História Besides Life (Imagine Kim Namjoon) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, EXO, Got7, Pentagon (PTG), Red Velvet
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Irene, JB, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Yeri, Yugyeom
Tags Bangtan Boys (BTS), Kim Namjoon, Namjoon
Visualizações 4
Palavras 2.274
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Droubble, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, babies!

Cá estou eu com mais um capítulo, espero que gostem pois foi feito com muito carinho.

Perdoem qualquer erro ortográfico, ok?

Boa leitura! ❤

Capítulo 2 - Chapter two: Unexpected visit


Fanfic / Fanfiction Besides Life (Imagine Kim Namjoon) - Capítulo 2 - Chapter two: Unexpected visit

Continuação... 


Quando ouvem batidas na porta principal da casa. Mais do que imediatamente, Namjoon levantou-se do sofá e trilhou até a mesma, olhou pelo olho-mágico da porta e se surpreendeu ao ver Yugyeom, seu primo, com malas e... Outro garoto? 


— Anda, Namjoon! Eu não tenho todo tempo do mundo! - Exclamou o mais novo, impaciente. 


O platinado suspira rodopiando seus olhos, abrindo a porta. 


— O que quer aqui e a essa hora da noite, Yugyeom?. - O encara. 


— Bom te ver também, primo. - O garoto de cabelos rubros, exibia um sorriso sínico em seu rosto. 


— Uma pena que eu não possa dizer o mesmo. - Devolveu-lhe o mesmo sorriso. 


O garoto ao que estava ao lado de Yugy parecia desconfortavel, então, Joonie o olhou e sorriu gentil, que o mesmo retribuiu. 


— Olá, jovem rapaz. Como se chama?


— Jaebum, Im Jaebum. E você deve ser o Namjoon Hyung, certo?


— Isso mesmo. Prazer em conhece-lo, Jaebum. - se curva, sendo correspondido pelo mais novo. 


— Que que ta acontecendo aqui? Tô sendo talaricado ao vivo. É isso mesmo produção? 


— Eu não sou como você, meu anjo. - Diz, com um tom mais do que perceptível de sarcasmo. — Aliás, ainda espero uma explicação vinda de você, Kim Yugyeom. - Cruza os braços. 


— Finalmente me notou, né? - O mais velho encara-o, com sua feição de seriedade. — Ok, ok. A explicação é o seguinte: me assumi bissexual e meus pais me expulsaram de casa assim que apresentei à eles o Jae-ssi. E... Não tenho para onde ir. 


— Entendi. Mas, o que se passou nessa sua cabecinha, quer dizer, o que te fez pensar em vir justamente pra cá? E o que eu tenho haver com isso? 


— Qual é, Namjoon! Você é meu primo mais próximo em intimidade e residência. Ah, por favor! Quebra esse galho, vai? — Implora. 


— Primeiro, não somos mais tão próximos quanto antes depois da cagada que você fez. - Faz uma pequena pausa. — Segundo, aqui não tem espaço para mais duas pessoas. Eu só tenho um quarto e a sala é completamente desconfortável. — Yugyeom bufa. 


— Com licença... - Pronuncia Jungkook que ouvia conversa toda. Afinal, o menor estava na sala, juntamente de SeokJin, que era bem perto da porta de entrada. — Não querendo me intrometer, mas eu sei de um lugar onde podem ficar. Isso se o Namjoon Hyung concordar. 


— Prossiga Jungkook. - Diz, o platinado. 


— Hyung, você se lembra daquela casa em que nós ficamos enquanto estávamos de férias do colegial? - Joonie murmura um "hum", e Kook dá continuidade. —Então, por que você não deixa eles ficarem por lá? 


— Jungkook, a ideia é ótima mas aquela casa pertencente aos meus pais. Não é tão simples assim. Quando fomos para lá, eu tive que programar pelo menos 2 meses antes, e conversar muito com eles. Você sabe como eles são. 

