1. Spirit Fanfics >
  2. Betty en New York: Sem o plano >
  3. Sogrinho...

História Betty en New York: Sem o plano - Capítulo 44


Escrita por:


Notas do Autor


Boa tarde migas!
Antes do capítulo quero deixar uma mensagem importante!

Está ficando complicado conseguir postar diariamente igual antes, devido a uma coisinha chamada "Biofísica" kkk da facul, que está acabando com meu psicológico 🙄🙄
Então é capaz de eu postar intercalando dias da semana, ou dois, ou três dependendo das minhas aulas e trabalhos...😟

Não irei abandonar vocês!! E não quero que me abandonem também! 😠

Lado positivo: Capítulos maiores pois vou escrevendo mais a cada tempo livre....

( é e tenho umas ideias aí para a história que vão fazê-las beeeem ansiosas!! 🔮🙈🙈) Aguardem....

Obrigada Dri. por divulgar a fic ❤️❤️

E aos novos leitores que maratonaram: sejam bem vindos e espero seus debates nos comentários 💕👇

Boa leitura...

Capítulo 44 - Sogrinho...


Dona Júlia preparava o café da manhã emburrada, enquanto discutia seriamente com Nicolás. Ela estava eufórica tentando tirar qualquer informação de onde Betty estaria, do porquê ela não havia dormindo em casa e nem mesmo ligado.

- Sabe o que é Dona Júlia – Nicolás tentava enrolá-la – Eu não consigo pensar direito com essa fome doida!

- Está pronto Nicolás! – ela se aproxima da mesa onde Nicolás estava e senta frente a ele lhe entregando a comida.

- Hmmm está tão cheiroso! Hahaha agora vou recuperar minhas energias! – ele dizia sorrindo e esfregando a própria barriga ao olhar para a mesa farta de comida.

- Hm, e eu posso saber o porquê de tanta falta de energia e essa felicidade toda?? – Dona Júlia pergunta curiosa.

- Aii Dona Júlia, a senhora não entenderia... É o amor! Meu coraçãozinho aqui está muito apaixonado.

- Tá, tá, tá!... Não quero saber mais nada Nicolás!...quero que me conte onde está a minha filha? E porque ela não me atende e nem mesmo dormiu em casa... E eu sei que você sabe de alguma coisa, já que diz que ela está bem!

Nicolás responde de boca cheia: - Olha, eu tenho certeza que ela está muuuitooo bem!... Mas não posso dizer mais nada, porque eu não sei!

- NÃO MINTA PRA MIM! – ela se irrita.

- Que gritaria é essa Júlia?? – Seu Demétrio pergunta se aproximando dos dois na mesa.

- Acho que é a menopausa Seu Deme! Hahaha

Demétrio se junta a eles e começa a se servir.

- O que é aquela maleta grande no quarto da nossa filha meu amor? E cadê a Betty? Não a vi chegando ontem... Por acaso foi pro trabalho mais cedo? – ele perguntava tranquilamente enquanto passava manteiga em um pedaço de pão.

Nicolás e Dona Júlia se olham um pouco apreensivos com que poderiam falar.

- A maleta foi entregue pra ela em nome da V&M. São algumas roupas, acho que de alguma coleção futura, pois no cartão está escrito o nome daquele senhor estilista – Júlia explicava com calma e um pouco confusa.

Nicolás diz rindo : - Vocês viram as notícias de hoje??

- Não! – os dois respondem ao mesmo tempo.

- Pois então, não vão entender mesmo! Hahaha!

- Do que esse menino está falando? E cadê a minha Betty que ninguém me respondeu!! – Demétrio já se encontrava alterado.

Nesse momento a porta se abre e eles ouvem a voz de Beatriz chegando. E ela estava acompanhada.

Todos viram-se para vê-la.

- BETTY? – dona Júlia diz admirando-a.

- UAAAUU! – Nicolás quase se engasgando de surpresa.

- ARMAANDINHOOO! – Demétrio se empolga ao ver Armando indo até ela. Ele sorrir e levanta a mão em comprimento.

- Olá! Papai...

- O quê? Betty é você?... Você está tão diferente! – ele se levantava para vê-la de mais perto.

Dona Júlia também vai até eles e apenas admirava a beleza de sua filha. Betty ainda estava com o vestido vermelho e o cabelo levemente úmido e preso em um belo coque, o rosto apenas com uma maquiagem leve e retocada.

- Minha filha... – sorria – Você está maravilhosa!

