1. Spirit Fanfics >
  2. Better >
  3. Capítulo 02

História Better - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Capítulo 02


Fanfic / Fanfiction Better - Capítulo 3 - Capítulo 02

 

Capitulo 02

Caminhar por aqueles corredores sempre foi um martírio para ela. As pessoas sempre lhe olhavam como se ela não devesse estar naquele lugar ou simplesmente não ter nascido. Era sempre mais fácil julgar um livro pela capa ou pela quantidade de folhas que você conseguia ler, antes que jogasse de lado para pegar poeira.

Luna nunca demonstrou todas às historias dentro de si. Todos possuíam suas batalhas e podia dizer com certeza que ninguém era isento de momentos ruins ou tristezas profundas. Ela poderia citar pessoas dentro de Hogwarts que os olhos praticamente acusavam suas guerras internas.

Ela era um livro que poucos gostariam de ler inteiro e os que tentaram desistiram na metade. Achava mais fácil não lhe dar uma segunda olhada, fingir que ela não existia ou simplesmente chama-la de esquisita. Por isso, que Luna odiava as saídas fáceis.

Sempre preferiu os problemas mais difíceis a serem resolvidos, já que ela mesma foi considerada algo difícil de ser desvendado. As primeiras vezes machucavam como uma cadela, mas depois ela se acostumou a seguir em frente sem olhar para trás.

Luna Lovegood tinha profundidade e era um livro que poucos tinham a coragem de ler inteiro, talvez fosse exatamente por este motivo que iniciou um relacionamento com Rolf. Eles eram parecidos e as poucas diferenças que tinham eram adições especiais a seu namoro. Scamander foi o único que tentou lhe desvendar.

Ele buscou no mais profundo pela garotinha assustada que perdera a mãe muito cedo. No entanto, Rolf não encontrou o que buscava e talvez fosse por isso que o garoto desistira tão facilmente deles.

- Luna.

Parou no ultimo corredor que levaria ao Salão Principal, atrás dela surgiram Hermione e Gina praticamente correndo para alcança-la. As duas Grifinas foram algumas das poucas amizades que conseguiu em seus anos em Hogwarts e agora somente Gina permaneceria.

- Há quanto tempo. – Gina lhe puxou para um abraço apertado. – Você está diferente.

Hermione lhe sorriu parecendo perceber o mesmo da ruiva. – Sim, definitivamente você está diferente.

- Somente resolvi mudar um pouco meu estilo. – Contou sem grandes explicações.

Não enxergava motivos de contar às amigas, o que vinha ocorrendo em casa ou lhes contar seus sentimentos quanto às atitudes do pai, no fim nada mudaria. Ela teria de assumir a maldita revista.

- Ninguém muda o visual assim. – Resmungou a Weasley, lhe fazendo dar uma volta em torno de si própria. – Tem coelho nesse mato.

Luna riu com as palavras de Gina. – Na verdade, não tem nem coelho e muito menos mato.

O pasquim era a confirmação que todos os seus colegas precisavam para realmente taxa-la de louca. E Luna não era a mais animada para aquele falso estereotipo que criavam sobre ela. Gostava de se autoproclamar excêntrica com suas escolhas de roupas e acessórios, mas nunca seria louca.

Por algum tempo preferiu criar amigos imaginários, a ver o olhar de pena que as pessoas lhe cediam. Era uma garota órfã, que perdera a mãe cedo demais e foi deixada para ser criada pelo excêntrico pai, que não fizera nada de bom para a filha. O problema era que as pessoas enxergavam apenas a superfície, cegas por seu próprio julgamento deturpado e régua de padrões próprios.

Talvez, fosse a partir daquele ponto que as pessoas lhe acharam esquisita e até mesmo maluca.

Sentou-se em sua própria mesa junto a Corvinal, já sabendo que se buscasse juntar-se a Grifinoria acabaria por ser questionada por seus amigos sobre as mudanças substanciais em seus acessórios e maneiras.

