1. Spirit Fanfics >
  2. Bendy e a máquina de tinta >
  3. Indo até o anjo

História Bendy e a máquina de tinta - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Indo até o anjo


Assim que a luz se apagou, caí no chão e escutei um barulho alto de vidro quebrando, a música já tinha parado de tocar, o silêncio durou pouco pois comecei a ouvir sua voz, porém não conseguia vê-la por causa da falta de luz. 

- Eu vejo você aí, uma nova mosca na minha teia infinita, venha, vamos ver se você é digno de conversar com anjos - Assim que ela acabou de falar a luz voltou, a vitrine estava quebrada e ela tinha sumido, coloquei uma mão no rosto e continuei sentado por alguns segundos, pensando, até que me levantei e olhei ao redor. 

Tinha um corredor na lateral da sala, resolvi me aventurar naquele caminho, pois pior que tá não fica né, caminhei lentamente pelo pequeno corredor, eu ainda pensava na mulher e em suas palavras, fui virando os corredores que iam aparecendo, até que cheguei em um local que tinha uma parede e a cada lado uma porta, oque mais me chamou a atenção foi a placa na frente, a da esquerda indicava o caminho do demônio, onde com certeza o Bendy apareceria toda hora, e a da direita o caminho do anjo, só que dae eu ia ficar encontrando aquela mulher, ótimo, pensei por um tempo, suspirei e caminhei até a direita, pelo caminho do anjo, assim que entrei escutei um barulho vindo ao lado, então voltei e vi, a porta tinha se fechado do caminho do demônio, fiquei parado e depois de alguns segundos voltei a caminhar, vi alguns pôsteres   de Alice nas paredes e alguns recortes dela, na parede tinha uma mensagem feita com tinta preta. 

"Os sonhos se tornam realidade"

Li em voz alta e continuei andando por aquele corredor um pouco estreito, poucos passos a frente vi um sofá grande, na ponta um recorte de Alice Angel encostado no canto da parede, na frente do sofá tinha um pequeno armário e sobre o sofá um gravador e ao lado uma pelúcia pequena de Alice Angel. 

"Tudo parece estar despedaçando, quando eu fui na cabine de gravação hoje, Sammy estava lá com Allison, aparentemente eu não recebi o relatório, agora Alice Angel será dublada por Allison, uma parte de mim morreu quando ele disse aquilo, deve ter uma forma de consertar isso"

Susie dizia no áudio chorando, realmente deve ter sido um grande choque, já que ela gostava tanto de Alice, voltei a caminhar até chegar em uma porta, abri e entrei no novo corredor, fui caminhando e virando os corredores, achei mais um armário onde eu poderia me esconder caso o demônio de tinta aparecesse, caminhei mais a frente e o próximo corredor estava com um pouco de fumaça e tinta caía do teto, suspirei fundo e caminhei, quando atravessei a fumaça consegui ver uma porta no final do corredor, abri e tinha só mais um corredor, caminhei um pouco, até que de uma parede um recorte de Bendy me sonda rapidamente e depois volta para trás da parede, congelo na hora, fico parado por um tempo até me acalmar, afinal isso já aconteceu antes, sem pânico Henry, sem pânico, voltei a caminhar até que chego bem perto da parede onde o recorte tinha aparecido, suspirei e olhei, lá estava ele, Boris ao lado do recorte, suspirei aliviado. 

- Porra Boris você me assustou carai ! - Falei olhando para o mesmo, ele sorriu de canto e me mostrou algo que tinha achado - Que ótimo, você achou alguma coisa pra gente se defender! - Falei pegando o cano de ferro, agradeci com a cabeça e então abri a porta, como esperado logo Boris foi atrás de mim. 

Entramos no novo lugar, era cheio de prateleiras com várias pelúcias dos três, tinha muita tinta tanto no chão como nas prateleiras também, nas paredes vários relógios do Bendy, estava tudo tão quieto que dava para escutar claramente o tic toc dos relógios, caminhava um pouco e olhava para trás, para conferir que Boris estava perto, não demorou muito para sairmos daquele lugar, e então Boris caminhou uns passos para a direita e parou na frente de uma alavanca. 

- Para abrir a próxima porta precisamos puxar as alavancas juntos, eu fico com essa e você com a outra que está um pouco mais a frente, é só seguir os fios no chão que você vai achar rápido - Ele disse apontando para os fios. 

- Ta, mas como vamos saber o momento certo de puxarmos juntos? - Perguntei olhando o mesmo. 

- Grita "pronto" ae nós puxamos, pode ser? - Ele disse me olhando, concordei com a cabeça e segui os fios no chão. 

Segui os fios por um longo corredor, será que Boris vai me ouvir gritar? Pensei caminhando, quanto mais perto da alavanca eu chegava, mais tinta escorria das paredes, até que depois finalmente cheguei na alavanca, ela ficava no fundo de outro corredor, quando cheguei a primeira coisa que vi foi um pôster de três homenzinhos, e na parede ao lado do pôster estava a alavanca, segurei firme o cano e fui até ela, assim que a segurei uma criatura saiu do pôster me atacando, recuei, ele era diferente dos outros, ele tinha uma forma, ele não era só um monte de tinta, comecei a bater nele com o cano mas a desgraça não morria, eu já tava ficando desesperado, continuei batendo nele até que o mesmo morreu, assim que o matei, me apoiei ao lado da alavanca tentando controlar o fôlego, fiquei um tempo lá tentando me acalmar, até que deu, então gritei para o Boris e puxei a alavanca, assim que fiz voltei até o Boris, o mesmo já estava parado na frente da porta que tinha se abrido.

- Então vamos - Falei me virando para Boris que concordou com a cabeça. 

Começou bem já a nova entrada, muita tinta escorria do teto, ótimo, continuamos caminhando até chegar em um novo lugar, era enorme, fiquei olhando surpreso com o lugar, de novo eu não fazia ideia que tinha isso em baixo do estúdio de animação, no pequeno espaço de tempo que pensei isso, Boris já estava lá em baixo na frente de um tipo de elevador com grades, eu suspirei e comecei a caminhar até ele, fui até a escadaria, tinha a porta de dois banheiros o dos homens e o das mulheres antes das escadas, porém ambos estavam trancados, não insisti muito e continuei caminhando, até finalmente chegar até Boris e o elevador, mas antes olhei no canto da parede e vi outro armário para se esconder, e na parede um cartaz escrito "Nível K"  Após ver isso eu e Boris entramos no elevador, no canto dele estava os botões para escolher qual andar nós íamos, mas antes da gente clicar em algum, conseguimos escutar a voz de Alice Angel. 

- Você é muito interessante, tão indiferente, devo dizer que já sou uma fã, parece que você conseguiu um encontro com o anjo, venha até mim agora, nível 9 - Sem clicar em qualquer botão o elevador começou a descer - Apenas siga os gritos. 

Assim que ela termino essa frase, não falou mais nada, eu olhava para Boris que estava no canto do elevador e o mesmo me olhava também, de anjo essa mulher não tem nada, só quer ferrar ainda mais a vida da gente, o elevador continuou descendo, eu olhava para Boris e depois para frente, nem para ter uma musiquinha, até que depois de um tempo ele parou e a voz de Alice Angel voltou. 

- Venha, saía da sua jaula, tem um mundo bizarro aí fora. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...