uchiha, Kushina Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Itachixdeidara, Itadei, Narusasu, Naruto Yaoi, Yaoi
Visualizações 221
Palavras 1.908
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, desculpe novamente pela demora. O capitulo esta pequeno mas era apens para atalizar mesmo, prometo tentar capitulos maiores agora, espero que tenham gostado da nova capa :3

Capítulo 6 - Brigas


Deidara PVO

 

Itachi e eu estávamos quase nos “finalmentes” quando ouvimos gritos no andar abaixo e portas sendo batidas e abertas rapidamente. Primeiro íamos ignorar pois muito provável que fosse apenas as crianças mas quando mais vozes surgiram decidimos ir ver do que se tratava, assim Itachi e eu nos vestimos rapidamente e saímos do quarto, mas assim que a porta fora aberta demos de cara, não somente com Naruto e Sasuke completamente assustados, com os rostos vermelhos e um grande bico nos lábios, como também nossos pais muito mais que possessos nos encarando raivosos. 

 

Mamãe veio até mim enxugando as lágrimas com um pequeno lenço e me abraçou com força discursando irritada sobre algo que provavelmente se tratava de eu ter a preocupado tanto, mas eu estava tão em choque que não conseguia responder e, foi apenas quando Fugaku completamente irado se aproximou de nós que eu a abracei completamente apavorado. 

 

- Deidara, meu amor… - ela me soltou e segurou meu rosto com as mãos. - Conta pra mamãe, você esta esperando um bebê? 

 

Minha respiração falhou em um corte e eu não sabia o que fazer ou para onde correr agora, eu só queria sumir. Olhei de relance para itachi mas ele apenas encarava o pai com uma expressão fechada e com o corpo rígido como se ele fosse atacar a qualquer momento, não que Fugaku não estivesse na mesma posição.

 

- Responda, moleque! - o Uchiha mais velho gritou, fazendo-me pular no lugar. 

 

- Sim. - sussurrei levando uma mão a minha barriga receoso. - Descobri faz alguns dias apenas. 

 

Um silêncio mortal se instalou ali, Mikoto arregalou seus olhos e me olhava incrédula, papai apenas suspirou e passou as mãos por seus cabelos, desviando o olhar para longe e de alguns passos, provavelmente tentando pensar, mamãe me abraçou novamente ainda falando sobre como eu fui imprudente mas ela me amava acima de tudo e que me ajudaria com o bebê. Mas Fugaku, puta merda, ele parecia querer matar um e, por instinto eu me encolhi abraçando minha mãe com medo. 

 

- Mamãe, eu estou com medo. - sussurrei fechando os olhos e escondendo meu rosto na curva de seu pescoço. 

- Vai ficar tudo bem amor, tudo bem. - ela olhou de relance para Fugaku e a senti estremecer também. - Vem, vamos conversar. 

 

Mamãe me empurrou para o quarto novamente e se sentou comigo na cama, segurando nossas mãos e me olhando com carinho e um pouco de compreensão. Não aguentei e me sentei na cama com a cabeça em seu colo chorando como se o mundo estivesse desabando em mim. Logo uma discussão caloroso se iniciou fora do quarto e Naruto e Sasuke aproveitaram para fugir, se sentando na cama também.

 

- O que eu vou fazer agora? - murmurei perdido encarando o teto. - Mãe tem uma criança crescendo em mim. 

 

- Deidara, tudo bem, seu pai e eu estamos aqui. - ela segurou minha mão e Naruto a outra sorrindo, Sasuke apenas encarava a discussão antonito. - E aposto que Itachi também. 

 

- Mas mãe e minha faculdade? - voltei a me sentar. - Como essa criança vai vestir? Comer? viver? Mal conseguimos pagar as nossas contas e… 

 

- É simples, não vai. - Mikoto entrara no quarto. - Acabei de marcar uma cunsulta, doutor Orochimaru irá remover este feto. 

 

- O que? - todos, inclusive Itachi, gritamos em uníssono. 

 

- Ninguém vai tocar no meu filho. - Itachi gritou adentrando no quarto. - Isso não deve a vocês em nada, é a minha vida. Deidara e eu vamos ter o nosso filho com ou sem vocês por perto.

