História Besides the life - NATIESE - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Personagens Originais
Tags Nataliesmith, Natiese, Priscillapugliese
Visualizações 143
Palavras 2.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite meus amores!
Sei que demorei bastante dessa vez para retornar. Mas passei por uma situação complicada, umas turbulências do passado que me deixaram um pouco mal e eu não estava com cabeça para escrever. Enfim, tudo foi resolvido e agora estou de volta. Uhul 🙌🙌🙌
Esse capítulo acabou de ser escrito, saiu do forninho agora a pouco. Pensei muito como eu daria continuidade a estória, e cá estamos nós. Li e reli, e pensei várias vezes em deixar esse capítulo para colocá-lo um pouco mais a frente e escrever outro, porém decidir que eu quero dá meio que um ponto final ao que aconteceu no hospital com elas no dia do acidente. A fanfic não será muito longa, logo chegaremos ao final. Depois desse capítulo vamos ter um reboot no tempo e vamos ver cada momento crucial na relação das meninas e com isso vamos nos aproximando do fim. Como eu disse várias e várias vezes, nos últimos capítulos vocês entenderam o que aconteceu de fato no dia do acidente: Por que Priscilla conseguia ver tudo aquilo? Será que foi exatamente dessa forma? Como? Porque? As perguntas são inúmeras eu sei, mas posso afirmar que vocês terão cada resposta no seu devido tempo. Enfim, espero que eu tenha conseguido explicar mais ou menos o que acontecerá a partir de agora.
Adianto logo que esse capítulo foi por demais doloroso escrevê-lo e relê-lo mais duas vezes para ver se estava tudo ok foi um martírio. Então, já imaginam que dará para encher um poço com lágrimas. Me perdoem! E por favor, não queiram me matar, como eu disse, se acalmem que as coisas vão ser explicada. Tudo tem um porque e uma boa resposta!
Enfim, boa leitura meus amores!
Estou feliz por demais por vê o quanto estão gostando da estória e espero que até o fim dela vocês queiram me acompanhar.
Bom, curtam o capítulo … Comentem bastante e me digam o que acharam do capítulo de hoje e o que vocês acham e espera que aconteça daqui pro final da fanfic.

Beijinhos 😘😘

Capítulo 10 - Chapter Nine


Rio de Janeiro, dias atuais

Natalie's Point Of View

Hoje estava se fazendo exato quatro meses que minha vida tinha dado um giro de 40 graus. Perder a Priscila foi como me perder no meio do deserto. Sem água, sem vida, sem perspectiva de absolutamente nada.

Por mais que eu não quisesse aceitar, eu tinha perdido a minha menina e por mais que me doa, ela não vai mais voltar. Custou muito colocar isso em minha cabeça, passei praticamente um mês largada na minha cama, trancada no quarto. Chorando, gritando, maldizendo tudo e a todos, pedindo por uma única chance, mas até agora ninguém realizou meu desejo. Se eu pudesse por um único instante, eu tinha mudado aquele dia, eu não tinha entrado naquele carro, eu não tinha aceitado sair de casa aquela noite, eu simplesmente não tinha deixado isso acontecer. Mas infelizmente, por mais duro e ruim que seja, eu não podia fazer isso.

- Sinto sua falta – Digo olhando para aquela lápide a minha frente – A todo instante – Sinto minha voz embargar – Eu ainda não consigo aceitar que lhe perdi pra sempre – Aliso aquela maldita pedra – Dói e muito Pri saber que nunca mais vou poder ver seu rosto ou simplesmente ouvir o som da sua respiração pesada enquanto dorme – Respiro fundo, tentando conter o choro – É difícil isso sabe e eu sei que eu nunca vou me recuperar completamente. Você é a minha alma gêmea – Sorriu – E viver sem você aqui vai ser quase impossível. Eu sei que alguns dias vão doer menos, mas terá outros como hoje – Respiro fundo – Que vão me dilacerar por completo – Enxugo uma lágrima que teimou em cair – Eu sei Pri, que você não quer me ver assim. Mas eu não consigo ser aquela pessoa cheia de vida sem você – Minha voz começa a ficar trêmula, eu sabia que o choro estava próximo e que eu não ia conseguir controlar – É difícil acordar toda manhã e saber que não vou ver você, que não vou beijar você ou cair nos seus braços pra me sentir segura e amada – Por que Pri? Eu só queria saber porque o destino brincou com a gente. Por que me tirarem você assim, de uma forma tão abrupta e doida – Eu já deixava o choro vir com força – Eu não tive tempo nem de me despedir de você meu amor. Eu não pude olhar por seu rosto por uma última vez, tudo que restou aqui comigo dessa tragédia toda foi as nossas alianças – Segurei meu colar com força onde ficava as duas alianças unidas – Foi última coisa que você deixou comigo, foi tudo que restou de toda essa bagunça.