- Obrigada mamãe! – as duas se abraçam.

- Betty me diga agora mesmo quem foi o cirurgião que fez isso com você??! Hahahaha! Preciso urgente porque se te concertou, comigo será fácil, fácil!! – Nicolás debochava ainda sentado preparando mais um pão.

- Aii Nico não seja bobo! Não tive cirurgião nenhum!... E ainda sou a mesma Betty.

Armando só observava aquilo com os braços cruzados, ele estava um pouco nervoso.

- Vamos, sentem-se... – Demétrio se empolga e arrasta duas cadeiras na mesa para que Betty e Armando se sentasse – Meu amor, prepare mais um prato para o Armandinho! – ele dizia para Julia sorrindo.

Ela o obedece um pouco incomodada com a presença de Armando.

- Obrigada seu Deme... Posso chamá-lo assim né?? – Armando dizia sorrindo enquanto se sentava. Betty fez o mesmo se sentou ao lado de Armando.

- Pode sim! Meu filho, você já é da casa!

- Mas é claro que é hahahaha pois esse daí praticamente mora em Jackson Heights!

- NICO!! – Beatriz repreende seu amigo.

Dona Júlia retorna a mesa acrescentando um prato para Armando. Ela se senta na ponta da mesa, ficando ao lado esquerdo, Beatriz e o direito, Nicolás.

- Betty... Onde esteve minha filha?? Pois estou começando a pensar que não amanheceu em casa!! – Demétrio pergunta direcionando um olhar preocupado para a filha.

Betty e Armando se olham inquietos. Demorando para responder Dona Júlia reforça a pergunta.

- Não me diga que teve que trabalhar até tarde novamente??

- Ou sua amiguita ficou “doente” né Betty??! – Nicolás provocava com ironia.

Armando começa a falar com a voz um pouco baixa e nervosa : - Desculpem, sim... A Betty estava comigo – ele a olhava quase que pedindo socorro – O desfile atrasou e a gente, bom... Fomos...

Beatriz o interrompe dando um pisão no pé de Armando por baixo da mesa : - Fomos trabalhar no novo plano de negócios! – ela o corrigi.

Nicolás se empolga ironicamente: hahahaha!! Trabalhar?

Betty mostra um olhar de repreensão fazendo caretas para seu amigo. O que fez com que Nicolás se encolhesse e voltasse a comer.

- Bom!... Se estava com o Armandinho eu não me importo! Porque esse sim é um bom homem! – Demétrio diz sorrindo para Armando e o tocando no ombro.

- Mas, Senhor Armando... A sua noiva não se incomoda de trabalhar tanto??

- Na verdade Dona Júlia é que... Não estamos mais juntos!

- Mamãe, a senhora não anda lendo mais as revistas de fofocas?? – Betty pergunta olhando pra sua mãe com um sorrisinho nervoso.

- Não, ultimamente estou ajudando a sua vozinha em algumas receitas. Não tenho tempo... – ela volta a olhar para Armando, curiosa – E por qual motivo se separaram, quando estava tudo pronto para se casarem??

- Aiii Júlia! Como faz perguntas assim tão pessoal para o Armandinho?? Ele deve está passando um momento difícil!

- Tudo bem seu Deme... – toca o ombro dele sorrindo e volta a olhar pra ela –... Bom, dona Júlia na Verdade, minha relação com a Marcela não estava muito boa e vendo que não chegaríamos a lugar nenhum... Optamos por cancelar.

- Você não me parece nem um pouco abalado não é mesmo?!... Afinal agora é um homem livre! – Júlia dizia soando irônica.

Betty engolia em seco e suas mãos tremiam. Ela olha para Armando bastante nervosa, ele retribui o olhar e toca a coxa dela por baixo na mesa, tentando passar tranquilidade. Logo, Armando respira fundo e volta a falar, trocando olhares entre Dona Júlia e Demétrio.

- Sobre isso que eu queria falar com vocês dois... Bom, é que não estou abalado com o fim do meu noivado. Porque me apaixonei, estou apaixonado por outra mulher!

- Não me diga!? – Nicolás provoca com ironia e cruzando os braços.

- Mas, Armandinho... Como pode estar apaixonado se tem tão pouco tempo de separação???

