História Best Of Me - NamJin - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS), Kim Nam-joon / Rap Monster
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags August D, Banana Do Namjoon, Bts, Gays, Hoseok, Jay Park, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Kim Jisoo, Kpop, Lemon, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Sana, Seokjin, Suga, Taehyung, Taekook, Twice, Vhope, Vkook, Vmon, Yaoi, Yoongi, Yoonmin
Visualizações 89
Palavras 1.716
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá volteiiii

Capítulo 20 - O quê


Namjoon×on×

—QUE? SENHOR CHAN? É VOCÊ?

—Vamos sentar para eu te explicar as coisas.

"— não acredito, ainda por cima é meu chefe... respira Namjoon."

—O que o Seokjin está fazendo aqui? — diz o senhor se sentando no sofá

—Eu que devo lhe perguntar! — diz Seok.

—Seokjin, vai para o quarto, é assunto de família.

Seokjin se levanta e pega os travesseiros, os cobertores e eu o ajudo com o colchão, eu estava tão chateado, mas eu tenho que ouvir essa história.
Volto para sala e me sento no outro sofá, ficando de frente para o "casal".

—Você não deveria estar com Seokjin, eu já lhe avisei sobre isso. — diz Sr.Chan

—Ele mudou, ele não é mais assim!

—Seokjin nunca vai mudar!

—Não acho justo o senhor falar dele, sem ele estar aqui para se defender!

—Ele vai vir com a mesma historinha.

—Hyung! Vem aqui por favor. — Seokjin aparece e fica em pé do meu lado — Sente-se. Agora diz a ele tudo o que o senhor estava falando, diz na frente dele!

—Dizer o que ele já sabe?

—Eu mudei, tá legal? Eu não sou mais daquele jeito! — diz Seok com a voz tremula brincando com os meus dedos em sua mão.

—Namjoon, então, não tem amiga nenhum. — diz minha vó interrompendo.

—Então a pessoa que sempre exigiu que contássemos a verdade, acabou de mentir... hm... prossiga Senhora Kim.

—Um tempo antes de você se mudar eu comecei a conversar com ele, e então você se mudou, tive que contar para Jisoo, assim você não descobriria.

—Então até a Jisoo sabia e eu não... interessante.

—Namjoon eu ia te contar!

—Sim, assim como contou que conheceu ele né? Poxa eu achei que éramos amigos, que você iria me contar tudo assim como eu te conto!

—Nós íamos contar Namjoon, eu só procurava o momento certo.

—O momento em que eu abrisse a porta e visse vocês se beijar? Belo momento em.

—Namjoon tenta entender, assim como você não me conta algumas coisas, eu também tenho esse direito!

—Me diz o que eu não te conto. Tudo eu conto, sou... era um livro aberto com você, conto tudo, e agora vem dizer que eu não conto nada?

—E quando você teve seu primeiro amor, você me contou?

—Ah por favor, eu era garoto, estava no início das descobertas e tinha medo da sua reação a saber meu gosto sexual.

—Não usa sua sexualidade como desculpa, você sabe que nunca me importei com isso!

—Mas eu me importei, tive medo, tive fraquezas, inseguranças da sua reação, medo de decepcionar quem eu amo... a única pessoa que eu tinha comigo... — me levanto saindo da sala.

—Namjoon volta aqui ainda não terminamos! — escuto a voz trêmula da minha avó.

Seokjin vem atrás de mim entrando no quarto, me dou o direito de bater a porta e tranca-la em seguida.
Deixei as lágrimas caírem, não fiz questão de reclamar da presença de Seokjin, muito ao contrário, agradeci, não tinha quem eu contar ali no momento, Tae estava corrido com a faculdade, Jhope descansando para trabalhar amanhã, o belo casal YoonMin com certeza fazendo algo de casal, eu me encontrei sem ninguém.

Com passos lentos fui até a cama tirando minha camisa, me deito na cama e me encolhendo.

—Nam, não fica assim, vai passar...

A doce voz do meu hyung invadiu meus ouvidos me causando arrepior.

Jin se sentou e fez questão de puxar delicadamente minha cabeça para seu colo, acariciando meus fios.

Obrigado Seokjin.