- Luna está tudo bem?

Prendeu o suspiro exasperado ao levantar o olhar para Isobel. – Estou ótima.

Isobel MacDougal ainda tinha os olhos fixos em cima dela, mas calou-se assim que uma sombra cobriu a mesa. Luna gostaria de retornar para seu dormitório e cobrir-se com a colcha que sua mãe lhe fez quando menor, apenas para fugir dos olhares que recebia.

- Luna.

Voltou seus olhos para Neville, que tinha a mesma expressão preocupada de todos que lhe observavam. – Neville.

O garoto ficou vermelho profundo quando ela o reconheceu, fazendo Luna querer revirar os olhos para o grifinorio. Entretanto, era mais educada do que isso, por isso apenas aguardou Neville recuperar a compostura e fala.

- Gostaria de saber se está tudo bem?

Dessa vez Luna não segurou sua reação ao fazer uma careta para a pergunta. Qual era o problema das pessoas? Eles tinham certeza que ela era a esquisita? Tentavam medir as pessoas por seus próprios padrões e esqueciam que não eram feitos da mesma forma.

- Por que todo mundo resolveu perguntar isso? – Irritou-se se levantando de seu lugar. – Eu estou ótima, para todos ouvirem.

Pegou alguns cookies em cima da mesa e deixou o salão que parecia anormalmente quieto após suas palavras pronunciadas em voz alta. Sentia-se levemente doente pelos questionamentos sobre seu novo código de vestimenta e ainda estava chateada com o pai sobre suas exigências.

- Eu joguei pedra na cruz, só pode. – Resmungo furiosa.

- Pedra não, mas talvez devesse ter avisado sobre seu novo estilo. – Zombou Pansy Parkinson.

Luna puxou o máximo de oxigênio que conseguia. Era o que faltava para seu dia começar maravilhoso. - E talvez, alguém precisasse lhe avisar que arrogância e falta de cérebro já saíram de moda.

Os amigos da Sonserina que caminhavam logo atrás dela engasgaram-se com as palavras venenosas da loira. Pansy estava paralisada em seu lugar, assim como seus amigos tinham os olhos fixos nela.

Lovegood nunca tinha sido má com ninguém, mesmo que todos tinham algo a dizer ou zombar sobre ela. Fechou os olhos por breves minutos, tentando buscar calma de qualquer ponto do universo, antes de voltar a seu caminho ignorando os sonserinos parados ainda lhe observando.

- O que aconteceu com a DiLua? – Perguntou Draco com o cenho franzido.

Hermione foi à única responder. – Não chame ela assim.

- Ela não está normal. – Apontou Pansy com o óbvio. – Lovegood nunca retrucou qualquer uma das brincadeiras.

- Está preocupada Parkinson? – Gina sorriu para a Sonserina.

Pansy paralisou com a pergunta da Weasley. – Por que não estaria? Não tem graça tirar sarro da Lovegood com ela assim.

- Agora é você a estranha. – Pontuou Hermione.

------------***--------

Rony ainda observava a porta do Salão. Parecia que todos tinham paralisado com a resposta cortante de Luna e o pobre Neville estava verde e pronto para vomitar em todo o chão, assim que a garota gritou para ele.

- É melhor tirar Neville daqui. – Apontou Simas.

Levantou-se e pegou o amigo pela roupa de uniforme o puxando para longe dos olhares assustados dos outros alunos. Eles tinham o primeiro tempo livre, por isso não se importou de levar o amigo até o lago para tomar um ar fresco e espairecer.

- Ela não está nada bem. – Longbottom acusou.

Ronald acenou em confirmação as palavras do colega. Se antes ele não tinha tanta certeza, agora era mais do que óbvio que Luna estava completamente diferente de seu normal. A loira nunca gritaria com qualquer um de seus amigos e também sempre estaria com seu eterno olhar sonhador. Aquela Lovegood que gritou com Neville e tinha um olhar centrado nos olhos caídos do grifinorio, era uma estranha para os amigos.

