1. Spirit Fanfics >
  2. Best Part - Camren G!P >
  3. Capítulo 20

História Best Part - Camren G!P - Capítulo 20


Escrita por:


Capítulo 20 - Capítulo 20


Fanfic / Fanfiction Best Part - Camren G!P - Capítulo 20 - Capítulo 20



P.O.V Lawrence Jauregui


Estou na sala de espera do hospital, sentada encarando minhas mãos, desde o momento em que tudo aconteceu, elas não pararam de tremer em nenhum momento. Eu via tudo mais de vagar, como se estivesse com muito sono ou dopado. Talvez drogado. Eu até ouvia as vozes, das pessoas que estavam na mesma agonia que eu, e não quero desmerecer a dor que ninguém tá sentindo, mas acredito que fora Sinuhe e Alejandro, ninguém sabe nem como é estar perto dessa sensação. Tudo estava meio zonzo sabe? E acredito que não é por que bati a cabeça. Mas a cena do amor da minha vida jogada naquele chão, o sangue nas suas pernas. A voz do médico me dizendo que ela entrou em cirurgia e que eles só iam se empenhar em salvar a vida dela, por que meu filho não tinha mais do que 5% de chance de sobreviver. 


Eles fizeram o ultrassom assim que ela chegou, o primeiro. Pelo tamanho nosso pequeno bebê tem 3 semanas de vida. 

3 semanas de vida. 


É muito estranho pensar tudo que fiz nessas 3 semanas que a sementinha já estava ali, sem nem me dar conta ou pensar na possibilidade disso. Todas as vezes que eu liguei pra Camz, e nem pensei em ter outro serzinho dentro dela, que parte é meu. 


Eu sei que não planejamos, não mesmo. Não posso mentir.


Mas a partir do momento que eu entrei no quarto dos meus sogros e Sinuhe me entregou os testes, a minha vida inteira mudou. 


Eu não via a hora de descansar no meu apartamento, dirigir por aí, ir à praia, talvez alguma trilha, natureza. Eu queria até curtir uma noite com minha namorada e nossos amigos todos juntos. E no mesmo segundo eu conseguia me imaginar em uma casa, não mais um apartamento, eu e a Camz, decorando tudo do nosso jeito, fazendo o quarto do nosso filho ou filha, eu conseguia imaginar como seria, se iria parecer mais com ela, mais comigo, se seria a mistura perfeita de nós dois. 



Aqui estou eu, a algumas horas olhando minhas mãos, e pensando se vou ou não em poucos meses estar segurando nossa sementinha. 


-Familiares de Camila Cabello? 


Assim que eu ouvi a voz do médico, eu despertei, foi como um clique. Logo eu corri em sua direção junto com todo mundo. 


-Só a família e o namorado por favor. Me acompanhem. 


Alejandro preferiu que Sinu ficasse com Sofia na sala de espera, caso fôssemos ouvir uma notícia ruim demais. Oque parecia ser quando eu parei pra notar a roupa do médico suja de sangue. 


Ele nos levou até um quarto que estava vazio. 


-A paciente, Camila. Antes de começarmos a cirurgia ela fez um pedido. 


-Não me diga que ela não autorizou ressuscitação. -Alejandro falou em um fio de voz e eu ainda nem tinha dito a chance de pensar nessa possibilidade. Por favor Camz, não. 


-Na verdade não foi isso. Mas ela recusou a anestesia geral. Por conta do risco que faria aos bebês. Então ela passou pela cirurgia só com anestesia local, de fato é uma mulher muito forte, ela está terminando a cirurgia agora, e até então, neste momento ela e os fetos estão bem. Durante o procedimento nossa obstetra também fez alguns reparos pra fortalecer a gestação dela, digamos assim. Dar mais chances pros bebês se recuperarem. 


-Por que você fica dizendo bebês ? -Eu perguntei. 


-Não te fizeram que ela está grávida de gêmeos? 


Gêmeos ? 


Essa foi a última coisa que eu me lembro. 


Quando abri meus olhos eu estava em uma das macas do hospital. Olhei pro lado e Ally estava ali na poltrona do lado. 