Junto com suas carícias e algumas músicas aleatórias cantaroladas por ele, eu fui me acalmando, o choro amenizou, a raiva, tudo, eu estava quase entrando no sono, até que a porta foi tentar ser aberta bruscamente, Seok se levantou e abriu, pela sombra a cirueta era da minha avó, o que fez meu coração apertar, ela aproxima-se sentando na cama, colocando a mão no meu cabelo.

—Namjoon... m- — a interrompo.

—Por favor... saí do meu quarto... eu não quero conversar, por favor saí!

Ela se levanta e saí do quarto, Jin volta para cama e  se deita me abraçando.

—Você sabe que vai ter que falar com ela alguma hora né?

—Eu sei, só não sei se vou conseguir...

—Você vai, eu sei que vai...

—O que acha de voltarmos depois de amanhã pra faculdade?

—Tem certeza disso?

—Tenho.

—Ok, então voltaremos.


Na Manhã seguinte...



—Jin, vamos ao parque? Não tem nada para fazer aqui...

—Fazer o que no parque?

—Sei lá, só quero sair.

—Então vou me arrumar.

Nos arrumamos e saímos do quarto, olho para cozinha e vejo minha avó e o Sr.Chan tomando café da manhã.

—Onde os mocinhos vão as 11hrs da manhã sem tomar café?

Apenas ignoro pegando na mão do Jin e o puxando para sairmos logo da li.

—Vamos no parque Sra.Kim. — diz Seokjin com passos apressados atrás de mim.

Fecho a porta e pego minha bicicleta e subo em cima, Seokjin segura em meu ombro e sobe nos pezinhos. Pedalo até o parque e deixo a bicicleta em um canto para não atrapalhar as pessoas.

—Sorvete? — pergunto o olhando.

—Algodão doce!

—Ok, vou ir comprar!

Me levanto e busco dois algodões doces, não era do colorido, então não fiz questão de escolher, paguei e voltei para o banco.

—Aqui esta! — entrego o dele.

—Ya! Por que o seu é maior que o meu?

—Ué, é do mesmo tamanho... quer trocar?

—Não, mas da próxima vez eu troco!

Rio e fico observando o playground, a garota qual eu e Seokjin brincamos estava lá, junto com mais duas crianças, elas estavam brincando nos brinquedos, até que uma delas a empurra, a garota caí no chão e começa a chorar, enquanto as duas crianças que estava com ela riam e corriam para o balanço, a garota se sentou no chão e continuou a chorar, ela chorava tanto a ponto de soluçar.
Me levanto e vou até ela.

—Taeyoony? — digo colocando a mão no joelho da garota.

Ela levanta sua cabeça, mostrando seu rosto todo avermelhado. Até assim ela é fofa.

—O que houve princesa?

E-Eles me empurram e eu machuquei o joelho... — disse entre as lagrimas e o soluço.

—Vem, vou fazer um curativo nisso. — me levanto e estendo a mão para ela se levantar.

A garotinha se levanta e volta achorar alto.

—Ta doendo!! — disse chorando mais e mais.

Pego ela no colo.

—Calma, já vai passar, vamos comprar um curativo?

Ela concorda com a cabeça, vou até Seokjin que devorava seu algodão doce.

—Jin eu vou-

—Eu sei, vai comprar curativo para ela, vai lá, mas não me culpe se eu comer seu algodão doce!

—Ok, logo eu volto!

Sorrio para ele e a travesso a rua, já que em frente havia uma lojinha que provavelmente venderia de tudo. Adentro a lojinha já indo onde poderia haver curativos.

—Yoony, você quer qual? O das princesas ou do Mickey? — pergunto com ambas caixinhas na mão.

—Vou que-querer da hello kit! — diz entre os soluços apontando para a caixinha.

Pego a caixinha e soro para limpar o machucado, vou até o caixa e pago tudo, logo voltando para o banco que Seokjin estava.

—Voltei! — digo sentando Yoony no banco, me abaixando em sua frente.

—Tarde de mais! Já comi seu algodão doce! — Seokjin diz com um sorriso nos lábios, enquanto se deliciava lambendo seus dedos sujos com o açúcar derretido.

—Quer mais um? — digo enquanto abria as coisas para fazer um curativo na garota.