- Não... B-bom... Como posso dizer... Não começamos da melhor forma... – ele coçava a cabeça em desespero, tentando encontrar palavras – Mas, só sei que eu estou apaixonado e me sinto o homem mais feliz do mundo... Seu Demétrio e Dona Júlia.. – segura a mão de Betty, olha pra ela sorrindo e volta a olha pros dois –... Estou apaixonado pela filha de vocês!... Eu amo a Betty!

Dona Júlia se engasga. Nicolás e Betty se aproximam dela e começa a bater em suas costas. Demétrio estava paralisado tentando absorver aquilo tudo.

- Mamãe está tudo bem?? – ela pergunta segurando a mão de sua mãe enquanto voltava a se sentar.

- Não estou entendo direto. O que esse Senhor está dizendo Betty?? – ela pergunta olhando para Armando com desprezo.

- É verdade mamãe – Betty olha pra Armando sorrindo e novamente ao lado dele, ela o abraça – Estamos apaixonados!

- Não vai falar nada Demétrio!!??

Ele apenas observava os dois abraçados. Não sabia o motivo, mas no fundo sentiu uma ponta de felicidade diante da confissão de Armando.

- O que quer que eu diga meu amor... Se o Armandinho acabou de dizer que a ama e que não está mais com aquela senhorita...

Betty sorria olhando para seu pai com um brilho nos olhos.

- Mas... Mas é que...

- Que o que mamãe?? – ela a interrompe.

Armando se ajeita na cadeira e antes dela poder falar, ele diz com um tom de voz confiante se direcionando a todos na mesa : - Sim... Eu amo a filha de vocês! Descobrir que não quero mais ficar um dia sequer sem ela. E por isso estou aqui, para fazer tudo certo. E Dona Júlia, sei que não vai muito com minha cara e até entendo. Não começamos da melhor maneira em nos escondermos de todos... Mas eu amo sua filha e prometo fazê-la a mulher mais feliz desse mundo! Será meu único objetivo...

- E então estamos falando de casamento também não é mesmo Armandinho??? – ele pergunta sugestivamente.

- PAPAI!!

- Tudo bem Betty!... Sim Seu Deme, com a sua filha eu quero tudo! – ele olha pra Betty, com um brilho nos olhos e sorrindo – Quero me casar, quero um futuro ao seu lado, ter filhos, muitos filhos! Haha...

- Você disse filho???... Um netinho?... Ouviu isso Júlia? – Demétrio se empolgava sorridente.

Ainda com a cara fechada, Dona Júlia só observava tudo.

- Sim Sogrinho! – Armando apontava o dedo pra ele animado – Muitos filhos!

- Cinco! Quero cinco netinhos correndo por essa casa!!!

- Na verdade Seu Deme... Eu estava pensando em SEIS ! hahahaha – Armando entrava no jogo.

Beatriz fazia caretas só de imaginar isso tudo. Ela bebia seu suco nervosa.

- E eu quero ser o padrinho!! Hahaha! – Nicolás sugere entrando no meio dos dois e rindo.

- Eii! Eu ainda estou aqui! – Betty repreende os três que não paravam de rir e contar até os nomes dos bebês.

Armando abraça Betty apertando-a em seu peito, estava aliviado de ter contado tudo e sentia uma felicidade imensa, algo que ninguém poderia tirar de seu peito. Enfim sua relação com ela era agora totalmente pública.

- Bom, eu vou me trocar... Porque ainda temos que ir para a empresa – ela diz se levantando.

Beatriz sobe para o seu quarto e Dona Júlia e Nicolás vão lavar as vasilhas, ela resmungava com Nicolás todas as suas inseguranças. Enquanto Armando e Demétrio conversavam ainda na mesa. Eles falavam sobre a BAR e suas questões financeiras que ultimamente estavam rendendo muito para serem apenas uma empresa casual. Demétrio busca alguns papéis e começa a fazer algumas perguntas, que deixaram Armando um pouco inquieto. Ele não poderia dizer nada sobre o embargo. Por sorte Nicolás chega e começa a ajudar Armando. Ele enrolava o pai de Betty, mostrando outros assuntos.

Armando começa a sair de fininho de perto dos dois. Ele olha para a Dona Júlia que agora estava entretida lavando a louça e falando com sua mãe no tablet. Então, ele começava a andar com as pontinhas dos pés em direção às escadas. Até chegar no quarto de Betty.

Ao entrar, ele a ver fazendo um belo coque no cabelo, deixando algumas mexas caírem sobre seu rosto. Beatriz já tinha trocado de roupa. Estava com um terninho elegante rosa claro com branco e acompanhado de um sobretudo bastante fino.

