História Best Of Me - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bts, Hoseok, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Kookmin, Namjoon, Taehyung, Vhope, Yoongi
Visualizações 195
Palavras 1.906
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Mistério, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Essa foto ❤️😍
Os capítulos estão saindo menores porque a escola está me deixando exausta.
Mas logo melhora
Boa leitura ❤️

Capítulo 20 - Sequestro!


Fanfic / Fanfiction Best Of Me - Capítulo 20 - Sequestro!

Cheguei no apartamento meio tarde, fiquei conversando com Taemin em uma pequena pracinha, infelizmente ele não disse nada de relevante, ou alguma pista que me ajude.

Entrei no apartamento de Taehyung, ambos já estavam dormindo ou pelo menos Taehyung estava, Shin abriu os olhos quando me ouviu entrar na casa.

- como foi? - ela pergunta.

- chato, não consegui nada e ainda encontrei Jungkook na rua. - falei com um tom chateado ao lembrar de suas palavras.

- ele viu vocês? - ela se assusta.

- sim, e disse que foi esse o motivo pelo qual eu saí da gangue e disse que não se importa. - uma única lágrima cai do meu olho e Shin vai até mim e me abraça. - aquelas palavras quebrou meu coração, mas sei que o machuquei também indo embora quando jurei ficar do seu lado.

- calma ruivinho, tudo vai se resolver, eu tenho uma notícia para te dar. - ela fala e me afasto. Será uma esperança?

- diz logo então.

- Taehyung descobriu algo, ele teve a ideia de tirar fotos do local para depois analisar, às vezes passam coisas pelos nossos olhos que não percebemos, e foi isso que aconteceu. - ela fala meio baixo para não acordar Taehyung que dormia em um colchão.

- e o que descobriram?

- vem. - ela me chama até o quarto de Taehyung aonde tem seu PC, ela abre uma imagem aonde tinha uma mulher provavelmente saindo da casa dos BIGBANG, ela parecia com medo.

- quem é ela? - perguntei.

- pesquisei por um tempo e descobri que o nome dela é Jennie, uma estudante de jornalismo e Taehyung a fotografou saindo da casa dos BIGBANG, ela parece assustava, temos que investigar isso. - Shin explica.

- vamos falar com ela. - eu disse simples.

- vai você sozinho amanhã, eu te passo o endereço da faculdade, eu e Taehyung vamos continuar vigiando. - ela termina e eu apenas assinto e vamos dormir ao lado de Taehyung.

Demorou para eu conseguir dormir, aquelas palavras de Jungkook ainda ecoavam em minha mente, eu sentia uma vontade forte de chorar mas tinha que segurar, Jungkook tinha motivos para estar chateado e eu entendo isso, a única coisa que me resta é torcer para tudo dar certo e ele me perdoar.

Sei que Shin também não conseguia dormir, pois estava seus soluços, resolvi deixar ela quieta porque assim como eu, ela deve querer ficar sozinha. Demorou, mas o sono me dominou e finalmente consegui dormir, acordei só de manhã com os barulhos que Taehyung fazia na cozinha.

Era muito barulho e acabou acordando Shin também. O que ele deve estar fazendo?

Levantei e Shin fez o mesmo indo logo atrás de mim até a cozinha aonde Taehyung estava.

Ele estava em cima da mesa.

- que porra é essa? - Shin pergunta ao ver Taehyung em cima da mesa com um chinelo na mão e cara de assustado.

- ba-barata. - ele gagueja e eu me segurei para não rir da sua situação, estava precária.

- você é um ex-gangster que tem medo de barata? - perguntei.

- querido, eu ainda sou um gangster, mas você não tá entendendo, essa coisa voou Jiminnie, ELA VOOU. - ele grita a última parte e Shin se contorcia de rir atrás de mim.

- só você mesmo Taetae. - falo rindo e vejo a barata no chão e logo mato ela facilmente. - pronto, agora desce daí.

Ele desce mais aliviado e começa a rir da sua situação totalmente corado, Taehyung é realmente uma criança.

- eu fiz o café da manhã. - ele fala após se recuperar.

- vamos comer então, eu vou ver a Jennie na faculdade. - falei pegando meu café e indo para a sala.

