História Besides the life - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, HyunA
Personagens Chen, HyunA, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Chenhun, Xiuchen, Xiuchenhun, Xiuhun
Visualizações 25
Palavras 6.960
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura^-^

Capítulo 26 - Fiche a sé


Fanfic / Fanfiction Besides the life - Capítulo 26 - Fiche a sé

Chen.

Eu as vezes me pergunto se alguém já gostou de mim de verdade, meu pai estava começando a ficar bom, mas ele nem se quer lembrou do meu aniversário, eu só não entendo porque estou tão sentido, não é como se eu já não tivesse me acostumado a ser esquecido.

  -  Chen?

Eu fugi de novo, acho que é só isso que eu sei fazer, fugir.

No meu quarto quando você abre a janela há algumas escadas, é realmente perigoso passar por elas para subir até a sacada do quarto de hóspedes que fica no 3 andar, mas não é como se eu ligasse para isso, aqui é tranquilo, eu mexo meus pés de um lado para o outro pensando no porque de não me jogar, chega até ser engraçado. Porque eu tomei comprimidos ao invés de subir aqui no dia em que tentei miseravélmente morrer. O doido é que eu não quero morrer, eu quero ver Xiumin, mas para isso eu sofro tanto, aquele remédio maldito que não faz efeito.

 - Chen, cadê você?

Eu ouvi Hyuna me chamar, agora estou ouvindo a voz baixa do meu pai. Ah, agora Sehun chegou em casa.

  - Eu sei onde ele está, eu vou lá.

Sehun não sabe desse lugar, eu me escondia aqui quando éramos crianças, ele nunca me achava.

  - Desce daí Chen!

Agora o som de sua voz era alta. Olhei para baixo vendo apenas sua cabeça.

Aqui é bonito de se olhar. As estrelas, o mar, o grande mar, eu deveria ter trazido Xiumin até aqui, eu deveria mesmo.

  - Chen?

Olhei para trás vendo Hyuna parada na porta da sacada, meu pai nunca colocou uma grade aqui e nem no meu quarto, agora que ele descobriu esse lugar eu acho que isso infelizmente vai mudar.

  - Me deixa em paz.

Falei e virei a cerveja em minha boca, eu não sei porque insisto nessas coisas.

Sehun estava subindo, ele realmente estava arriscando a vida dele e subindo.

  - Você é obviamente louco!

Ele disse aquilo tentando subir, mas ele olhava para os cantos e não via a onde se segurar, ele travou ali me olhando, ele olhou para baixo e fechou os olhos e eu apenas me afastei, meu pai veio logo depois e se aproximou estendendo a mão para Sehun, agora está tudo completo, será que se eu me jogar daqui na frente deles vai ser doloroso o suficiente?

Eu podia sim ter ajudado Sehun a subir, ter dito para ele se segurar no apoio de mão que há na parede, ou ter estendido minha mão para ele. Mas eu não fiz isso, é aquele né, ele sempre estará com a mão dele estendida para mim e eu sempre o deixarei de lado, eu sou um idiota por completo.

  - Me perdoa!

Eu estava perdido em meus pensamentos sobre meus atos quando Sehun me abraçou por trás me puxando, ele colocou suas pernas em minha cintura e me apertou.

 - PORRA SEHUN SAI CARALHO!

Gritei, mas não obtive resposta, ele apenas ficou me abraçando até eu levar a minha mão em sua perna e arrancar aqueles sapatos ridículos de velho dele e jogar para baixo, provávelmente caiu na areia da praia e eu acho é pouco.

  - Chen, o que você está pensando agora?

Meu pai perguntou se sentando e Sehun tirou seus pés de mim, mas ainda permaneceu atrás me abraçando com suas mãos em minha cintura e sua cabeça em meu ombro.

  - Pensando? Seria legal trazer Xiumin aqui, é bonito.

Passei a mão em minha roupa agora molhada pela cerveja que Sehun me fez derrubar.

  - Chen, me desculpa.

  - Me solta Sehun, aish, tá pior que garota, eu heim.

Meu pai olhou para baixo e se inclinou para trás com os olhos arregalados.

  - Você subiu por aquela escada?

Concordei com a cabeça e bati na mão de Sehun com força para ele tirar elas de meu pescoço, mas ele não as tirou.

- Porque estão aqui? De verdade, me deixem, não faz diferença.

Agora era Hyuna, ela estava com um bolo colorido na mão e eu olhei para ela com vontade de pegar e jogar bem longe.

 - Eu sabia do seu aniversário, eles realmente não lembraram, mas o bolo foi comprado ontem e quem escolheu foi a Seulgi, pode parecer mentira, mas não é.

O bolo era colorido e bem pequeno, dava para uns 4 pedaços, no caso, eu comeria sozinho, eles não merecem bolo, só dor e sofrimento.

  - Vem, sai daí.

Meu pai se levantou e Sehun também, respirei fundo jogando a latinha lá para baixo e ouvindo ela descer até bater no chão de concreto, o barulho foi extremamente baixo, mas demorou 5,5 segundos para que ela caísse, um corpo é pesado, em média 10 segundos.

  - As vezes você me dá medo Chen.

Ouvi Sehun e me levantei tocando em seu ombro, sai na frente de todos, mas parei pegando o bolo da mão de Hyuna.

  - Eu não acredito em você, mas isso é meu, e eu realmente não me importo com ninguém aqui, eu vou comer inteiramente sozinho.