Ao perceber a presença de Armando ela olha pra ele um pouco desconfiada.

- Armando o que faz aqui?? Você está louco?... Se meu pai te ver aqui comigo e sozinhos...

- Você está tão linda! – dizia indo até ela, Ignorando completamente sua preocupação.

- Obrigada... – ela olha para uma maleta prateada no chão ao lado deles –... Hugo e suas ideias! Ainda deixou um bilhetinho dizendo que não me quer ver mais fantasiada hahaha!

- Típico dele fazer isso hahaha!

Eles se encaram.

- Betty, então quer dizer que esse é o seu quarto!? – Armando corria os olhos pelo local, observando cada detalhe.

- Sim, mas você já esteve aqui! No dia em que resolveu virar drag queen! Ahhh!

- Aii nem me lembre viu... Mas eu não pude reparar muito. Tem o seu cheiro – ele sorrir se aproximando dela.

- Armando... O que tá fazendo? – pergunta ao senti-lo a poucos centímetros de seu corpo.

Ele começa a acariciar o rosto dela.

- Me certificando de que isso não é um sonho... E que estamos juntos – ele sorria apaixonado.

- Se for um sonho, eu não quero acordar Armando... – ela se emociona e recebe um beijo de Armando, repleto de amor e carinho.

Ao se afastarem Armando olha pra cama dela e se empolga.

- Betty! Esse é o amoroso??! – vai até ele animado sentando-se na beira da cama pegando o urso em meio a uma expressão boba no rosto.

Ela se senta ao lado dele : - Sim! É o meu confidente de todas as horas Hahaha! Com ele eu conto tudo, o beijo, o cheiro e alguns dias bato nele ahhh!

- Então tenho um concorrente é?? Anda o beijando? – ele muda o olhar para o urso – Temos que ter uma conversa séria amigão!

- Não seja bobo Armando! Só faço isso porque com ele, eu sinto você por perto...

- Te amo tanto Betty... – ele se inclina até ela novamente – Não sei o que seria da minha vida sem você, sem o seu amor... – ele a beija, largando o urso de lado. Começa a deita-la carinhosamente na cama, enquanto se beijavam apaixonadamente.

Alguns segundos depois Nicolás para na porta do quarto e vendo a cena volta alguns passos preocupado.

- DONA JÚLIA MEU CORAÇÃO... NÃO ACHO UMA BOA IDEIA INVADIRMOS ASSIM O QUARTO DA BEETY!!! – ele falava em um tom de voz alto tampando a entrada do quarto.

Betty e Armando se separam rapidamente, levantando eufóricos.

Dona Júlia consegue passar por Nicolás e corre para ver onde estava sua filha. Ela ver Armando e Betty em pé um do lado do outro parados como uma estátua a encarando, pareciam estava em postura de soldado preocupado.

- Betty, pode me explicar o que esse senhor fazia aqui no quarto?

- O quê?? N-nada mamãe!... O que a senhora tá pensando que faríamos em?! – ela cruza os braços olhando pra sua mãe com reprovação.

Armando encolhe os ombros tentando parecer inocente.

- Hahahaha! – Nicolás só gargalhava com a situação.

- Não sei... Me diga você Betty?!

- De-desculpe Dona Júlia, a senhora tem razão. A culpa é toda minha eu vim chamar a Betty para ir pra V&M, não devia vim assim sem mais nem menos...

- NÃO! Mamãe eu e Armando estamos juntos! E quero que confie em mim quando digo que o amo... Então não me venha mais com esse olhar acusador e de quem não confia em mim... Já estou bem grandinha! – Betty se altera.

- Sim! Hahahaha! Dona Júlia a sua filha já está bem grandinha... E pode chocar os carrinhos com quem quiser! Hahahaha!

- NICOO!!! – ela grita pra ele apontando para a porta.

Dona Júlia fica confusa : - O que ele disse??

- N-nada mamãe... – ela olha pra Armando envergonhada. E ele não consegue conter um sorriso. Percebia agora perfeitamente, que Nicolás era mesmo como irmão para ela.

- Então vamos Betty? – Armando já ia em direção a saída.

Betty e Dona Júlia foram logo atrás.

- Da próxima vez minha filha, mande que esse senhor limpe o batom de seus lábios! – Dona Júlia cochicha para a filha, tampando a boca escondendo um sorriso.