Me abaixei e deixei as lágrimas virem, não tinha força para parar e nem queria. Era horrível estar diante da confirmação da morte de Priscilla. Desde que sair daquele quarto foi a segunda vez que pisei nesse cemitério, me doía e doí muito está aqui, diante dessa lápide onde continha o nome da minha menina e da data do maldito acidente. Senti uma mão em meu ombro, não me assustei, eu sabia de quem se tratava.

- Vamos? - O Rô diz com um sorriso de canto.

Apenas confirmei com a cabeça, olhei novamente para a lápide e levei minha mão a mesma.

- Tchau meu amor – Sussurro – Por favor, não sai do meu lado – Pedi baixinho – Eu preciso sentir você comigo. Sozinha eu não consigo!

Rodrigo me ajuda a levantar e me abraça de lado, tentava me passar força como sempre. Ele foi quem me encorajou desde que sair do quarto, para vir aqui. Dizia que só me recuperaria quando eu começasse a encarar o que tinha acontecido de frente, quando eu realmente visse com meus próprios olhos que a Priscilla não voltaria, que eu não poderia viver esperando por um milagre.

E ele realmente estava certo, eu só comecei a tentar viver novamente depois que eu estive aqui pela primeira vez. Era como se aqui eu pudesse entender que a Pri não voltaria e que eu precisava me despedir dela. Como eu não tive essa chance, eu precisava fazer isso e foi por isso que o Rodrigo me encorajou a vir aqui na primeira vez, e agora, sempre que eu precisava me sentir perto dela era aqui que eu me encontrava e todas as vezes ele era quem me acompanhava.

Encarei novamente aquela pedra, suspirei pesadamente.

Pricilla Pugliese Felix

1991 – 2018

Filha, amiga e namorada amada.

"Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós".

- Até a próxima meu amor – Digo olhando fixamente aquela maldita pedra. Rodrigo segura minha mão com força, me dando apoio. Levanto meu olhar para ele e sorriu de canto tentando mostrar pra ele que estou bem, mesmo estando destroçada e com o coração em pedaços. Mas eu tinha que ficar bem, por minha família, por meus amigos, por mim, por Priscilla e pela nossa história – Eu te amo.

Rio de Janeiro, um dia depois do acidente.

Priscilla' Point Of View

Eu começava a me sentir estranha, fraca, sufocada.

Sentia como se algo ou alguém estivesse me puxando com muita força. Como se tentasse me arrancar daqui, eu lutava para permanecer onde estava, eu não queria ir e eu não irei a lugar algum. Meu lugar é ao lado dela, e é aqui que eu vou ficar. Eu tinha lhe feito uma promessa no nosso primeiro ano de namoro e eu não a descumprirei nunca. Jamais quebrei uma promessa e não começarei a fazer isso agora, não a nossa promessa, não com a Natalie.

- Eu não vou sair do seu lado meu amor – Falei firme segurando a sua mão.

Eu sentia que algo muito errado estava acontecendo comigo. Não sabia o que era e nem sei se realmente eu quero, talvez eu tenha medo da resposta. Prefiro ficar alheia e lutar com toda a minha força para permanecer ao lado da minha pequena menina.

Como eu queria que toda essa maluquice fosse apenas um sonho que logo eu acordaria e me veria deitada ao seu lado em minha cama, contemplando seu sono e desenhando com meus dedos cada detalhe do seu rosto. Eu daria tudo para que isso acontecesse, mas talvez, milagres não aconteçam sempre e eu tenha que começar a encarar a realidade, por mais dolorosa que ela seja.

- Meu anjo – Aliso seu rosto – Me perdoa se eu não conseguir cumprir com a nossa promessa – Sussurro – Me perdoa se eu te deixar sozinha nesse mundo maluco. Tudo que eu mais quero é poder cumprir e realizar todos os nossos sonhos e viver cada momento do seu lado. Meu coração se rasga em pedacinhos ao pensar que talvez nada disso se realize e que eu tenha que te deixar aqui tão cedo – Deito minha cabeça em seu peito, fico ouvindo sua respiração calma e as batidas ritmadas do seu coração – Eu queria poder fazer tudo ao contrário e se eu pudesse meu amor, eu lhe juro que faria – Lhe beijo – Eu não vou me despedir agora Nath, não vou fazer isso – Senti minha mão tremer, respirei fundo e continuei – Vou lutar com todas as minhas forças pra não lhe deixar, mas se por um acaso eu falhar, eu quero que saiba que mesmo não estando aqui em corpo presente eu nunca, nunca vou lhe abandonar. Eu vou cumprir a minha promessa de onde quer que eu esteja, eu vou te proteger de tudo como sempre fiz. Nunca estará sozinha meu amor, sempre estarei ao seu lado – Me levantei para olhar em seu rosto – Nunca tenha dúvidas disso e eu …

Não conseguir terminar minha fala, sentir meu corpo sendo puxado com mais força e meu coração começava a doer como se alguém o estivesse esmagando.

