História Best Mistake - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Cole Sprouse, Justin Bieber, Madelaine Petsch
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Álcool, Drama, Droga, Justin Bieber, Madelaine, Romance, Sprouse
Visualizações 118
Palavras 1.731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Chapter I


Fanfic / Fanfiction Best Mistake - Capítulo 2 - Chapter I

Acordei com alguém esmurrando a Porta do meu quarto, resmunguei e afundei a cabeça no travesseiro soltando um xingamento. Não sei como vim parar aqui e muito menos como cheguei em casa, a última lembrança que tenho é de estar em uma boate dançando com um cara que eu não conhecia. Ainda usava a roupa da festa e estava fedendo álcool, minha boca tinha um gosto estranho que não consegui identificar o que era.

- Já vai. - Gritei e levantei da cama com a mão na cabeça

Mal abri a porta e Theodore invadiu meu quarto jogando o jornal do dia em cima da cama

- Você quer acabar comigo Chloe? - Ele falou autoritário andando de um lado para o outro. – Olha só pra você. – Ele fez um gesto com mão apontando pra mim e me olhando de cima a baixo. – Está parecendo uma prostituta. Minha filha agindo como uma vagabunda. – Ele gritou apontando o dedo na minha cara.

- Nossa! – gritei ignorando-o totalmente e pegando o jornal em cima da cama. – Primeira capa de novo - Falei em tom provocativo. - Filha do famoso empresário Theodore Agnolletto mostra partes intimas enquanto faz dança sensual em boate. - Comecei a ler e Theodore estava tão vermelho quanto uma pimenta. - Qual é papai sua filha está na primeira capa devia estar orgulhoso de mim, afinal essa é a terceira vez que fico na primeira capa jornal só essa semana, ou é a quarta?- disse com sarcasmo e comecei a rir. - É uma pena eles terem censurado. - Joguei o jornal dentro de uma gaveta onde tinha outros jornais e revistas falando sobre mim.

Ele pegou no meu braço e depositou um tapa forte em meu rosto, senti um ardor na bochecha esquerda e em seguida um formigamento. Levei a mão aonde ele havia batido e senti minha garganta apertar a vontade chorar era incontrolável, mas eu não ia chorar, não na frente dele.

- Covarde! – gritei puxando meu braço que ele segurava.

- eu devia ter te colocado na linha quando você ainda era criança, sua mãe estragou você.

- Quem é você para falar que ela me estragou? Você acabou com a vida dela. – Senti meus olhos ficarem cheios de lagrimas mas me controlei para não deixá-las escorrer.

- Errado! Ela fez isso sozinha.

- Ela fez de tudo para cuidar de mim enquanto você fodia a mulher que dizia ser amiga dela. – Cuspi as palavras e ele passou a mão no rosto totalmente fora de si.

- Isso tem que parar. - Ele falou. - Parar agora. - Ele pegou o celular e saiu do quarto batendo a porta.

Joguei-me na cama e abracei meu travesseiro e comecei a chorar, eu chorava descontroladamente. Soltei um grito abafado no travesseiro e comecei a gritar o quanto eu o odiava. Meu celular começou a tocar e sem ver quem era eu o peguei e joguei longe de mim mas ele caiu em cima do tapete. Mas ele tocava freneticamente, peguei-o novamente e quando olhei no visor vi que era James.

Péssima hora para ligar.

James era um amigo com quem eu transava às vezes. Ele me vendeu Esctasy uma vez e foi assim que nos conhecemos, eu tinha 16 anos, estava em um racha junto com Justin. Os dois não se dão bem, Justin diz que ele é má influência pra mim como se ele fosse um exemplo de pessoa. James é uma pessoa legal mas acha que só porque transamos de vez em quando temos alguma coisa, ou que devo algum tipo de satisfação à ele. Para ele estar me ligando desse jeito com certeza já viu minha vagina estampada na primeira capa do Jornal.

Desliguei o Celular e enxuguei o rosto na tentativa de cessar o choro. Fui até o banheiro e coloquei a banheira para encher enquanto eu me despia. Peguei um cigarro e o acendi e tragando uma vez antes de entrar na banheira. Fiquei uns trinta minutos ali e nesse meio tempo fumei uns três cigarros.

Me enrolei na toalha e com outra tirei o excesso de água do cabelo e enrolei a mesma na cabeça. Peguei outro cigarro antes de sair do banheiro. Levei um susto quando saí do banheiro e vi Justin deitado em minha cama sem camisa usando somente uma bermuda.

- O que você está fazendo aqui? – Perguntei indo até o closet pegar uma roupa.

- Acordei com você discutindo com Theodore e vim ver como você estava.

Vesti a calcinha por debaixo da toalha e depois a calça jeans preta surrada. A toalha caiu no chão e eu coloquei o sutiã depois uma camiseta cinza sem manga e por fim um tênis. Me olhei no espelho do guarda roupa e meu rosto ainda vermelho.

- Estou bem. – Falei indo até a sacada do quarto. - Está cheio de paparazzi lá fora. – Dei a última tragada no cigarro e depois o apaguei e joguei o mesmo pela janela.