Sai dali olhando o bolo colorido, aquilo tem cara de ser coisa da Seulgi mesmo.

Desci todas as escadas e fui para a cozinha pegando uma etiqueta e colocando com o nome "Inteiramente de Chen" e uma outra do lado "Propriedade de Chen que não se esquece de aniversários".

Grudei a caneta imã na geladeira novamente e subi as escadas com os três parados de frente para o meu quarto.

  - Saiam, agora.

Sehun se aproximou de mim colocando suas mãos em meu corpo dentro de minha blusa e eu fui para trás ao senti sua mão em minha barriga.

 - Yaaa, você não vai abusar de mim não!

Ele está triste, e é para está, ele deve sofrer muito por ter esquecido meu aniversário. Sehun se afastou me entregando outra camiseta, a minha estava cheirando a cerveja então eu a tirei olhando para ele e vesti a outra.

Eu esperei que eles saíssem de frente do meu quarto, mas não, Sehun pegou em meu braço, ele estava com um tênis meu, esse filha da puta está usando meu Adidas!

  - Esse tênis é meu!

Falei para ele que passou seu braço pelo meu como a noiva entra com o marido na igreja, e começou a praticamente me puxar pela escada, eu ainda estava com a roupa que havia saído com meu pai e o moletom que eu usava de manhã se encontrava no sofá, e ele pegou o mesmo e abriu a porta da sala e fomos para fora, Hyuna saiu também, mas ela se aproximou de mim e beijou minha bochecha.

Eu não tinha reação, eu simplesmente não tinha reação para nada.

  - Parabéns Chen, tente não ficar bravo com eles, e tente se divertir.

Então é isso, eles vão me obrigar a sair? Eu quero dormir, eu realmente estou cansado, mas não, vou ter que sair com pessoas que esqueçem aniversários alheios.

  - Chen, me desculpa, de verdade, eu tento ser um bom amigo, mas a cada dia que passa eu falho mais.

Olhei para Sehun que ainda estava grudado em meu braço.

  - Realmente Sehun, a cada dia você faz uma merda diferente. Mas, eu não te julgo, o seu mundo roda sobre mim, isso está te afetando, você deveria se afastar.

Meu pai bateu em minha cabeça e eu suspirei muito para me manter calmo.

As vezes me pergunto porque digo essas coisas, eu estou tão magoado que não estou me importando com a opinião de ninguém, apenas a minha.

  - Toma isso.

Sehun abaixou a cabeça e meu pai andava com a mão estendida, havia um comprimido, eu poderia pensar muito para não tomar, eu havia tomado um não faz nem duas horas, mas de certa forma aquele não fez efeito nenhum.

Peguei o remédio de sua mão e a água da outra e bebi aquela merda sentindo descer pela minha garganta.

  - Eu quero ir para o hospital!

Falei decidido.

  - Xiumin nunca esqueceria do meu aniversário!

Eu sinto falta dele, eu queria ele aqui para fazermos coisas juntos, eu ensinaria ele a cozinhar, com certeza ele iria gostar, doces, muitos doces. Porque Xiumin? Volta logo para mim, eu realmente sinto sua falta.

  - Só entra no carro!

Entrei no banco de trás e Sehun foi na frente. 

Eu sinto que estou afastado de mim mesmo, será que esses remédios estão fazendo algum tipo de efeito negativo sobre mim? Eu queria uma festa, e eu nem gosto de festas, eu quero Xiumin e as vezes eu choro por achar que estou louco por ver ele, eu apenas quero poder voltar tudo desde o começo e poder dizer que o amava enquanto ele estava sentado em meu colo no último dia em que ouvi sua voz.

•••

  - Isso não é um hospital!

Ergui minha calça saindo do carro junto a Sehun, meu pai o trancou e nós entramos na pizzaria onde eu logo avistei alguns meninos do time. Chanyeol, Jongin e Baekhyun se levantaram da mesa assim que nós viram, eles primeiro comprimentaram meu pai da forma mais ridícula e formal do mundo, depois Sehun e quando chegaram em mim eles começaram a me abraçar e Chanyeol me levantou o que me deixou sem graça, mas assim que todos se sentaram Chanyeol só faltou me matar com o olhar.

  - Essas roupas são minhas.

Olhei para minha vestimenta concordando com a cabeça.

  - Chen, você está chateado?

Baekhyun perguntou e Chanyeol levou a mão até a cabeça de chany o acertando e repreendendo da pergunta, eu ri baixo e olhei a mesa. Meu pai se sentou na última cadeira, Sehun estava quieto na dele desde que eu fui cruel com ele, os meninos estão misturados, todos estão quietos e é óbvio o motivo, meu pai!

  - Como é ter 18 anos?

Ouvi a pergunta de Baekhyun que comia as amêndoas do pote branco que se encontrava no centro da mesa.

  - Decepcionante.

Sorri baixando meu olhar. 

Não vou negar que talvez eu esteja pelo menos um pouco melhor apenas por estar aqui, mas eles todos esqueceram, e nenhum se importa de verdade comigo, eles apenas não querem perder um membro do time.

  - Vai ser legal, agora você pode entrar nas baladas. 

Chanyeol disse aquilo e eu fiz careta esticando minha mão para pegar as amêndoas.

