História Best Friend - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias South Park
Personagens Bebe Stevens, Butters Stotch, Clyde Donovan, Craig Tucker, Eric Cartman, Jimmy Valmer, Kenny McCormick, Kyle Broflovski, Stan Marsh, Token Black, Tweek Tweak, Wendy Testaburger
Tags Craigtucker, Creek, Southpark, Tweektweak, Yaoi
Visualizações 33
Palavras 2.905
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Lírica, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nah, novo capitulo galera!
Só to repostando mesmo...
Enfim, aproveitem!

Capítulo 2 - Friendship


Escola era uma bosta. 

Tirou esta conclusão apenas pelos dois períodos de matemática que se estendiam lentamente e era tão entediante. 

Viu o relógio preso na parede acima do quadro negro,pendurado na parede marrom e sem graça. Acreditou que está quebrado pois encarou este por poucos minutos e notou que nem se mexia, sem seus pequenos estalinhos que dava. Ou talvez ele estivesse tão cansado que seus olhos nem focaram mais.

 

Apertou os braços que estavam rodeados na carteira onde deitou sobre. Passou os olhos semicerrados pelo tédio sob a sala. A maioria parecia sofrer um tipo de tortura ali dentro. Ainda mais com a voz chata do professor. Se ele já achara Sr. Garrison chato este era ainda pior.

 

Rodou pelos colegas vendo Cartman de braços cruzados e jogado na cadeira com aquela cara de nojo que fazia para tudo. Era uma atitude extremamente irritante. Quando o via assim lembrava do quão insuportável ele era. O pior é que não mudou quase nada nesses anos, continuava o ser repugnante que sempre foi. Se perguntava por que aquele grupo continuava unido. 

 

Aquela turma havia mudado nesses anos, pessoas iam e vinham, eram separados e sumiram com o tempo. Mas continuavam sendo aquela mesma turma fudida de crianças que se envolviam em aventuras doidas e até sobrenaturais. 

 

Algumas garotas conversavam enquanto copiavam a matéria, pelo menos se importavam, já que a maioria da sala estava quase em estado vegetativo. Viu Clyde no canto da sala tentando equilibrar um lápis entre o nariz e os lábios. 

 

 Clyde odiava matemática, ele nunca entendia muito, mesmo se esforçando. Chegava até a ajudá-lo algumas vezes mas sempre  discutiam e acabavam indo olhar TV e comer salgadinhos. 

 

Deu mais uma última olhada na turma, às vezes sentia falta de pessoas que costumavam estar ali. Token, Kenny, Jimmy não eram mais daquela turma, eram poucas as pessoas com quem simpatizava. Lembrou se também de Tweek.

É, Tweek, este mesmo. 

 

Nunca pensou tanto em sua relação com seus amigos. Mas, aquele loiro ele sabia que havia algo estranho nele. Recordava-se de como eram tão unidos por sua infância inteira e quase na pré adolescência mas agora estava diferente. Lembrava-se de quando Tweek foi embora, para o Canadá, por causa dos pais.Eles despediram em frente a casa do loiro. Lembrava-se das lágrimas de Clyde e do calor que sentiu quando todos se abraçaram. E depois, seguiu sua vida, depois de alguns meses, ele superou. 

 

Talvez esse seja seu maior dom. Ignorar, fugir, porque que nada importava.

 

Não estava querendo pensar em nada neste momento. Virou o rosto em direção a janela e deitando sobre os braços tentando de alguma maneira se sentir confortável. A paisagem de tons alaranjados logo indo para azul enquanto o tempo passava, o sol brilhava mesmo se escondendo pelas nuvens.

O silêncio entediante da sala de repente se tornou calmante e adormeceu.



 

Acordou novamente ao ouvir o som da sineta indicando o intervalo. O professor nem deve ter notado seu cochilo durante a aula. Na verdade nunca se importaram realmente.

Levantou preguiçosamente da cadeira pegando seu material e seguindo para a porta onde encontrou Clyde o esperando para irem ao refeitório.

 

ーCara, você entendeu alguma coisa?ーClyde foi direto provavelmente era sobre a aula.ーÉ que essa coisa de...trigonometria ta fudendo com a minha cabeça!ー ele olhou pra si com um sorriso nervoso nos lábios como se fosse brincadeira.

