História Best Of Me (Dong Sicheng-WinWin) (NCT) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Hendery, Kun, Lucas, Ten, Winwin, XiaoJun, YangYang, Yuta
Tags Nct, Winwin
Visualizações 43
Palavras 1.759
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii, estou vindo repostar essa Fanfic novamente, mudei bastante o rumo da história e espero que gostem, já deixamos avisado que não tenho data prevista para postar o segundo capítulo.

• Boa leitura.

• Não revisado

Capítulo 1 - Chapter 1


  Suspirei sentido meus olhos pesarem, eu estava totalmente esgotada já que ontem fiquei a noite inteira arrumando minhas malas. A partir de hoje eu iria morar junco com os meus avós, agora que eu fiquei órfã só tenho eles, são tudo o que me restam.

Fechei meus olhos quando as luzes do avião se apagaram, meu corpo estava muito cansado para pensar em qualquer coisa.

[...]

Eu desci as escadas rolantes do aeroporto de Pudong enquanto olhava para os lados a procura de meus avós, quando olhei para o lado direito vi minha avó acompanhada de 4 seguranças, sorri e corri até ela dando um abraço forte na mesma, senti meu rosto ficar úmido após uma lágrima cair seguidas de outras, senti a mão de vovó afagando meu cabelo enquanto dizia palavras cofortantes baixinhas apenas para que somente eu pudesse escutar.

Separei o abraço aos poucos e sequei meu rosto com as mangas da blusa, um dos seguranças pegou minha mala e fomos andando para o carro que estava parado em frente da entrada do aeroporto. Eu e vovó entramos no carro e logo o motorista ligou o motor para que pudéssemos ir em direção a casa de minha avó.

Durante o caminho, fomos conversando sobre várias coisas até que o motorista nos avisou que já tínhamos chegado. Um segurança abriu a porta e ajudou minha avó sair enquanto eu abria sozinha a porta do meu lado. Entrelacei meu braço com o da vovó e começamos a caminhar pelo o extenso jardim onde aviam os jardineiros que cuidavam das plantas, quando chegamos em frente a porta principal, a porta de abriu mostrando a imagem de Dominic o funcionário preferido de vovó assim como Rose que era a governanta da casa.

Abracei Dominic sentindo seu corpo quentinho, como sempre, logo depois quando nos separamos o mesmo se curvou e eu fiz o mesmo logo sorrindo para ele que retribuiu, enfim entramos na casa e nada tinha mudado, apenas os móveis que estavam em lugares diferentes. Eu acompanhei Dominic até meu quarto, assim que chegamos na porta eu o agradeci a ele que logo se retirou, peguei na maçaneta e girei para o lado logo entrando no quarto.

Parecia com o meu quarto de antes, as cores em branco e alguns detalhes em roxo e dourado metálico deixavam o quarto lindo, além de ter uma grande cama de casal no meio do quarto, do lado da cama tinha uma escrivaninha e na frente da cama uma penteadeira, do lado da grande porta francesa que dava uma linda vista para o jardim da casa, tinha uma porta onde eu chutei que fosse o closet e do outro lado outra porta onde provavelmente era o banheiro. Olhei para o chão vendo minhas malas ali, peguei as alças e andei até a porta do closet, quando abri vi o quão enorme era. Isso iria demorar muito para ser preenchido.

[...]

Acordei com uma batida na porta fazendo me levantar da cama e andar até a porta, logo a abri vendo Antony, meu primo que era dois anos mais velho do que eu, o abracei depositando toda a saudade que eu estava dele naquele abraço. Depois de nos falarmos por um bom tempo, nós descemos indo em direção a sala de jantar onde a comida já estava toda na mesa, vi meu avô sentando em seu lugar enquanto lia o jornal, corri até ele o abraçando forte; todos comiam em silêncio como já se era de costume.

Depois de jantar, eu subi para o meu quarto, fui até o banheiro e tirei minha roupa, esperei a banheira encher e logo me deitei dentro dela fechando meus olhos sentindo a água relaxar meus músculos. Um longo tempo se passou e eu resolvi sair já que eu estava quase dormindo dentro da água, enrolei a toalha em meu corpo e saí do banheiro. Fui até o closet onde me vesti em uma roupa quentinha já que estava frio e me deitei na cama logo sentindo o sono vir.

[...]

Já era 09:24 quando eu acordei, após verificar o relógio me levantei da cama e fui até o banheiro, fiz minhas higienes e coloquei uma roupa confortável. Saí do quarto e desci as escadas indo até a sala de jantar mas ninguém estava ali, estranho já que era a hora do café da manhã, resolvi então ir para o jardim onde vi ali mus avós e meu primo sentados enquanto comiam, fui até eles e me curvei dando bom dia, me sentei ao lado de vovô que me deu um beijo na minha bochecha, dei um pequeno sorriso e peguei o que eu queria comer.

Depois do café, eu e Antony resolvemos andar por aí e falar sobre o que aconteceu nesses últimos anos que ficamos afastados desde que eu fui morar em meu país natal, Inglaterra; Andamos por vários lugares desconhecidos por mim, até que Antony parou em frente a uma cafeteira com uma aparência fofa, entramos na loja ouvindo o sininho balançar indicando que aviamos chegado, nunca tinha visto isso antes mas achei bem legal.