  - Eu sempre pude entrar nas baladas Chanyeol, eu apenas dizia que não podia porque eu não queria te acompanhar!

Talvez eu tenha sido sincero demais, mas eu não me importo, não me importo mesmo. Eu lembrei do aniversário dele, eu saí com ele, dei presentes a ele, poxa eu liguei as 23:59 gritando parabéns até dar 00:00, eu o busquei na sua casa e paguei tudo para ele, ele até disse que nunca ia querer esquecer aquele dia, é decepcionante ver que você é o único que se importa com as coisas.

  - Meninos, o que vocês vão querer beber?

  - 2 Cocas e 1 suco.

Jongin falou pelo grupo e eu ri, é óbvio que eles estão assim por causa do meu pai, eles nem sabe disfarçar.

  - Whisky!

Ouvi Sehun e me ajeitei na cadeira.

  - Qualquer coisa com álcool.

Os meninos ficaram olhando para nós e aquilo realmente me fez rir. Meu pai fez os pedidos e a garçonete ficava sorrindo para ele, talvez isso seja ridículo, ela não vê o anel dele?

  - Vocês vão beber álcool? Chen, seu pai está aqui.

Revirei meus olhos para Jongin.

Dessa mesa apenas Sehun e Chanyeol o conheçe, mas chany apenas o viu algumas vezes, nunca trocou mais que uma saudação formal.

Eles olham meu pai e acha que ele vai ser o médico contra qualquer coisa que você for fazer, mas eu mando em mim mesmo, meu pai apenas paga as minhas contas.

As bebidas chegaram rapidamente, meu pai havia pego coisas aleatórias, e tudo com álcool, era óbvio que ele percebeu o que havia acontecido ali, o clima tenso era por sua causa. E também por todos terem esquecido meu aniversário.

A primeira pizza foi servida e os meninos se libertaram mais, meu pai estava antenado nas conversas e eu nem sabia que ele se dava tão bem com conversas de adolescentes.

Olhei para a pizza de calabresa e ali fiquei. 

Xiumin havia roubado uma pizza, era de calabresa, ele realmente queria essa pizza, eu um dia quero poder levá-lo até a Itália apenas para ele experimentar a melhor pizza do mundo.

  - O que está pensando Chen?

Sehun perguntou isso baixo, eles conversavam entre si, mas sempre me olhavam.

  - Xiumin gosta de pizza, ele roubou uma vez do hospital e por causa disso tiraram as pizzas de lá. - Falei sorrindo-

  - HUUMMM XIUMIN.

Fechei minha expressão na hora soltando a pizza olhando para eles.

  - Eh, Xiumin, algum problema? 

Eu não sei qual foi do coro que eles fizeram com o nome do Xiumin, mas só de ouvi o nome dele sair da boca dessas crianças indecentes já me dá vontade de responder com patada, é mais forte que eu.

  - O dia que ele tentou roubar a pizza foi o mesmo dia que você conheceu ele.

Olhei para meu pai enquanto ele falava e comia.

Ele está falando sério? Meu sorriso se abriu imediatamente e eu levei o canudinho da batida de morango até minha boca.

  - Por isso ele estava preso, eu deveria ter soltado ele. Tá vendo, se você não tivesse mandado eu ficar longe ele teria sido solto e não teria tido um ataque.

Falei e meu pai riu se escorando na mesa.

  - E você acha que aquele ataque foi real? Ele não é idiota, ele puxou os fios do aparelho para ganhar doce.

Sehun me cutucou para que eu parasse de sorrir, mas eu não conseguia, é mais forte que eu.

  - Ele é inteligente, não é?

 - Come Chen!

Todos agora me olhavam e olhavam para meu pai, a mesa permaneceu em silêncio por um tempo até que eu levei minha mão até a perna de Sehun o olhando, ele me olhou de volta e abriu um sorrisinho.

  - Me desculpa, hum?

Ele concordou com a cabeça e os meninos novamente fizeram um "HUMMM" em coro.

  - De verdade, qual o problema de vocês? 

Perguntei rindo levando minha mão até meu rosto para que o mesmo não ficasse vermelho. Sehun não colabora nada, ele colocou a cabeça em meu ombro pegando minha bebida a levando até sua boca. Esse menino não tem jeito. 

 - O senhor é médico do quê?

Baek perguntou e meu pai o olhou com a boca cheia e colocou a mão na frente para que pudesse falar.

  - Na verdade sou cirurgião.

Os meninos olharam para ele e até mesmo Sehun, agora toda a atenção estava nele.

  - Você já segurou um coração na mão?

Sabe quando você sente que vai ouvir muito? O ego do meu pai está lá em cima apenas por estar se dando bem com eles, meu pai sorriu largando a pizza e levou o copo de coca até sua boca logo limpando a mão.

Meu pai é assim, quando pede para falar do trabalho dele ele não para, mas eu gosto, gosto de ouvir coisas sobre sangue, como o sangue jorra para todo lado no meio de uma cirurgia perigosa, como ele faz para salvar vidas e como as perde. As vezes eu queria que meu pai tivesse conversado sobre essas coisas comigo quando eu era novo, eu sempre me senti muito sozinho, meu pai vivia trabalhando e minha mãe, bom, hoje eu vejo que ela era uma vadia, mas eu gosto dela apenas por ser minha mãe, ela não me liga, não faz nada para mim, mas se ela me ligasse eu obviamente atenderia e a trataria da melhor forma possível.