- lugar de comer é na mesa. - Taehyung me repreende.

- aonde você estava pisando agora? Não obrigado, eu passo. - falo rindo e ele me olha irritado.

Comi rápido e troquei de roupa, precisava ir logo na faculdade para falar com essa garota, seja o que for que ela foi fazer lá na casa da gangue, ela sabe de algo.

Taehyung e Shin saem primeiro para a vigia e eu saio logo depois fechando o apartamento.

Fui até meu carro e coloquei o endereço da faculdade no GPS. Não era tão longe, chegaria lá em poucos minutos.

E foi isso mesmo, em quinze minutos eu estava na porta da grande universidade. Eu tinha a foto de Jennie no meu celular para poder reconhece-la, não demorou muito até eu ver uma garota muito parecia com a da foto se aproximar da escada com destino a entrada da faculdade.

Me aproximei dela e toquei seu ombro, ela parou na hora e ficou paralisada virando sua cabeça devagar.

- quem é você? - ela pergunta assustada.

- não se preocupe, não vou te machucar, só quero conversar. - falo com calma para deixá-la mais confortável.

- eu tenho aula agora.

- tenho certeza que pode faltar um dia, isso não vai matar. - não devia ter falado assim.

- sinto muito, tenho que ir. - ela ia subindo as escadas.

- o que fazia na casa dos BIGBANG? - perguntei alto e ela paralisou, fui até ela.

- como sabe?

- isso não importa, podemos conversar, não vou te fazer mal. - falei com calma e sorrindo, ela pareceu se aliviar quando sorri e assentiu. - vamos então, vou te pagar um sorvete.

Ela me segue até uma sorveteria, comprei um sorvete de chocolate para ela e nos sentamos em um banco na praça.

- o que quer conversar? - ela pergunta terminando o sorvete.

- o que fazia lá? - pergunto mas ela parece ficar em pânico.

- se eu disser ele me mata. - ela fala assustada.

- eu te protejo, ele também quer me matar mas estou disposto a fugir disso, e assim salvo você também. - falei firme.

- você não entende, eles estão melhores que nunca, de você ainda não foi morto, é porque eles não querem. - ela fala como se fosse normal

- exatamente, eu sou útil para eles e você também pelo jeito. - falei e ela me encara. - eu quero acabar com isso, estamos no mesmo barco, eu te ajudo e você me ajuda.

Ela hesita mas respira fundo quase aceitando.

- como posso saber se você não é pior que ele? - ela pergunta.

- graças as ameaças dessa gangue eu fui obrigado a deixar a vida maravilhosa que eu tinha e o homem por quem eu me apaixonei, talvez eu seja pior sim, mas só para ele, não vou fazer mal a você, é uma promessa. - falei e ela sorri para mim.

- você está apaixonado? - pergunta com um tom triste

- muito, mas só vou poder voltar para ele, se eu estiver livre dessas ameaças. - falei forçando um sorriso.

- eu também me apaixonei uma vez, mas ele se envolveu com coisas que não devia, eu tentei ajudá-lo fazendo um trato com o líder dos BIGBANG, mas no final ele vacilou com o líder e o mesmo matou ele. - vi uma lágrima cair de seu olho.

- que trato? - perguntei.

- ser ajudante deles, o líder disse que me amava e tudo mais, até hoje diz mas eu não acredito, ele só quer se divertir, ele só quer me usar. - ela fala com voz chorosa, eu acreditava nela.

- você sabe algum ponto fraco dele? Alguma fraqueza? - perguntei.

- ele sempre dizia que sua fraqueza era eu. - ela diz, será que ele ama mesmo ela?

- apenas você? - perguntei. Ela assente.

- eu não vou te usar para chegar até ele. - falei. Não podia fazer isso.

- eu não ligo, só assim para descobrir se sou mesmo sua fraqueza.

- tudo bem, amanhã eu volto para te dizer o que decidi, ok? - perguntei e ela assente sorrindo e me despeço dela.

Ela não foi tão útil quanto pensei, ou talvez sim, só vamos descobrir quando colocarmos o plano em ação.