Assim que o platinado termina sua frase, os quatro garotos ali presentes ouvem um som de objetos caindo sendo emitidos da cozinha. Então, Namjoon permitiu então a entrada de Yugyeom e Jaebum e, junto de Kook, sai correndo seguindo os barulhos estrondosos. Ao chegarem, se deparam com Jin caído no chão, e uma cadeira quebrada. 


— O que aconteceu aqui?! - o platinado e o moreno ajudam Jinnie a se levantar, e o colocam sentado em outra cadeira. — Aish, minha cadeira.... Rosé vai me matar! 


— Obrigada pela preocupação, Kim Namjoon! - Diz Jin, indignado. 


— Yugyeom e Jae, vocês podem ficar aqui por um tempo, no máximo 1 mês. Ficarei na casa do Jungkook-ssi enquanto isso. - Diz, ignorando completamente a fala de Jin. 


— Muito obrigada! - Diz Jae, sorrindo para o mesmo. Namjoon retribui o sorriso. 


— Valeu, primo. Te devo uma! - O garoto o olha. 


— Você só fala isso mesmo, porque quando eu peço algo você não faz. Então, corte esse papinho e esse fingimento. Ok? Obrigado. - Força um sorriso e volta a cuidar de Jin, que havia machucado seu joelho. 


— Seok Hyung, você ainda não contou o que houve aqui! - Diz, Kookie. 


— Bem, é que eu estava tentando pegar algo no armário pra comer, sabe? Nisso eu pude jurar que vi a...... passando na frente da janela. 


— A....? - Dizem Jungkook e Namjoon, ao mesmo tempo. 


— Esqueçam, vocês vão me achar maluco. 


— Começou, termina! - Namjoon se pronuncia. 


— A HinA. Pronto, falei. 


— A HinA? - Jungkook gargalha. — Isso é impossível, Jin. Ela se mudou faz anos, por que voltaria? 


— Foi exatamente o que eu pensei, mas não seria tão impossível assim, já que ela ainda tem uns parentes por aqui... Pelo menos eu acho. 


Jungkook e Jin ficaram debatendo sobre o que o mas velho viu, e Namjoon permaneceu calado e pensativo. Enquanto refletia sobre o que o loiro dissera, o celular do mesmo vibrou. Era sua namorada mandando mensagem. 


Amor ♡:

Oppa, não precisa me levar até a casa de meus avós. Ok? 

Meu irmão virá me buscar aqui na casa de MiA. 


Me:

Tudo bem, amor. 

Eu iria te avisar agora que não daria pra eu te buscar. 

Meio que ocorreu um imprevisto aqui. 


Amor ♡:

Imprevisto? 

Que tipo de imprevisto? 


Me:

O Yugyeom apareceu aqui. 

Dizendo que foi expulso de casa só porque se assumiu bi. 

Não desconfio, até porque os pais dele são bem chatos. 

Bem, ele meio que vai morar aqui junto com seu namorado por 1 mês, no máximo. 


Amor ♡:

Entendi, mas e você? E nós? 

Você vai ficar onde? 

Tu sabe que seus pais não vão deixar você ficar com eles. 


Me:

Relaxa, gatinha. Isso eu já resolvi. 

Vou ficar na casa do Jungkook. 

Tem um quarto sobrando, já que moram apenas ele e a irmã.

Visualizado √√

Amor? 

Rosé? 

Park Roseane! 

Visualizado √√

Amor ♡:

Por favor, não me mande mais mensagens por hoje. Ok? 

Não se preocupe, estou bem. 

Eu só quero dar atenção em demasia aos meus avós. 

Você sabe que faz tempo que não os vejo. 

Te amo, Joonie. Se cuida. ❤

Não entregue √.


— Está tudo bem, Nam? - Perguntou Jungkook. 


— Está sim. Que tal um filme? - Tentava ao máximo parecer estar bem, mas na verdade não estava. 