- Mamãe! – Betty olha pra ela envergonhada. Mas receber um sorriso de sua mãe diante da situação a fez soltar uma respiração aliviada.


( NA EMPRESA...)


Betty e Armando chegam juntos na empresa. Quando o elevador se abre eles estavam rindo um para outro e saem de mãos dadas, como se estivessem presos em um mundinho só deles.

Todas as secretárias os observavam com curiosidade, tirando a atenção do Tablet em que estavam focados. Bertha via Armando e Betty parados sorrindo um por outro e se tocando carinhosamente, ela com a mão no peito de Armando e ele enrolando uma mecha do cabelo dela.

Todas se aproximam dos dois de fininho, até mesmo Patrícia se junta a elas, como se fosse do grupo. Ficam ali bem próximo tentando ouvir o que o casal falavam.

...

Eles sem perceber que estavam sendo observados continuavam sua conversa bem próximos.

- Estou tão feliz Armando! – ela sorria acariciando o peito dele.

- Eu também Betty... Apesar de achar que sua mãe não gostou muito de mim!

- Ela só está com ciúmes... E também, bom... O tempo que ficamos separados, foi um pouco difícil pra ela pois eu vivia no trabalho e chegava bastante triste em casa. Ela associou a você e com certeza já desconfiava de algo...

Armando a interrompe erguendo o rosto dela que parecia distante e triste ao lembrar : - Betty... Eu sinto muito. Se eu tivesse sido mais inteligente e menos manipulável nada disso teria acontecido.

- Tudo bem... – ela concorda mostrando um sorrisinho meigo –... O que importa é que estamos juntos!

Armando sorrir e une sua testa com a de Betty fixando seus olhos no dela: - Você não vai se livrar de mim tão cedo meu amor – olha para os lábios dela e a beija com ternura, tocando no rosto dela ele sentia uma pequena lágrima escorrer pelo rosto de Beatriz.

- Onnnnww!... – todas as secretárias se emocionava e soltam em sincronia uma respiração admirando o momento fofo.

Betty e Armando se afastam ao ouvi a empolgação das meninas.

- B-bom dia... – Betty as cumprimenta envergonhada.

- Bom dia Betty! Minha amiga!! – Bertha se empolga e vai até os dois, encarava Armando da cabeça aos pés, rodeava Betty admirando-a – Hmm o que temos por aqui!?... Agora são um casalzinho hein??

- Bertha! – Inezita a repreendia.

Armando segura o ombro de Bertha evitando que ela desse mais uma volta entre eles.

- Bertha! Tranquila por favor. Sim, eu e Betty somos um casal!

Beatriz se encolhe envergonhada, ela vira para Armando : - Pode nos deixar a sós meu amor?? Vai indo e logo, logo eu vou – ela sorri.

- Sim! Não demore muito minha Betty – ele toca a ponta do nariz dela sorrindo e depois lhe dar um selinho.

Sofia cutuca Mariana com cotovelo surpresa com a demonstração de carinho dos dois. Armando sai em direção a sua sala e é seguido pelos olhares de todas. Elas rodeiam Beatriz elogiando sua roupa e penteado. Betty dançava animada na no meio de suas amigas rindo. Logo depois Sofia pergunta com um tom de voz mais sério.

- Então Betty... – ela olha pra amiga pensativa – Você era a amante de Armando ??

Beatriz respira fundo se sentindo envergonhada diante de sua amiga. Ela sabia da história dela e do seu casamento e isso a fazia se sentir uma vilã de alguma forma.

- Sofia... Sim, eu era. Sei que é errado. Não devia ter aceitado isso nessas condições... Mas é que não pude, não consegui controlar meu coração. Você mesmo desconfiou de mim amiga! Que eu o amava. Sempre amei, e quando Armando começou a se aproximar de mim, dizia estar sentido algo, eu me sentir em um sonho. E ai foi tudo como vocês mesmo já sabem.

- Mas Betty... Então você largou o Nicolás pelo gostoso do Christian enquanto estava com o Armando as escondidas? ? – Aurea Maria pergunta mostrando uma expressão perversa ao imaginar.

Todos arregalam os olhos surpresas e olham para Betty esperando uma resposta.

- O quê?? NÃO! Você está louca Aurea Maria!?... O que acha que eu sou? – ela fazia gestos de incredibilidade – E eu já expliquei pra vocês, mas estavam tão focadas em Chris que não prestaram atenção!! O Nico nunca foi meu namorado, ele é como um IRMÃO pra mim... Eu só inventei isso pra que não me interrogassem mais sobre amor, porque não conseguia esconder meu amor por Armando.

