1. Spirit Fanfics >
  2. Best Part (Malec) (Em revisão) >
  3. Capítulo XIII (o final)

História Best Part (Malec) (Em revisão) - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Preparem o coração de vocês... Muita coisa vai acontecer :)
Boa leitura e aproveitem o último capítulo 🏳️‍🌈💞
(Já estou com outras ideias para escrever outras fanfics)

Capítulo 13 - Capítulo XIII (o final)


Alec foi puxado e logo depois empurrado na cama. Magnus subiu em seu colo e foi o beijando, não sabiam quando ou como, mas já estavam totalmente despidos.

- Minha vez de comandar _ Magnus falou baixo no ouvido de Alec

...

Eles estavam deitados e Magnus estava com a cabeça aí peito de Alec, como o de costume. Depois de certo tempo, Alec sentiu algumas lágrimas caírem do olhos de Magnus que estava totalmente recolhido.

- Ei... O que foi? _ Alec perguntou preocupado passando a mão do cabelo de Magnus _ Eu fiz algo errado? Está com fome? Sono? Tá pendendo no que?

- No meu pai... _ Magnus respondeu se levantando e enxugando as lágrimas com as mãos e pegando as roupas no chão _ Você não fez nada de errado... Ah, fodase, eu tô muito triste pra ficar vestido na sua frente

- Não acho que precisemos de roupas, não agora _ Alec disse com um sorriso fraco ao se levantar e o beijar fraco, logo depois empurrando as roupas de volta para o chão, sentindo Magnus chorar denovo _ Ei, vem cá _ Alec terminou o puxando para um abraço forte

- Podemos pedir algo? _ Magnus perguntou ainda abraçando o tronco do outro

- Claro... _ respondeu com poucas palavras _ Mags, desabafa um pouco e chore o quanto quiser. Me fale mais sobre a mulher que apareceu naquele pesadelo que você teve comigo.

- Tinha uma pele bronzeada, cabelo preto e liso que batiam no ombro... Tinha 1.70 mais ou menos _ Magnus começou a explicar vendo Alec pegar o menu e escolher algo para comer _ Ela estava com um vestido azul que era colado ao seu corpo, era um pouco acima do joelho. Ela tinha as maçãs do rosto coradas por um blush... A sobrancelha dela e-

- Eram marcadas perfeitamente _ Alec deduziu assustado _ O vestido mostrava que ela malhava, certo? O corpo dela era bonito...

- Como sabe? _ Magnus perguntou estranhando

- As características encaixam perfeitamente na minha mãe _ Alec falou soltando o menu ao lembrar da morte de Maryse _ De onde conhece ela?

- Eu não sei também _ Magnus respondeu ainda tentando entender o que estava acontecendo e viu Alec voltar pra cama _ Deixa que eu peço algo... Descansa, por favor, já fez muito por mim hoje

Alec deitou de bruços com a cabeça nos travesseiros, o mesmo já chorava por ter lembrado e descoberto sobre o sonho de Magnus. Qual seria a conexão? Tinha nexo tudo aquilo?

Magnus pediu uma comida leve e logo depois deitou na frente de Alec, vendo as lágrimas escorrerem no rosto. Apenas o acariciou e deu sua companhia, até que a comida chegasse.

- Esta com sono ou cansado? _ Alec perguntou logo depois de comerem

- Só cansado. Eu dormi no caminho todo _ Magnus respondeu e riu _ Não estou com sono, algum motivo?

Alec assentiu com a cabeça e levantou da cama logo depois entrando na piscina. Magnus olha e se levanta também indo acompanhar Alexander. Ele entra e se encaixa de costas entre as pernas do outro, se apoiando ao tronco de Alec.

 Tempo passa, e logo após terem comido Magnus decide fazer Alec se lembrar das coisas boas em questão a mãe.

- Ela era legal? _ Magnus pergunta já imaginando a resposta 

- Maryse? Ela era uma mulher incrível. Ela ia comigo, Max e Izzy para o jardim de casa, sempre resolvendo brigas e se divertindo _ Alec falou com um sorriso no rosto _ Papai nunca me disse ao certo o que houve com ela... Mas eu vi os documentos da morte dela, e ela foi assassinada. Não quero que meu pai saiba que eu sei disso. Mas enfim, acho que já está mais do que na hora de você conhecer Izzy, o seu estilo é muito parecido com o dela.

- "You don't know, babe" _ Magnus cantarolou _ "When you hold me"...

