História Besides the life - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, HyunA
Personagens Chen, HyunA, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Chenhun, Xiuchen, Xiuchenhun, Xiuhun
Visualizações 23
Palavras 4.284
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura^-^

Capítulo 27 - Fiche seacht


Fanfic / Fanfiction Besides the life - Capítulo 27 - Fiche seacht

Chen.

  - Filho, você quer sair? Quer me dar o celular?

Neguei com a cabeça para meu pai e levei o celular de volta para meu ouvido, minha mãe disse "ainda estou aqui", porque eu estou me sentindo assim?

Andei um pouco me aproximando de Xiumin e sorri passando a mão por meu rosto, eu queria tanto que ele acordasse e ele acordou, ele acordou no meu aniversário como eu havia pedido para ele fazer, mesmo que não seja mais meu aniversário, ele acordou nele.

  - Obrigado por estar bem.

Me sentei na cadeira que tinha ali, ele me olhava e eu olhava para ele, somos estranhos um para o outro agora, mas ele me trata tão bem. Mesmo o Xiumin estando com as lembranças de quando tinha apenas "11 anos" ele ainda é o menino lindo e incrível, aquele que trata todos bem e pensa nas outras pessoas.

  - Appa, o senhor adotou outro menino? Ele é meu irmão?

Sorri baixando meu olhar para sua mão, a peguei colocando o celular em cima da cama.

  - Não Xiumin, ele não é seu irmão. Sabe o doutor Junmyeon? É filho dele.

Xiumin abriu a boca e olhou para fora onde meu pai estava encostado na porta junto a Kyungsoo.

Xiuminnie está tão lindo, seus olhos ainda são lindos, sua voz fraquinha é linda, ele é todo lindo e fofo, porque essas coisas acontecem com ele?

  - Eu fico tão feliz que você esteja bem, só em saber que você está aqui, forte, menino forte.

Abaixei minha cabeça ao falar "menino forte", ele nem saberia o que isso significa, ele não sabe e não vai me pedir um beijo, ele não vai dizer que foi forte esse tempo todo e pedir um beijo, mas eu queria beija-lo, ou abraça-lo, qualquer coisa que me deixasse mais próximo dele.

Levei minha mão até seu rosto o tocando, ele me olhava a cada toque, não tirava seus olhos de mim, ele pode me olhar, finalmente podia me olhar.

  - Você tem roupas estranhas, minha mãe nunca me deixa usar essas coisas, ela diz que esse tipo de roupa é para drogados, mas se bem que eu estou com muitas drogas injetadas em meu sangue, a dor está suportável.

Sorri baixo por causa das roupas, ele está falando de sua mãe, ele não sabe que ela morreu, ele não tem ideia.

  - Minha mãe falava para mim que tudo bem se eu queimar o ovo, eu poderia tentar de novo.

Olhei o celular ainda com a chamada ativa, Xiumin olhou para o celular, mas antes de perguntar eu abaixei minha mão até seu pescoço o tocando, eu sempre fazia isso para sentir seu pulso, tanto quando ele foi dormir em casa quanto quando eu estava aqui com ele, eu fazia isso para ter certeza que ele estava bem.

Meu coração parece que vai ter um ataque, ele nunca bateu tão rápido, eu nunca me senti assim antes, quando Xiumin estava aparentemente dormindo e eu o esperava ali fora minha alma parecia que ia sair de mim, mas eu estava mais calmo, agora eu não estou tão calmo.

  - Você está com dor? Aonde?

Xiumin abaixou a cabeça e levou a mão ate sua barriga, ele tirou sua mão e pegou a minha levando até ali. Como ele pode confiar em mim tão rápido? Ele é um anjo e eu posso provar.

  - OUUU que quarto legal. Oh professor, Oi?

 O Orofessor rapidamente me olhou como reprovação e eu neguei com a cabeça.

  - Meu pai que trouxe esse embuste.

  - Embuste?

Sorri baixo vendo mais ainda o olhar de Kyung contra mim.

  - Você é uma pessoa brilhosa, carinhosa, lindo, fofo, é perfeito do seu jeitinho, agora um embuste é o contrário disso, que fica em cima de você sempre querendo as coisas e ser o sabichão.

  - Yaa, eu não sou isso, mas agora tudo faz sentido. Sehun fica com o senhor no recreio e os meninos também, realmente faz sentido. Xiumin é seu filho. Chen gosta do Xiumin e não do Sehun, ahhh agora eu compreendo, e eu aqui achando que meu shipp estava certo.

