História Betrayed-Lil Xan. - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Diego Leanos, Drogas, Lil Peep, Lil Pump, Lil Xan, Novela, Romance, Suícidio, Xanax
Visualizações 122
Palavras 1.873
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Poesias, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Genteeeee, eu queria agradecer novamente por tudo!!!

Todos os comentários, mensagens de apoio e favoritos!!! Eu amo vocês seus fofoosss!!! ❤

Capítulo 13 - I still have a lot to ask you.


Fanfic / Fanfiction Betrayed-Lil Xan. - Capítulo 13 - I still have a lot to ask you.

P.O.V Diego ON.

[...]

Logo depois mais copos de Lean vieram e então vi o Pump se aproximar com um cigarro de maconha, ele a ofereceu e ela tragou.

Aquilo havia passado dos limites. Estava tão bêbada a ponto de não perceber a merda que estava fazendo?

Me aproximei rapidamente e a puxei pelo braço a arrastando dali.

— Ah, que droga me solta! — Ela se debatia enquanto dava socos em minhas costas.

Me virei e a puxei bruscamente pelo pulso para perto de mim. Ela encarou meus olhos assustada enquanto eu a direcionava um olhar raivoso.

— D-Diego? Quando chegou aqui? E... Ai, ai está me machucando! — Ela falou com a voz completamente embriagada.

— Eu vou te levar para a casa.

[...]

P.O.V Diego ON.

— Não! Eu não quero! — Ela tentou puxar o braço em vão. — Eu não quero ficar perto de você! — A soltei sentindo um nó se formar na minha garganta.

E, então os flashes começaram a voltar. Fechei os olhos e suspirei enquanto mechia no meu cabelo.

— Você...— Ela tentava falar mas a sua voz estava enbargada — Você sumiu! — A olhei percebendo que finas lágrimas escorriam de seus olhos borrando levemente sua maquiagem. — Eu te odeio, eu te odeio, eu te odeio!!! — Ela começou a dar socos no meu peito.

Segurei firme os seus punhos e a olhei.

— Eu também te odeio.

Ela me encarou ainda com os olhos transbordando de lágrimas e abaixou o olhar encarando seus pés.

Logo depois o Pump chegou correndo até nós.

— Que merda aconteceu Xan? — Ele perguntou ainda meio zonzo e fodidamente chapado.

— Eu vou levar ela pra casa. — Camila enrolou seu braço sobre meu corpo e eu segui andando com ela. — Até depois.

                       “X”

Entramos no prédio dela. Fechei os olhos suspirando em seguida, e a olhei.

— Xan!!!— Ela começou a cantar meu sobrenome artístico do nada. — Lil Xan!!! — Ela se debatia de rir enquanto fazia isso.

— É mesmo o efeito das drogas! — Começei a rir e ela fez cara emburrada.

— Por que você ri tanto? — Ela perguntou derrepente e então se aproximou e levou suas mãos até meu rosto. — Isso é tãooo irritante. — Ela apertou minhas bochechas e começou a brincar com elas.

Suas bochechas estavam sorridentes e vermelhas e essa era com certeza a coisa mais fofa que eu já tinha visto em uma garota.

Ela se afastou e encostou em um canto da parede do prédio, em seguida começou a fechar os olhos devagar.

Me abaixei em frente a ela de costas e a chamei : — Vem, precisamos subir!

Demorou um tempo até ela aceitar a ideia de eu carrega-la, mas no fim ela se rendeu.

Subi as escadas cuidadosamente com ela ainda nas minhas costas. Sua respiração estava bem próxima da minha orelha, aquilo estava me dando cócegas.

“ Só pode estar querendo me enlouquecer ”.

— A Lúcia ainda tá aqui? — Perguntei quando enfim chegamos ao apartamento dela. Ela apenas murmurou um sim, e então eu dei algumas batidas na porta e chamei pela irmã.

— hmmm. — Ela se remecheu. — Eu abro a porta. — me abaixei e ela pôs os pés no chão. Porém eles não ficaram lá por muito tempo. Ela se desequilibrou e quase caiu, mas eu a segurei a tempo pelo braço.