-Ally, oque aconteceu? 


-Hey, eai? Como se sente? Você desmaiou papai. Parabéns aliás, dois logo na primeira tentativa assim. 


-Então é sério mesmo? Quanto tempo eu apaguei? Cadê a Camz ? 


-Ela ainda está dormindo, como ela estava com muita dor, deram remédios pra ela dormir. Ela está em um quarto na uti, e agora seus sogros estão lá visitando ela. Só podemos entrar de dois em dois, e tem que usar a roupa de proteção. Pra não passarmos nenhum vírus daqui de fora pra ela. Eu fui, e eles estão monitorando ela e os bebês. Eu acredito que todos vão ficar bem. 


-Eu preciso ver ela, preciso que tirem esse acesso agora. Agora Ally. 


-Você precisa é se acalmar pra não apagar de novo. Vou chamar a enfermeira.



Pouco tempo depois eu já estava vestindo a roupa de proteção e a máscara. E então consegui entrar no quarto assim que Alejandro e Sinu saíram. Camz estava ligada a máquinas que monitoravam seu coração, oxigênio, e um ultrassom na barriga. Ela estava dormindo, parecia bem mais pálida, parecendo mais comigo do que com sua pele morena de latina. Eu me aproximei mais e com cuidado segurei sua mão, fiz um carinho em seu cabelo enquanto algumas lágrimas caiam sem que eu tivesse controle. Eu tive tanto medo de perder ela, perder eles.


Aí meu deus, agora é plural. Eu vou ter dois filhos...


Eu nunca tinha acreditado em Deus, meus pais nunca me criaram dessa forma, mas hoje eu me vi pedindo em pensamento pra oque quer que fosse “Deus” não tirasse minha família de mim. 



Minha latina, tão forte. Optou por fazer uma cirurgia estando acordada, só com anestesia local. Sentindo ainda a dor. Sem poder tomar remédios fortes pra dor, só pra não por nossa família em risco. 


E ela fez tudo isso sozinha. 


Uma coisa que me sufoca muito nessa situação nova de ser um futuro pai, é que eu só vou ter um papel efetivo, é só vou poder dividir as tarefas com ela, quando nascerem. Por que até então, eles dependem só dela. Só ela pode cuidar, eu não posso tomar pra mim e dizer pra ela descansar um pouco. Se eu pudesse, eu sentiria a dor que ela sentiu, e todas as outras que ainda vai sentir. 


Apesar que eu não sei, se eu seria tão forte quanto ela. 


Enquanto eu estava ali, sentado do lado dela, segurando sua mão e alisando seu rosto, senti aos poucos ela apertar minha mão. 


-Não de esforça meu amor. Eu estou aqui. Pode dormir princesa. 


-Law...


Sua voz parecia tão fraca, saia como um gemido. Ela apertou mais minha mão 


Ela estava com dor


-Camz, você está com dor né amor? Não quer que eu peça mais remédios pra enfermeira ? 


-Não posso tomar mais do que já tomei. É a maior dose sem colocar eles em risco amor. Você soube? Vamos ter dois bebês amor. 


-Ah eu soube Camz. Você só me surpreende princesa. Não sei como consegue me fazer cada vez mais e mais feliz. 


Ainda de olhos fechados ela deu um sorriso fraco, e eu fiquei ali, fazendo carinho e tentando fazer a dor dela aliviar. 


De uma em uma suas amigas entraram, mas apenas e beijaram e desejaram melhoras, já estava de noite e elas iriam pro hotel. Sofia não pode entrar, mas ela foi pro hotel com as garotas. Durante a madrugada Alejandro, Sinuhe e eu revezamos no quarto com caminho, quem esperava na sala de espera, dormia um pouco. Mas eu quase não dormi, só queria estar do lado dela. 


Durante todo o tempo que pude ficar do lado dela, foi dando minha mão pra ela apertar, ouvindo seus gemidos de dor, secando suas lágrimas e enchendo ela de carinho. 


Essa foi nossa rotina por uma semana. Até Camz estar mais estável, e solicitarmos uma troca de hospital, indo de helicóptero para Miami. 






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...