- Como sabe que eu amo essa música? _ Alec perguntou curioso olhando para Magnus encostado em seu peito

- Você cantou ela na noite do meu pesadelo... Foi a melhor coisa que pode ter acontecido naquele momento _ Magnus respondeu com um sorriso fraco no rosto

...

Alec tentava acodir Madzie em seus braços, a babá já tinha ido embora e Madzie não dormia.

- Eu estou com medo... _ Alec falou enquanto olhava para Madzie _ Já fazem 5 meses desde que descobrimos quem assassinou a minha mãe, e aquele homem continua solto

- Me da ela aqui... _ Magnus pediu carinhoso vendo a cara do Alec que já estava com sono _ Vai descansar um pouco, eu cuido dela _ disse pegando a bebê e sentando no banco ao lado do berço, onde ficou pouco tempo, conseguindo fazer Madzie dormir

- É um ótimo pai, sabia disso? _ Alec disse encostado no batente do quarto da Madzie

- Só pai? _ Magnus perguntou ainda com o rosto virado pra baixo, mas olhando para Alec 

Alec assentiu que não e riu fraco, indo em direção ao quarto deles. Magnus esperou que Madzie entrasse num sono mais pesado para deixá-la no berço, beijando sua testa e ligando a babá eletrônica, logo indo para o quarto e se aconchegando aos braços de Alec.

- Trabalhar e ter uma filha são realmente coisas desgastantes _ Magnus falou rindo baixo

- Bom, não era nem 5 horas da manhã e você já estava gastando um pouco das suas energias dentro de mim _ Alec falou provocativo soltando um riso fraco

Magnus riu fraco e depois caiu no sono. Alec demorou até que dormisse.

...

- Eu tenho que ir _ Magnus falou fraco colocando um casaco _ Vai ficar tudo bem, eu prometo

- Por favor, não faz isso... _ Alec disse chorando enquanto segurava a Madzie em seu colo enquanto ela dormia _ Eu perdi minha mãe por conta desse homem, eu não posso perder você, por favor... _ implorava baixo aos soluços com sua testa junta com a de Magnus

- Eu te amo _ Magnus falou baixo deixando um beijo leve em Alec _ Apenas 5 minutos... Me dê 5 minutos para sair daquela casa, e se eu não sair, invadam.

Já faziam uns 7 meses que estavam conversando sobre isso. Magnus queria se vingar e vingar a morte da mãe do homem que amava. Era apenas entrar falando que queria as coisas dele de volta e sair, puxando Asmodeus pra fora, apenas isso. Haviam viaturas para todos os lados com pelo menos umas duas ruas de distância para impossibilitar o homem de vê-las.

O carro que estava do outro lado da praça, tinha Alec, Madzie e a babá, que levaria Madzie para casa se algo desse errado. Passaram-se uns 3 minutos e Magnus saiu com uma sacola enquanto seu pai fechava o portão. Porém, para a pior das notícias, Asmodeus viu uma viatura no final da rua e puxou Magnus para dentro novamente.

Alec saiu do carro correndo e pediu para a babá levar Madzie para casa. Ele atravessou a praça e a rua junto com todos os outros policiais, procuraram no porão, na primeiro andar e os acharam no segundo, no quarto de Magnus, com Asmodeus mirando a arma na têmpora do filho. Ver Magnus alí, totalmente vulneravel a morte, apavoravam Alexander, sabia que esses estavam sendo um dos piores dias de sua vida e que nunca mais esqueceria da sensação de estar quase perdendo a pessoa que ama, pela segunda vez pelo mesmo motivo. Ficaram horas e horas tentando convencer Asmodeus de algo, já haviam várias redes de tv transmitindo o caso ao vivo sempre falando tudo que havia dentro da casa.

Foram ao total, 5 horas para que conseguissem algo de Asmodeus, mas a única proposta era liberar Magnus e matar Alec. Magnus já estava chorando a essa altura do campeonato vendo que Alec estava disposto a aceitar o trato. Os policiais não deixaram e pediram o mandato pra matar Asmodeus, sabiam que pelo menos alguém sairia morto daquela casa, mas que precisavam que esse alguém fosse Asmodeus, e então aceitaram.