— Cuidado! — A puxei pra perto de mim e agarrei a sua cintura, nos olhamos nesse momento e eu pude ver a cara de espanto dela devido ao susto. Sorri e a olhei : — Não vou deixar você cair, okay? — Brinquei e ela sorriu.

— Me solta Xan!!! — Ela implicou.

— Não!!! — Começei a rir. — Cadê a chave? — Ela retirou a chave do seu bolso e me entregou.

Abri a porta e enfim entramos, mas não demorou nem um segundo e Camila se jogou no sofá logo de cara.

Eu juro que tive que me controlar ao máximo pra não fazer besteira. Primeiro por que ela se jogou de uma forma extremamente sexy no sofá, numa visão que “meu Deus” e segundo por que a roupa dela não estava ajudando muito.

— Você precisa de um banho, sabe disso não é? — A chamei.

— Cadê meu celular? — Ela perguntou e se remecheu no sofá, enpinando um pouco a bunda.

— Provavelmente você deixou lá. — Suspirei e me sentei no braço do sofá de frente pra ela.

— Eu não... — Ela começou a rir histericamente. — Você que deixou lá hahahahahahaha!!!

— Eu vou buscar amanhã. Mas... — começei a rir apenas por ver o estado dela. — Pra que você quer o celular?

— Hmmmmm.... Eu ia ligar pra um amigo! — Ela se levantou do sofá e me empurrou pra que eu caísse nele.

E então ela subiu em cima de mim. Abriu suas penas e colocou uma de cada lado sentando em cima de mim...

— Camila... — Começei a rir pela situação.

— O quê?! — Ela ficou vermelha. — Isso era pra ser sexy! — Ela bateu com o punho no meu peito e em seguida se jogou em cima dele se aconchegando no meu abraço. A abracei sentindo seu corpo quente sobre o meu.

E, eu não lembro exatamente como mas no fim eu e ela acabamos dormindo ali mesmo no sofá.

P.O.V Camila ON.

Acordei com a minha cabeça latejando de dor. Maldito Gazzy e suas apostas péssimas!

Aquele filho da mãe conseguiu me fazer beber e ainda por cima me fez pagar mico durante boa parte da festa!

Mas... Algo estava diferente agora.

Havia um peso desconhecido em cima de mim e... Aquele cheiro...

Alguns flashes da noite passada se fizeram presentes em minha mente. Fechei os olhos e dei um tapinha de leve na minha cabeça. Mas logo me acostumei e abracei aquele bebê pesado em cima de mim.

“Você voltou pra mim... Mesmo depois de tudo. ”

Passei a mão pelos seus cabelos e fechei os olhos sentindo seu perfume. A cabeça de Diego estava no encosto do meu pescoço, a respiração dele estava acelerada e eu podia sentir seu coração palpitando.

— Ei, eu sei que está acordado tá?! — O chamei e logo ouvi uma risada baixa dele. Sua boca estava tão próxima do meu pescoço que sua respiração me fez arrepiar.

— Que garota esperta! — Ele riu e poucos segundos depois depositou vários beijos molhados no meu pescoço "O que além de desejo me fizeram muitas cócegas" — Fechei os olhos com força e começei a gargalhar enquanto tentava tirar o Diego de cima de mim.

— Nãoo!!! Diego sai... Hahahaha!!! — Comecei a rir desesperadamente, tentei empurrar ele mas era em vão.

— Só vou te soltar quando você me dizer pra quem queria ligar ontem! — Ele começou a rir e fazer cócegas dessa vez com as mãos apertando de leve a minha carne.

— hahahahahahaha!!! Tá bom, eu falo eu falo!!! — Me rendi e ele me soltou para que eu pudesse respirar um pouco.

Diego saiu de cima de mim e se sentou na ponta do sofá.

— Pode começar. — Ele pediu e me olhou sorridente.

“ Aquele sorriso desgraçado!!! Que ódio que eu tenho de você!!!”

— O que é isso agora? — Perguntei me fingindo de incrédula. — Um questionario logo pela manhã? — Começei a rir. — Isso é ciúmes Dieguinho? — Falei me aproximando aos poucos dele.

Ele começou a rir e aproximou seu rosto do meu.

— Isso se chama preocupação! — Ele disparou. Pegou meu queixo e o levantou, e devagar ele aproximou seus lábios do meu.