Patrícia entra no meio do assunto empurrando algumas das meninas para entrar na roda : - O que você disse Betty?? Então, você é o Nico não tem nada?? – ela perguntava com uma ponta de curiosidade.

- Não...

- Espere! O que essa oxigenada faz aqui?? – Bertha pergunta a todas com as mãos na cintura e olhando pra Patrícia com desgosto.

Todas expulsam Patrícia quase que empurrando-a para longe.

- Olha amigas, eu preciso trabalhar agora! Depois eu tento explicar melhor ok?

Beatriz vai para sua sala e começa a trabalhar. Tinha muito o que fazer depois do sucesso que eles tiveram com a coleção de roupas informais. Passaram-se as horas e já preparada para almoçar, Betty sai de sua sala animada.

- Armando?! – ela o chama sorridente, mas percebe que a presidência estava vazia.

Ela estranha por um momento, Armando não tinha dito que iria almoçar tão cedo e ela pensou que talvez eles fossem juntos. Mas tentou não pensar muito e deu de ombros saindo da sala.

...

No meio do caminho Betty é interrompida por uma voz firme.

- Betty?

- Senhor Thompson! Olá! – ela sorria ao vê-lo se aproximando.

- Uaau Betty!... V-você está... – ele coça a cabeça desconcertado admirando-a –... Linda!

- Obrigada... – tímida.

- Vim te pedir desculpas pela minha ausência na coleção, eu estava em uma viagem a negócios e não consegui chegar a tempo.

- Está tudo bem, não se preocupe – ela diz com um sorriso amigável.

Thompson observa aquele olhar de Beatriz e por alguns segundos fica sem palavras, apenas a encarava. Betty sentiu um desconforto e volta a falar com a voz trêmula: - B-bom... Éee... Tenho que ir...meu horário de almoço não é longo ahh!

Ele balança a cabeça como se estivesse se repreendendo e Betty sai em direção ao elevador. Thompson respira fundo e se vira em direção à ela.

- Betty?! – a toca no ombro, fazendo-a parar – Na verdade eu também vim para conversar com você...posso acompanhá-la?

- Sim, claro! – ela concorda e os dois entram juntos no elevador.



( NO RESTAURANTE)


Os dois estavam sentados esperando a chegada do almoço, estava com um silêncio bastante constrangedor. Ela tinha um carinho enorme por Thompson e sempre se sentia bem ao lado dele, mas algo estava diferente, talvez pela sua mudança. Sentia que ele estava muito pensativo e distante.

Tentando quebrar o silêncio Beatriz pergunta: - Como foi a viagem?

- Hã? Viagem? – confuso, como se tivesse acabado ser acordado de seus pensamentos.

- Sim, você disse que estava em uma viagem a negócios!

- Ahhh sim!... Foi ótima, fechamos uma boa parceria – responde escondendo sua mão trêmula sob a mesa.

O garçom chega e os serve. Alguns minutos somente com o barulho de seus talheres Betty novamente quebra o silêncio.

- O que queria conversar?

Nesse momento ele larga o garfo no prato apreensivo. Seu rosto queimava e uma sensação fria na barriga se intensificou. Thompson estava paralisado, sua personalidade tímida e reservada tenta o impedir de falar o que sentia. Em sua mente viera todos as vezes se ensaiava diante do espelho, sobre como poderia falar para ela. Como ele explicaria que estava apaixonado por aquela mulher incrível sem que a assustasse. Percebia-se um rosto avermelhado e o os olhos fixados em seu prato. Ele então respira fundo e se direciona para ela lutando contra milhares de sensações em seu corpo.

- Betty... Eu queria que v-você... Bom, queria que so-soubesse de algo... Eeee que de um tempo pra cá... – coça a cabeça – .... Eu... Quer dizer...

- BETTY!! – uma voz chama por Beatriz no fundo do restaurante. Fazendo com que ela olha para trás.

Ela se levanta com um sorriso : - Olá! Catalina tudo bem?

Catalina concorda e abraça Beatriz. Ela vai até Thompson e o abraça também.

- Que tensão é esse Thompson? A comida está apimentada? Haha – ela brinca com ele percebendo-o seu comportamento.

Ele diz forçando um sorriso : Acho que sim hehe!

Ela sorrir e volta a olhar para Beatriz que já estava novamente sentada.