Fomos até uma mesa perto da grande vidraça que dava para ver a as ruas com os automóveis correndo 'pra lá e 'pra cá, Antony chamou um garçom que nos deu um cardápio. Enquanto Antony ainda escolhia eu tentei chamar a atenção do garçom que tinha nos atendido agora a pouco, logo o mesmo viu minha mão que estava levantada e veio até mim se desculpando pela a demora.

- Está tudo bem, você apenas estava fazendo o seu trabalho. Bom, eu vou querer um chá gelado e Cookies com gotas de chocolate.

- Okay senhorita, e você senhor, o que vai querer?

- Hum, eu vou querer uma torta de limão e um leite com café por favor.

- Já trago o pedido de vocês.

Ele se curvou e saiu indo até o balcão, eu e Antony voltamos a conversar enquanto esperávamos nossos pedidos que logo foram colocados na mesa, eu agradeci ao garçom que logo se retirou, peguei um dos Cookies e mordi sentindo o gosto maravilhoso do biscoito.

[...]

Entrei em casa vendo um grande movimento, muitos andavam com pressa e outros quase caíam enquanto corriam em alguma direção, andei até a cozinha onde possivelmente estava minha avó, quando entrei vi que a mesma estava ali provando as comidas que as cozinheiras ofereciam a ela.

- Vovó, o que está acontecendo? Por que esse movimento todo?

- Oh querida, você chegou! Seu avô decidiu de última hora que irá fazer uma festa para comemorar uma grande parceria, por isso todos estão assim já que a festa será hoje a noite.

- Ahh, entendi.

Ela voltou a experimentar a comida e eu fui saindo da cozinha mas antes ouvi ela falar que era para mim achar a Rose que me ajudaria a procurar um vestido. Então fui atrás de Rose, eu não sabia onde ela poderia estar então fui procurando por cada parte daquela mansão imensa, até que a encontrei no salão de festas onde aconteceria o evento. Caminho até ela que estava virada de costas para mim e abracei, ela deu um pequeno pulo e se virou logo dando um sorriso quadrado.

- Menina! Que saudades que eu estava de você, Dominic tinha me avisado que você chegaria hoje, estava tão animada para te ver! -- Rose me abraçou apertado, assim como o abraço de seu irmão, o Fla também era quentinho.

- Eu também estava com saudades Rose! Minha avó me pediu para que eu te encontrasse para irmos procurar um vestido para mim.

- Ah sim, então vamos, não podemos nos atrasar.

Ela colocou a mão em minhas costas e foi me guiando até a saído do salão. Depois de pegar o cartão com minha avó, eu e Rose entramos em um carro indo em direção a uma loja de vestidos, enquanto ainda estávamos dentro do carro conversávamos como eu tinha passado os anos em Londres até antes do acidente.

[...]

Eu e Rose entramos em casa e fomos direto para o meu quarto onde aviam várias pessoas que me ajudariam a me arrumar, depois de ter colocado o vestido, algumas moças começaram a fazer minha maquiagem enquanto outras arrumaravam meu cabelo. Quando fiquei pronta, agradeci a elas e saí do quarto na companhia de Rose que tinha acabado de chegar para vim me buscar.

- Rose, por que eu tenho que ir nessa festa, eu poderia ficar em meu quarto, não iria atrapalhar ninguém.

- Eu sei que não gosta dessas festas menina, mas você tem que ir, seu avô quer te apresentar para os sócios e amigos dele.

- Eu não vejo a necessidade disso, não sou eu que irei herdar a empresa e sim Antony.

- Não posso te dizer o motivo querida porque também não sei qual o objetivo disso, apenas estou seguindo as ordens de seu avô.

Apenas balancei a cabeça, eu e Rose descemos as escadas e fomos até o salão de festas, quando Rose abriu as duas portas empurrando elas para dentro, vi o quão lotado estava o salão, cheio de pessoas bem vestidas e importantes, cruzei meus braços no de Rose e seguimos até onde estava meus avós e Antony.

Descruzei meu braço e de Rose e fui até o lado de Antony que estava ao lado de meu avô, quando me coloquei ao lado de meu primo, todos os olhares dos senhores que conversavam com meus avós se voltaram a mim, me curvei sentindo meu rosto esquentar, não tinha como não ter vergonha, todos estavam olhando para mim como se eu fosse algo raro já que os olhares erma surpresos e curiosos.

- Senhores, essa aqui é minha neta, Huang S/N.

 Todos me cumprimentaram e fizerem perguntas de onde eu vim já que eu não tinha muitos traços chineses, eu tinha puxado mais o lado do meu pai. Depois de um tempo, eu e Antony começamos a ir em direção ao jardim, o céu já estava escuro e com poucas estrelas mas ainda sim estava bonito e a enorme lua cheia no centro. Eu e meu primo nos sentamos em um banco e começamos a conversar sobre a escola, Antony tinha entrado na faculdade ano passado então eu não teria meu primo comigo enquanto estivermos estudando, dava um frio na barriga ao saber que eu seria a única novata na escola já que já tinha se passado alguns meses que as aulas começaram, e ainda não teria o meu primo por perto.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Até o próximo capítulo!

Obs: estarei repostando minhas fanfics aos poucos, e as que estão paradas voltarei com elas por estar de férias e ter tempo agora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...