Meu corpo estava em choque, o Diego me fazia perder a capacidade de raciocinar em poucos minutos.

Seus olhos seguiram da minha boca - onde ele puxou meu queixo pra baixo fazendo meu lábio se entreabrir - até os meus olhos.

Eu podia sentir que ele queria capturar cada momento do meu rosto. Seus olhos verdes me encaravam, eu já estava ansiosa por aquilo a dias. Ansiosa por ele, ansiosa pra ele me tocar e me beijar como estava prestes a fazer agora.

Apenas fechei os olhos, já esperando o contato dos nossos lábios.

Eu estava louca pra senti-lo.

Até que o Diego parou e deu uma assoprada no meu rosto.

“ Não estou acreditando nissoooo!!! ” — Gelei.

Ele começou a rir, e eu fiz a minha pior cara possível. Fechei os olhos e suspirei emburrada.

“ Ele tem noção do quanto eu o quero? ”

— Sacanagem. — Olhei pra o lado pra ocultar minha vergonha. Mas o desgraçado continuava rindo.

— Primeiro responde a minha pergunta. — Ele pediu.

— Que pergunta? — Me fingi de desentendida mesmo sabendo do que se tratava.

Diego ia falar alguma coisa mas o som escandaloso da porta se fez presente no cômodo.

E, lá estava ela.

— Ué, aonde que você tava? — Perguntei olhando o péssimo estado em que ela se encontrava.

Lúcia estava com a cara e as roupas completamente amassadas, além de um forte cheiro de bebida que vinha dela, isso tirando o cabelo que estava um caos.

— Misericórdia! — A olhei melhor. — É você mesma? — Começei a rir.

Em resposta ela apenas passou por mim e pelo Diego dando um leve aceno de costas e foi pra o quarto.

— Ela tá bem? — O Diego perguntou e começou a rir.

— Acho que ela tá viva. Porque... Estar bem naquele estado é foda!

P.O.V Diego ON.

Havia acordado primeiro do que a Camila. Ela era tão fofa dormindo que eu acabei passando um tempo apenas observando sua respiração e o quanto ela era linda mesmo naquele estado.

Tudo havia acontecido muito rápido aquela noite. Havíamos acabado de voltar a nos falar, mas ainda sim ela estava bêbada e não sei qual vai ser a reação dela ao me ver aqui.

Além do que eu tenho umas perguntas pra fazer pra ela. Mas não quero estragar tudo agora, então acho melhor perguntar uma outra hora.

Quando percebi que ela estava acordando eu me aconcheguei com a cabeça em seu pescoço.

Ela passou a mão no meu cabelo e o acariciou um pouco. Senti quando ela fungou em meu cabelo exalando o meu perfume e ri internamente com aquilo.

“ Aparentemente ela não está brava”

— Ei, eu sei que está acordado tá? — Ela brincou e eu acabei me entregando e soltando uma risada nasal.

— Que garota esperta! — Senti que ela se arrepiou com aquilo e começei a depositar vários beijos molhados em seu pescoço.

— Nãoo!!! Diego sai... Hahahaha!!! — Ela começou rir deseperadamente e tudo o que eu conseguia pensar era o quanto eu queria a fazer gargalhar mais.

Ficamos um tempo assim até que eu decidi perguntar algo bobo mas que estava completamente martelando ma minha cabeça desde ontem.

Ciúmes ela disse. Talvez? E se... Ou talvez fosse apenas preocupação da minha parte.

Me aproximei dela e levantei o seu queixo. Ela era tão linda.

“ Como essa garota consegue foder com meu juízo tanto assim? ”

Aproximei meus lábios do dela. Mas não ia a beijar agora. Queria capturar tudo, cada detalhe.

Aquele rosto, aqueles olhos, tudo nela era lindo. Eu podia sentir minha pele gritando ansiando por toca-la, eu estava ansioso para beija-la. Sentir aquele lábio carnudo de encontro ao meu...

“ Você não sabe o quanto eu te quero agora.”

 Eu sinto que não deveria... Não agora.

“ Acho que estou perdidamente apaixonado por você garota ”.

Mas eu ainda tenho muito a te perguntar.


Notas Finais


Não me matem!!!

💔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...