  - Você é capaz de sentir um coração com as próprias mãos é uma experiência maravilhosa, hoje em dia é normal, mas na primeira vez que eu tive que abri um corpo para fazer massagem diretamente no coração eu não parava de sorrir. Foi incrível!

  - O paciente sobreviveu?

  - Não, infelizmente meu primeiro paciente em cirurgia solo morreu.

  - O senhor chorou?

Meu pai sorriu e eu sorri junto, mesmo que eu esteja muito bravo com ele, ainda sim fico feliz que ele esteja falando com pessoas que não sejam do hospital ou de casa. As vezes meu pai conversa com Seulgi, uma conversa profunda sobre coisas aleatórias da vida, é engraçado.

  - Um pouco.

  - A mulher que sempre fica gritando pelo Chen na arquibancada, é sua mulher?

Meu pai fechou um pouco o rosto e Sehun sorriu vendo claramente o ciúmes dele. 

  - É sim, porque?

  - Ahh então aquela menina é irmã dele? Chen disse que era filha dele, mas nós claramente não acreditamos.

Na época eu disse aquilo para eles manterem seus irmãozinhos da creche longe dela.

Baek estava dialogando muito bem com meu pai, Chanyeol girava o anel na mesa focado na conversa.

  - Felizmente ele não terá filhos tão cedo.

Além de Sehun agora meu pai também. Suspirei me afroxando na cadeira enquanto olhava para chany que fazia graça com a orelha a movendo, não sei como ele faz isso. Sehun está triste, eu não deveria ter dito aquilo.

  - Porque você diz isso? Ele é gay?

Bati contra a mesa olhando para baekhyun.

  - YAA.. sério?

Sehun tocou minha perna e eu respirei fundo para não dar uma resposta, eu realmente não suporto isso, ainda mais no meu aniversário. Quer dizer, porque todos os dias eu ouço isso? Eles não sabem nada da minha vida, eles nem convivem comigo, e foda-se se eu amo Xiumin ou não, eu me apeguei ao garoto e tenho afeto por ele, isso não faz de mim gay.

- Gay? Não, ele apenas não... Ele...

Meu pai não queria dizer, mas eu sabia que aquilo seria o que me salvaria do "gay".

  - Eu sou virgem.

Falei sorrindo falso para eles, Chanyeol já imaginava e sua cara foi a mais óbvia possível.

Era para estar legal, os meninos estavam se divertindo, acho que eu e Sehun somos os únicos incomodados, e eu nem sei o que dizer sobre.

  - Mas... E Sehun?

Comecei a rir debochado e apontei para Sehun. Jongin me olhava, sua pergunta foi tão idiota e retórica que não tinha como não rir.

  - Olha para ele Jongin, francamente, até parece que vocês não saem juntos, é óbvio que ele não é virgem, ele e Chanyeol dividem a mesma menina e não estão nem aí.

  - Isso aconteceu apenas uma vez Chen.

A voz de Sehun saiu baixa e meu sorriso se desfez ao ver seu olhar para baixo, ele olhava para seu prato com os braços cruzados.

  - Desculpa, falei demais de novo.

  - Não se desculpe.

Ele sorriu, mas ainda evitava meu olhar.

  - Eu não perguntei se ele era virgem, mas, esqueçe.... Toma, come mais.

Jongin colocou pizza de frango para mim e eu raciocínei o que ele havia dito, ele me perguntou se eu já havia transado com Sehun, e não se ele era virgem.

  - Eu vou ao banheiro.

Sehun se levantou saindo dali e eu olhei para os meninos que me encaravam, em especial Chanyeol que estava incomodado e a qualquer momento começaria a falar, e isso não demorou.

  - Eu não sei o que aconteceu entre vocês, mas Sehun anda mais preocupado que nunca com você, nós sabemos que é normal você ser desse jeito Chen, mas ele está magoado com algo e entre nós aqui, ele foi o que mais se arrependeu de ter esquecido seu aniversário, mas ele também é o que mais cuida de você, e você não pode nem negar isso porque nós não sabemos nem o seu endereço! E ele é humano Chen, errar é humano!

Ele disse aquilo e jogou uma azeitona em mim.

Chanyeol tem razão, eu falei demais, eu deveria ter ficado na minha, mas eu estava com raiva e ele mesmo disse que só piorava as coisas a cada dia que passava, eu pedi para ele se afastar e ele está fazendo, Sehun está se afastando de mim.

Me levantei da cadeira andando até o banheiro masculino, Sehun não estava ali então me agachei no chão olhando os tênis até achar o Adidas branco, me aproximei da porta me encostando na mesma. Eu não falei nada, eu não saberia o que dizer e sou orgulhoso para pedir desculpas.

  - Se-sehunnie.

Chamei seu nome, mas não obtive resposta. Entrei no banheiro ao lado subindo na privada e o olhei dentro do box do banheiro. Ele está chorando, ele realmente está chorando.

Meu coração se apertou imediatamente por saber que eu o fiz chorar e ainda que fui um babaca.

Desci da privada batendo na porta e ele a abriu, eu adentrei a mesma que era um tanto quanto apertada e ele se levantou colocando sua toca pronto para sair, fechei a porta com nós dois ali e abaixei minha cabeça para evitar seu olhar.

  - Às vezes eu falo as coisas sem pensar Sehun, me desculpe.