 

- Seja racional, Itachi. - agora foi a vez de Fugaku. - Eles mesmos acabaram de admitir, mal tem dinheiro para comer! Não pertencem a nosso mundo. Até quando achou que ia brincar de casinha? Está na hora de acordar, Uchiha Itachi, arrumar uma família de verdade com sua noiva Izumi, se casar e ter um filho normal que não saia de uma aberração. - mamãe e eu suspiramos incrédulos enquanto naruto fechou os punhos irritado. 

 

- Desculpe, senhor Uchiha… - papai entrou no quarto e, antes mesmo que ele pudesse voltar a destilar veneno, um soco fora acertado em sua face o fazendo cambalear. - Não me importa sua opinião sobre qualquer coisa ou que vocês querem ou deixam de querer pra seus filhos… Mas se ousar ofender minha família ou pensar em machucá-los novamente eu não serei tão gentil. - poucas vezes na vida havia visto papai tão bravo, ele se voltou a nós. - Vamos para casa. 

 

Apenas fiz que sim e fui ao guarda roupas jogando todas minhas roupas dentro da mala de qualquer jeito e logo Itachi estava ao meu lado, eu não queria encará-lo, estava com raiva e vergonha. Não que fosse sua culpa. 

 

- Acha que seus pais aceitam mais alguém na casa deles? - perguntou enfiando suas roupas em sua mala também. - Eu vou arrumar um emprego logo, eu prometo. 

 

- O que está fazendo? - parei o que fazia e o questionei, minhas sobrancelhas unidas na cara de raiva não disfarçavam minhas lágrimas.  

 

- Renunciando os Uchihas. - disse firme e colocou uma pequena caixa em minhas mãos, embora tenha voltado a colocar suas roupas na mala. - Sei que não é a melhor hora para isso, mas eu quero me casar com você Deidara. 

 

Apenas chorei mais e tapei minha boca com uma das mãos fazendo “sim” repetidas vezes com a cabeça. Sei que eu deveria fazer como nessas histórias de romance dramáticas e dizer a ele que não para que ele pudesse seguir em frente com toda sua riqueza e tal, mas eu era egoísta por dizer sim. Foda-se eu o amo e carrego um filho seu, eu também tenho direito de ser feliz. Quando suas roupas já estavam devidamente arrumadas ele se concentrou em arrumar minhas próprias já que eu estava chocado demais para isso, porém, Sasuke o abraçou por trás aprontando o maior escândalo que já vi alguém da idade dele fazer. 

 

- Nii-chan, não deixa eles me levarem, por favor. - Ele gritou e quando Mikoto se aproximou ele soltou o irmão e me apertou, fazendo com que nós dois nos escondemos atrás do irmão mais velho, ele me apertava com tanta força que tive medo por meu bebê ali. - Por favor, eu não quero… Não quero ir. 

 

- Sasuke, vamos embora, agora! - Mikoto tentava tirar seus braços de mim. - Eles não tem nada de bom! São só camponeses sujos, meu filho, e seu irmão um desertor. - ela gritou e já fazia tanta força que os braços de Sasuke tinham arranhões. 

 

- Eu tenho a guarda dele. - Itachi gritou de volta, parecia tão desesperado quanto o irmão. - Vocês passaram a guarda dele para mim quando ele tinha dez anos, legalmente ele é minha responsabilidade. 

Ela ainda questionaria mas Fugaku surgiu na porta, o lado direito de seu rosto inchado e com um pequeno corte no lábio inferior. 

 

- Vamos, Mikoto, deixe eles. - disse com raiva. - Quando encararem a realidade da pobreza de verdade irão voltar rastejando. E o Sasuke não serve de muita coisa mesmo. 

 

Ambos saíram irados da casa e, aos poucos, tudo caiu no mais profundo silêncio. Tudo que ouvíamos era o soluço assustado de Sasuke e o meu fungar baixinho, Papai estava na porta olhando as escadas e mamãe abraçada com Naruto. 