—Depois. — ele sorri.

—Você vai ter que esticar a perna ok? — seguro com cuidado na perna dela, esticando cuidadosamente.

Mas nada adiantou, a garota abriu o maior berreiro, enquato eu esticava sua perna, Seokjin até tentou ajudar, mas todos já nos olhavam.

—Yoony, não precisa disso! Olha só, todos estão nos olhando! Se você não chorar eu até te dou algo, hm? O que acha?

A garota concordou com a cabeça e vou aos poucos parando o choror alto, Seok estava com ela em seu colo, tenta o máximo distrair-la enquanto eu fazia um curativo simples na garota.

—Pronto! —pego-a no colo. —Viu? Não precisava chorar tanto. —dou um beijo na bochecha da garota, limpando o caminho que as lagrimas fizeram. —Venha Jin, vamos comprar mais algodão doce.

O garoto se levanta todo alegre, fomos fazer os pedidos e depois de alguns minutos TaeYoony decidiu pegar sorvete de morango, Seok pegou mais um algodão doce e eu apenas uma água, voltamos para o banco que estavamos e Seokjin ja havia comido metade do algodão doce.

—Jin você vai acabar ficando com diabetes!

—É que é algo tão bom... Tão docinho...

—E muito enjoativo! — digo vendo a Taeyoony terminar o sorvete. — Bom, agora vamos?

—Titio Joonnie...— diz a garota lambendo seus lábios. — Eu não quero ir...

—Sua mãe deve estar preocupada, então temos que ir, ok?

Ela faz uma expressão triste, mas concorda com a cabeça. Nos levantámos do banco e começamos a caminhar, seguro uma das mãozinhas finas da Taeyoony, e a mão macia e delicada do Seokjin, entrelaçando nossos dedos.

TAEYOONY! O QUÊ VOCÊ ESTÁ FAZENDO COM ESSES RAPAZES?

—Oh, desculpe, ela se machucou então nós ajudamos ela praz-

—Venha Taeyoony, saía de perto desses viadinhos. — diz a mulher não tão nova, puxando a garotinha para si.

—Mamãe eu quero ficar com eles...

— me agacho, ficando um quase da altura da garota. — TaeYoony, obedeça sua mãe, ok? Nos vemos qualquer dia desses! — sorrio.

—Nunca! Vocês nem ousem chegarem perto da minha filha!

Taeyoony se solta da própria mãe e me abraça.

—Tio ela vai me bater...

—Cala a boca TaeYoony! — diz puxando-a forte mente para si — Eu sei muito bem cuidar da minha filha, e se me denunciarem terão que se ver com meu marido, a arma dele adorará conhece-los!

—Está nos ameaçando? — me levanto para poder encara-la.

—Estou sim, sua bixinha.

—O quê você di-

—Nam... Vamos embora... — diz segurando em meu braço, me fazendo dar um passo para trás, nego com acabeça.

—Tchau Yoony, até logo princesa! — digo logo dando as costas para a garota.

Depois de pegarmos uma boa distância, suspiro alto.

—Eu irei ligar para a polícia.

—Namjoon, você quer morrer? Você ouviu o quê ela disse?

—Não me importo!

—Pois deveria...



×Quebra do tempo×



Depois de voltarmos por esquecer da bicicleta,  fomos para casa, guardamos a bicicleta e aproveitamos um pouquinho do escuro da garagem, dando alguns beijos quentes.

—O quê irá querer para o jantar? Estou afim de cozinhar hoje... — Seok diz entrando em casa — O gato comeu sua língua Namjon? — diz ao perceber que eu não havia respondido.

Ji-Jin...— digo olhando para frente.

AÍ MEU DEUS NAMJOON! LIGA PARA AMBULÂNCIA AGORA! — diz desesperado ao ver minha avó estirada ao chão.


Notas Finais


Olá, tudo bom? Kkkkdesculpa, eu sei que sumi por 2 meses, mas eu não estava com tempo para escrever, por isso o capítulo ficou bem bosta e curto, prometo atualizar novamente o mais rápido possível, espero que entendam.
Obrigado por tudo! Amo vocês!
Beijos de banana até a próxima semana!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...