 

ーNão sei, dormi um período, eu acho.ーvirou encarando os corredores da escola, um monte de retardados andando e atropelando uns aos outros.

 

ー Que bosta.

 

Eles chegaram ao refeitório e sentaram se com Token na mesa ao lado da janela.

 

Clyde o pediu dinheiro pra comprar um suco, Token lhe deu  uma nota de dez dólares e falou para pegar três.

 

Quando Clyde saia ficava um silêncio, ele e Token não eram de conversar ainda mais quando este estava no celular fazendo sei lá o que.

 

Diante de um tédio colocou-se em um modo observador onde analisavam tudo. O grupinho de Stan sentado duas mesas a sua frente. Conseguia ouvir a voz estridente de Cartman fazendo alguma brincadeira provavelmente preconceituosa. Kenny acenou para si. Butters não estava com eles.

 

O grupinho de meninas era bem mais afastado algumas sorriam para si e Red lhe mandou um dedo do meio no qual retribuiu. Os sorrisos bobos daquelas garotas o irritava, elas o irritavam. Mas pelo menos eram bonitas, talvez falaria com uma ou duas depois da aula.

 

Circulou pelo canto mais escuro da refeitório encontrando um loiro sofrendo seus pequenos tremeliques. Estava uma mesa ao lado dos góticos.

Bebia café, piorando ainda mais sua situação.

Mesmo crescendo ele continuava quase o mesmo. O cabelo loiro por incrível que pareça não escureceu com o tempo como o de seus pais. Suas feições por outro lado estavam mais maduras. Se perguntava como estaria a sua voz, já que ouvira apenas um pequeno sussurro esta manhã. 

 

Mas o jovem Tucker ainda se perguntava, se o garoto já tinha voltado do canadá, por que não falou com ele nem com os outros? Ele estava afastado de todos, queria saber o porquê, será que eles haviam brigado ou algo assim para ele manter tanta distância de si? Talvez tivesse se irritado consigo, mas por quê? Ao que sabia, sua relação com ele sempre fora ótima, adorava visitá lo, ficar acordado até tarde ouvindo as teorias que Tweek inventava até pegarem no sono. Gostava de assistir Red Racer com ele, pois ele não se importava de ficar acordado até tarde para acompanhá-lo, além de ser muito engraçado. Adorava passear em grupo, formavam uma turma perfeita, divagava sobre isso. Clyde tinha as ideias ruins, Token tinha a grana, ele era o cérebro e Tweek era…ele era uma porra louca, uma hora segurava a confusão toda e às vezes se juntava a esta. Era sem dúvida um dos momentos mais felizes de sua vida.

 

Como pode deixar isso acabar? Com certeza era culpa sua, com certeza Tweek estava puto consigo e merecia suas desculpas.

 

então se levantou levemente por impulso tendo a atenção de Token atraída para si. Iria ao encontro do loiro e falaria com ele.

 

Mas quando se levantou sentiu Clyde bater em suas costas e entregar-lhe uma latinha de suco e um cachorro quente.

 

ーSegura!ーEle tinha um grande sorriso no rosto, lhe despertando do que estava fazendo.ーToken, gastei tudo em comida.

 

ーQue porra Clyde eu não vou comer essa merda.

 

ーAzar o seu.ーsentou puxando-o para baixo.ーSenta aí Craig, ja gastei muito tempo na fila, eu só quero comer.

 

não prestou atenção em mais nada e sentou olhando para aquele canto outra vez e viu o loirinho sozinho ali. Resolveu dar atenção aos seus amigos agora. Pelo menos.

 

Logo tiveram que se separar indo para a aula. Aula esta que não iria dar a mínima denovo.


 

As árvores balançavam tão serenas naquela tarde. O sol o esquentava mesmo sentado no banco frio de concreto. Ele ficará mais um tempo na escola. Tinha ajudado Token e Clyde a organizarem a quadra para treinar. Também não queria ir pra casa tão cedo.Ele resolveu deixá-los lá e experimentar o ar fresco. Agora pelo menos não estava tão frio. 