- Betty minha querida! – Catalina se empolga – Você viu as notícias??!

- Notícias? Não!

- Pois trate de ver minha amiga! Todos os sites de fofoca estão falando sobre a coleção e também a sua mudança!! Olha isso! – ela lhe entrega o celular em uma página aberta.

- Ah! E já me esquecendo do principal – Catalina desce a página do site com seu dedo indicador, mostrando outra parte da matéria para Beatriz – Todos estão loucos com o mais novo casal de Nova York!! Betty, eles estão apaixonados... O mais novo shipper da Internet são você e Armando!!

Thompson se engasga.

- Aii senhor Thompson!! Está tudo bem?? – Betty se inclina sobre a mesa para socorrê-lo.

- Ghrhhrr! – ele limpa a garganta – Estou bem Betty, obrigada.

- É pelo jeito é a pimenta mesmo ahhh! – ela sorri apontando pra ele.

Ela volta a olhar pro celular e depois para Catalina que estava em pé ao seu lado.

- Aii Catalina, essas fotos que vergonha!! – mostra a foto de quando Armando a beijou na passarela.

- Não seja tímida Betty! Estão lindos... – toma o celular dela e mostra para Thompson – Olha isso... Não estão perfeitos!??

Thompson engole em seco : - S-sim! Formam um lindo casal...

- Eu disse!! – Catalina se anima guardando o celular. Ela se despede e sai.

Beatriz se encolhe um pouco envergonhada mas no fundo estava se sentido muito feliz, nunca imaginava que isso poderia se tornar realidade. Todos de Nova York sabem de seu amor por Armando. E pensando nisso um sorrisinho se apodera do seu rosto.

- Vejo que está feliz! – Thompson a tira de seu devaneio.

- Estou! Muito ahh!

- Não sabia que você e Armando estavam juntos... – ele comenta tentando esconder aquela sensação de angústia e dor. Como se alguém lhe tivesse dado um soco no estômago.

- É uma longa história, talvez um dia te conto tudo! – ela dizia voltando a comer.

- Isso explica algumas coisinhas...

- O quê? – Betty pergunta confusa.

- O ciúmes de Armando. O olhar de assassino que ele me mostra algumas vezes!

- Hahaha haha! Assassino? – ela gargalhava.

- Sim Betty! Hahahaha! – sem conseguir evitar ele também ria.

Terminam de comer.

- Bom, tenho que ir agora – ela se levanta.

- Sim, vamos! Eu te acompanho de volta.

No caminho, Betty se sentia melhor, parecia que aquela sensação de incômodo no início tinha sido somente um engano de sua parte. Ela olha pra Thompson que parecia distante olhando fixamente para a estrada.

- O que ia falar? Antes de sermos interrompidos?... Parecia sério – ela pergunta curiosa.

Ele olha pra ela por alguns segundos e depois voltando a olhar para frente, Thompson responde.

- Dizer que desde de que te conheci eu sabia que era uma profissional exemplar. E que qualquer coisa que estiver em mente agora nos negócios... Saiba que estarei aqui para apoiá-la e fecharmos uma parceria – dizia orgulhoso.

- Obrigada!... Obrigada por acreditar em mim! – ela sorria pra ele.

E novamente aquele sorriso mexia com Thompson, mas ele sabia que não podia dizer nada. Seu amor estaria ali guardado a milhares de chaves. E pensar que se não fosse interrompido ele teria se declarado e talvez perdesse a companhia dela, até mesmo como amiga. O seu amor não correspondido era forte o bastante para aceitar, aceitar fazer parte da vida dela, mesmo não sendo da forma que queria. E vê-la sorrindo, ver seus olhos brilhando enquanto admirava o movimento pela janela do carro, era difícil. Mas acima de tudo, ele a queria feliz. Mesmo que com outra pessoa.

...

Thompson deixa Beatriz na porta da empresa eles se despedem e Betty entra no elevador. Chegando ao andar da V&M. Bertha e Sofia correm até ela desesperadas.

- Aii amiga! Você tem que ir pra presidência urgente! – Bertha balançava as mãos olhando para sua amiga preocupada.

- Sim Betty! – Sofia concorda empurrando Beatriz em sentido da sala.

- O que aconteceu? Pra quê tanta euforia meninas!? – confusa.

- O senhor Armando estava te procurando amiga. E ele parecia bem bravo! – Bertha explicava.

- Bravo?? Por quê?