- Talvez seja alguém se passando por ela. – Neville pareceu estalar em seu lugar. – Não tem como aquela ser a Luna.

Rony franziu o cenho para o colega. – Não diga isso para a Lovegood.

- Por que não?

- Irá deixa-la chateada. – Respondeu, sentando-se embaixo da arvore. – E ela irá te dar um soco.

Neville arregalou os olhos com as palavras do amigo. – Somente por que estou preocupado com ela?

O Weasley suspirou com a ingenuidade do colega, às vezes Neville conseguia ser pior do que ele próprio. Por muitas vezes ele agiu da mesma maneira em torno de seus amigos e agora percebeu como aquilo podia ser irritante e extremamente exasperante.

- Sua extrema falta de tato irá fazê-la lhe dar um soco. – Explicou Rony bagunçando os fios ruivos. – Como irá chegar nela e questionar se é outra pessoa se passando por ela?

Longbottom pareceu perceber o óbvio, já que sua expressão animada desapareceu. – Eu só queria entender o que está acontecendo.

Rony deu de ombros, sem realmente falar algo para o amigo. Ele não fazia a mínima ideia e se lhe perguntasse o que achava, diria que preferia mais aquela Luna a “Lunática”. Lovegood parecia mais atrativa com aquele olhar centrado e com as palavras vocalizadas da maneira que fez no salão.

Lógico que nada tiraria a beleza da loira Lovegood. Os fios loiros, que não se decidiam pelos cachos ou pelo liso escorriam por suas costas, agora um pouco mais curtos, os olhos claros sempre com o brilho sonhador e as feições delicadas com os traços finos e muito femininos.

- Não tomei nenhuma poção.

Rony pulou de seu lugar, pronto para sacar a varinha e estuporar a pessoa, assim como Longbottom que já tinha a própria varinha em mãos. Estancaram assim que Luna Lovegood surgiu por entre as arvores, parecendo um pouco abatida.

- Desculpem por assusta-los. – Pediu a loira abrindo um pequeno sorriso. – Não consegui não ouvir a conversa de vocês.

Neville abaixou a varinha, devolvendo o sorriso. – Então não é uma pessoa se passando por Luna?

- Larga de ser insensível. – Cutucou o ruivo.

Lovegood riu com a cena se desenrolando a sua frente. Assistir Ronald Weasley lhe defender da insensibilidade de Neville Longbottom era estranho a ela, mas não deixava de ser uma atitude bem vinda.

Percebeu que realmente nunca tinha fixado sua atenção em Rony. Somente aproximara-se do ruivo, as poucas vezes em que Hermione, Gina e até mesmo Harry estavam por perto e ainda sim nunca fixara seus olhos sobre ele tempo o suficiente para apreciar as características típicas da família Weasley.

Não permitiu que sua surpresa chegasse à superfície, assim que seus olhos realmente viram Ronald. Recordou-se que nunca achou homens ruivos atrativos, sempre lhe era estranho encontrar Hermione suspirando pelo Weasley e até mesmo Lavender parecia perder o ar quando o ruivo passava por ela. Entretanto, tinha algo novo em Rony que estava lhe chamando a atenção e lhe fazendo repensar em seus próprios gostos. Talvez, fosse à maturidade que agora exalava do ruivo ou quem sabe a maneira como os fios avermelhados caiam sobre os olhos claros.

- Está tudo bem Ronald. – Tranquilizou fixando seus olhos em Neville. – Eu sou a Lunática, que você conhece Longbottom.

Weasley tinha os olhos fixos nela, parecendo tê-la descoberto naquele exato instante e Neville parecia constrangido pelo fato de ela utilizar o apelido maldoso, que todos por qualquer motivo estranho acreditavam que ela não escutava pelos corredores. Às vezes, Luna preferia os Sonserinos com sua sinceridade cruel.