 

Puxou o pequeno papel enrolado do fundo de seus bolsos, derrubando também um pequeno bilhete. Fechou-o entre os lábios. não deviam se preocupar, ele estava no canto mais remoto da escola. A medida que este queimava deixava seus pensamentos fluírem como a fumaça.

 

Nem se lembrava quando começou a fumar.  Numa festa talvez? Talvez num dos encontros com àqueles fudidos. Clyde e Token não usavam nada até porque não podiam.  Sabia que Kenny e Stan fumavam pra caralho. Se perguntava como o loiro comprava tanto cigarro se não tinha dinheiro nem pra comer. Quando isso começou? Talvez aos quatorze. Lembrava de estar bem fudido naquela época. não que estivesse melhor hoje.


 

Se concentrou na paisagem pacífica e o leve vento em seu rosto. Estava lá, apenas se deixando guiar por algo. Coisa que quase nunca fazia. Balançava levemente a cabeça como uma criança feliz, o que já não era a muito tempo. 

 

Olhava para os lados algumas vezes, mesmo sabendo que não havia ninguém ali.

Sentiu o aparelho vibrando no bolso da calça jeans. Clyde.

 

"Cara, nós já saímos do ginásio, pode pegar meu casaco? Eu esqueci."

 

Respondeu o xingando. 

 

Olhou novamente para os lados. Terminando o cigarro e jogou-o no chão. Ficou mais um tempo ali e foi pro ginasio.

 

A escola ainda tinha os portão aberto, ainda tinha pessoa a ali, fazendo trabalhos e resolvendo outras coisas. Sabia que alguns casais ficavam pra transar nos banheiros. Mas era estranho ver os corredores vazios e silenciosos. 

 

Havia uma sala com a porta aberta, a sala de artes. Quem estaria lá nessa hora? 

 

Movido por uma curiosidade estranha, ele encarou pela fresta vendo um corpo esguio virado de costas para si. Quem…

 

Este se virou nem mesmo notando sua presença. Mas o reconheceu imediatamente. 

 

Se questionou, desde quando o loiro ficava até tarde na escola? 

 

Quis resistir a vontade de entrar mas acabou empurrando a porta atraído a atenção do garoto para si.

 

ーCraig? O que faz aqui?ー ele murmurou entre leves tremeliques. Segurava um lápis entre os dedos. Seu suéter estava manchado de tinta. Ele olhava para si enquanto ambos estavam estáticos.

 

Varreu os olhos pela sala, telas, cartolina, tintas, potes e caixas coloridas. Tudo amontoado. A luz passava pelas cortinas levemente abertas fazendo o cabelo de Tweek brilhar assim como seus olhos.

 

Depois de longos segundos resolveu que iria falar. Porém um bolo se formou em sua garganta. 

 

ーEu... Tava por aí…ー Parabéns Craig você não sabe conversar. Parece um retardado. ー o que está fazendo?

 

Ele grunhiu olhando para a mesa que o loiro estava repousando ao lado. Uma bagunça.

 

ーTrabalho. Eu estou tentando terminar isso sabe? Pontos extras.ー encarou a mesa mordendo os lábios e apertando a madeira desta.

 

Se pôs em uma leve confusão. Terminar o que? Que porra ele estava fazendo?

 

ーEstava tentando organizar. Mas acho que vou demorar muito…ーmordia o lábio batendo os pés. Isso estava o irritando.

 

Ah sim, Tweek tem aqueles ataques. Isso piorava tudo.

 

Se aproximou encostando sua mão na do loiro. Ele tremia. Deus isso o preocupava. Como faria parar?

 

Olhou para o rosto do outro. Os olhos verde-castanho arregalados tentando lhe dar um sorriso. 

 

Respirou calmamente. Tinha que se concentrar. Acariciou suas mãos da maneira mais leve e calma que pudesse fazer. Olhando no fundo de seus olhos. Os mais profundos que já vira. O incentivava a respirar calmamente.

 

Fixaram assim por pelo menos cinco minutos. A tremedeira de Tweak para. Eles apenas se encaravam até o loiro separar suas mãos.

 

ーObrigado.ーele começou a pegar as coisas e colocá-las em caixinhas espalhadas ali. 

