1. Spirit Fanfics >
  2. Bessekai.( Sasuke, Naruto e Leitora) >
  3. Um Pedido Especial.

História Bessekai.( Sasuke, Naruto e Leitora) - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Hello! (◕ᴗ◕)
Boa leitura para vocês! E desculpa os erros ortográficos.-_-

Capítulo 20 - Um Pedido Especial.


Fanfic / Fanfiction Bessekai.( Sasuke, Naruto e Leitora) - Capítulo 20 - Um Pedido Especial.


O ser que se escondia nas sombras, revela a face assim que se recupera do soco que dei nele. Seu rosto escondido por uma máscara laranja, e um capuz negro, a capa realçando a energia maligna que ele emitia.

 - Q-quem é você? - digo me afastando.

O indivíduo ri sádico, e dá um passo a frente. Eu não via por debaixo da máscara que ele usava, mas tinha certeza que sorria perversamente enquanto me olhava.

- Se esqueceu de mim assim fácil? - indaga com a voz vilanesca.

- Que eu saiba nunca te vi na vida. - olhava seus movimentos atenta.

- Fique tranquila querida ,  eu não vou  machucá-la. Não hoje. - insere a última frase demôniaco.

Engulo seco, e me afasto apavorada, chegado cada vez mais perto das margens do mar.

-  O que você quer? - digo mantenho a voz firme.

- Eu? Ah, nada demais. Você saberá na hora certa. Só queria ver como minha presa se parecia. - seus olhos percorrem todo meu corpo maliciosamente.

- Agora eu já vou indo.- ele sobe na rocha mais alta, com a intenção de fugir.

- Espero que nunca mais volte.. - comento baixinho. Só que ele me ouviu.

- Eu irei. Lembre-se desse sobrenome. Uchiha. O sobrenome que vai acabar com sua miserável raça. - despersa ameçador.

- Ótimo! Outro parente metido a louco do Sasuke. Deviam abrir uma clínica de psicologia para os Uchihas. Todos doidos! - 

Eu perco o medo, e me expresso ironicamente. Se é alguém com o sobrenome do meu "amante com problemas mentais" então eu não tenho o que temer. Essa família é bem doida.

- Como é? - ele se surpreende.

- O quê? Você fica com pose de vilão incrível, mas não passa de um fugitivo do hospício. Eu hein, vai arrumar eu médico. - eu dou de ombros.

- Que audácia sua garotinha. - ele trinca os dentes furioso.

- Olha aqui, não me chama assim, não hein querido! Vai fingir que é o Batman Cavaleiro das Trevas para lá, e vê se não enche meu saco! - esclamo estressada.

Eu deixo ele com cara de paisagem, e vou para minha barraca sem dar importância para presença do mesmo.

- Sasuke só me arruma problema.  Agora com essa namorada doida. - comenta indignado.

- Não me chama de namorada daquele emo não! Prefiro ser xingada de tudo menos isso! - eu grito já dentro da barraca.

 Depois disto acho que o cara foi embora. Não ouvi mais nada lá fora a não ser o barulho das ondas e do vento. E por fim eu decidi ir dormir logo, foi um dia bem agitado.

Com o sono que eu tava, assim que repousei a cabeça no travesseiro eu apaguei de vez.  O único sonho que eu tive, não foi bem um sonho. Quando eu pego no sono, alguns flashbacks rápidos, que eu me esqueci dois segundos depois me vêem a mente.

Só sei que tinha uma mulher, e uma criança chorando,... um círculo feito com algum fragmento vermelho, depois disso uma onde de energia, e tudo ficou escuro.


 Sou acordada com seres humanos chatos que ficaram me cutucando, e me tirando do me sono da beleza. Eu acordo revoltada, e de cara eu jogo areia na cara dos imbecis que me acordaram.

Quando elas começam a rir, eu idêntifico as pessoas como Sakura e Ino, as amigas da onça que me amam tanto quanto eu queria tacar um tijolo em suas cabeças.

- Qual o problema de vocês?! Eu estava dormindo tão bem. - reclamo jogando areia nelas.

 - Para com isso! - pedem se protegendo com as mãos.

Eu paro os ataques. Levanto estressada, e vou marchando para fora da barraca, fazendo beiçinho e com os braços cruzados em protesto.

Logo as duas vem atrás de mim, e colocam seus braços sobre meu ombro, fazendo uma cara amigável, em pedido de desculpas.

- Foi mal. A gente achou que seria engraçado. - a rosada profere se sentindo culpada.

- É. Desculpa a gente S/n-chan! - diz fazendo uma cara fofinha.

- Eu vou pensar no caso de vocês. - eu sorrio de lado convencida.

Eu tiro seus braços, e vou até o grupinho que estavam conversando perto da beira do mar. Como quem não quer nada, e me aproximo, e sento do lado do Naruto, que percebe minha presença de cara.

- Bom dia! - exclama alegre.

- "Bom" dia? Nem tanto assim. - expresso com cara de sono.

- Por que? - 

- Tive o melhor despertar de todos. Mas não vamos falar nisso.- digo balançando a cabeça com a intenção de me livrar do sono.

