1. Spirit Fanfics >
  2. Benício mandou cartas >
  3. Um: As árvores molhadas e cidade nova

História Benício mandou cartas - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente, espero que gostem da história. Boa leitura!

Capítulo 1 - Um: As árvores molhadas e cidade nova


Fanfic / Fanfiction Benício mandou cartas - Capítulo 1 - Um: As árvores molhadas e cidade nova

A noite estava chuvosa quando partimos do campo, e quando chegamos na casa nova, tiramos as caixas de dentro do caminhão de mudanças e fomos descansar.
No dia seguinte 
Acordei assim que o sol bateu na minha janela e fui fazer o café da manhã. Na sala, Blue e Boo estavam deitados em suas respectivas camas, e quando me avistaram, se aproximaram com o rabinho abanando.
— Bom dia, parceiros. Como foi a primeira noite na casa nova? — Indaguei, mesmo sabendo que não iria receber uma resposta. 
Fiz torradas e um suco delicioso de laranja, colocando a geleia de framboesa em cima da mesa junto às outras comidas. Abri a mochila onde tinha a ração dos cachorros e derramei dentro dos potes, vendo eles correrem para se alimentar.
— Bom dia, Ben. 
Minha mãe apareceu na cozinha com uma cara sonolenta.
— Bom dia, mãe. Eu fiz torradas. — Informei
— Estou sentindo o cheiro. — Se sentou na mesa com um sorriso de orelha a orelha, começando a comer.
Abri as janelas da sala, indo comer também.
— E aí, conseguiu dormir?
— Sim, mas esqueci a cortina aberta e me acordei assim que o sol apareceu. 
Minha mãe riu com a boca cheia de comida. 
— Hoje a tarde terei que sair para resolver algumas coisas, vai saber se cuidar, não vai?
— Mãe, eu tenho dezesseis anos! — Exclamei.
— Tá certo, já entendi. — Levantou as mãos como forma de rendimento. 
Assim que terminei de comer, tomei um banho e peguei Blue e Boo para passear com eles. Estar numa cidade grande até que não era tão ruim quanto eu imaginava, mas eu ainda preferia o campo. 
Eu e minha mãe nos mudamos graças a uma proposta de emprego que chegou até ela, e agora não iremos voltar para morar no campo tão cedo. 
Me sentei num banco, observando as folhas das árvores quase secas. Uma garota passou correndo por mim, me olhando de relance. Travei um pouco, mas logo deixei pra lá e voltei para casa. 

[...]

Uma semana se passou desde que eu cheguei aqui, e hoje era o meu primeiro dia de aula. Vesti o uniforme e penteei meu cabelo, indo tomar o café da manhã. A casa estaria vazia se não fosse pelos meus filhotes. Coloquei a comida deles, beliscando um pouco da minha. Estava tão ansioso para o meu primeiro dia numa escola nova que nem mesmo comer eu conseguia. 
Por fim, peguei minha mochila e corri para pegar o ônibus que me levasse até o colégio. 
Ao chegar na grande escola, segurei forte nas alças da mochila, respirando fundo. Vários agrupamentos de pessoas por toda parte, alguns olhavam para mim com uma interrogação bem no centro do seu rosto. 

— Olá, tudo bem? Sou a Margot. — Uma garota loira parou bem na minha frente, estendendo a mão. 

— Oi... me chamo Benício. — Fiz o ato de lhe cumprimentar, vendo que minha voz falhou, mais uma vez.

— Você é novo na cidade, né? Eu te vi ontem com dois cachorros. — Nossa, como ela era comunicativa.
— Sim, sou eu. 
— Vem, vou te apresentar para minhas amigas. 
A garota puxou minha mão e me levou até duas garotas.
— Meninas, esse é o Benício. 
— Oi. — Acenaram, sorrindo. Sorri de volta, meio tímido.
— Em qual sala você ficou?
— 2B.
— Ótimo, somos colegas de classe. — A loira sorriu contente e as meninas aplaudiram silenciosamente.
— Com licença meninas, eu vou para sala. 
— Não quer ajuda? 
— Não, obrigado.
Me afastei, mas pude escutar uma das garotas perguntar a Margot por um tal de Vicente. 
Não demorou muito para eu encontrar a sala e me acomodar em uma banca.


12:52h
Cheguei em casa, sendo recebido por Boo e Blue. Me sentei no sofá, brincando com eles. O primeiro dia de aula foi bem diferente do que eu pensava. Margot e as amigas ficaram perto de mim o tempo todo conversando sobre coisas completamente aleatórias. A galega até chegou a dizer que algum dia queria poder conhecer a minha antiga casa, onde agora moram lá somente minha avó e minha tia. Suspirei e fui fazer o almoço, e, assim que me alimentei, tomei um banho, indo fazer as atividades pendentes. 
À noite, minha mãe chegou e nós  assistimos a um filme na televisão de casa enquanto comíamos a pipoca que eu tinha preparado.
No outro dia, eu fiquei completamente isolado, já que Margot não tinha comparecido à escola e eu era introvertido demais para puxar assunto com alguém. 
— Benício! — Laura corria desesperadamente até mim. — Ainda bem que eu te encontrei.
— Aconteceu alguma coisa? — perguntei já ansioso, visto que a garota estava inquieta 
— Sim, terrível! Não, pior que terrível! — Ditava as palavras exaltada
— Calma, Laura. Respira fundo e me conta o que foi.
— A Margot quebrou a perna!
— O que? — Me espantei.

Hospital Santa Maria, 13:29h

— Luísa, você trouxe minha bolsa? — Margot perguntou com arrogância.
— Fala direito se não eu não te entrego. — Disse no mesmo nível, irritando a asiática.
— Me dá essa merda, garota! — Exigiu, com fúria. 
Luísa fingiu que ia jogar a bolsa na outra, mas entregou nas suas mãos após lembrar que essa estava machucada.
— Não foi a perna inteira? — Perguntei, passando a mão no cabelo.
— O que? — Parou de remexer dentro da bolsa, me olhando
— A Laura disse que você quebrou a perna.
— Ô garota! — Gritou, olhando para Laura. 
Olhei para Luísa espantado, vendo ela se segurar para não rir.
— Você está ficando louca? Eu torci o andando de patins! — Exclamou. — Isso é coisa sua, né Luísa? — Se referiu a Americana.
— Não me envolve nisso não. 
— Meu Deus, você está vermelha. — informei, vendo ela se controlando para não explodir de rir.
— A Luísa que disse que você tinha quebrado a perna... Desculpa... — pediu, tristonha. 
— Você precisa parar de acreditar em tudo que os outros falam. — A loira revirou os olhos. — Você ligou pro Vicente?
— Ele ainda não voltou de viagem. — explicou, com receio. Margot bufou, se encostando no travesseiro. Longo dia...


Notas Finais


Calma, não vai embora!
Primeiramente, Obrigada por ter lido até aqui. Queria informar que escrevi essa história somente para me divertir, isso significa que os capítulos não vão ter mais que mil palavras. Se você gostou, não esqueça de favoritar e comentar, se você quiser, claro. Um beijo. ❤
Obs: Esta história também está sendo publicada no Watpad, @vihhxz
Outra coisa também, eu me inspirei no V do BTS para o personagem Benício, mas podem imaginar a face do personagem da forma que vocês quiserem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...