História Ben e Mal - Love me like you do - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Descendentes
Personagens Mal, Príncipe Ben
Tags Amor, Ben, Descendentes, Mal
Visualizações 168
Palavras 1.622
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 1 - Capitulo 1


POV BEN!

“EU tive um sonho, um sonho com você novamente. Você é tão linda, tão perfeita pra mim em todas as medidas! Eu esperaria por você toda a minha vida, se eu não fosse eu!!” – eu disse fazendo ela rir, pois já estávamos em um sonho, como sempre.

“Como assim se você não fosse você?” – me perguntou enquanto passava sua mão em minha bochecha me fazendo um carinho.

“Se eu não tivesse que me tornar rei e tudo que esta incluído em ser um bom rei. Meus súditos esperam muito de mim, meus pais esperam muito de mim. E ter uma esposa a altura é algo esperado para  um rei.” – abaixei minha cabeça, pois sabia que iria chorar, eu queria gritar e chorar e dizer que jamais me casaria se não fosse com ela, que eu precisava dela, mas isso a deixaria sofrendo e eu não queria isso.

“Você não devia pensar assim, sabe disso não é mesmo? Tem que ser feliz Ben. Pelos seus súditos, você deve ter seu felizes para sempre. Como um bom conto de fadas.” – me disse ela sorrindo, com um olhar triste, um olhar que eu conhecia bem de “você tem que ser feliz, mesmo sem mim”, eu conhecia tão bem esse olhar que me doía muito.

“Só terei meu felizes para sempre com você. Preciso de você, não quero acordar e me encontrar novamente em meu palácio sozinho. EU AMO VOCÊ. Amo tanto que chega a doer e só me levanto todos os dias de minha cama porque sei que você não me amaria se eu me prostrasse e ficasse nessa cama dormindo para sempre. Mas é o que eu mais queria, não acordar e ter você comigo assim, como agora! Não me deixe, me deixe ficar aqui com você, não me faça acordar. “ – supliquei, mas sabia que ela iria me fazer acordar, ela sempre fazia, sempre me expulsava de nosso sonho. Se ela era real? Eu não sabia dizer, mas eu sinto que é, eu sei que ela é.

“Eu amo você, não se esqueça disso, todos os dias.” – disse-me antes de eu acordar.

“Não por favor, Ma..”

E eu acordei, mas uma vez chorando, mas uma vez desesperado por tê-la comigo. Devo estar ficando louco, mas o que posso fazer, eu necessito desse sonho. Necessito dela.

Dessa vez o sonho foi diferente, ela não estava triste, estava contente, tinha um segredo em seu sorriso, um segredo que não quis me contar. Estavamos no lago encantado, ela comendo muitos morangos e riamos muito com várias histórias, eu lhe dava muitos beijos com sabor de morango e eu estava completo e em paz. Bom, ate eu acordar.

Todos os dias era assim, bastava eu fechar meus olhos e eu a via, via cada detalhe seu, cada sorriso, olhar brilhando e todos direcionados a mim. Eu a amo, mesmo sabendo ser um sonho, eu a amo. Desde o primeiro sonho, desde o dia que ganhei o anel do futuro rei.

O anel com símbolo de fera é encantado para ser dado apenas a futura rainha, não a uma futura rainha qualquer, mas a mulher destinada a ser o seu verdadeiro amor. E assim que ganhei de meu pai, me lembro como se fosse ontem, eu tinha acabado de completar 16 anos, bom ainda tenho essa idade, mas continuando, esse ano será o ano da minha coroação, adiei o máximo que pude, mas ao completar 16 anos meu pai me chamou em seu escritório e me deu o anel, disse que só funcionaria no meu verdadeiro amor. Como foi com minha mãe Bela. Mas ele não sabia que o anel faz mais, bem mais... Ele não sabe pois só usou o anel quando já estava com minha mãe, mas eu.. Eu não encontrei o amor da minha vida e o anel começou naquela mesma noite a me dar sonhos com ela.

O primeiro sonho foi estranho, estava no colégio e me sentindo sozinho passei a caminhar e esbarrei em alguém, la estava ela, com a face corada pedindo desculpas, pois não queria ter feito aquilo. Eu prontamente disse que não tinha acontecido nada demais, mas vi o quanto estava encantada olhando em volta, ela não era de Auradon, com certeza não. E foi assim que passamos a conversar, lhe mostrei tudo, ela me contou de seus amigos e riamos sempre, mas eu também sempre acordava e a cada dia me sentia mais sozinho e vazio.

Hoje, fazem dois meses que sonho com ela e nesses dois meses o que mais queria era estar com ela, de verdade, sem saber que acordaria. Ou como já pensei, dormir para sempre e te-la ao meu lado mesmo que em sonho. Logicamente que ela me proibiu expressamente de fazer algo a respeito e eu vi que ela tinha razão, por isso comecei a namorar uma garota qualquer na vida real, queria esquece-la, mas era impossível, sempre comparando as duas e sempre desejando estar em sono profundo. Mas ela dizia que eu devia dar sentido a minha vida e foi pensando nisso que decide que minha primeira proclamação seria a respeito de pessoas esquecidas, jovens que mereciam uma vida, assim como eu. Ela não sabia disso, queria contar assim que tudo desse certo e quando meu pai quase teve um treco, mas acatou minha decisão eu decidi contar.