- Ok. Dormiu bem pelo menos? - pergunta me fitando com carinho.

Eu poderia contar a verdade uma vez na vida para o Naruto, só que contar que dois parentes do Sasuke me fizeram uma visita noturna ontem, iria o fazer preocupar-se demais, e se o bem conheço ele me iria passar 24 horas por dia me vigiando desnecessáriamente.

- Sim. Dormi como uma pedra. - afirmo com a voz animada.

-  Que bom. Eu vou ajudar as meninas a arrumar as coisas para irmos embora. Até daqui a pouco. - ele se levanta .

Eu já estou me sentindo muito mal de mentir assim todas as vezes. O Naruto sempre foi sincero comigo, e eu só minto  e escondo as coisas dele.

Antes que ele saísse andando eu pego sua mão chamando sua atenção para mim. Ele é olha para baixo se entender.

-  Quando voltarmos eu quero falar com você. Então,... me encontre no parque mais tarde. Ok? - indago com o semblante sério.

O loiro analisa minha expressão um pouco pensativo, e então balança a cabeça concordando.

- Ok. - 

Ele sorri para mim, que sorrio de volta. E assim ele vai andando para fazer o que ele havia dito que faria. Que eu nem lembro o que era mais.

Uma ansiedade e medo consume o meu coração.  Mas eu sabia que era o certo a fazer. Pelo amor que ele sente por mim, e pelo bem da minha consciência. Sinceridade era o um passo se eu queria ter um bom relacionamento com ele.

Eu bocejo, e olho para o sol que já estava raiando com um brilho intenso no céu, queimando minha pele sensível. Junto forças do fundo da alma e me  levanto. 

Me espreguiço indo até minha barraca para arrumar minhas coisas, e também vestir outra roupa, fazer minhas higiênes pessoais, além de me arrumar, porque isso já virou lei para mim. Sempre linda e bem arrumada.


*Quebra de tempo*


Já havíamos chegado na Vila, e a primeira coisa a fazer foi ir direto para casa comer. Eu não comi com os outros por simplesmente ter pegado no sono enquanto terminava de guardar minhas coisas.

 Comi a primeira coisa que eu achei, um salgadinho que nem sei de que sabor era, mais eu comi mesmo assim. Depois de abastecida, eu fui dar uma volta na cidade para me distrair um pouco.

Olhando as pessoas passando, os produtos a venda, e algumas crianças correndo atrás uma das outras brincando. Eu passava distraída, e mal olhava por onde ia, e acabei esbarrando em alguém.

- Me desculpa! - peço levando meus olhos a pessoa com quem me bati.

Um garoto ruivo, um pouco mais alto que eu, com a pele clara, olhos azuis, e um sorriso encantador e radiante nos lábios.

-  Ah tudo bem. Eu também não estava olhando por onde andava. -  fala ele com a voz suave, e sorrindo envergonhado.

- Realmente, eu estava muito concentrado e acabei esquecendo de olhar para onde ia. Sinto muito moço! - digo fazendo uma rápida reverência.

- Ei, eu já disse que está tudo bem. Foi um acidente. - dispersa sorrindo gentilmente.

- Ah, já que é assim. - coço a nuca sem graça.

- E não precisa me chamar de moço. Tenho quase certeza de que temos a mesma idade. Meu nome Lux, não é muito comum, mas é meu nome. E o seu ? - se apresenta  simpático.

- S/n. Também não e lá muito comum, mais enfim. - devolvo o sorriso amigável.

- S/n...? É um linda nome! O nome, não você! Quer dizer, é c-claro que você é bonita, mais eu falava do seu nome, não de você! Não que eu esteja dizendo que seu nome é mais bonito do que você!  Eu só queria dizer- Ah, é melhor eu calar a boca. - ele se embaralha com as próprias palavras, e  com as bochechas levemente ruborizadas.

- Você é engraçado. - eu dou risada, o deixando ainda mais constrangido.

- As pessoas sempre me dizem isso - expressa desviando o olhar.

- Obrigada. Você também é bonito. - retribuo o elogio piscando brincalhona.

- Sério....?! Quer dizer; valeu. -  o mesmo olha o chão corado.

- Então, eu vou indo. Prazer em te conhecer Lux. - me despeço com um sorriso amistoso.

- O-o prazer foi meu! - exclama nervoso.

Eu aceno para o ruivo, e sigo meu caminho até o parque em que eu conheci um certo alguém. Chegando no local, várias memórias felizes são trazidas átona.

 Em passos lerdos, e caminho pelo local sorrindo abobalhada, e rodeando o balanço em que estava vazio, assim como todo o parque, recordando das antigas lembranças.

Como hologramas, eu tinha a cena de um garotinho loiro sentado sob a sombra da árvore, com tristeza, dúvida, e revolta no olhar. Sendo julgado por tantos olhares de nojo, reprovação e ódio.

E o meu 'eu' mais novo tão ingênua, chamando o probre menino, e logo a garota em desespero começar a desabar em lágrimas nós braços do loiro que não compreendia o choro da mais nova.