Ele não me respondeu, então levantei meu olhar para o seu, sua cabeça baixa entregava que o mesmo ainda estava chorando.

Levei minha mão até seu rosto. Sehun sempre faz isso comigo, ele sempre limpa minhas lágrimas, porque é tão difícil para mim fazer o mesmo?

  - Você só pensa em si mesmo Chen, eu sei que você está muito triste por causa do Xiumin, mas você não dá valor a quem te ama.

Eu abri minha boca para responder, mas logo fechei não conseguindo achar uma resposta para aquilo.

Ele tem razão, eu não penso em mais ninguém além de mim, ele está certo porque eu o mandei se afastar enquanto ele pedia desculpa por ter se esquecido de algo, em minha cabeça eu pedia para ele sofrer e agora ele está sofrendo.

  - Sehun, eu sou um idiota com diploma, me perdoa.

  - Você já parou para se ouvir?

Sehun abriu um sorriso sarcástico, eu não sei o que falar, eu estou perdido trancado em um mini banheiro com ele.

  - Eu só falo bosta, me desculpe.

  - Você me culpa por ter feito aquilo com você,  me culpa por ter esquecido seu aniversário, por ser seu amigo, você diz se sentir sozinho, mas eu estou aqui, eu não sou o suficiente para você Chen, mas eu realmente te amo seu imbecil! Eu não sou um cachorro sabe, eu não pego 5 garotas em uma noite, aquela vez com o Chanyeol foi a primeira que eu realmente dividi a menina na transa, eu apenas não acho justo a forma que você fala comigo, e eu me sinto mais inútil por estar dizendo isso no seu aniversário.

Ele levou a mão até meu rosto limpando minhas lágrimas, é disso que estou falando, ele sempre faz isso e eu retribuo com palavras escrotas e atos ridículos.

  - Eu sempre penso coisas boas sobre você, mas eu nunca as falo. Quando nós brigamos no hospital, eu vim embora e no outro dia eu estava triste porque você não veio até mim, eu havia acabado de falar sobre você para Han, e aí você foi e eu te tratei friamente com um tanto faz, mas quando você saiu eu começei a sorrir porque eu sou orgulhoso o bastante para dizer que sinto sua falta.

Eu nunca contaria a Sehun que me sinto confortável com ele, que ele me mantém aquecido de certo modo, que eu gosto de seus abraços e do seu grude 24 horas por dia.

 - Você me dá medo Chen, você joga as coisas do alto para ouvi-las cair, quando matamos aula no terraço da escola você fez isso, hoje você fez isso. Sabe, você me fere desse jeito, eu nem consigo evitar que você pense em suicídio, o que eu vou conseguir evitar?

Engoli a seco qualquer coisa que eu não pudesse falar e fechei meus olhos abaixando minha cabeça.

  - Você evita que eu me sinta sozinho, você me mostra coisas novas e boas, você me anima e me dá conselhos realmente bons, eu já disse que te amo algumas vezes, não sei porque dúvida disso.

  - Não sabe porquê...? Chen, você está se ouvindo? 

Agora ele foi grosso e bateu sua mão contra a parede me prendendo ali, eu o olhei novamente e percebi que eu falei merda de novo.

  - Sehun, eu não sei o que fazer sobre nada, okay? Eles estavam me chamando de gay na mesa, eu disse que era virgem e aí falaram de você, eu não havia compreendido e....

  - E me rebaixou? Você fez isso pela terceira vez hoje.

Eu sou uma pessoa horrível, olha como ele está, eu nem consigo resolver as coisas com meu melhor amigo.

  - Você me chamou de ex melhor amigo, não chamou? Eu sei que chamou, você sempre faz isso.

  - Mas, eu sempre volto para você.

 - Isso é algo ridículo de se dizer Chen, realmente ridículo.

Sehun levou sua mão até minha cabeça e eu nem sabia o que lhe dizer. Ele estava me fazendo carinho? Mesmo que esteja brigando comigo ele está me fazendo carinho? Porquê?

  - Você sempre fala sobre aquele dia Sehun, eu não pensava em Xiumin, pensava em você, porque era você. Você fez aquilo e eu sentia minha barriga esquentar de forma extrema, quando nossos membros se tocavam eu tinha vontade de realmente gemer e... Você fala que eu sempre olhei para você, mas isso não é verdade eu... Apenas queria saber a forma que você fazia aquilo.

Sehun esta sorrindo?

  - Eu sei que você me olha, eu não te julgo Chen, não mesmo.

Olhei para baixo rodando meu anel e coloquei a mão em meu bolso.

  - Chen, você não pode mentir para si mesmo. Dizer coisas contrárias ao que sente não vai te ajudar em nada.

  - Você fala isso porque é bem resolvido consigo mesmo.

  - Quem te disse isso? Sua própria ideologia que minha cabeça é perfeita? Eu tenho problemas também Chen, e meu mundo gira em torno de você sim, porque eu vivo mais da metade do meu dia com você, e te ver cair dessa forma e mentindo para si mesmo é o que mais dói em mim.

É claro que ele tem problemas, mas ele sempre resolve os meus, eu queria poder fazer o mesmo por ele, queria poder dizer coisas legais igual a ele, queria dizer o que sinto igual ele, mas não é assim.

Encaixei meus braços entre sua cintura e o abracei colocando minha cabeça em seu ombro, fechei meus olhos sentindo sua mão ir até meu corpo também.