Baekhyun fez uma cara tão insignificante, ele não vê o que está acontecendo aqui? Ele não tem travas na lingua não? Sehun bateu em sua cabeça e ele colocou a mão ali, mas logo se esticou olhando mais para o rosto de Xiumin que estava vermelho.

  - AM? Porque está assim?

Perguntei colocando minha mão em seu rosto.

  - Você gosta de mim?

Aonde esse menino foi me meter? 

  - Você quer que eu goste você?

É óbvio que eu gosto dele, mas ele não sabe disso, e ele não se lembra de muita coisa, ele pode ter uma cabeça diferente de antes, totalmente diferente.

  - Eu quero, mas o Dr.Jun é bravo, ele sempre briga com os outros doutores, e se ele brigar com você?

Olhei para ele sorrindo, mas sorrindo calorosamente, ouvimos risadas das pessoas, principalmente dos médicos, ele claramente não sabe muita coisa sobre o que está acontecendo.

  - Meu pai salvou sua vida umas 4 vezes desde que te conheço Xiuminnie, ele não é bravo do tipo bravo, bravo sabe.

Levei minha boca para mais perto de seu ouvido e abaixei minha voz para falar com ele.

- Ele realmente vai brigar muito comigo, mas por você vale a pena.

Quando voltei ao normal ele estava com a mão na boca, ele é tão fofo que não dá nem para dizer não para ele, Xiumin está bem, ele está bem e na minha frente nesse exato momento.


Xiumin

Eu não sei o nome dele, não sei a idade, não sei como me conhece, mas eu sinto como se o conhecesse, seu toque me faz pensar isso, quando ele me tocou era como se eu já tivesse sentido aquele toque, ele realmente me conhecia antes, ele não está mentindo.

Ele fala alguns dialetos estranhos, e aquele menino que está com ele é animado, o embuste é animado, eu achei que embuste era o nome dele, mas o menino bonito me disse que é algo sem brilho, eu gostei deles, de todos, o garoto de cabelo rosa é animado, ele tem uma energia muito positiva em si, o moreno bonitinho que está chorando tem uma energia mais triste, é como se ele estivesse triste a um tempo, e o menino bonito, eu não sei decifra-lo, só sei que ele gosta de mim.

Seu susurro veio em meu ouvido e quando ele terminou de falar eu levei minha mão a minha boca, ele é pervertido? Espero que não porque eu gostei dele. Ele tem uma personalidade incrível, ele chorou por minha causa e sorriu mesmo que eu tenha dito coisas que não devia sobre seu pai, será que eu vou me lembrar dele? Ele é tão bonito, ele merece meu reconhecimento.

  - Você vai ficar bem, logo logo estará em sua casa, e logo logo verá a praia e poderá comer muitas pizzas de calabresa.

Ele se preocupa comigo, ele sabe que eu sempre quis ver a praia? Então ele é próximo a mim? Mas ele devia saber que eu não gosto de calabresa.

  - Na verdade eu não como calabresa, eu tenho um porquinho, o Suzy, calabresa é de porco e quando eu estou comendo ele fica me olhando como se soubesse que é seu irmãozinho ali, então eu não como.

Porque todos riem do que eu falo? Eles simplesmente dão risada e choram, quer dizer, meu pai disse que eu perdi a memória, mas ele não disse exatamente o tempo da perda da minha memória, e cadê minha mãe? Porque ela não chegou ainda? Era para ela estar aqui já, o trânsito está tão horrível assim? Eu sempre disse para ela não trabalhar de madrugada, mas ela nunca me deu ouvidos, quem vai me por para dormir agora?

  - Chen, precisamos ir, okay? 

O menino bonito se chama chen? Seu pai olhou para ele negando com a cabeça, mas apenas um olhar de seu pai foi capaz de fazer ele concordar e até mesmo a mim.

  - Você vai voltar, Chen?

Perguntei olhando  o mesmo se levantar, ele colocou a mão em meu rosto e se aproximou beijando minha testa, o menino bonito me beijou? Ele é um fofo mesmo.

 - Sempre, quando você sentir minha falta, apenas me ligue, okay?

Eu tenho o número dele? Eu tenho um celular? Então minha mãe mudou de ideia sobre celulares estragar a cabeça dos adolescentes, finalmente, eu sempre quis um.

