História Best of Me (imagine Jungkook) - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 450
Palavras 920
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura desculpem a falta de criatividade♥♡♥

Capítulo 41 - Vou te dar o tempo que precisar


Fanfic / Fanfiction Best of Me (imagine Jungkook) - Capítulo 41 - Vou te dar o tempo que precisar

Jungkook on 




S/N finalmente dormiu.

Eu estava com muita dificuldade para dormir. Eu estava pensando muito. Estava com muita raiva daquele desgraçado.

Eu teria que perguntar a S/N, o que ela iria fazer depois disso.

Independente do que ela quisesse fazer eu iria apoiá-la.

Eram mais de duas da manhã, quando eu finalmente, consegui dormir.

Não consegui dormir, por no mínimo duas horas. Logo acordei.

Aquilo tinha mexido muito com o meu sistema nervoso. Meu corpo estava dolorido por causa disso. Minha cabeça doía.

Consegui sair debaixo de S/N, sem acordá-la.

Já se passavam das quatro da manhã. Já estava amanhecendo.

Fui até o closet de S/N, cuidando para não fazer barulho.

Encontrei algumas roupas minhas, que eu havia esquecido ali outro dia. Peguei as mesmas e fui até o banheiro.

Peguei uma toalha.

Tirei a camisa e me olhei no espelho.

Eu estava horrível. Tanto por dentro quanto por fora.

Eu estava branco e com olheiras.

Tirei o restante da roupa e tranquei a porta.

Entrei no box e liguei o chuveiro.

Sentir a água quente escorrer pelo meu corpo todo, aliviou um pouco da dor que eu sentia.

Respirei fundo várias e várias vezes.

Encostei as costas na parede gelada. Logo acabei sentando no chão.

Senti a água quente do chuveiro cair em minhas costas.

Deixei as lágrimas virem.

Aquilo era torturante. Era horrível saber daquilo.

Eu tinha que conseguir ficar bem. Tentaria de tudo. S/N precisava de alguém ao lado dela. Eu não podia ter uma recaída. Não agora. Ia ser difícil, mas eu tentaria fazer o possível para ficar bem.

Fiquei cerca de quinze minutos ali sentado, chorando horrores debaixo do chuveiro.

Levantei-me e tomei banho.

Saí do banheiro, já vestido. Olhei S/N que ainda dormia.

Sequei meus cabelos com a toalha.

A dor de cabeça finalmente havia passado.

O quarto já estava claro. Já havia sol.

Deitei na cama novamente, ao lado de S/N, fiquei esperando a mesma acordar.

Em pouco tempo S/N se mexeu, em seguida abriu os olhos.

Cheguei mais perto dela na cama, me cobrindo com os cobertores.

Beijei a sua testa.

S/N ficou bem perto de mim, com a cabeça muito perto do meu pescoço.

Eu sentia a respiração dela no meu pescoço.

S/N me abraçou. Retribuí passandp os braços pelas suas costas.

Eu estava ali. E iria apoiá-la em tudo.

S/N ficou me olhando.

JK: S/N... O que você vai fazer?, - falei baixo.

Ela sabia do que eu estava falando.

Ela desviou o olhar.

S/N: Eu não sei.

JK: S/N, você precisa... denunciar ele.

Ela negou com a cabeça.

S/N: Não. Por favor. Não agora.

JK: Eu sei que é difícil. E eu não vou te obrigar a fazer nada.

S/N: Eu vou denunciar ele... eu prometo, - os olhos dela começaram a encher de lágrimas. - Mas por favor, não agora.

Sabia que não ia ser fácil. Daria a ela o tempo que precissasse.

Ela acabou soltando uma lágrima.

Como era horrível vê-la assim.

JK: Tudo bem, - falei enxugando a lágrima com o dedo. - Vou te dar o tempo que você precisar. Você não vai mais vê-lo. Mas você não precisa mais ter medo dele. Ta bom?

Ela me olhava com atenção.

JK: Você não precisa ter medo dele e de ninguém. Eu estou aqui. Não vou deixar que ele nem ninguém faça nada com você, ouviu?

Ela suspirou. Mas sem parar de me olhar.



Jungkook off


S/N on



Por incrível que pareça eu me sentia bem.

Jungkook estava ali comigo, e isso era tudo o que eu queria.

Eu iria denunciar ele. Não queria, mas eu tinha que denunciar. Eu não ia deixar ele livre. Mas eu precisava de tempo. Não era uma coisa fácil.

JK: S/N, por que... Você e sua mãe nunca fizeram nada?

Naquele instante, lembrei-me daquilo tudo.

S/N: Minha mãe não sabia o que fazer... foi muito difícil para ela. Ela não estava preparada para ouvir a filha de seis anos dizer que foi abusada pelo namorado dela. Eu confiava muito nela. Por isso contei. Quando ele finalmente foi embora.

Jungkook me ouvia com atenção.

S/N: As chances de encontrarem ele eram minúsculas. Tudo foi deixado de lado. Minha mãe até me levou em alguns psicólogos depois daquilo. Ela fez o que estava ao alcance dela. Mas isso nunca resolveu o problema de verdade. E eu não culpo ela por isso.

Jungkook assentiu com a cabeça.

S/N: Mas eu odeio ele, Jungkook..., - eu já não estava mais conseguindo manter as lágrimas.

Comecei a chorar.

JK: S/N.

Olhei para Jungkook.

JK: Preste atenção. Você não precisa esconder nada de mim. Você sabe que pode contar tudo para mim. E nunca mais nem ele, nem ninguém vai encostar um dedo sequer em você. Vou te dar o tempo que precisar.

Ele beijou calmamente minha testa.

JK: Me chame para conversar sempre que precisar, ouviu? Não tenha vergonha de chorar na minha frente. Eu te amo, - em seguida me abraçou.

Retribuí o abraço. Como eu amava ele. Eu amava ele demais.

S/N: Eu também te amo, - falei virando a cabeça e sussurrando em seu ouvido.

Ele virou a cabeça e beijou meu pescoço carinhosamente, me fazendo arrepiar.

S/N: Eu não quero mais lembrar disso, - falei baixo, mas alto o suficiente para que Jungkook me ouvisse.

JK: Você não precisa se preocupar.

Em seguida me soltou e ficou me encarando.

Logo ele me deu um celinho. Em seguida sorriu discretamente de lado.

Beijei ele novamente. Dessa vez um beijo mais demorado.

.•.•.•.•.•.•.•.•.•.•.•.•.•.•.•.•.•.•.•

Ficamos o resto do dia juntos. Encontramos Namjoon. Não falei nada para o mesmo. Eu ainda não me sentia confortável em dizer aquilo. Namjoon como sempre me fez rir. Mesmo eu estando destruída por dentro. Jungkook e Namjoon eram as únicas pessoas que me faziam sorrir.


Notas Finais


Obg por terem lido♥♡♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...