  - Você gostou daquele dia, e eu também, então nunca se culpe por isso.

Mantive meus olhos fechados sem respondê-lo, não é que eu me culpe, eu o culpo, e isso é errado, mas ele não liga de receber toda a culpa porque em sua cabeça isso me faz bem.

  - Aquilo também foi culpa minha, eu sou um idiota, eu queria aquilo e não te parei, mas isso não faz de mim gay.

  - Okay Chen, você pode ser apenas um homem que gosta de beijar apenas Xiumin e a mim.

  - Credo, quem disse que gosto de te beijar?

Retruquei rapidamente.

  - Chen, você sempre me beija, ou você acha que aquela foi a primeira vez? Não Chen, não foi. Você é uma piada.

Fui me afastar, mas ele me segurou. 

Eu não acredito que beijei ele outras vezes, será que isso aconteceu com mais alguém, porque eu não me lembro? Eu sou muito lixo Socorro.

Qual o meu problema? Beijar homens é diferente de beijar mulheres, com mulheres é normal, é certo.


Junmyeon.

Os amigos de Chen não são tão ruins, mesmo que falem coisas sem pensar. Falávamos sobre o que vinha na cabeça deles, Chen as vezes sorria e conversava com eles, Sehun estava quieto até sair de vez, Chen falou sem pensar e eu realmente percebi o porquê do surto dele com o gay em casa, os meninos chamaram ele de gay mesmo não sendo direto.

 - Ele não é gay, ele não se sente pronto para essas coisas.

Falei roubando a atenção deles.

 - Chen se sente incomodado por essas coisas, principalmente com a parte do gay, ele gritou comigo por uma brincadeira que eu fiz também com Sehun. Ele é carinhoso, não levem isso para outro lado.

Os meninos concordaram pedindo desculpa e eu suspirei.

Gay? As pessoas acham que Chen é gay? A que ponto chegamos, eu nem mesmo posso dizer algo porque não conheço meu próprio filho, entretanto ser gay é algo dos ocidentais, eu não diria que isso acontece com frequência aqui, Chen deve está incomodado com essas coisas.

Meu celular tocou e eu pedi licença me retirando dali, fui até o lado de fora da pizzaria e atendi ouvindo a voz de Kyungsoo chamar meu nome.

  - Xiumin... Ele acordou Junmyeon, ainda está sobre efeito de todos os remédios, mas ele acordou, repito, Min-Seok acordou.

Meus olhos se marejaram e eu sorri desligando o celular e corri para dentro parando na frente dos meninos.

  - Olha, eu tenho que ir, hum? Toma, comam o que quiser.

Tirei algumas notas da minha carteira entregando na mão de Chany e olhei para os lados indo até o banheiro, comecei a abrir as portas até que uma delas estava trancada, a mesma foi aberta e eu vi Chen abraçado em Sehun, suas mãos estavam por dentro do grande casaco preto e estiloso de Sehun, e Chen olhava para o outro lado apenas o abraçando.

  - Chen, vamos embora!

Quando ele ouviu minha voz ele rapidamente se afastou de Sehun colocando a mão em sua cintura, eu ri de sua ação, mas ele me olhou intrigado.

  - O senhor está chorando?

Neguei com a cabeça abrindo espaço para que eles saíssem.

  - Hyuna está bem? Seulgi se machucou? Ela comeu meu bolo, não foi? Eu deixei bem claro que o bolo era meu e era óbvio que eu dividiria com ela, ela não precisava comer meu...

  - Min-seok acordou!

  - Quem é min-seok?

  - Min-seok é o Xiumin idiota!

Chen correu do banheiro para fora, ele estava sorrindo e aquilo era bonito, eu e Sehun fomos logo atrás e quando saímos os meninos estavam esperando do lado de fora.

  - Seu troco.

Neguei com a cabeça dizendo que ele podia ficar e Chen foi logo entrando no carro.

  - Podemos ir? Eu quero ir, me deixa ir? Por favor.

Chany bateu na cabeça de Baek o repreendo.

Sehun já estava dentro do carro e ele também estava feliz, Chen já estava jogado nele como sempre e eu não sei o porquê disso.

Eu não pedi para Chen, mas quando ouvi a buzina do carro eu me apressei e concordei com a cabeça, baekhyun gritou um sério muito fofo e exagerado já abrindo a porta do meu carro adentrando o mesmo, mas chany abriu mandando ele sair.

  - Pode deixar, vocês querem ir? - Perguntei- 

  - Pai, o que essa criatura sem escrúpulos está fazendo dentro do nosso carro? E porque está demorando tanto, hum? 

Olhei para o lado entrando no carro e dei partida no mesmo vendo o carro de Jongin mudar a direção, ele e Chany não iriam então seria apenas Baek.

  - Pai, você não pensou não? Baekhyun é da escola.

Chen falava e Sehun apenas levou a mão até sua boca.

  - O que acabamos de conversar Kim Jongdae? 

Ele suspirou se ajeitando e eu finalmente pude ter paz para dirigir até o hospital que não é nada perto, Baekhyun estava animado, como eu poderia dizer não a ele? Ele parece um criança fofa, Seulgi me ganha fazendo essas manhãs, a culpa não é minha.

•••••

Chen

  - Porque temos que morar tão longe do seu trabalho?