  - Obrigado.

  - Te amo, fique bem, okay?


Ele disse que me ama? Ele, me ama? Mas como ele me ama? Quer dizer, eu não o conheço, ele me conhece, mas ele me ama de que jeito? Ele é meu irmão? Ele é um amigo? Quer dizer, eu nunca pude ir para a escola e sei que isso não mudou, mas porque a tantos adolescentes maiores que eu ao meu redor? O único que parece ser menor é o de cabelo rosa que aparenta entre 14 a 16 anos pelas atitudes e não tamanho, os 3 são bonitos, da onde eles vieram? Aliás, porque estou em um quarto assim? Pelo que eu me lembre eu estava em um quarto de hospital público.

  - Você... Tem quantos anos?

Perguntei fazendo o menino se virar para me olhar.

  - Tenho 17.

  - É mentira, ele tem 18, e é repetente.

Ouvi meu pai e sorri pela cara dele de decepção.

  - Hoje é aniversário dele Xiumin.

Olhei para o Chen que ainda me olhava e sorri.

  - Sério? Parabéns repetente.

Sua cara foi engraçada, mas ele não parou de sorrir por causa do meu parabéns, será que sou tão importante assim para ele?

Ele saiu dali de dentro sem me dizer obrigado, não que eu tivesse achado sem educação, aliás, aquele sorriso dele dizia tudo.

Eu estou ligado a tantos fios que estou parecendo um robô.

  - Appa, você já ligou para Omma? Ela não é de se atrasar desse jeito.

Sorri, mas meu pai não.


Chen

Assim que a porta do quarto foi fechado eu senti tudo que não sentia a muito tempo, meu corpo quente, meus sentimentos confusos, minha cabeça doendo e a saudade batendo.

Meu pai passou o braço por meu ombro e Sehun parou na minha frente colocando a mão em meu rosto. Eu não sei como agir, quer dizer, eu nem tento esconder o quanto gosto dele.

Balancei minha cabeça olhando para o celular onde não havia mais chamada, ela desligou, ela realmente desligou.

  - Ela desligou.

Falei sorrindo entristecido olhando para o celular que foi pego por Sehun, ele guardou em seu bolso e estendeu a mão, provávelmente porque sabia que eu tacaria ele na parede.

  - Quer que eu fique com você? Quer ir embora comigo? 

Porque ele é assim? Mesmo que eu não seja a mesma coisa com ele, ele se esforça, ele me trata bem, ele chora pelos meus motivos, ele está mal e nem demonstra isso por minha causa.

 - Sim.

Eu nunca diria sim para ele, sempre um tanto faz ou você que sabe, mas eu preciso dele comigo, e de preferência agora.

Segurei sua mão e ele entrelaçou a mesma na minha, ele é tão bom comigo que as vezes me pergunto porque sou ruim com ele, ou porque só estou percebendo isso agora.

Nós andamos para fora do hospital e Baekhyun parecia uma criança, mas ele está quieto, ele é apenas o Baekhyun, fala o que vêm na cabeça e faz o que quer na hora que quer.

Meu pai deixou Baek em casa e o mesmo agradeceu de forma silênciosa, ele fez perguntas sobre Kyung durante o caminho e nós o respondemos normalmente, pedimos para que ele não espalhasse e ele concordou, mas eu sei que amanhã ele espalhará isso, pelo menos para o Chanyeol ele vai contar, mas Chany já sabe, ele o viu quando foi me visitar.

  - Você quer dormir com Chen, Sehun?

Meu pai perguntou para ele enquanto entravamos no condomínio e ele olhou para mim, ele já fez muito por mim hoje, mesmo que eu esteja triste ao mesmo tempo estou feliz.

  - Sim.

Sorri olhando para baixo e me arrumei no banco olhando para o capô.

•••

Sehun entrou no banheiro e eu fiquei deitado olhando para o celular o tempo todo, de certa forma eu esperava uma ligação de Xiumin, mas eu ainda estava bloqueado, ele ainda não me desbloqueou e o seu "eu t amo" ainda está salvo em meu celular, o pai dele me contou que ele escreveu enquanto ia para a cirurgia e que na hora estava sem wi-fi e por isso a mensagem enviou uma semana depois, ele ligou o wi-fi de Xiumin, mas quando viu a mensagem me bloqueou para não me contar o que estava acontecendo, ele não ia para a escola e logo depois que ele voltou eu saí, e agora eu acho que terei que voltar, mas eu realmente estou esperançoso de que meu pai deixe eu parar de estudar.

