História Best of Me (imagine Jungkook) - Capítulo 43


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 393
Palavras 1.349
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura♥♡♥♡♥ desculpem os erros

Capítulo 43 - Por favor eu não quero voltar


Fanfic / Fanfiction Best of Me (imagine Jungkook) - Capítulo 43 - Por favor eu não quero voltar

Jungkook on

 A aula já havia acabado. Fui para casa com S/N e Namjoon. Nos despedimos de Namjoon na entrada da casa de S/N.

Entramos. A porta já estava aberta, porque Min Chimin já havia chegado.

Eu e S/N almoçamos, em seguida subimos para o quarto.

JK: S/N, vou ter que ir para casa daqui a pouco. Mas na hora de irmos para casa do Namjoon eu venho pode ser?

S/N: Pode sim, - em seguida ela entrou no closet.

Fiquei sentado na cama, com os pés balançando no chão.

Logo S/N saiu do closet, vestindo uma camisa branca e uma calça jeans.

Me levantei.

JK: Tchau.

S/N: Já vai?

JK: Já, - dei um sorrisinho de lado.

Ela me deu um celinho e eu desci.

Fui caminhando até em casa.

Abri a porta. Entrei em casa e vi que não havia ninguém.

Subi até o meu quarto e tomei banho. Fiquei só com a toalha enrolada na cintura enquanto eu mexia no celular.

Passei a toalha nos cabelos para secá-los. Em seguida me vesti. Coloquei uma bermuda jeans clara e uma camisa azul escuro. Calcei um tênis branco e passei perfume.

Ouvi barulho lá em baixo. Provavelmente era a minha mãe que tinha chegado.

Respirei fundo e passei a mão nos cabelos ajeitando-os. Olhei-me no espelho. Era estranho o jeito que eu me via. Eu estava me achando muito  bonito. Eu gostava daquilo. Aquilo ainda era algo novo para mim. Por causa do meu "pai" eu nunca me amei de verdade. Mas S/N sempre queria me ver bem. Ela sempre me incentivava a não ser tão inseguro. Ela era a culpada por grande parte disso. E essa era uma, das muitas razões, que eh amava ela.

Suspirei e sorri para mim mesmo no espelho.

Desci e fui até a cozinha, me deparei com a minha mãe.

Ela olhou para trás me encarando.

M/JK: Hum, está lindo, - falou sorrindo.

JK: Obrigado. Vou na casa do Namjoon, hoje é aniversário dele. Não sei que hora vou voltar.

Ela assentiu com a cabeça.

Quando eu saí da cozinha vi   aquele monstro parado na porta, me olhando.

Aquilo acabou com o humor do meu dia.

Ele era a última pessoa que eu queria ver.

Lembrei de S/N chorando, lembrei do que ele fez comigo...

Eu não conseguia, e nem fazia questão, de esconder minha cara de ódio.

P/JK: Hum, - falou rindo. - Se arrumou assim para quê?

JK: Para que você quer saber?

Minha mãe já havia saído de dentro da cozinha e estava segurando meu braço. Ela sabia que nós dois iríamos brigar.

M/JK: Jungkook...

P/JK: Deixa, - falou para a minha mãe. - Deixa. Se até hoje ele não aprendeu a ter respeito...

JK: Quem é você para querer me cobrar respeito, hum?

Ele já estava com uma expressão de ódio, admito eu estava adorando aquilo.

P/JK: Você...

JK: Eu o quê? Vai me bater?, - eu ri de frustração. Não sabia que teria que chegar a aquele ponto, para falar com aquele merda. - Acha que eu vou me trancar no meu quarto e começar a chorar?

A expressão de ódio no rosto dele só piorava.

Ele riu.

P/JK: Depois que você começou a sair com aquela S/N, você está muito metido.

Ouvir ele dizer o nome dela, me deu nos nervos.

JK: Cale a boca. Nunca mais dirija uma palavra a S/N.

Ele riu de novo.

P/JK: Por quê? Você fica bravo? Mas você sabe escolher bem..., - ele riu e desviou o olhar. - Você tem sorte... imagina só, ela..., - ele sorriu e mordeu os lábios. , - Queria ser você naquele momento.

Aquilo foi a gota d'água.

JK: CALA A BOCA CARALHO, - falei berrando, em seguida dando dois passos ficando mais perto dele, mas à uma certa distância. - VOCÊ NÃO SABE DE NADA. OUSE ENCOSTAR NELA E EU      TE MATO, - minha voz, nem meu olhar falharam. Eu não estava blefando. Eu não conseguia imaginar ele encostando sequer um dedo nela.

Ele chegou perto de mim e levantou a mão rapidamente para me dar um soco, mas logo foi interrompido por mim, que segurei o seu pulso com toda a força que consegui, não dando tempo de chegar ao meu rosto.

