1. Spirit Fanfics >
  2. Beneath Your Beautiful-Kit HaringtonEmilia Clarke Kimilia >
  3. Capítulo XVI

História Beneath Your Beautiful-Kit HaringtonEmilia Clarke Kimilia - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Olá amores e amoras, estou de volta, aproveitando a quarentena para não enlouquecer em casa e trabalhar a criatividade. MORRI DE SAUDADES, mas o bloqueio não ajudava. Porém como um pé na bunda ajuda sempre, cá estou.
Espero que gostem do capítulo, escolhi as quartas-feiras para postar esta fanfic amada, pois estou terminando outras também, sim?

Capítulo 16 - Capítulo XVI


Kit

 

“Subimos bêbados e abraçados pelas escadas, chegando ao quarto entre as piadas malucas de Emy. 

Eu gostaria de poder estar com ela todos os dias da minha vida, essa era a leveza que procurava em tudo que gostaria de viver. Queria que ela fizesse parte dos meus dias e horas, para sempre.

Nós estávamos finalmente livres para viver nosso amor e não importava mais nada, tudo o que eu precisava estava ali ao meu lado. E eu poderia jurar que a partir de agora, mesmo sob qualquer dificuldade, eu não desistiria da mulher de minha vida. O amor por Emy é tão grande, tão forte, que eu poderia sentir seus pensamentos, suas forças e seus momentos de dúvida. E ela, assim como era, perfeita, poderia ler meu olhar e saber o que eu pensava sem mesmo conjecturar demais.

Chegamos ao quarto e me sentei na cama, com o colar havaiano todo torto em meu pescoço, minha camisa toda aberta, por conta dos amassos que dei em Emilia na porta de casa. Com toda certeza eu tão ébrio, que estava rindo a toa, até pela própria felicidade que eu sentia. Coisas de bêbado.

Ela sentou em meu colo e rodeou meu pescoço, deitando a cabeça nos meus ombros. Ela também estava tão bêbada como eu. Será que Emilia fazia ideia que ela era delicada como uma bomba quando ficava assim? Quase caímos da beirada do colchão por conta de um movimento brusco dela, e sedutor, incrivelmente sedutor.”

 

- Preciso ir no closet pegar algo pra você. - Disse ela colocando o dedo indicador na ponta do meu nariz.

- O que vai fazer lá, mocinha?! - Ela foi para o closet de depois de me deixar mais de dez minutos imensamente curioso. Ela apareceu e talvez todo o álcool saiu das minhas veias. - Meu Deus, Emilia. - Ela só estava vestida com o Golden Bikini da Princesa Leia bem na minha frente. Emilia estava imensamente provocante e sensual. Era um sonho de um Christopher adolescente nerd se realizando com a mulher mais maravilhosa possível. E incrivelmente gostosa. - Onde conseguiu isso? 

- Uma garota tem seus contatos sendo uma instagrammer. - Disse com um sorriso sapeca.

- Então quer dizer que você tinha a intenção de me seduzir? - Ela chegou a minha frente com uma cara sensual, provocante, perversa.

- Bom. - Ela pegou algo tilintante embaixo da cama.- Afinal, o que seria da princesa e escrava, sem uma corrente? - Ela sorriu e balançou a corrente perto do meu rosto. - Deite-se e cama, você será meu o escravo essa noite, Kitten. - Ela desceu o dedo pelo meu peito e levantou os olhos, aquela expressão safada, quase me rasgou por dentro. - Antes disso, levante-se e me deixe te ver tirar a roupa. Quero te assistir.

 

“Levando-se em conta que não tinha tantas roupas assim pra tirar, tentei fazer o mais lentamente possível, a olhando com da forma mais selvagem possível, porque eu sabia o que ela faria de mim e seria inacreditavelmente delicioso, mal poderia esperar por ver minha menina tão ousada, me comandando. Pequena diabinha, queria-me como seu escravo sexual e assim me teria. Era realmente o tipo de coisa que não esperava dela, porém que Deus me ajudasse, já era delicioso o suficiente somente de imaginar.

Depois que fiquei nu a sua frente, ela me ordenou deitar e passou a corrente pelos meus braços, cada um nos extremos da cabeceira. Prendeu-as apenas passando as correntes, sem cadeados. Eu sabia qual era o comando dessa vez, e a simples referência me deixou excitado a um ponto de quase não aguentar o jogo de sedução.”

 

- Você não está preso, porém tampouco poderá se soltar. Terá que administrar sua vontade de me tocar, porque não poderá fazê-lo até que eu mande, ouviu bem? - Tirou de sua saia, um pequeno chicote dourado como a roupa que vestia. e passou pelo rosto dele. - Seja obediente, meu servo.

- Sim, Emy. - Ela me chicoteou no braço, suspirei excitado.

- Sim, minha rainha. - Ela me olhou desafiadora e passou o chicote pelo meu queixo.

- Sim, minha rainha. - Repeti, olhando-a com um fogo irrefreável.

 

“Emy subiu e montou em mim, quadril a quadril, e rebolou juntando-nos ainda mais. A sensação de estarmos tão perto da sensibilidade, causou-me desconforto. Só queria que ela tirasse aquela calcinha e me permitisse entrar e sentir o delicioso calor dela, sempre tão molhada e pronta para todas as investidas apaixonadas. Estava tão inebriado pela paixão, que não me dei conta de que estava me debatendo embaixo dela, pois ela me golpeou com o chicote de novo. Sorriu atrevidamente e me pediu para ser bonzinho. Ela beijou e lambeu meu pescoço presunçosamente, indo até o lóbulo da orelha.

Desceu um pouco mais os beijos pelo peito, dando mordidinhas demoradas e olhares devoradores. Ela sabia como me deixar completamente louco. Ela usava as pequenas mãos para apertar minhas coxas, indo agora pela barriga e logo, muito perto da minha virilha. Emy começa a lamber ali bem devagar, causando os arrepios mais audaciosos dentro de mim. Meu desejo por ela chegava a doer. Eu agarrei as correntes com força, lutando contra a vontade de me soltar e dominá-la dessa vez.

Ela me tomou com a boca com uma volúpia que me sobressaltou. Não me dava conta do que falava ou resmungava ou sentia quando os lábios dela se deliciavam do que contudo, era dela. Meu corpo era dela e somente dela. Se queria me usar, ela o faria com louvor. Lambeu abaixo dele, me causando sensações nunca antes sentidas com nenhuma mulher, porém Emy, ousada e corajosa como era, o fez e delirantemente bem feito, enquanto me tocava com as mãos, sugava em baixo e me tentava a sanidade. Eu sentia aquele vai e ver entorpecedor, enquanto a pequena mão subia e descia ritmicamente.

Ela desceu um pouco mais com a língua, chegando ao caminho em meio a minha bunda. Prendi a respiração, pois não sabia o que ela estava fazendo. Quase a adverti com surpresa. Até que ela parou em um ponto que não imaginava que pudesse trazer um uma sensação tão incrível de tesão. O prazer novo que o toque da boca fazia em cima do períneo era tão imenso, tão surpreendente que disse algo que a fez me olhar predatoriamente.”


- Você pede mais? Meu escravo, eu estou apenas começando.


Notas Finais


Eta Christopher, homem de sorte. O que acharam?
Comenteeeeeeeeeeeem! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...