  - Chen, vem aqui.

Ouvi a voz baixa de Sehun pela distância entre o banheiro e meu quarto e me levantei ainda olhando para o número de Xiumin.

Encostei a porta do closet como de costume e bati na porta do banheiro vendo a toalha dele para o lado de fora. Entrei no Twitter esperando a porta ser aberta e assim que foi ele apareceu apenas com a cabeça.

  - Qual o seu humor?

Ouvi sua pergunta e tirei os olhos da tela olhando para seu rosto.

  - Médio, mais triste que feliz, porém depende. Porquê?

A pergunta era direta, ele ia pedir algo irritante.

  - Olha só o que eu aprendi a fazer.

Sehun abriu a porta e colocou as mãos para trás de sua cabeça, ele estava completamente nu e quando ele começou a fazer aquilo eu não sabia se socava ele ou continuava a rir.

Ele estava tentando fazer o famoso "pirocopitero", ele fazia aquilo enquanto fazia caras sexys e eu tentava esconder a minha cara de vergonha por causa daquilo, mas era impossível, ele é engraçado, a que nível chegamos Sehun, a que nível?

  - Você é um retardado.

Ele não parava, ele realmente não parava. Abri a câmera de meu celular começando a grava-lo, após 7 segundos de vídeo ele parou enquanto ria e se aproximou pegando a toalha, ele jogou o cabelo para o lado já cansado e eu gravei aquele momento também. Desliguei meu celular e me encostei na quina da porta vendo ele desligar a banheira e tocar seu membro que provávelmente doía pelo tempo e velocidade que ele girou aquilo.

  - Você ainda não tomou banho? Com todo esse tempo eu achei que já estivesse até se escaldado.

Sehun entrou na banheira e me olhou e depois para a banheira e eu logo neguei com a cabeça fazendo cara feia para ele.

É diferente fazer essas coisas com ele agora, eu sinto que nunca estive tão próximo dele, ele faz coisas para me fazer rir e eu nem se quer reclamo, porque elas são legais assim como ele.

  - Eu só espero que você não tenha se masturbado no meu banheiro.

Comentei dando as costas para ele e subi as escadas do closet abrindo o armário de Sehun e escolhi uma roupa para ele, na verdade aquelas roupas eu apenas comprei para que ele não precisasse trazer as dele, ele sempre me pergunta da onde sai tanta roupa de seu tamanho, mas nunca falei que ele tem um armário próprio com uma etiqueta escrito Sehun.

Quando desci as escadas coloquei a roupa no banco do lado de fora e rapidamente senti ser puxado o que me fez soltar um grito.

Sehun fechou a porta e eu o olhei de cima para baixo pegando a toalha para me secar.

  - Vamos sereia, você está nescessitado de um banho.

Eu o olhei suspirando. Eu tenho que ser legal com ele, sei disso, mas tomar banho com ele, pelado, é de mais para mim.

  - Você vai se tampar?

  - Claro, porque não.

Tirei minha camisa e joguei nele vendo o mesmo vestir sua box, ele se aproximou de mim e eu me afastei um pouco desabotoando os botões da minha calça, abaixei a mesma e puxei mais para baixo minha box branca a arrumando.

Sehun sorriu mandando eu entrar primeiro e assim fiz adentrando a banheira, me sentei na mesma e o vi entrar, ele demorou 4,5 segundos para ele tirar a cueca e ficar pelado, ainda fechou o box e eu apenas fiquei o olhando incrédulo com a cena, ele é um mentiroso nato agora.

 - Não há nada aqui que você já não tenha visto meu querido.

O que está acontecendo com Sehun? Será que ele fumou? Não é do feitio dele me contrariar.

  - Agora de verdade, como você está?

Ele se sentou do meu lado e eu suspirei relaxando meu corpo na hidro.

  - Eu não sei dizer, estou feliz por Xiumin ter acordado, mas ele não se lembra de mim, porém, outra pessoa se lembra, ela me ligou, me deu parabéns, e depois desligou como se nada tivesse acontecido.

Suspirei e ele colocou a mão na minha perna, eu rapidamente a tirei dali. É diferente, estamos em uma banheira e ele está sem roupa, não posso simplesmente dizer que ele pode me tocar, nunca, eu não gosto de homens com um pau.