 O próprio ambiente emanava um ar confortável de reminiscências. Um simples ato pôde criar laços inimagináveis, se eu não tivesse falado com o Naruto naquele dia, eu nem sei como seria minha vida agora.

 Sem notar, um sorriso maroto se forma em minha face, e minha mente vagava entre lembranças, e cenas recentes que para mim foram inesquecíveis de todas as formas.

 Subitamente um toque em meu ombro me traz de volta, e eu olho rapidamente olho para o lado, vendo o príncipe encantado que dominava meus pensamentos sorrindo para mim.

  Olhar para ele me leva para outro mundo, uma viajem tão intensa que me tira do chão. Aquelas orbes azuis brilhantes tiram meu coração dos trilhos, dando uma leve flechada que faz meu coração palpitar aceleradamente.

- Te assustei? - pergunta rindo da minha cara abobalhada.

- Há? Quê...? Ah, Nã-não! - percebi que o encarava com a boca entre-aberta pela minha leve queda de pressão.

- Ok... O que você tava fazendo? - diz fitando a direção para onde eu olhava.

- Nada demais. - eu me recupero do transe de antes.

- Hum. O que queria conversar? - questiona intrigando, olhando para mim.

-  Am...- 

Eu fico pensativa por um breve tempo, buscando coragem para conseguir falar.

- Hm...?? - gesticula para que eu prossiga.

- Eu falo depois.- digo por fim.

E lá se vai minha coragem, que já era pouquíssima, pelos ares. Olhar para aquele sorriso me tira dos eixos.

-  Tá bem... - expressa com a sobrancelha elevada estimativo.

 - Que tal  tomar um sorvete? - falei nervosa com a situação.

- Boa ideia. - assenti contente.

- Então vamos logo. - profiro com pressa.

- Sim, senhora. -  confirma com ironia.

 Fomos calmamente até a sorveteria, ou o lugar onde vende picolé, que não sei como se chama. E como eu sou uma pessoa bem  normal, eu saí correndo na frente quando eu vejo o nosso destino.

 Depois de pagar pelo sorvete, eu comprei um sorvete de (sabor de sua escolha), e o Naruto um picolé azul, de um sabor desconhecido por mim.

Sentamos num banco perto de onde compramos os doces, e ficamos conversando, enquanto tomávamos as sobremesas geladas 

- Já pensou se o mundo fosse feito todo de comida? Seria incrível. - comento iludida pela ideia.

- Verdade. Eu comeria tudo que quisesse de graça. -  diz no mundo da lua imaginado algo em sua cabeça.

- Um pena que nunca vai acontecer. Enfim a tristeza e a desilusão. - suspiro deprimido.

- Mas sempre mantenha a esperança. - discursa com motivação.

- Você 'tá parecendo o Lee agora. - relatei rindo "disfaçadamente".

- Como diz o ditado. "esperança é a última que morre". - insere simplista.

- A minha já se foi a décadas. Mas a vida que segue. - digo lambendo meu sorvete.

Por uns instantes percebi que o Naruto estava relutante em dizer algo. Até que ele se decide e profere;

- S/n, como era a sua vida de onde você veio? - pergunta curioso.

Mesmo sendo pega de surpresa, estava certa de que uma hora ou outra essas perguntas sobre mim surgiriam.

- Era... Chata. Você não podia fazer nada, um completo tédio. E como eu já havia dito. Eu só ficava em casa mesmo. - dou de ombros sem dar importância ao tópico da conversa.

- E seus pais? Como eles são? - expressa com uma pontinha de melancólia na voz, pelos motivos pessoais óbvios com o tema.

- Eram normais. Um pai que só trabalha. E uma mãe séria e muito profissional, até demais eu diria. E e só isso mesmo. Não tenho nada de especial para falar deles. Minha família nunca foi muito unida. Eu não fazia questão de tentar mudar isso, sempre me menti e distante deles, e de todos.  - pronuncio um pouco para baixo, e me esforçando para não falar mais sobre esse assunto.

 - Entendo. - inquere tristonho tanto por mim, quanto por ele mesmo, olhando o chão neutro.

- Ei, não precisa ficar assim por isso. Até porque agora eu tenho vocês não tenho? - tento o animar balançando seu ombro para que ele reaja.

- Sim. Você está certa. - ele logo trata de esboçar um sorriso ladino.

- Mas e você? Como eram seus pais? - pergunto naturalmente.

Eu sei que ele não tem pais, mais não sei sobre como ele os perdeu. Imagino que tenham morrido quando ele era mais novo, ou em outra hipótese abandonado o Naruto.

É um assunto delicado, mais ele teria que enfrentar isso algum dia. E eu quero entender melhor o Naruto, e saber mais sobre ele também.

Eu me arrependi na mesma hora que falei. Vi seu sorriso desaparecer instantaneamente perante minha pergunta . E pude  sentir ele se segurar para não chorar.

- Eu não sei. Nunca os conheci. - indaga triste.

- Ah, desculpa. Eu sinto muito, não deveria ter falado sobre isso. - falo me sentindo culpada por ele.