- Por favor, Luna não é nada disso.

Arqueou a sobrancelha para o grifino. – Então o que é Neville?

Assistiu Longbottom se contorcer no mesmo lugar e o rosto ficar em diferentes tons de vermelho, antes do garoto simplesmente esmorecer e lhe entregar qualquer desculpa esfarrapada correndo para longe.

- Eu acredito que você o assustou. – Ronald abriu um sorriso divertido para corvina. - Nunca pensei que veria Neville fugindo de uma garota.

- E você nunca fugiu?

Ronald abriu um pequeno sorriso para sua curiosidade. Ela rapidamente entendeu seu erro, quando o ruivo aproximou-se lentamente dela lhe obrigando a dar alguns passos para trás, até que não conseguisse por conta do tronco da árvore.

- Estou fugindo, por acaso? – Perguntou Rony colocando um braço acima da cabeça da loira. – Deseja fugir DiLua?

Mordeu o lábio, tentando evitar inutilmente que as lágrimas surgissem em seus olhos azuis. – Fugir de você? Por que eu faria isso?

- Não sei. – O ruivo deu de ombros de forma desinteressada. – Nunca pensei que lhe cercaria assim, por vontade própria.  

Arregalou os olhos para aquelas palavras, sentindo-se doente ao perceber a leve zombaria nas palavras de Rony. O garoto tinha acabado de alertar o amigo sobre ser mais sensível e ter um pouco mais de tato, mas as mesmas palavras não se aplicaram a ele próprio. Que no instante seguinte a tratou por aquele apelido ridículo do Malfoy e a tratou como nada.

- Won-Won.

Ronald arregalou os olhos com o chamado a distancia. Lovegood rapidamente entendeu quem procurava o ruivo e sentiu-se ainda mais doente. Lilá Brown não era uma de suas pessoas preferidas, na verdade a especialidade da loira era zombar dela.

- É melhor ir ver o que Lavender deseja. – Tentou inutilmente empurrar o ruivo, que não moveu um músculo.

 - Roniquinho.

Luna mordeu o lábio com o apelido, escolhido de forma péssima por Brown. A garota não sabia que aquilo acabava com qualquer atração que o garoto poderia possuir por ela? Agora entendia o porquê Ronald estava evitando Lavender como a peste.

- Ela ainda te chama assim? – Sussurrou divertida, esquecendo-se das palavras anteriores ditas pelo ruivo. – Lavender sempre foi péssima com apelidos.

Novamente voltou a empurra o peito masculino para longe e novamente suas ações foram infrutíferas. Exasperou-se concentrando sua atenção no Weasley que ainda estava com os olhos fixos nela.

- Não me soque, por favor. – Sussurrou Rony.

Lovegood não compreendeu de inicio o pedido sussurrado, mas quando o rosto masculino aproximou-se mais perto do seu, sabia que teria sérios problemas. O cheiro de loção pós-barba, hortelã e uma mistura cítrica trouxe suas pernas bambas, enquanto borboletas se debatiam em seu estômago.

Percebeu tardiamente que Lilá já se encontrava no campo de visão e Ronald estava utilizando de sua presença para afastar a grifina. De inicio foi apenas um selinho e então os lábios masculinos tomaram completa posse dos dela, invadindo sua boca e não lhe permitindo guarda nenhum segredo.

- Ronald. – Gritou Lilá furiosa.

O ruivo não pareceu perceber e se perguntassem para Luna qualquer coisa sobre Brown, naquele instante ela não saberia informar. Involuntariamente jogou os braços em torno do pescoço masculino e se deixou batalhar aquela luta que tinha virado o beijo.

Luna Lovegood, pela primeira vez em semanas esquece-se do pai, da revista e foi completamente egoísta.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...