  - As vezes eu me pergunto qual seria a reação de seu pai se soubesse que você é gay....

  - Eu não sou gay.

  - Mas se você fosse.

O olhei, mas logo volto a fechar meus olhos.

  - Ele me mataria, ou me mandaria estudar no exterior em uma escola militar.

  - Sério? Ele te mandaria para um colégio interno? Com homens? Você conta a ele que é gay e ele te manda para um lugar cheio de pau para você até escolher qual prefere, isso é uma punição ou um prêmio?

Dei risada de sua conclusão sem nexo e o olhei colocando minha mão fechada em meu rosto.

  - E o seu pai, o que ele faria se você contasse que é gay?

Sehun ficou do mesmo jeito que eu, me olhando.

  - Primeiro ele perguntaria se é por causa de você, depois ele diria que tudo bem contanto que eu seja feliz.

Eu fiquei o olhando por um tempo até ver seu sorriso se desfazer.

Porque ele perguntaria isso para Sehun? Quer dizer, até meu pai disse isso, mas... Nós não somos gays, e nós nunca ficamos, quer dizer, beijar e masturbar não é ficar, ficar é apenas um ficar diferente.

  - Seu pai aceitaria bem Chen, ele mostrou isso hoje e alguns dias atrás, tipo quando nos beijamos no hospital, só por ele não ter gritado já ganha pontos, e também hoje na pizzaria, ele não ficou bravo com nenhuma das perguntas dos meninos e...

  - Meu pai acha que eu vou perder minha virgindade com você- O cortei rapidamente- Todos acham, sabe, eu gosto do Xiumin, mas fico pensando, e se nós tivermos que transar? Ele é um menino, e eu não sou gay, mas eu realmente imagino ele como alguém que eu iria querer fazer algo, mas ele é um menino, e nem se lembra de mim. Sem contar que eu não conseguiria machuca-lo de forma alguma.

Sehun estava fazendo aquilo que ele sempre faz com os lábios quando pensa, os juntando de forma fofa.

 - Você pode transar com um homem sem ser gay. E você não o machucaria, apenas faria ele se acostumar com você.

Ao ouvi-lo concordei com a cabeça.


  - Você tem razão, eu não preciso ser gay para fazer sexo com outro homem, não é mesmo?

Sehun começou a rir e até colocou a mão em sua barriga o que me fez sorrir, mas não rir como ele, eu estava falando sério, não é motivo de risada.

  - Sehun, eu estou sendo sincero. Xiumin voltou e eu pretendo me aproximar 100% dele, e ele não é o menino inocente que eu imaginava, ele até pegou aquela boneca que você me deu de presente e disse que eu usava aquilo.

Ao contar isso a ele o maior começou a bater as pernas contra a água enquanto dava risada, eu me mantive sério esperando ele se acalmar e assim que se acalmou ele se sentou na escada da banheira me olhando.

  - Mas você usou, né?

Revirei meus olhos não o respondendo.

Eu já usei sim, duas vezes, estava lá parado e eu apenas pensei em testa-lo, mas não deve ser assim para meter em uma mulher, elas devem ser quentes e eu não consigo imaginar seu interior, parece ser tão estranho.

  - Mas e o pinto de borracha?

Ele está de brincadeira né? Porque ele acha que eu usaria aquilo?  O que eu faria com aquilo é a pergunta.

  - Chen, você não usou? É uma sensação boa, não precisa ter medo.

Dei uma risada debochada.

  - Então enfia aquilo no seu cu você mesmo, está doido? Já disse que não sou gay.

  - Para ser gay não precisa ser necessariamente o passivo Chen, e você não usa só para enfiar dentro de si, sabe, você pode estimular seu membro com aquilo.

É realmente curioso o porquê de ele saber sobre essas coisas, logo ele o hétero que dividiu uma menina no sexo.

  - Não Sehun, eu não usei, e nem usarei.

  - Está perdendo, é realmente bom.

Ele desviou o olhar e falou bem baixo a última parte e foi aí que eu entendi que ele havia feito aquilo, por isso a insistência, ele fez.

  - Ouu, você não tem um desses, tem? Ouu Sehun, você me surpreende. Cara, você tem certeza que é hetero?

Perguntei dando risada, eu acho que nunca fui tão debochado em apenas uma frase como fui dessa vez. 

  - Você está se ouvindo? Pelo menos eu já experimentei os dois para saber de qual eu gosto.