- Não, tá tudo bem. Não é sua culpa .  Eu já me acostumei com isso. Sempre me virei sozinho na vida, eles não me fizeram tanta falta quando você está imaginando agora que eu sei -  o mesmo coloca um sorriso forçado no rosto, se fingindo de forte.

- Tudo bem que você já está acostumado. Mais não diga que eles não te fizerem falta, que isso tá na cara que é mentira. Não precisa fingir estar bem, se não estiver quando está comigo. Eu não posso imaginar exatamente como você está se sentindo, mais eu sei que dói falar sobre eles. E eu quero que saiba que eu sempre vou estar aqui quando você precisar de um ombro para chorar, ou desabafar. - eu coloco a mão sobre a sua e aperto carinhosamente, sorrindo ternura.

- Obrigado. - fala com os olhos marejados, comovido por minhas palavras.

- De nada. E lembre-se, que  pode não ter seus pais presentes aqui agora,... Mas você tem a mim. E eu posso afirmar com toda a certeza que, nunca, jamais irá me perder. - expresso olhando firmemente no fundo de suas íris azuis.

Nem eu mesma controlo minhas emoções e acabei derramando uma lágrima solitária também, me juntando ao loiro que transbordava lágrimas pelo rosto profundamente tocado pela minha fala.

Rapidamente eu envolvo meus braços em seu pescoço num abraço, afundando meu rosto na curva de sua seu ombro tentando controlar o choro.

O loiro  retribui o ato, e me abraça firmemente,  com as lágrimas já se cessando. O mesmo me abraçava afetuosamente  enquanto afagava meus cabelos fazendo cafuné delicadamente em meus cabelos, e  depositando  alguns beijos no topo da minha cabeça.

- Obrigada por existir. - susurra com a voz suave e gentil.

- Eu que deveria agradecer. Mais chega de drama. Eu nem tive como comer o resto do meu sorvete. Está me devendo um em senhor Uzumaki.- eu me afasto com ar convencido.

- Sim, sim. Claro princesa encantada. -  vejo de relance ele revirar os olhos.

- Que bom que sabe. Humf! - ergo a cabeça com o nariz empinado arrogantemente.

- E agora? O que vamos fazer rainha de todos os mundos? -  - pergunta irônico.

- Hum... Primeiro de tudo vamos que passar na loja, e comprar um dango para mim. Algo indiscutível. Fazer compras, até porque eu não aguento mais só comer lámen todo dia. Bem, aí eu não sei mais, então você decide o que fazer depois. Entendeu? - ditei, e pergunto para o Naruto se havia compreendido tudo, mais ele olhava para os dedos como se estivesse contando algo.

-  Que dia é hoje? - diz se fazendo de  desentendido.

-  Dia de fazer alguma coisa que preste da vida  - retruco angelical.

- É... Parece que paz, e o que eu não vou ter hoje.- inquiere suspirando derrotado.

- Que bom que sabe amore. - eu psico debochada.

E como citado, fizemos o primeiro item da minha lista de comprar os doces que eu particularmente me viciei. Isso chegava a ser preocupante para meu diabetes.

E concluindo o primeiro objetivo, partimos para o próximo. Antes de partir para as compras para nossa sobrevivência dentro daquele quarto que chamamos de casa, eu me precipitei em ir a uma loja de roupas.

Agora eu estava provando algumas roupas, e tendo o Naruto como meu conselheiro de moda. Que logo vi que foi uma péssima idéia.

- Tharãã!-  exclamo saindo do provador.

- Humm... -  o garoto me olhava com a mão no queixo pensativo.

Eu usava um vestido marrom de alças finas,  sem nenhuma estampa, e com o comprimento até o joelho. Eu dou uma voltinha me exibindo.

- Não combinou muito não. - o mesmo dá seu veredito final.

Eu olho com tédio e ódio para ele, e inconformada eu fecho a cortina ríspido pelo comentário do loiro.

Visto a próximo roupa. Uma uma saia rodada azul marinha até abaixo do joelho, e uma blusa num tom roxo violento, e com as alça tomara que caia, rendada na barra.

Eu saio saio novamente da cabine fazendo pose de modelo, achando que tava arrasando. E o maior me olha da mesma forma, analisando a roupa.

- Legal. Mas tá parecendo com uma senhora de 20 anos no corpo de uma garota de 15.- fala sincero e com a cara de quem estava me julgando até pelo pensamento.

- Basicamente esse é o caso. - felei me olhando no espelho infeliz.

Troco de roupa outra vez. Para uma blusa rosa clara de mangas até o pulso, com a gola até o pescoço . Uma saia até metade da coxa também rosa do mesmo tom, porém com vários forros por baixo, igual a um tutu de balé. 

E como brincadeira uma coroa decorativa para fantasia. Me mostro de novo, fazendo cara de realeza, e desfilando até perto do loiro.

- E esse? Fiquei chique agora, admita. - falei com ar vitorioso.

- Ficou até bonito. Mais se for usar, vai ser em alguma festa e não para sair andando na rua. - expressa rindo fraco.

-  E lá vamos nós de novo. - eu volto para o provador.