Eu estava começando a ficar nervoso, e não era mais tão cedo, meu pai não bebeu e isso nos dá pontos para ele poder ir mais rápido, Baekhyun ficava fazendo perguntas sobre o que estávamos indo fazer lá e o que tinha haver ele ser da escola, eu ia responder, mas Sehun sabia que eu responderia de forma grossa então ele apenas tampou minha boca. Eu estava claramente ansioso, então ele como sempre fez o papel de me acalmar. Quando saímos do banheiro eu o chamei de idiota, ele não sabia o primeiro nome do Xiumin, apenas o apelido, aliás eu nem sei o porque desse apelido, mas até seu pai o chama assim, o meu nome é Chen mesmo que seja o nome do meio.

Minha cabeça permaneceu em seu ombro e eu realmente tentava me manter calmo, mas era impossível.

  - PAII POR FAVOR. PORQUE ESTÁ DEMORANDO TANTO?

  - Chen, fracamente menino, faz 10 minutos que estamos dentro do carro. Se acalme.

Eu estava tão nervoso e afobado com a nossa chegada que ele colocou rock para tocar para ver se eu me acalmava.

••••

Xiumin.

  - Como você se sente?

Essas pessoas são estranhas, mesmo que eu saiba que de certa forma as conheço, elas ainda são estranhas.

  - Filho.

Olhei para a porta vendo meu pai ali, ele chorava e assim que me viu veio até mim, havia um homem estranho com ele, mas eu não perguntei, ele me abraçava, mas eu não entendia o porquê dele me abraçar daquela forma, os médicos não me contavam o que estava acontecendo, eles apenas perguntavam se eu estava bem ou como me sentia.

  - Appa, o senhor está bonito.

Tossi ao falar e meu pai levou a mão até minha cabeça abraçando a mesma, seu rosto está totalmente molhado e ele parece mais velho do que eu realmente me lembre.

  - Meu corpo doi.

Falei para ele e vi o mesmo sorrir me tocando, ele chorava muito a ponto de soluçar.

  - Appa, o senhor vai me fazer chover também.

Minha voz saia fraca e com o seu soluço não era possível ouvi-la, mas ele ouviu e não parava de me tocar.

  - Manda a Omma me dar remédio, dói muito.

Fechei meus olhos, mas logo os abri, o sorriso de meu pai não estava mais ali tão presente, mesmo assim ele me ajudou a deitar. Ele me tocava como se fosse a primeira vez que me via. Porque seus cabelos estão tão brancos? 

Um homem se aproximou da cama e meu pai negou com a cabeça então ele se afastou.

  - Quem é?

Perguntei e ele negou beijando minha testa, meu pai não falava, ele parecia não estar interessado em conversar comigo, porque ele chora tanto?

  - Você está bem, tudo vai ficar bem. Okay? 

Concordei com a cabeça estranhando sua resposta e coloquei a mão em meu estômago que era o que mais doia, é como se meu porquinho estivesse em cima de mim, a diferença é que ele está pisando por dentro do meu intestino e não por fora.

  - Appa, dói muito, por favor, me cure.

As mãos de meu pai estavam juntas a minha e ele se aproximou de meu ouvido.

  - Você logo logo estará curado e em casa.

Abri um sorrisinho mesmo com toda a dor, minha mãe não está aqui, mas não tem problema, logo logo ela estará, agora meu pai está e os médicos me disseram para parar de chorar implorando por ele, agora que ele está aqui eu vou obedece-los e dormir.


Chen.

Nós fomos barrados, tentamos entrar, mas Kyungsoo disse que precisava conversar com meu pai, ele foi sincero e realista ao dizer que eu fugiria para o quarto do Xiumin. O que está acontecendo? Porque não nos deixam ver ele?

  - Chen, você aguenta, sim? Qualquer notícia, certo?

Olhei para o rosto do meu pai concordando, sehun estava do meu lado e Baekhyun do lado dele procurando entender o que estava acontecendo ali.

  - Xiumin deve ter perdido a memória, ele se lembra de seu pai, mas acha que a mãe está viva, então achamos que ele só se lembra do passado.

Ele acha que a mãe dele está viva? Ele vai sofrer tanto quando descobrir que ela morreu, ele vai sofrer, ele não vai aguentar a dor, a mesma dor pela segunda vez, ele sempre se mostrou apegado na mãe.

  - Chen.

Me sentei na cadeira olhando para meu tênis e senti as mãos de Sehun por mim, eu estou chorando, mas só em saber que ele está vivo eu já me sinto confortável.

  - Ele não se lembra da mãe Sehunnie, e se ele sofrer quando descobrir que ela não está viva?

Me encostei nele sentindo sua mão ir até minha cabeça.

  - Eu realmente estou orgulhoso de você Chen.

Levantei meu olhar para Sehun, mas só consegui ver seu queixo e o mesmo abaixou seu rosto ficando próximo do meu.

  - Você não pensou em si, pensou nele, ele realmente vai sofrer, ele não se lembra de você e você tem que ser forte e não se deixar abalar, lembra que você perdeu a memória quando machucou o braço? Você nem mesmo lembrava a senha da sua casa, com ele é muito pior e provávelmente ainda não contaram a ele. Ele tem uma personalidade própria, ele não vai mudar por causa disso, e nem você, mas eu realmente estou orgulhoso.