Comecei a pensar, e Theodore não podia simplesmente me bater e não acontecer nada com ele, pensei em ir lá em baixo e fazer um show falando que ele havia me agredido mas pensei melhor e resolvi não pegar tão pesado, não dessa vez.

- Hora do show. - Olhei pra trás encarando Justin com um meio sorriso.

Tirei a blusa e o sutiã, abri os braços e gritei:

- Bom dia Miami. – Todos os paparazzi que estavam ali se voltaram para a Janela e imediatamente começaram a tirar fotos

Justin deu um pulo da cama e correu até mim entrando na minha frente. Ele me segurou pela cintura e me levou de volta para o quarto me jogando na cama e em seguida fechando a cortina.

- Ta ficando louca?

- Isso é para Theodore aprender a não encostar o dedo em mim. – Falei. – minha vontade mesmo é de ir até lá e acabar com ele.

- Ele te bateu? – Justin perguntou notando a vermelhidão em minha bochecha.

- Com toda força dele. – Falei.

- Ok, se veste porque eu não estou conseguindo raciocinar. – Ele falou olhando para os meus peitos e eu dei risada.

- Incomodado com peitos, estou te estranhando. – Peguei meu sutiã e minha blusa e vesti novamente.

- Não, só é estranho. Você é tipo minha irmã mais nova se eu ficar excitado vendo seus peitos seria quase um incesto. – Revirei os olhos.

- Não seja ridículo, já te falei que não somos irmãos então para com isso – Mudei meu tom de voz. Eu sempre fui secretamente apaixonada por Justin e quando ele se refere a nós como irmãos eu sinto vontade gritar para o mundo que eu amo ele além da amizade.

- A gente se parece um pouco. – Ele falou.

- Eu sou mais bonita. – Falei levantando e indo até a penteadeira para me maquiar

Passei base e pó compacto para disfarçar o vermelho e as olheiras em meu rosto, e depois passei um delineador na parte superior do olho e um batom vermelho. Deixei meu cabelo molhado, minha cabeça estava doendo e ligar o secador a essa altura só pioraria as coisas.

Puxei Justin pelo braço para irmos tomar café da manhã, quando saí tinha um segurança parado na porta do meu quarto, estranhei porque normalmente os seguranças ficavam espalhados pelo jardim e os que estavam do lado de dentro nunca ficavam parados muito menos na porta do meu quarto.

- O que faz aqui? - Perguntei

- Sou seu novo segurança senhorita. - Ele respondeu com seriedade

- Ah jura? Você é uma gracinha. –Falei com uma voz como quem estivesse animada com a notícia e apertei a bochecha dele. - Na verdade é o segurança mais bonito que já tive. - Olhei ele de cima à baixo, seu cabelo era comprido e escuro. Ele era alto e forte parecia mais um dos modelos da Agencia do meu pai do que um segurança. - É uma pena que eu vou ter que demiti-lo antes de aproveitar tudo isso. - Passei a mão em seu peito por cima do termo e pisquei pra ele dando as costas indo em direção a escada.

Senti ele me seguindo

- Que parte do "você está demitido" não entendeu? – Falei sendo totalmente rude.

- Fui avisado que a senhorita tentaria me demitir mas somente seu pai pode fazer isso. - Ele disse e eu senti meu rosto entrar em chamas.

- Justin eu vou matar o meu pai. - Falei trincando os dentes.

Dei meia volta seguindo caminho até o escritório de Theodore. Abri a porta com tudo fazendo todos me olharem.

- O que você pensa que está fazendo? - Coloquei minha mais em cima da mesa dele e inclinei o corpo pra frente para encará-lo.

- Já vi conheceu Avan. – Ele sorriu. - Você está parecendo um trem desgovernado Chloe, e precisa de um freio. – Ele apoiou o cotovelo na mesa e cruzou as mãos. – Isso é para o seu próprio bem filha, você ainda vai me agradecer por isso. – Ele falou todo cínico

- Você vai precisar de mais que um segurança para impedir que esse trem desgovernado te atropele. – Minha voz saiu em um rosnado. Me virei e sai dali ele me chamou mas eu o ignorei e continuei andando.

Puxei Justin pelo braço e saí tendo um ataque de nervos, eu não queria um segurança, eu sempre odiei esses caras atrás de mim, sempre que Theodore contratava um eu dava um jeito de demiti-lo, eu gosto de liberdade e não de um cara seguindo cada passo meu.

- Você está parecendo um cão raivoso soltando espuma pela boca. – Disse Justin rindo enquanto sentávamos na mesa da cozinha.

- Não tem graça nenhuma. – Falei brava

Celular do Justin começou a tocar e ele atendeu com a boca cheia de bolo

- Alô. – Olhei com cara de nojo pra ele. – Oi Amélia... – Revirei os olhos ao perceber que era a sogra dele. – Não aconteceu nada com minha voz é que eu estou comendo... O que? Quando? Mas ninguém me falou nada... Ta tanto faz, eu vou. – Ele desligou e eu olhei pra ele com curiosidade.

- O que a velha queria? – Perguntei

- Amanda saiu hoje da clínica e sobrou pra eu ir buscar ela.

- A vida literalmente tirou o dia para conspirar contra mim. – Disse rindo sem humor e levantado da mesa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...