Depois que Jin disse ter visto sua antiga paixão passando a frente de sua casa, aquilo fixou em sua mente o deixando completamente confuso em relação á tudo. Desde a escolha de seu namoro com Rosé, até ter quebrado por um certo tempo a promessa que havia feito com HinA. 


O relógio já batia 23h10m da noite, então, Jin se despediu de todos e foi embora. Logo em seguida, Jungkook e Namjoon foram embora, já que Yugyeom "moraria" na casa do mais velho por um tempo. 


Durante o percurso, o platinado ainda parecia distante aos olhos do Maknae. Porém, o mesmo optou por não incomoda-lo. Então assim se prosseguiu até a casa de Jungkook, em absoluto silêncio. 


{Horas antes}


Aeroporto de Montreal - Canadá


Jung HinA Vision


— Tae, você não esqueceu nada né? 


— Fica tranquila, Hin. Está tudo aqui. — Sorriu quadrado. Sorrio de volta para o mesmo. 


— Vamos, meninos! Já foi anunciado o nosso vôo. — Diz nossa tia, Yeri. 


Saímos em direção ao nosso portão de embarque. Chegamos, entregamos nossas passagens e adentramos o avião, nos sentando cada um em seu respectivo lugar. 

Ao meu lado estava Kyungsoo, meu irmão mais velho; Tae estava no assento de trás, junto com SeHunnie, o mais novo de nós; Tia Yeri estava no banco ao lado, com Hoseok - meu irmão do meio -, e o pequeno Chanyeol no banco da frente. Bom, não sei porque ainda o chamo assim, sendo que ele é bem mais alto que eu, e temos a mesma idade. 


— Princesa, no que tanto pensa? - Questiona, Kyung. 


— Você sabe no que tanto penso, irmão. - Suspiro, olhando-o. 


— Tenho minhas especulações, mas quero ouvir de você. 


— Eu penso no passado. Penso em muita coisa, principalmente em como será quando pusermos nossos pés em NY novamente. - Respiro fundo. — Tenho receio do que poderá acontecer se eu ver "você sabe quem" de novo... 


— Não se preocupe, pequena. Você vai dar conta, e nós estaremos lá para você. Pra te apoiar e cuidar de você. - Sorriu fofo. 


— É por isso que eu amo vocês.... Muito obrigada por sempre estarem comigo. Vocês são a melhor família que eu poderia querer! - o abraço, e adormeço ali mesmo. 


{Quebra de tempo}


Nova York - EUA. 


Após algumas horas de voo, aterrissamos. Como estava de noite, por volta das 22h50 da noite, uma amiga de nossa tia veio nos buscar no aeroporto e nos deixou em casa. Para ser mais específica, a casa da minha infância. Assim que dona Hanna - amiga de minha tia - nos deixou em nosso destino, fiquei deslumbrada com a visão que tive. Não acreditei que depois de tantos anos, voltaria para a casa onde morei quando criança. Mas a mesma estava diferente, talvez isso se dê ao fato de que muitas pessoas moraram aí desde que me mudei. Estava maior, aparentava ter mais quartos do que me lembrava. Uau! Está tão linda... 


— Crianças, devo-lhes dizer que foram feitas várias reformas desde que nos mudamos daqui. Então, agora, vocês não precisam mais dividir os quartos pois tem um para cada. Divirtam-se escolhendo os quartos. - Fica em silêncio por 1 minuto, deixando tudo com um clima misterioso, e continua sua frase. — Entretanto, A SUÍTE MASTER É MINHA! — Disse Yeri, saindo correndo em direção à suíte. Rimos pois mesmo que ela tenha seus quase sessenta anos, ainda possui um espírito de adolecente. E é por isso que amamos tanto ela. 


Todos corremos pelo segundo andar  a procura dos quartos. Passando pelos corredores, com dificuldades porque estava uma correria danada, observei que todos os quartos já estavam pintados e mobilhados. Sendo assim, optei pelo quarto revestido em tons de cinza e mobília branca. 