 

Puxou um pincel caído no chão e guardou-o acompanhando cada movimento deste. Querendo ajudá-lo. Mas essa ação não foi bem vinda.

 

ーCraig. Obrigado, mas eu consigo fazer isso sozinho.ーdisse com uma careta emitindo um leve desgosto. O moreno segurou o riso.

 

ーEu sei.ーele começou a guardar alguns papéis, separando por cor.ーÉ que, eu só quero ficar aqui.

 

Olhou de relance para o loiro que apenas continuou seu trabalho. Seu silêncio soou como uma  concordância. Sorriu ajudando este.

 

Ele não tinha mentido. Queria continuar com Tweek ali. Sua companhia, mesmo que silenciosa, era melhor do que ir para sua casa e passar por um puta estresse. Ou de ficar apenas jogado pelos corredores.

 

Demorou um pouco até eles começarem a dialogar. O loiro tentava explicar o motivo por estar ali. Sobre as aulas. Até sobre como gostava daquela sala. Daquele ambiente.

 

Ele apenas concordava divagando com a voz dele. Havia engrossado nestes anos, não muito. Mas pelo menos não tinha uma voz de criança.

 

Riu ao se lembrar do pequeno Tweek. Com 10 anos ele tinha uma voz esganiçada e engraçada. Talvez porque ele vivia gritando. Será que ele continuava com aqueles tiques?

 

ーDo que está rindo?

 

O loiro o encarava tentando empilhar as caixas no armário, se alongando sem sucesso.

 

ー De você.

 

ーAH. Hm.ーmordeu o lábio. De novo.

 

ーQuando éramos pequenos…ーandou até ele.ー Você vivia gritando.ーempurrou suas costas levemente arrumando as caixas.ーEstá melhor?

 

Ele assentiu, estava vermelho. Talvez do que falou sobre ele. Ficou um pouco arrependido.

 

ーFiz tratamento. Os gritos pararam. Mas eu continuo tendo ataques.ー baixou o olhar virando para a janela.ーSó não tanto pelo menos.

 

Eles se puseram em frente a janela. Num silêncio confortável.

 

ー Mas você mudou. ー virou, dando  atenção a este. .ー Ta muito alto.

 

Ele sorria brincando consigo, as bochechas cheinhas cobertas por sardas. Notou então que o sorriso dele era extremamente contagiante, sorriu também, concordando com o mais baixo.

 

Saíram o mais rápido da sala, não vendo mais ninguém no lado de fora. Pelo menos ainda não estava escurecendo.

 

ーJá que terminamos eu já vou indo ta?ー Tweek declarou, pondo a mochila sobre os ombros e se afastando de si.

 

E, por puro reflexo ele segurou o braço do garoto. 

 

Olhou para sua mão envolta do antebraço do outro se perguntando o que fazer.

 

ーFica.ーera isso uma ordem? Com que direito se achava para mandar nele? Temeu que Tweek se irritasse com isso então largou-o. ーDesculpe, eu preciso fazer algo...vem comigo?ー olhou em seus olhosーE aí, se quiser, podemos ir juntos, será melhor.

 

Demorou um pouco, mas o loiro concordou com um sorriso.

ーTudo bem ー sentiu a presença do loiro atrás de si, com seu sussurro.

 

E seguiram até o ginásio tendo que sair pelos fundos da escola.

 

ーTa escurecendo.ーouviu Tweek dizer, o sol se pondo com a luz rosada trazendo um azul profundo por outro lado.ー É lindo né?ー viu uma pequena risada vindo dele. 

 

ーPara um garoto cheio de problemas, você está muito sorridente.ーbrincou arrancando um riso do outro.

 

ーPara um garoto babaca e sem sentimentos você está muito sorridente.ーdevolve e craig não conteve um leve riso, foi obrigado a concordar.

 

Entraram no ginásio rapidamente, ao contrário que o moreno esperava, ainda haviam pessoas lá. As lideres de torcida, treinando, Bebe sorriu para eles balançando os cachos loiros presos num rabo de cavalo e assim a ficha caiu.

 

O bastardo estava muito ocupado flertando com a loira do que se preocupando com as suas próprias coisas.