Mas infelizmente pela primeira vez nesses dois meses, eu não sonhei com ela!

 

POV MAL

E mais uma vez eu acordei chorando, vilões não choram, minha mãe irá dizer novamente, mas já estou cansada, cansei de não sentir, é doloroso todos os dias sonhar com ele e mesmo assim não poder tê-lo e muito menos ter com quem falar sobre isso. Essa noite eu não dormi nada, eu queria, queria muito, mas ele não apareceu em meus sonhos, eu não dormiria se ele não estivesse nele.

Nosso ultimo encontro foi perfeito, todos eram. Eu o amava e olha que eu sabia quem ele era, sabia que minha mãe, amigos, todos eles, todos, me odiaram se eu contasse e por isso sofro sozinha. Alguém esta me chamando, mas não queria sair do meu quarto, queria continuar aqui, o mundo real é uma droga. Ele na vida real namora uma desmilinguida, ele é feliz sem mim e eu não. ODEIO ele, odeio sentir que o conheço, que ele me conhece, odeio achar que todas vezes que eu vejo ele numa televisão nojenta, ele esta infeliz e me esperando, quando não é real. É so minha mente pregando peças. Ele nem sabe quem eu sou! Mas gostaria que soubesse, queria que me esperasse, que me buscasse em todos os lugares, como busco por ele.

Odeio essa droga de ilha, odeio tudo aqui, toda vez que devo fazer alguma maldade sinto como se ele estivesse ali, vendo e me recriminando, mas não posso mudar quem sou, não posso mudar quem é minha família, amigos. Eu sou e devo ser podre por dentro.

Me olho no espelho após me arrumar e digo novamente para mim mesma.

- Eu sou podre por dentro! Não há salvação! Você não tem um final feliz! – deixei uma ultima lágrima cair e me fiz de forte novamente. Fingir é o melhor que faço.

Ao sair já vejo minha mãe e seus aliados sem o que fazer assistindo a televisão e ele esta lá, sorrindo ao lado de sua perfeita e bondosa namorada. Tenho nojo e resolvo que esta na hora de ir ganhar um ar, desenhar me faz melhorar sempre. Encontro meus amigos e após um tempo de diversão encontramos minha mãe, ela nos obriga a ir para o castelo e lá diz o que menos imaginei ouvir.

- Vocês foram escolhidos para entrar em Auradon, pensem na minha alegria ao saber que minha linda Mal estará perto da varinha. Me traga ela e seremos grandes, pequena. – Malévola disse, sendo ela, minha mãe.

Bom todo mundo sabe disso então poupo os detalhes sobre ela ou seus amigos malvados, Rainha Má, Cruela (essa é louca) e Jafar (ladrãozinho barato). Eu não gosto deles, dá pra ver né. Mas seus filhos são meus melhores amigos, bom os únicos que tenho. Evie, uma doçura, sem ironia, Carlos, um bobão, mas muito leal e Jay, esse só quer orgulhar o pai ladrãozinho também, mas um amigo pra todas as horas. Mesmo amando muito eles, nunca contaria meus sonhos, eles são filhos de vilões, jamais me entenderiam, eu no inicio não entendia. Bom estou divagando, voltando a minha mãe.

- Vocês vão para Auradon sim! Estamos entendidos? – pelo que entendi, meus amigos não queriam ir, mas ela manda e nós obedecemos. Simples assim.

- Quando iremos? – perguntei

- Hoje ainda estarão buscando vocês, então preparem suas coisas. – assim nos dispensou, antes entregou seu livro de feitiços para mim e a rainha má entregou à Evie o espelho mágico, bom que restou dele para nossa missão.

Mas eu tinha a minha própria missão. Meu estomago estava cheio de borboletas, eu estava nervosa, iria vê-lo pessoalmente pela primeira vez. Ele deu esse decreto. Ele estava fazendo a vida ter sentido e eu não poderia estar mais orgulhosa, mesmo sabendo que ele não sabe quem sou.

Arrumamos nossas coisas e fomos para o carro que nos aguardava, precisava fingir que realizaria o plano da minha mãe, precisava fingir que iria engana-lo. Eu estaria mentindo para meus amigos e para o amor da minha vida ao mesmo tempo. Nossa que sorte a minha não é? (Ironia mandou lembranças)

Chegamos em Auradon e lá estava ele me esperando, nos esperando. Eu estava paralisada, não sabia como reagir e isso estava me assustando. Como vou reagir agora? Como ele vai reagir? Será que me conhece? Será que sonha comigo também?

Aiiiiiii eu estou perdida!

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...