Dessa vez, ponho um look totalmente gótico, com óculos de sol, um chapéu parecido com os de detetives do filme,  luvas, botas,  casaco de pele, e um vestido colado no corpo.

Saio sensualizando, e fingindo fumar um cigarro para fazer papel das vilãs de novela mexicana, me sentindo a própria Paola Bracho em pessoa.

- Como fiquei? - falo fazendo bico.

- Esquisita. Nem dá para te reconhecer desse jeito. - comenta morrendo de tanto  rir escândalosamente.

- Qual foi? Eu estou maravilhosa, okay?  - me defendo jogando o cabelo para trás me achando.

- ...claro..- despersa rindo.

- Hum. Eu sei que ficou lindo.. -

- Próximo! - ordena profissional.

As próximas respostas para meus looks maravilhosos. Foram; "Não", "Estranho" " "Ridículo", e "Mais oi menos". Eu já estava irritada com isso tudo.

Dou meia volta indo trocar de roupa, para o último look. Um vestido rodado vermelho até acima do joelho, as alças tomara que caia, e um cinto preto estiloso na cintura. 

Saio normalmente da cabine, me olhando no espelho, e até que eu fiquei bem com ele. Olho o Naruto para ver sua opinião, e o mesmo estava estático e de boca aberta hipnotizado.

- Fecha a boca senão estra mosca. - articulo sorrindo debochada.

- Hã...? - ele balança a cabeça voltando a si.

- Agora assim eu fiquei maravilhosa. - gesticulo me gabando, e mandando um beijo no ar o loiro.

- Sim. Linda.. - elogua encantado, sorrindo abobalhado.

-  Vamos levar esse. - afirmo decidida.

Como dito, compramos o vestido, que nem era tão caro. E em seguida fomos para o comércio com as lojas de comida, frutas, e essas coisas.

 Andávamos juntos um ao lado do outro olhando para as vendas a procura de algo interessante. E isso é totalmente fora do meu contexto real.

- O que estamos procurando? - pergunta entediado.

- Algo que valha a pena para se gastar dinheiro. - respiro distraída.

- Não viemos comprar comida? - questiona confuso.

-  Entãaaao... Eu não vou dizer que foi só um pretexto para comprar porcaria. Por que  não foi. Se é que você me entende? -  gesticulo com as sombrancelhas insinuativa.

Ele pisca devagar, ainda não compreendendo o que eu haveria de falar. O loiro faz um gesto com a mão de que não nntendeu absolutamente nada.

- Deus tenha dó de você hein. Mais lerdo impossível. - suspiro cansada.

- Ué, não é para comprar comida não? - repete a sua antiga pergunta com o cenho franzido perplexo.

- Nã-.. sim. Mais eu não quero comprar comida de verdade. Eu só queria poder vir aqui e comparar coisas que fazem mal a saúde, e eu sei que vou morrer sedo desse jeito, mais eu já me conformei e posso viver com esse fato. Enfim, era tudo armação. - explico tudo calma, mais já impaciênte.

-  Aaaaaatá. Agora eu entendi tudo.- espressa uma cara de quem acabou de descobrir a América.

- Até que enfim! - exclamo agradecendo aos céus.

- Olha eu deveria dizer que não ia te apoiar, e sim te impedir de comprar essas coisas. Mais, eu vou deixar porque eu quero te deixar feliz. - indaga sorrindo com sutileza.

Como pode? Esse homem foi feito para ser meu marido. Per-fei-to. Simplesmente isso. Tão fofo, e gentil que me dá até vontade de apertar as suas bochechas.

- Eu estou emocionada. Obrigada por bancar meu vício. - discurso com a mão no peito.

- De...nada? - relata lerdo.

- Meu Deus abençoe esse ser primitivo que tem uma lesma no lugar do cérebro. - oro derrotada pela tamanha ingenuidade e uma capacidade de ser lerdo e tonto assim.

- ...? - olha perdido para mim.

Bato na testa em reprovação de sua imbecilidade.

- Naruto me diz uma coisa; Você sabe o que é que um casal de recém cansados faz na lua de mel? - expressa maliciosa.

- Ehhh.... Não. Eles devem aproveitar a presença um do outro e se divertir juntos. - diz naturalmente.

- Naruto é puro e inocente. - eu digo emocionada e admirada com sua mente tão angelical.

- Eu errei? - gesticula desentendido.

- Em parte sim. Mais essa é a resposta mais correta e doce a se dizer. - digo orgulhosa dele.

- Então eles fazem o que? - questiona sem nenhuma maldade. Obviamente.

- Ah não me pergunta isso não. Melhor não ficar sabendo por mim. Eu não quero ser a alma a te corromper. Preserve sua lerdeza e inocência. -  articulo sorrindo debochada.

- Por que diz isso? - expressa um pouco cheteado fazendo bico.

- Pelo mesmo motivo de você estar fazendo essa pergunta. Mais fiquei sabendo que mesmo sendo, Idiota e um completo imbecil, eu gosto de você. - digo sorrindo singela.

- E isso é bom? Eu me perdi um pouco entre as ofensas. - despersa sorrindo envergonhado.