Resolvi voltar para o apartamento porque eu não tinha o que fazer na rua.

Segui meu caminho, ao passar por um beco, alguém me puxa para ele e tampa minha boca, eu tento gritar mas não consigo, a pessoa tinha uma máscara no rosto e tinha outra pessoa com ele.

- vamos levá-lo. - o cara que me segura fala.

Eu chuto ele e já ia correr mas algo acerta minha cabeça, de repente tudo começa a girar e cai no chão já inconsciente.

Abro os olhos lentamente, não havia luz, estava tudo escuro, eu apenas escutava uma voz chamando meu nome e sinto uma dor insuportável na cabeça.

- Jiminnie acorda por favor. - escuto a voz de Taehyung me chamar.

- minha cabeça dói. - só falei isso.

- graças a Deus está bem. - escuto seu suspiro aliviado.

- aonde estamos? - perguntei.

- porão dos BIGBANG. - escuto uma voz feminina familiar mas não era Shin, era Jennie.

Estava eu, Taehyung, Jennie e Shin, sentados em cadeiras com as mãos amarradas e machucados na cabeça, provavelmente bateram em todo mundo antes de trazer aqui. Meus pulsos e minha cabeça doía muito.

- Jennie, eles também te pegaram? - perguntei.

- devem ter escutado o que eu disse, se for por causa disso eu estou ferrada. - ela fala chorosa.

- calma, não vamos deixar nada acontecer com você Jennie. - agora era Shin.

- o que vamos fazer Shin? - Taehyung pergunta.

- você tem o estilete que Hoseok te deu em caso de emergência? - ela pergunta e Taehyung assente, escutamos passos.

- ótimo, espera meu sinal, treinamento em ação. - ela fala e logo entendo, tem uma fase do treinamento que passamos, que ensinava a escapar em caso de sequestro.

Alguém entra no porão e logo reconheço G-dragon.

- boa tarde a todos. - ele fala sorrindo. - só se for para mim.

- super engraçado. - Shin fala debochando.

- quanto tempo Shin, não te vejo desde a morte de Hyuna.

- NÃO SE ATREVA A DIZER O NOME DELA. - Shin grita e o cara ri dela.

- ainda dói? Em mim também, e vai doer muito em Jungkook e em Yoongi quando eu disser que as pessoas mais importantes para eles estão comigo. - ele fala.

- ai eles vem nos buscar. - falo firme.

- não se eu os convencer que vocês estão na minha gangue agora. - ele ri. - eles não vão querer nem ver vocês.

- eles não vão acreditar em nada. - Shin fala. - Taehyung agora.

Na hora Taehyung tira um estilete com a mão de seu coturno e joga firme em G-dragon acertando seu rosto.

Shin tira uma faquinha da manga de sua blusa e corta rapidamente sua corda e ajudando nós a se livrar enquanto G-dragon gritava de dor.

Íamos sair correndo, mas assim que atravessamos um corredor, cinco caras armados nos cercaram e ficamos sem ter o que fazer, sem armas, tivemos que nos render.

Colocaram nós de volta nas cadeiras, e dessa vez nos revistaram totalmente para que não aconteça nada novamente. G-Dragon foi para o hospital porque seu rosto sangrava muito. Deixaram nós sozinhos no porão.

- você arrasou Taehyung. - falei para cortar o clima de medo.

- obrigado. - ele sorri meio triste.

- como vamos sair daqui. - Jennie pergunta.

- eu não sei, mas Bangtan vai vir nos buscar. - Shin fala firme.

- Bangtan? - Jennie fica confusa.

Expliquei a ela quem são bem resumidamente a deixando meio assustada.

- você se apaixonou pelo líder? Esse Jungkook? - ela pergunta e eu assinto corado. - eles vão vim mesmo?

- eu tenho certeza, confio neles. - Shin fala sorrindo para nós acalmar, mas ela estava apavorada também.

- assim espero. - murmurei com a cabeça baixa.

Espero que Jungkook tenha cumprido sua promessa, e não tenha esquecido de mim.


Notas Finais


próximo capítulo na visão do Jungkook
Acho que vão gostar.
Amo vocês
Até amanhã a noite ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...