Ao entrar, notei como o cômodo era grandioso, espetacular. Melhor do que eu poderia imaginar! A cama era espaçosa - chuto ser uma King; Haviam também duas cômodas, cada uma de um lado da cama e com um abajur sobre uma delas; Tinha um banheiro espaçoso com duas opções de banho: banheira (hidromassagem) ou chuveiro com box e tudo!


— Uau! Me sinto uma princesa. — Digo maravilhada e encantada com o cômodo. 


Saio do banheiro e vou para perto do guarda-roupa. Desfaço minhas malas e vou organizando todas as roupas certinho. Como o guarda-roupa possuía muitas divisões e gavetas, decidi separar desde roupas para sair até roupas para ficar em casa, vestidos de roupas comuns, saltos de sandálias e pantufas, calcinhas avulsas de conjuntos de langeries, assim respectivamente. Além de arrumar as roupas, organizei também, meus pertences. Tais como: maquilhagem posta na penteadeira, ursos de pelúcia sobre a cama. Essas coisas. 


— Vejo que alguém se empolgou na arrumação. - Diz minha tia, enquanto se apoiava na porta do quarto, sorrindo docemente. 


— Pois é, tia. — Rimos. 


— Filha, a janta ainda vai demorar um pouco para ficar pronta. Então, por que não vai dar uma voltinha pela rua? Quem sabe, ter flashbacks da sua infância. - Sorriu simpática. 


— Está bem, Tia. - Sorrio de volta, e a mesma regressa à cozinha. 

Talvez me faça bem dar uma andada pela vizinhança, mesmo que esteja de noite. Quem sabe não me ajuda a espairecer do turbilhão de pensamentos que me atormentam? Tá aí uma boa ideia, e é exatamente o que farei... Claro que depois de um banho! 

Pego um conjunto moletom (casaco estilo canguru e calça), uma peça íntima limpa, minha toalha e vou para meu banheiro. Ao adentrar, retiro minhas roupas e ligando o chuveiro em seguida. Tomo um banho de 10 minutos e lavo os cabelos. Saio do banho, me seco e visto-me; penteio meus cabelos, seco-os com o secador e os prendo em um rabo-de-cavalo frouxo com algumas mechas em meu rosto. 

Após sair de casa, rezei muito para que não encontrasse ninguém do meu passado, e isso incluía o "você sabe quem". Enquanto caminhava, passei na frente de uma casa toda iluminada.... Estamos perto do Natal? Se estamos, não me recordo. Bem, vi muitas pessoas fazendo caminhada na rua calma e silenciosa, vi casais aos beijos...  Vi muita coisa. Todavia, teve uma coisa que me chamou a atenção: a casa de Namjoon. Engraçado passear por aqui e ver que ele nunca saiu, assim como também é engraçado eu estar pensando nele. Isso é passado, e deve permanecer por lá. Porém, algo me dizia q deveria passar por lá, nem que fosse para dar uma olhada. Pois bem, lá fui eu, passar na frente da janela da cozinha do garoto. Assim que parei na frente da mesma, vi um garoto.... Espera... JIN?! Ai meu Pai amado. 

— Calma, HinA.... — Respiro fundo, tentando controlar minha respiração eufórica. 

Quando olho novamente para a janela, vejo SeokJin de olhos arregalados me encarando, e assim que o mesmo ameaçou de gritar, despencando da cadeira, pus minha touca e corri de volta para minha casa. Muito provável que ele va contar para Namjoon que me viu, mas sei que ele não irá acreditar. 


— Eu deveria ter ficado em casa! - Digo para mim mesma enquanto corria em direção à minha casa. 

Após 10 minutos correndo sem parar, chego em minha humilde residência. Entro, subo as escadas correndo e vou para meu quarto, trancando a porta em seguida. 

— Ai que merda.... - Abaixo minha cabeça e fico em posição fetal, ainda pensativa. 
























Continua? 




Notas Finais


Espero que tenham gostado. Beijinhos é até o próximo❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...