- Aí Naruto. Como você é burro. - 

Eu apoio meu braço ao redor de seu pescoço, eu vou andando para frente sem mais nenhuma paciência para falar com ele.

Ficamos ali comparando um monte de coisas que fazem mal para sua saúde e também coisas inúteis que nunca vão nos ajudar em nada, ou que servir para alguma coisa. Resumindo = Um desperdício de tempo.

Como eu falei. Melhor tarde da minha vida!  Eu comi doces, ri muito, me inturmei mais com as pessoas, fiquei mais próxima do Naruto, bem mais próxima.

 Perdi a sanidade  mental em alguns momentos? Sim. Fiquei com raiva e  inevitávelmente desequilibrada? Óbvio. Quase matei o Naruto? Também. Mas todos sabem que eu amo ele.

Depois disso, era hora do almoço, e insatisfeito em voltar para casa, o loiro me levou até um restaurante por perto para comermos. E só para constar eu fui sem estar com vontade de andar nem de respirar.

- Não faz essa cara. - pronuncia admirando minha face irritada e tediosa.

- É a única que eu tenho. Mas já que não tem outra saída. - suspiro me dando por vencida.

- Por que não gosta daqui? - questiona.

- Ah, sei lá. Talvez por que eu queria estar em casa dormir?! - esclamo exautada quase batendo na mesa.

- E vai dormir sem comer? - inquere simplista.

- Naruto.. eu passei a manhã inteira comendo porcarias. Acha mesmo que eu tenho fome? - implico enraivecida.

- É verdade. Já que é assim, eu peço algo para viagem quando formos para casa. De acordo rainha S/n? - opina com a voz ironizada.

-  Claro meu escudeiro fiel. Ops! Meu  querido príncipe. - sorrio cínica com o erro proposital.

- Vou fazer de conta que você não disse nada. -  

Vou aos poucos voltandoa me alegrar por finalmente estar indo para "minha" cama e ter meus doces sonhos com marshmallows e chocolate. 

Só que alegria de pobre, ou rico no meu caso, dura pouco. Desviamos do caminho por outro bem diferente, eu não protesto e sigo o Naruto em silêncio, encucada com até onde ele iria me levar.

 Uns minutos se passam, e eu desvendo onde a trilha levava. Ao campo de flores que viemos no dia do festival, e o mesmo em que supostamente nos beijamos pela primeira vez. Que eu lembre foi neste lugar. Seria impossível esquecer.

- Por que estamos aqui? - profiro olhando os lados.

- Uma surpresa! - ele grita no meio do campo.

- Ok. Eu ainda não tô entendendo. - digo com os olhos cerrados.

- Ah, é que as flores estão escondendo. Tem um piquenique exatamente aqui onde eu estou agora. - instrui olhando para baixo.

- Se ia me levar para esse piquenique, por que me levou no restaurante? - pergunto indo até ele, em meio as flores.

- Isso foi uma burrice minha, eu esqueci mesmo. - confessa afobado.

- Bem a sua cara... - comentei chegando perto de si.

E era realmente um piquenique. Mesmo não sendo como os de gente rica, é bem bonito e romântico da parte dele. E só de imaginar que ele se esforçou para fazer tudo isso para mim, faz meu coração bater acelerado.

- E aí? Gostou? - indaga agitado e contente.

- Não só gostei. Eu amei! Quando eu menos espero você sempre me surpreende. Obrigada. - 

Eu vou até sua frente, e dou um beijo em sua bochecha como certeza que eu gostei. Ao me afastar eu vejo seu rosto esquentar violentamente.

- Aí, ai. Sempre tão tímido quato a esse tipo de coisa.. - múrmura baixinho me sentando sob o pano quadriculado estirado na grama.

Pego uma maçã, e dou uma mordida respirando o ar puro da natureza.  Olho para cima, e noto que o loiro ainda estava congelado no lugar com a mão na bochecha fitando o nada.

- Morreu? - expresso puxando a barra da manga do moletom do garoto, chamado sua atenção.

- Oi? -  diz saindo do transe.

- Nada. - sorrio fofa.

- A.... tá. - balbúrdia estremamente pleno. Como se estivesse nas nuvens.

Rio do comportamento do maior, e volto a comer a fruta avermelhada e doce. Fecho os olhos aproveitando a sensação de paz inteiror que aquele lugar trazia a minha alma.

Quando o Naruto saio da hipnose que estava, ele se juntou a mim na degustação com a insaciável fome que eu tinha só faltou comer a toalha também.

 Como  sobremesa, eu comia um crepe com chocolate, que era maravilhoso. Que doce não é, né?  Mas estava tão no tédio que resolvi brincar um pouquinho. 

Com a ponta do dedo, eu pego o chocolate, e discretamente eu sujo o nariz do garoto de olhos azuis do meu lado no mundo da lua.

Ao ver minha ação, ele olha mortalmente para mim, e era um aviso para eu começar a correr. E eu acatei a ordem depressa, e como flash eu saio dali apresada.