  - Uau, vocês estão realmente perto. -Comentou Baekhyun-

Meus olhos estavam encharcados e eu nem sabia o que pensar. Eu não havia parado para pensar que ele não se lembraria de mim, agora isso parece doer mais, tudo que ele passou comigo, o dia que eu tirei a blusa para provoca-lo, seus status dizendo que era fofo 24 horas por dia com referência a mim, o dia que ele ficou tocando meu corpo enquanto eu o carregava, Xiumin é tão especial da sua maneira, ele estava apaixonado por mim, mas e se ele não for capaz de se apaixonar novamente? Eu vou ficar tão triste, tão chateado, ele está com cabelo agora, está ficando forte e vai estar de pé mais rápido do que eu posso realmente pensar, então porque? Porque ele vai ter que sofrer com uma perda pela segunda vez? 

Eu ainda olhava para Sehun e ele nem sabia o que se passava em minha cabeça, se não, até ele teria dó de mim.

•••

Estávamos sentados nos bancos fazia 3 horas, meu pai havia sumido pelos corredores e Baek dormiu escorado em Sehun, com a perna em cima da dele ainda.

  - Eu nunca mais saio com ele.

Sehun riu, mas não parou de fazer carinho na cabeça dele.

  - Você está com ciúmes?

  - Ciúmes? De você? Me poupe né.

  - Ele está com ciúmes. -Cantarolou o mesmo-

Ouvi Baekhyun e me levantei puxando seu corpo, ele riu, mas logo voltou a se escorar em Sehun, eu fiquei olhando bestificado para aquela cena.

  - Humm, tão bom.  -Disse ele quase gemendo apertando mais Sehun-

Meu celular tocou e sem tirar meus olhos deles dois eu atendi. Ouvi uma voz feminina e tirei o celular da orelha olhando o número, o DDD era dos Estados Unidos, e a voz era...

  - Sehun...

Me sentei colocando o celular na orelha novamente.

  - Oi, está aí?

  - E-estou.

  - Espero que ainda não seja 00:00 aí, pelos meus cálculos são 11 da noite.

É minha mãe, minha mãe está me ligando enquanto eu não paro de chorar por outro motivo. Ela ainda acha que é 11 horas, já são 3:30 da manhã.

  - Chen, quem é? Você está bem?

  - É o Sehun? Vocês ainda são amigos? Eu fico feliz. Bom, acho que você já sabe quem é, eu queria te desejar parabéns pelos 17 anos, não sei como está sua vida agora, mas eu fico feliz que você esteja bem.

Eu a ouvi, mas não conseguia responder, eu nem se quer consegui corrigir minha idade a ela, eu sei que as vezes minto minha idade falando que sou um ano mais novo por ser repetente, mas ela é minha mãe, deveria pelo menos saber minha idade.

  - Bom, acho que vou desligar, parabéns Chen, desculpe não ligar antes.

  - Eu...eu não estou bem.

Porque falei aquilo? Eu mal conseguia respirar direito, e agora ela me liga? Após 3 anos sem nenhuma mensagem ela aparece como se não fosse nada o seu sumiço repentino.

  - O que você tem? Você está bem?

  - Eu... Eu não sei, eu...

  - Chen, tudo bem? Você pode ver ele!

Olhei para Kyungsoo dizendo que eu podia ir e logo meu pai aparece na escada.

  - Não desliga, fica comigo, por favor.

Abaixei minha cabeça colocando a mão em meu rosto.

  - Tudo bem Chen, mas aconteceu algo?

  - Eu não vou responder, mas por favor, não desliga.

Soltei um soluço e senti uma mão em cima da minha, era meu pai, ele tocou minha mão e eu neguei apenas me levantando, respirei fundo ainda com o celular na orelha.

  - Tudo bem Chen, eu não vou desligar.

Meu pai não pegou meu celular, mas ele sabia quem estava na linha. Subi as escadas ao lado de ambos, Baek vinha atrás apenas por curiosidade, mas Kyungsoo não o deixou entrar, eu não impedi e  nem nada, apenas queria ver Xiumin.

  - Eu ainda estou aqui Chen. Eu realmente estou aqui.

Ouvi a voz dela, na verdade eu realmente ouvi a voz dela, Xiumin se esqueceu da mãe, como ele vai se sentir? Porque eu mesmo que tenho a minha não posso nem vê-la? Não posso abraçar ou ouvir alguém brigar comigo, porquê? Porque ela foi uma filha da puta sem tamanho?

  - Ainda estou aqui.

Quando cheguei na porta do quarto eu olhei para Xiumin que estava com a cama sentada, seu pai estava ao seu lado segurando sua mão e ele levantou o olhar para mim deitando seu rosto meio ladeado e eu abaixei o celular.

Eu queria correr, queria abraça-lo, queria beija-lo, queria dizer que o amo, mas ele claramente não se lembra de mim, ele obviamente não sabe quem eu sou.

  - Você é bonito, eu te conhecia? Nós éramos amigos?

Porque eu não paro de chorar? Porque eu não posso correr até ele? Porque tenho que me manter calmo?

  - Appa, eu quero me lembrar do menino bonito, porque ele está chorando? E você moço? Nós éramos amigos?

Ele se referiu a Sehun e eu soluçei novamente sentindo minhas lágrimas tomarem conta. Meu pai disse para que eu não chorasse, e eu havia parado, mas minha mãe me ligou, ela realmente me ligou.

"Ela se lembra de mim."💭



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...