- Não, não por favor – Minha voz saia ofegante – Agora não – Eu olhava para o teto do quarto como se estivesse olhando para o céu e pedindo por uma ajuda divina – A...agora não

Olhei para a minha pequena que dormia alheia e não via o que estava acontecendo em sua frente.

- Meu amor – Minha voz sai embargada – Meu amor me perdoar por favor, me perdoa. Não era pra ser assim, eu não tinha planejado isso. Eu não sabia que o destino jogaria tão baixo com a gente! Tudo que eu queria era poder ter realizado a minha surpresa, ter visto o seu sorriso se alargando e seus olhos se enchendo de lágrimas, emocionada ao me ver se ajoelhando diante de você e pedindo que fosse minha pelo resto das nossas vidas – Mesmo me sentindo fraca me aproximei da sua cama – Eu só queria te fazer feliz, te fazer se sentir amada e desejada todos os dias. Essa era a vida que eu queria ao seu lado, mas, não contei que algo poderia nos impedir de realizar cada sonho que idealizamos juntas – Aliso seu rosto – Eu te amo tanto Natalie Smith, tanto que chega a doer. Você é a minha alma gêmea, a minha pessoa e sempre vai ser assim mesmo eu não estando mais do seu lado. Viver esses anos contigo foi a melhor coisa que eu tive em toda a minha vida, ser amada por você foi o ápice de tudo, ser sua fez com que a minha vida valesse apena e mesmo nossa história tendo terminando dessa forma, eu não faria diferente, não teria como – Sorriu com uma lágrima caindo pelo rosto – Sabe porque pequena? Por que Priscilla Pugliese não existe e nem nunca vai existir sem sua Natalie Smith. E é por isso meu amor, que eu sei que passe os anos que passar, vamos nos encontrar de novo e tudo vai ser diferente, porque nosso amor está muito além de tudo isso aqui – Gesticulo – Está além da vida e eu sei que em outro lugar desse universo vamos viver todo esse amor que sentimos pela outra – Levo minha mão ao seu rosto, acaricio de leve e me aproximo para sentir pela última vez seus lábios junto ao meu – Eu te amo Natalie, te amo muito meu amor.

Sorriu e deixo meu corpo ser levado de uma vez por toda. Eu lutei até onde eu pude, até o último minuto pra ficar ao lado dela. Doí bastante ter que abandoná-la, mas só em saber que ela está bem já me conforma, porque, eu sei que eu conseguir protegê-la e que graças a mim ela está viva.

Me deparei com meu corpo sendo acudido pelos médicos que tentavam me reanimar a todo custo.

- Vamos garota, não desista agora – Escuto um deles pedindo – Você já lutou muito, não desista de tudo assim.

Sorriu pra ele e agradeço por estarem lutando com toda a garra por mim. Pena que eu já sabia que infelizmente não teria o que fazer, eu sentia que esse era meu fim. Eu via minha vida toda passar como um filme em minha cabeça, vi cada parte importante da minha estória se materializar em minha mente. Vi meu primeiro esbarrão na Natalie, nosso primeiro encontro de verdade no cinema, o pedido de namoro, a nossa primeira vez, nossa primeira viagem e a minha decisão de pedi-la em casamento. Tudo passava como um flash em minha cabeça, era como reviver e sentir tudo que eu sentir em cada dia daquele.

Os médicos ainda lutavam pra me salvar, não queriam desistir. Mas já se fazia mais de 5 minutos que lutavam para me trazer de volta, eu sabia que nada do que eles fizessem daria certo.

- Hora da morte 17:34 – Ouço a voz cansada de um dos médicos.

Sorriu e o agradeço mentalmente por não ter desistido de mim. Olho para meus braços e vejo cada partezinha de mim desaparecer aos poucos, eu estava sumindo, não sabia o que me esperava e nem pra onde eu iria. A única coisa que eu pedia era que de onde eu estivesse eu pudesse estar com a Natalie, era só o que eu queria, poder acompanhá-la mesmo de longe.

- Te amo, Natalie Smith Almeida – São as últimas palavras que saem por minha boca antes que toda a imagem do meu corpo desapareça por completo desse mundo.

Uma vez me falaram que a vida é como um sopro que logo se esvai.

Ela é como um roteiro de um filme já escrito por aquele ser supremo. Sempre acreditei que todos nessa vida nascem com um propósito e que quando ele é alcançado deixamos esse plano para viver em outro. Eu sabia qual era o meu, eu tinha entendido agora, acredito fielmente que conseguir alcançá-lo, por isso, eu sabia que tinha chegado a minha hora de partir, eu sentia isso dentro de mim. Minha missão tem nome e sobrenome, eu sabia que tinha sido cumprida, eu sabia que tinha realizado ela com sucesso. A minha missão de vida foi te amar Natalie, foi te fazer forte, foi cuidar de você e eu fiz até o último dia da minha vida.


Notas Finais


Continua ...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...