 Só que o Naruto vinha correndo atrás de mim, com o semblante desafiador, e também divertido. Na verdade era divertido.  Correr para não morrer. Super empolgante!

 Só que o que era para ser só uma vingança boba, virou brincadeira de pega-pega. E foi assim por longos minutos, sem ser pega e correndo por todo o campo e até me escondendo as vezes.

Mas não pode se esconder para sempre. E eu fui pega. Num deslize meu, o loiro se aproveitoi para pular em cima de mim, derrubando nós dois no chão.

- Perdeu. - inquiere rindo.

- Isso é injusto! Eu fui pega de surpresa. Exijo uma revanche. - declaro autoritário.

- Tá princesa! - concorda ainda rindo levemente.

Depois do surto de riso passar, ambos ficamos olhando para cara do outro fixamente. Se perdendo no brilho ofuscante que seus olhos azuis cristalinos emitiam.

Até que aos poucos seu rosto foi chegando perto do meu devagar, até que sua boca se funda com a minha num ósculo intenso e sentimental.

Envolvo meus braços em seu pescoço, fechando os olhos desfrutando do sentimento prazeroso e da sensação eufórica e de paixão, mal sentia meu coração batendo como louco no meu peito.

Alguns instantes depois nos afastamos um pouco para nós olharmos. E como previsto, ambos tinhamos o rosto com a colocação vermelha, mas nem tanto  só para se ser perceptível.

- Você é linda. - elogia colocando uma mexa do meu cabelo atrás da orelha.

- Eu sei disso. - falei tímida.

Nós olhamos apaixonadamente uma última vez, e o mesmo sai de cima de mim deitando do meu lado, olhando para o céu. E eu fazia o mesmo com um sorriso satisfeito no rosto.

Alguns instantes depois, o cansaço bate em mim, me nocautenado , e meus olhos vão se fechando, e fechado, até eu pegar no sono,  e dormir não sei por quanto tempo.

Quando recobro a consciência, e meus olhos se abrem, já era tarde, e o sol já estava se pondo. Preguiçosamente eu olho para o lado, e tenho a imagem do Naruto dormindo perfeitamente pleno ao meu lado.

A luz dourado do sol resplandecia em seu rosto, ressaltando sua pele bronzeando, e sua beleza exótico. Era como uma pintura de tão surreal que parecia.

 Sem perceber eu já estava sorrindo bobo enquanto velava seu sono tão tranquilo e angelical. Porém seus olhos se abrem repentinamente me assustando um pouco.

- Dormiu bem? - pergunta energético como de seu feitio.

- Melhor impossível. E você belo adormecido? - perguntei com sarcásmo.

- Ótimo. Nossa olha a hora. - se espanta ao notar que já estava quase anoitecendo.

-  Sim..- acrescentei me erguendo do chão.

- Dormimos demais. Já passou da hora. - o mesmo indagava desacreditando, e se levantando.

- Verdade. Melhor irmos para casa. - expresso já dando os passos para ir embora.

Mas sou parada pelo loiro, que segura meu braço, me impedindo de continuar a andar.

- Hm? - questiono.

- S/n... -  

O mesmo me abraça de surpresa. Fico imóvel sem nenhuma reação, mas ao entender mais ou menos a situação eu correspondo a sua demonstração de afeto.

- Eu já disse que eu te amo? - exclama dando uma sutil risada.

- Já, mais não faz mal ouvir isso de novo. - falo com as bochechas rubras, mais ele não me via por estar com o rosto escondido em seu pescoço.

- Okay. S/n. Eu te amo. - 

Declama afastando meu rosto para que eu possa olhar para si. Aproveito, e tiro fios rebeldes que estavam nas minhas  bochechas , e sorrindo timidamente.

- E... Eu preciso dizer isso logo, mesmo que você já saiba. Eu te amo. E por isso eu quero sempre estar com você ao meu lado. Não só porquê me faz feliz, mas porque eu quero te fazer feliz. Eu... me apaixonei pelo sei sorriso, pelo seu jeito um pouco arrogante, e também meigo, e doce que me encanta, me apaixonei pelas suas qualidades e os seus defeitos, pelo seu sorriso, seu olhar, por cada detalhe. E é por isso que meu coração é, e sempre será eternamente teu. E eu sou completamente apaixonado por você. Então, eu te pergunto. Você aceita ser minha namorada? -  

Meu coração falha a batida, e o mundo todo ao meu redor parou. Eu sinto como se, algo tivesse explodido do meu peito, uma mistura de felicidade, nervosismo, amor e alegria.

- O que? É para eu me declarar de volta? - pronuncio acordando do meu devaneio com tom sarcástico rindo de nervoso.

- Não necessariamente. Se você não sentir o mesmo, eu entend- eu o corto.