 

- Olha, senhor e senhora Uzumaki… - Itachi começou sem jeito. - Peço perdão pelo que ocorreu aqui e também quero que saibam que nada disso afeta o que eu sento por seu filho ou minhas responsabilidades como pai… Logo mais arranjarei um emprego fora das empresas do meus pai e… 

 

- Está tudo bem, menino. - papai riu, mais calmo. - Parece que tenho mais dois filhos e um neto, hein?! 



 

Manhã seguinte; 

Vômito, vômito e mais um pouco de vômito. Puta merda como eu odiava isso, estava desde às quatro da manhã no banheiro passando mal, eu vomitava, vomitava, vomitava e depois minha pressão caía e eu tirava breves cochilos no chão para acordar alguns momentos mais tarde e vomitar novamente. Eu havia tentado não acordar ninguém mas aparentemente dera errado pois mamãe e Itachi estavam batendo na porta sem parar e, ao que parece pelas conversas que ouvi, papai estava na cozinha preparando algo. 

 

- Deidara, filho, abre. - mamãe deu mais algumas batidas e eu a ouvi bocejar. 

 

- Eu estou bem, mamãe. - murmurei antes da pizza que comemos ontem sair por minha garganta. 

 

Ouvi que ela agora conversava com Naruto sobre se eu passava tão mal com frequência, eu me sentia péssimo agora. Quando dei por mim já eram cinco horas e eu sentado vomitando e, quando finalmente meu estomagou gritou que não havia mais nada para expurgar de mim me levantei, ainda que meio tonto, para um banho. 

 

Sasuke P.V.O

 

Meus planos incluíam ir para sei lá onde de mãos dadas com Itachi, estava assustado demais para qualquer coisa, apenas queria chorar, mas quando descobrimos que papai levou o carro de meu irmão isso mudou e tive de ir espremido no banco de trás do carro que já era minúsculo dos Uzumakis. Para ajudar a serra ainda foi mais demorada que o planejado pois tivemos de parar umas cinco vezes para Deidara vomitar, segundo ele a pressão estava o deixando muito enjoado, então, a cada alguns metros o carro era estacionado e ele parecia largar o estômago na rodovia. 

 

- Ei, tudo bem? - Naruto voltou a se sentar do meu lado enquanto o irmão parecia disposto a vomitar a alma no mato.

 

- Sei lá. - dei de ombros encarando apenas a tela de meu celular. 

 

- Sabe… nossa casa não é tipo a de vocês e tal, mas tem muito amor. - ele deu de ombros com as bochechas coradas e eu pensei em como minha casa era enormemente luxuosa, mas sempre muito vazia de amor, afeto ou sei la. - Acha mesmo que o pai de vocês vai simplesmente bota-los para fora do apartamento de vocês? 

 

- Tenho certeza, só não vão bloquear a conta do Itachi porque ele é maior… mas com certeza vão recorrer na justiça por mim. - suspirei triste e com medo. 

 

- Eu te achei muito corajoso. - ele se ajeitou e segurou minha mão, me fazendo o encarar confuso. - Sabe, enfrentar seus pais… mas por que não foi com eles?

 

-- Meu pai é meio cruel… - sussurrei desviando o olhar e, mesmo sem saber o motivo de estar sendo tão sincero elevei minha blusa mostrando algumas marcas de cicatrizes. - Ele apagava charutos em mim às vezes. 

 

- Meu deus! - ele sussurrou passando os dedos ali e minha pele se arrepiou. - Ele é um monstro. 

 

Apenas dei de ombros, completamente acostumado com isso e não o encarei, sentia vontade de chorar novamente, porém, fui embalado pela jaqueta de Naruto e, quando o encarei, ele sorria abertamente para mim, como se tentasse dar conforto e passar alguma calma. Eu sorri de volta. Ele olhou para trás para se certificar que estavam todos ocupados com Deidara ainda e, quando visto que sim, me beijou novamente e, desta vez, sua língua quente veio junto, porém nosso pequeno beijo não durara muito. Não que isso tenha me impedido de sorrir o resto do caminho. 

 


Notas Finais


Aliás; obrigda pelos grandes favoritos e lindos comentários <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...