Sofia responde com uma expressão de arrependimento: - Bom, amiga... É que ele perguntou onde você estava e falamos que saiu com o Senhor Thompson... E ele endoidou!

Betty não pôde deixar de sorrir ao lembrar o comentário de Thompson durante o almoço; “Olhar assassino”.

- Tudo bem meninas, eu vou falar com ele. Obrigada! – Betty se retira e já começa a se preparar para o show de Armando.

- BEATRIZ AURORA RINCON!!! – Armando pronunciava com voz alta em julgamento.

- Olá!! – Betty encolhe os ombros sorrindo inocentemente.

Armando se aproxima dela rindo ironicamente e aponta os dedos para ela eufórico.

- Não adiante me olhar assim! Senhorita!... Posso saber o motivo de me abandonar dessa maneira? E ainda ir almoçar com aquele “senhor elegante”! – fazia caretas ao citar Thompson.

- Aí Armando, você nunca se esquece disso né!? – Betty diz lembrando-se do comentário que fez em Miami em tom de brincadeira.

- Meu amor esse Senhor está com segundas intenções com você! Como pode ser tão ingênua?? – Armando pergunta fixando seus olhos preocupados no dela.

Beatriz sorria. Ela então, vai em direção a Armando lentamente, encosta seu corpo no dele e passa seus braços pelo pescoço de Armando. Continua andando e com um sorriso animado, até que se esbarram na mesa do escritório. Armando ao senti o corpo dela colado no seu, solta uma respiração aliviada e posiciona suas mãos na cintura de Beatriz.

- Se ele tem ou não segundas intenções... Eu não me importo! Porque sempre serei sua Armando Mendoza! – ela dizia pressionando-se contra o corpo de Armando e acariciando o cabelo dele.

Armando a encarava mais calmo e diz mordendo os lábios : - Isso é perigoso Betty... Você sabe como eu fico quando você me olha assim.

Beatriz se estremece e continua com seu olhar trocando entre os olhos e a boca de Armando. Ele força novamente o quadril de Betty pressionando-o contra o seu. Ela suspira. E Armando a beija.

Um beijo acelerado e intenso até que ficam sem ar, se afastam somente o rosto para se olharem.

Armando sorrir ao se lembrar de algo.

- O quê foi? – Betty pergunta tocando o rosto dele.

- Sabia que eu já sonhei com isso? – ele olha para o corpo dela escorado no dele e depois para o escritório.

- Sonhou?

- Sim, antes mesmo de me apaixonar... Bem aqui nessa mesa, nós dois – ele lambe os lábios perversamente.

Por um momento Beatriz se lembra de um comentário de Marcela a um possível sonho de Armando. Ela sorri ao descobrir do que se tratava. Por várias vezes se pegava imaginando o que ele teria sonhado.

- Ah é! E o que aconteceu aqui... Na mesa, Armando? – ela pergunta sorrindo.

- Você ainda pergunta?

- Então você tinha pensamentos eróticos com sua empregada? – fingia incomodada.

- Sim, foi um belo sonho... Uma pena que não terminamos e eu acordei antes mesmo de...

- Hahahaha!

- Não ria!... Foi muito difícil, depois viu... – ele desvia o olhar.

- Difícil?

- Sim! É que naquela noite eu acordei um pouco animado lá em baixo – fecha os olhos envergonhado.

- Não acredito!! – Beatriz se mostrava surpresa – Aquela Betty?

- Aham! – concorda confiante – Betty, eu tive que tomar um banho gelado!!

Ela desvia os olhos um pouco tímida. Armando sorrir e vai até o ouvido dela: - Podemos realizá-lo, não?!... Aqui na mesa... – depois ele deposita um beijo quente em seu pescoço. Fazendo o corpo de Beatriz estremecer.

- N-não acho que... – suspira sentindo-o explorar seu pescoço –... Armando... Alguém pode nos ver...

Ele a beija com vontade. Suas mãos apertavam os glúteos dela contra seu corpo que já estava com uma pequena ereção tocando-a. Beatriz se rende a ele suspirando e correspondendo seus beijos com os dedos entre o cabelo de Armando.

... 

- UOOOWW!! MEU OLHOS! – Hugo entra na sala e vendo a cena, grita tampando o rosto com as duas mãos – ESTÃO QUEIMANDOOO!..


CONTINUA... 


Notas Finais


💕💕 É fogo... É amor.. É comédia.. É tudo!!

Hehhehe
👇👇👇


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...