JK: Ainda quer piorar a situação?, - falei calmamente o deixando ainda mais irritado. 

Soltei seu pulso com força e dei um passo para trás.

JK: Seu monte de bosta. Não sei nem por que aparece aqui.

P/JK: CARALHO, VOCÊ ME RESPEITA, - falou berrando. - EU SOU SEU PAI.

Eu ri alto.

JK: Pai?, - eu ri novamente. - Você nunca foi nem um ser humano para mim, quanto mais um pai.

P/JK: VOCÊ ME RESPEITA, QUE EU ESTOU NA MINHA CASA, E QUEM MANDA AQUI SOU EU.

JK: Não seja por isso, - falei saindo andando o deixando falar sozinho.

Subi as escadas correndo, abri a porta do quarto, deixei-a aberta e peguei minha mochila. Guardei várias mudas de roupas dentro dela.

Eu estava muito puto.

Depois que guardei as roupas, coloquei a mochila nas costas e saí batendo a porta com força, desci a escada rapidamente e olhei em volta. Minha mãe e ele ainda estavam no mesmo lugar, me olhando esperando que eu falasse alguma coisa.

JK: Você acha que eu não sei o que você já fez?

Ele me olhou sem entender nada.

JK: Você acha que eu não sei de nada, - eu ri.

P/JK: Eu não sei do que está falando.

É claro que ele sabia do que eu estava falando. A minha vontade era de castrar aquele desgraçado. 

Eu ri alto.

JK: Não sabe? Mas logo, logo vai saber. Não se preocupe.

Fui até minha mãe e beijei a testa da mesma.

JK: Não me espere. Te amo, - falei baixo. - Qualquer coisa, já sabe. - Ela sabia a que eu estava me referindo. - Me ligue.

A mesma apenas me olhou, com um olhar triste.

M/JK: Também te amo.

JK: Agora fique aqui com a sua porra de casa, - falei saindo andando, ajeitando a mochila nas costas e esbarrando propositalmente naquele lixo.

Saí porta a fora e fechei a porta com força.

Saí correndo, até uma certa distância da minha casa.

Não aguentei, no meio do caminho comecei a chorar.

Uma mulher me parou na rua perguntando o motivo do qual eu estava chorando. Respondi apenas que eu estava bem.

Eu estava destruído por dentro.

Comecei a correr novamente, querendo chegar o mais rápido possível na casa de S/N.

Bati na porta, tentando enxugar as lágrimas que não paravam de cair.

Min Chimin atendeu.

E S/N: Tudo bem? O que aconteceu?, - perguntou ao ver o meu estado.

JK: Está tudo bem. Obrigado. Onde está S/N?

E S/N: Ela está no quarto. Entre. Ela já está esperando por você.

Entrei e subi as escadas correndo.



Jungkook off


S/N on



Eu estava no meu quarto esperando Jungkook. Estranhei a demora. Mas resolvi não ligar para ele.

Ouvi alguém subir as escadas com pressa.

Ouvi alguém bater na porta. Abri a mesma.

Jungkook estava chorando, jogou a mochila no chão com força e me abraçou, passando os braços pelos meus ombros.

Eu, mesmo sem saber o motivo, o abracei com força, passando os braços pela sua cintura.

JK: S/N, por favor, eu não quero voltar para casa. Eu não aguento mais ter que ver ele, eu não quero voltar para aquele inferno, - falou abafado no meu ombro.

Não respondi. Apenas virei o rosto e beijei seu pescoço carinhosamente, começando a fazer carinho em suas costas.

Ele suspirou aliviado.

S/N: Não precisa se preocupar, - falei, beijando seu pescoço novamente.

Ele iria ficar ali. Morando na minha casa. O tempo que precisasse. Eu explicaria oara a minha mãe. Ela certamente não iria se importar.

Ficamos abraçados por cerca de três minutos.

Ele me soltou e eu enxuguei suas lágrimas.

Fiquei na ponta dos pés e beijei a testa do mesmo.

Ele fechou os olhos e suspirou.

Enlacei minhas mãos nas suas.

S/N: Fique aqui o tempo que precisar. Não vou te obrigar a voltar para lá, - sorri de lado.

Ele me olhou.

JK: Eu te amo.

S/N: Também te amo.

Nos beijamos, logo nos separando pela falta de ar.

Ficamos ali por algum tempo. Fui até o meu closet e organizei um espaço para que Jungkook arrumasse as coisas dele. Jungkook tirou as roupas da mochila, organizando-as nas prateleiras.

Jungkook estava em pé arrumando suas coisas.

Cheguei perto e o abracei por trás, colocando a cabeça no seu ombro.


Notas Finais


Obd por terem lido♥♡♥ hj vai ter cap extra


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...