 

Assim que o visse novamente iria lhe dar um soco.

 

Alcançou a peça de roupa jogava em alguns metros sobre as arquibancadas. Pegou o casaco com certo nojo. Tinha quase certeza que devia estar fedendo a perfume, pelo jeito que o amigo era.

 

ーÉ seu?

 

ーClyde, por que?

 

Tweek deu de ombros e seguiu caminho para a saída. Craig pôs o casaco na mochila e se apressou atrás dele.

 

ーLembra do Clyde né?ーresolveu quebrar o silêncio  quando já passavam pelos corredores.ーNós andávamos juntos lembra?

 

ーuhum.

 

não sabia se tinha interpretado mal ou não, mas Tweek parecia um pouco desconfortável. Queria poder contornar isso.

 

ーEntão, como vai?ー sentiu o peso dos olhos verdes sobre si. Saindo dos portões da escola.ー Digo,em tudo sabe?

 

ーBem, no possível.ーrespondeu.ー Eu to trabalhando às vezes com meus pais, eles me deixam dinheiro em troca.ーchutou uma pedrinha, e mais outra, distraído.ーE eu até que vou bem na aula.

 

Virou, tirando atenção desse por alguns segundos, vendo os postes de luz ligados no caminho, precisavam se apressar.

 

ーE seus amigos?

 

Olhou de relance para outro, apertou as alças da mochila.

 

ーVocê sabe, eu ando sozinho.ーSe culpou internamente ao notar a pequena mágoa na voz do loiro. Muito bem Tucker, você fudeu com tudo, de novo.

 

ーNão devia. não faz bemーo que era agora? um psicólogo? Que moral ele tinha para falar.ー Poderíamos andar juntos.ー Bateu seu ombro no dele levemente, tentando fazê-lo melhorar.

 

ーÉ, tá bom.ーuma risada sarcástica. Mas pelo menos isso.

 

Ficaram um bom tempo andando em silêncio. Craig seguiu o olhar, avistando a casa verde escuro logo a frente, igual a antes, como sempre foi. Aliviou-se por ainda se lembrar do endereço do loiro, mesmo depois de tantos anos. E por ele ainda ter voltado para aquela casa depois de tanto tempo.

 

ーTweek.ーchamou, na frente de sua casa, e o garoto virou para si com a chave de casa em mãos. Olhos inquietos.ーEu não to brincando.

 

Viu seus olhos entristecem, ele suavizou as têmporas, mordendo o lábio com uma expressão triste. Suspirou ao notar que não iria ajudá-lo dessa maneira. Precisava contar a ele. Se livrar de todos aqueles pensamentos que estavam o consumindo.

 

ーTweek, por mais que você duvide. Nossa amizade foi realmente importante, mesmo que, nos estivessem separados. Entãoー sentiu um nervosismo estranho, um frio correndo pelo seu corpo inteiro, odiou essa sensação.ー Eu espero que você valorize isso. Porque, o que quer que eu tenha feito de errado. Eu quero concertar. E eu preciso da sua ajuda pra isso porque eu. Eu, sinto falta daquilo…ーSoltou, como se tivesse fogo em sua garganta, liberando seus pulmões.

 

Encarou o aloirado a sua frente, os olhos agora arregalados e apertando as duas mãos, como se estivesse se segurando.

 

ー Eu posso tentar.ー disse, lhe abrindo um sorriso sincero, na qual Craig não via faz muito tempo. 

 

Após essas palavras, se despediram e Tweek entrou em sua casa. E o moreno ficou lá, pensando. Até finalmente seguir para sua casa, mal contendo a euforia dentro de si.



 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, qualquer comentario é bem vindo.
Se quiserem favoritar ou compartilhar a historia, saibam que isso ajuda muito, pois me motiva a escrever o quanto antes!
Ou não, a escolha é sua!
Enfim, se quiserem, deem uma olhada nas minhas outras fics!
(sao todas de Creek, uma de Bakudeku, por enquanto...)
Paradise:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/paradise-17838525
Greek God:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/greek-god-17838205
Fantasma da Ópera:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/o-fantasma-da-opera-17838355
E a de Bakudeku:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/baby-im-yours-17838461

É isso! até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...