História Best of Me (imagine Jungkook) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 669
Palavras 707
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo extra♥ Boa leitura

Capítulo 7 - Raiva


Fanfic / Fanfiction Best of Me (imagine Jungkook) - Capítulo 7 - Raiva

Jungkook on

Em menos de quinze minutos eu já estava na frente da minha casa. Respirei fundo e entrei em casa torcendo para que meu pai não estivesse na nossa casa.



JK: Mãe?



M/JK (mãe do Jungkook): Estou aqui,- ela falou saindo da cozinha, vindo em minha direção.



JK: Cadê ele?,-perguntei.



M/JK: não está aqui.



JK: que bom, espero que não apareça por um bom tempo,- falei indo até a cozinha, vi que havia louça suja na pia, então resolvi lavar.



Comecei a lavar a louça, minha mãe veio atrás de mim, e voltou ao que estava fazendo.



M/JK: Por que você é assim?,- ela se referia ao que eu havia dito antes.



JK: Você ainda pergunta?



M/JK: Você sabe que dependemos dele.



JK: Não dependemos não. Toda aquela porra de dinheiro que ele tem não é só dele, é nosso. Vocês infelizmente são casados. Não dependemos dele.



Ela suspirou, pois sabia que eu tinha razão.



M/JK: Ele é seu pai...



JK: Não, ele não é meu pai.



Nunca o chamei de pai. Por que ele nunca foi um. Nunca foi um exemplo de ser humano, quanto mais um exemplo de pai.



M/JK: Você sabe que eu te amo, não gosto de ver você falando assim dele.



JK: Se eu estivesse mentindo, eu até concordaria,- suspirei fundo.



Eu já estava quase acabando o que eu estava fazendo. Achei que o assunto já havia se encerrado.



M/JK: Ele provavelmente virá essa semana. Então por favor não traga ninguém aqui. Você sabe que ele não gosta.



JK: Estou pouco me fudendo para o que ele gosta ou não. E essa casa é mais nossa que dele.



Eu havia terminado de lavar tudo. Peguei um pano de prato para secar minhas mãos.



M/JK: Jungkook, eu quero que você entenda...,- ela disse passando a mão no meu braço subindo até o meu ombro.



JK: ENTENDER O QUE?,- eu não estava bravo com ela, ela não tinha culpa de absolutamente nada que já aconteceu e que ainda acontecia.- VOCÊ QUER QUE EU GOSTE DAQUELE LIXO? NUNCA VOU GOSTAR DAQUELE MERDA. EU ODEIO ELE, ELE NÃO É MEU PAI. ELE NUNCA FOI BOM PRA MIM, VOCÊ SABE O QUE ELE FAZIA COMIGO. E SEI QUE ELE JÁ TE ABUSOU E JÁ TE BATEU. NÃO ME DIGA PARA GOSTAR DELE,- senti uma lágrima cair do meu olho direito.



Minha mãe me olhava com um profundo olhar de tristeza. Por tudo que eu havia falado ser verdade.



Tirei a mão dela do meu ombro e saí correndo para o meu quarto, com uma raiva inexplicável dentro de mim, _raiva de mim mesmo_ e raiva dele. Entrei no meu quarto e bati a porta com muita força. Comecei a chorar desesperadamente.



Como eu me odiava. Olhei-me no espelho. Como eu odiava aquilo que eu via. Dei um soco no espelho com muita força, fazendo com que ele se quebrasse cortando minha mão. Um pedaço do espelho que saiu voando, quando eu havia dado o soco, raspou no meu rosto, cortando minha bochecha. O corte não parecia ser profundo, mas sangrava.



Sentei no chão com a cabeça em cima da cama. No meu rosto escorriam lágrimas e sangue. O chão estava cheio de cacos do espelho e sangue.



A raiva era tanta que eu não sentia nenhuma dor.



Consegui levantar e ir até o meu banheiro. Me olhei no espelho. Os olhos inchados de tanto chorar. Meu uniforme estava sujo de sangue. Tirei aquele uniforme e o joguei no lixo. Já sem roupa, entrei no box para tomar banho.



Somente quando a água quente caiu no meu rosto, escorrendo até o resto do corpo que eu senti minha mão e minha bochecha arderem muito.



Chorei mais um pouco.



Depois de quarenta minutos minha mãe já havia subido, desesperada ao ver sangue e os cacos no chão. Expliquei que era eu que havia quebrado o espelho e que não havia acontecido nada demais. A mesma se acalmou limpou o chão e fez um curativo na minha mão e no meu rosto


.

Eu deitei na cama. Mandei mensagem para Jin e Namjoon, dizendo que precisávamos nos encontrar. Pensei em mandar mensagem para o Suga também. Mas ele estava tão envolvido no intercâmbio para o Japão. Que eu resolvi não atrapalhar.



Jin e Namjoon concordaram, marcamos o lugar que iríamos sair.



Deitei minha cabeça no travesseiro tentando dormir, pensando no ataque depressivo que eu havia acabado de dar.


Notas Finais


Obrigada por terem lido♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...