Alec fechou o olho ao ouvir o barulho do tiro, e chorou mais forte ao perceber que tinha ocorrido mais de um tiro. Alguém mais havia atirado, e tinha certeza que esse alguém tinha sido Asmodeus, o homem que estava com a arma mirada na cabeça de Magnus. Ao abrir o olhos, gritou o nome de Magnus e correu para pegá-lo. Não enxergava direito pelo o acúmulo de lágrimas em seus olhos, a visão estava embaçada e só conseguia ver a quantidade se sangue que tinha na cabeça de Magnus.

- Eu te amo _ falou fraco e logo depois ouviu paramédicos chegarem

Não teriam chamado para médicos caso ele não tivesse chance de vida, quando Alec esfregou os olhos, viu que a bala tinha saído da cabeça dele e que não tinha atravessado completamente. O tiro tinha entrado na tempora direita e saiu um ouço acima da sobrancelha direita. Havia esperança.

Uma.

Duas.

Três.

Quatro.

Foram 4 horas de cirurgia, e por sua sorte a de Magnus também, não havia e não ficaria sequelas, além de uma cicatriz. O tiro havia sido de baixo pra cima e nada tão importante havia sido acertado. Alec chorou até que não pudesse mais. Sentiu uma parte de sua alma voltar para si e alguns pedaços de seu coração se reconstruir.

Foi mais uma hora até que Magnus pudesse acordar dos remédios e conseguir voltar da anestesia, para que pudesse falar novamente. Deixaram Alec entrar, depois de horas e horas, ele pode sentir o alívio.

Magnus estava olhando para a poltrona perto do sofá que ficava encostado a parede.

- Amor... _ Alec o chamou ainda com o rosto totalmente inchado depois de ter chorado tanto

Magnus virou devagar a cabeça e olhou para Alec, colocando um sorriso fraco no rosto.

- Você está vivo _ Alec falou começando a chorar denovo 

- Aí meu Deus, olhe só para você _ Magnus disse ainda fraco erguendo a mão enquanto Alec se aproximava e sentava ao seu lado, colocando a mão em seu rosto _ Eu estou aqui... Não precisa chorar, eu estou com você. Asmodeus morreu? Me diz que sim, por favor.

- Olha você... Quase morreu, por centímetros poderia ter ficado com sequelas e está preocupado com os outros _ Alec disse com um sorriso fraco ainda sem conseguir conter o choro _ Eu te amo tanto... Por favor, nunca mais se submeta a isso, eu te imploro _ implorou com a voz sofrida e rouca pelo choro

- Você estava disposto a morrer por mim... Eu também estava com medo _ Magnus falou baixo puxando o Alec pela nuca, deixando sua testa junta a dele _ Eu também te amo... E se você tivesse se entregado ali, eu também teria morrido junto com você, eu não conseguiria manter a minha sanidade mental, eu não conseguiria cuidar de Madzie sozinho.

Alec assentiu ainda chorando e beijou Magnus. Eles ficaram lá, deitados e gratos por terem sobrevivido a aquilo. Izzy aparece na porta logo em seguida.

- Aí, Mags... _ Izzy falou entrando no quarto com o rosto inchado também _ Está melhor? Fiquei tão preocupada

- Estou sim, kiddo _ Magnus respondeu levantando levemente para abraçar Izzy _ Não precisa chorar, estou bem... Ou melhor, ficarei _ Magnus disse fazendo uma careta 

Izzy riu enxugando as lágrimas e se afastando."

__________________________________________

- A cicatriz do papai... Ele não bateu a cabeça _ Madzie disse chorando depois de fechar o livro _ Qual dos dois que escreveu tudo? 

- Eu... _ Alec respondeu se aproximando de Madzie _ É triste? Muito, mas agora estamos aqui, todos muito bem. Não precisa chorar, isso é um passado um tanto quanto perturbador, mas não deixa de ser passado

Madzie se levantou e abraçou Alec e depois Magnus. 

- Por que não me mostraram antes? _ Madzie perguntou pegando o livro com capa marrom, sem título algum 

- Você era muito nova... Agora já tem seus 17 anos, e merecia saber de tudo _ Magnus respondeu pegando o livro e colocando de volta na prateleira do quarto deles


Epílogo

- Pai, de calabresa, por favor _ Madzie implorou rindo do outro lado da mesa, olhando para Magnus que estava escolhendo as pizzas que pediriam 

- Madzie, você sempre pede a mesma _ Magnus respondeu rindo e depois vendo

- Deixe ela _ Alec falou rindo 



Notas Finais


Para melhores explicações, tudo realmente aconteceu e Alec escrevia tudo para registrar no livro. Espero que vocês tenham gostado, amo vocês e até a próxima fic :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...