Agora ele está me zoando por ser virgem e nunca ter experimentado nenhum? Pera... Os dois?

  - Como assim experimentou os dois?

Perguntei voltando a ficar sério.

Sehun ficou com outro menino? Mas porquê? Eu achei que ele havia feito aquilo para me animar, ele fez porque queria algo homossexual? Porque tudo muda agora?

  - Você foi uma experiência Chen, querendo ou não nosso ato foi muito mais do que já chegamos, mas isso não é ruim, nós ficamos mais próximos, mas eu ainda estou bravo com você por pensar apenas em si próprio.

Ele disse para mim que não se arrependia, ele havia gozado para mim, sem contar que ele não parecia odiar aquilo.

  - Você... Gostou?

Perguntei e ele concordou com a cabeça.

  - Ah.

Engoli um seco meio ruim ao perceber que tudo havia ficado estranho entre nós. Acho que eu não deveria ter entrado nessa banheira.

  - Mas eu sou hétero, realmente hétero, gosto de mulheres.

  Ele quebrou o silêncio e eu sorri para ele vendo o mesmo se levantar e pegar uma toalha, eu me levantei logo depois abaixando um pouco minha box para ajeita-la em meu corpo e vi o olhar de Sehun ali. Minha box é branca e por isso está quase transparente, ele está muito errado ao olhar diretamente para cá.

  - Me empresta sua toalha.

Pedi levando minha mão até a mesma, mas ele puxou negando com a cabeça. Eu não sei qual o problema do Sehun hoje, talvez seja a hora em que estamos acordado, mas ele realmente não merece o meu amor e carinho.

  - Deixe o Chen Jr, curtir um pouco o ar fresco.

  - Yaa, o nome dele é chenzitos, não zombe do meu menino, agora me dá a toalha.

Ele me entregou saindo do banheiro e eu tirei minha box colocando a toalha enrolada em meu corpo, quando sai Sehun já vestia a calça e com sua blusa suja secava seu cabelo.

 - Você é horrível Sehun, você não aparenta estar bem hoje, suas atitudes não é do Sehun.

 - Eu estou morto de cansaço, quando eu fico cansado desse jeito eu simplesmente faço coisas que eu não faria normalmente. 

Concordei com a cabeça o deixando ali e indo me vestir aonde ele não pudesse me ver.


Xiumin.

Os médicos me colocaram em outra cama e tiraram minhas roupas, meu pai não podia ficar comigo e eu estava com medo, Junmyeon não estava aqui e eu não conheço nenhum deles, eu realmente estava com medo, eu quero minha mãe.

  - Eu sou o Dr.Kyungsoo, você não precisa tremer desse jeito Xiumin, eu vou cuidar de você, okay?

Neguei com a cabeça fechando meus olhos.

  - O que você tem? Está com medo do escuro? Ou dos médicos?

Ele tocou meu rosto, mas eu não queria responder, ele tem cara de irritado e eu não quero irrita-lo.

  - E-eu não te conheço, por favor, não faça nada comigo.

Pedi e ele puxou minha coberta mais para cima.

  - Você consegue entrar naquela máquina? Podemos fazer isso, não podemos? Você aceita fazer isso e confia em mim se eu te der um pirulito depois dos raios x?

Neguei rapidamente com a cabeça para todas as perguntas e não parei de negar. Ele suspirou fundo e olhou para os outros médicos negando com a cabeça.

  - Eu quero minha mãe.

Falei e ele olhou para baixo colocando sua mão na minha, sua mão é tão gelada, ele não remete nada, eu não consigo confiar neles, mesmo que eu confie sempre nas pessoas, eu simplesmente não consigo confiar neles sem Junmyeon.

O Dr começou a me puxar para fora da sala e começou a falar comigo enquanto andava.

  - Você é muito especial Xiumin, você passou por tudo, poucas pessoas conseguiriam.

Ele parecia saber muito sobre mim, porque ele não me fala o motivo da demora da minha mãe, eu tô começando a querer chorar.

 - Quantos anos eu tenho?

Perguntei e ele negou com a cabeça olhando para o elevador que se abria.

  - Acho que 16, mas não é certeza porque esse ano não teve festa, mas na de 15 seu pai fez uma festinha para você.

Meu pai? Mas e minha mãe? Porque ninguém fala da minha mãe?


Notas Finais


Obrigada por lerem❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...