- Ok. Naruto, eu te amo. E a pergunta "por que eu te amo?" não é fácil de responder porque nem tudo que o coração sente a boca pode dizer  E, eu não sei o motivo muito bem. E eu nunca pensei que uma pessoa com eu, mimada, egocêntrica, sem graça, arrogante, narcisista, e incapaz de fazer algo bom para alguma pessoa poderia ser amada incondicionalmente por alguém um dia, pior de alguém incrível como você. E eu achava que eu não merecia ter algo tão bonito de ninguém. Mas com você, eu  encontrei mil razões para acreditar que o amor existir para alguém como eu. Então, eu quero dizer do fundo do meu coração: Que eu te amo. E... a vida pode ser minha mas meu coração é seu. E o meu sorriso é meu, só que o motivo tem sido você. Então eu agradeço por  ser a razão  dos meus sorrisos. Então, eu digo que a resposta é sim. - declaro tudo sinceramente, com algumas lágrimas caindo pela emoção. 

Assimilando as informações, o loiro pedrifica no lugar ainda descrente. Só que logo retoma a sua alma, e abre um enorme sorriso. 

- E-eu, ainda não tô acreditando no acabei de ouvir. Eu já estava preparado para uma rejeição, e agora, esse virou o melhor dia da minha vida! - 

Empolgado, ele me abraça me erguendo no ar segurando minha cintura girando de alegria.  E logo a seguir, ele me abaixa pondo meus pés no chão, e me beijando carinhosamente.

O que foram segundos, para mim foram inesquecíveis horas. Eu mal podia acreditar no que estava acontecendo. Eu me declarei mesmo?! E agora eu sou a namorando ele oficialmente.

Esse dia foi definitivamente o melhor da minha vida até agora! Não tem nada que possa entregar minha felicidade. O mundo pode acaber se quiser, que eu vou continua feliz.

 Eu passaria a viver minha vida do lado do Naruto apartir de hoje. Ao lado da pessoa que eu amo, e escolhi para vida toda! Um sonho se tornando realidade.

 - Ok, podemos estar felizes mas temos que ir para casa agora. Já está tarde para ficar pro aqui sozinhos. - alerta mal contento a sua agitaçao

- Vamos dar uma volta primeiro! - exclamo apreensiva.

- Agora? - pergunta desentendido.

- É! - 

Não espero nem a resposta do loiro, e puxo seu braço em direção ao comércio de vendas, restaurante, roupas, entre essas coisas. 

Não querendo ser sem sentido, mas o campo onde estávamos era bem perto da vila na verdade. Alguns poucos minutos, e já estaríamos lá. Então não demoraria para chegar lá.

O mesmo se deixa ser levado por mim,  tendo conflito interno perdido, tanto pela minha ação repentina, quanto por eu entrar agindo estranhamente.

- E-ei! Onde estamos indo? -  inquiere desviando das pessoas na rua.

- Numa loja específica. - respondi sem olhar o mesmo.

 Ele se cala, e não protesta contra mim, já sabendo que seria inútil. Chegamos na loja qual eu mencione, uma lojinha de lembrancinhas, e alguns enfeites, que uma senhorinha gentil vendia.

- Por que viemos aqui? - pronuncia olhando para os lados.

- Eu quero comprar uma coisa. - afirmo olhando as lembrancinhas na mesa.

- O que? - despersa olhando o mesmo que eu.

Deslizo meu olhar entre os objetos, até chegar no qual eu quero. Dois pares de anéis,  cada um com a metade de um coração, para completar quando juntos.

- Aqui. - pego os dois sorrindo alegre.

- O que isso? - indaga se aproximando dos objetos.

- Um presente. - 

Sem avisar, eu pego a mão do Naruto, e coloco um dos anéis no dedo indicador. Em seguida colocando o meu no meu próprio dedo. E então erguendo o dedo do loiro, e colocando os anéis lado a lado formando um coração completo.

- Pronto! - felei contente, olhando feliz para o maior.

- Isso é...- o garoto olha para o anel em seu dedo ainda juntando as peças.

- Lindos, não é? -  alego deslumbrada com os objetos.

- Sim, mas por qu-  eu o interrompo

- Agora somos namorados. Por isso eu comprei.  É obrigatório usar isso, viu? - articulo sorrindo ameaçadora.

- Sim. - concorda sem questionar.

- E só uma coisa. Nada de gracinha para cima da Sakura, ou de outra garota. Ou você vai estar muito morto. - ameaço fazendo um gesto cortando o pescoço com a mão.

- Nunca nem pensaria nisso. - alega submissi aterrorizado.

- Ótimo. - sorriso angelical.

E assim nós voltamos para casa de mãos dadas, já que agora tínhamos um laço quase matrimônial. Para mim já estaria feito é o casamento. Mais a idade está contra nós, então... Não posso fazer nada.


                *Narradora ON*


A informação que era desconhecido, e que de uma certa distância havia alguém que observava toda a cena dos dois agora namorados, secretamente.

 Sendo instruído a ter seu olhar na garota 24 horas por dia, é claro presenciou toda a história, desde o dia da praia até o momento em que S/n e Naruto voltaram para casa juntos.

- Mal posso esperar para ver a ração do Sasuke depois de saber disso. - diz para si mesmo se divertindo com a situação dos três seres envolvidos.

Jungo o triângulo amoroso entre. Sasuke, S/n e  Naruto. 

Que se tem um final imprevisível. Como isso tudo poderia acabar..?



















Continua....




































Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...