História Between Books and Consoles - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Kris Wu
Personagens Baekhyun, Kris Wu, Sehun, Suho
Tags Baekhyun, Exo, Exo!kid, Kim Junmyeon, Kris Wu, Krisho, Sehun, Sehun!kid, Suho, Sukris, Wu Yifan, Yaoi
Visualizações 241
Palavras 1.539
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, sei que o ship é flop, mas espero que tenha alguém lendo!
Quero agradecer a @exoidest pela capa incrível, tô tão apaixonadinha por ela que só me animou mais para escrever essa fic!!!
Enfim, sem enrolação. Boa leitura!.

Capítulo 1 - Um estranho simpático.


JunMyeon estava atrasado, de novo. Estaria no horário se o seu chefe idiota não tivesse pedido que organizasse todos os livros novos nas prateleiras. Se não amasse tanto aquela livraria estaria cogitando mudar de emprego.

Sabia que Sehun estaria com o maior bico do universo e faria uma birra imensa por seu atraso, mas ainda teve que passar no supermercado para comprar seu leite que tinha acabado e mais algumas coisas para o jantar, não queria incomodar sua mãe mais uma noite ficando para comer. Apanhou uma caixinha de waffles para usar como um pedido de desculpas pelo atraso, ele tentava manter a alimentação do filho saudável, mas era uma criança, poderia comer besteira às vezes, certo?

Checava sua listinha de compras no celular para ver se não tinha se esquecido de nada e percebeu que estava esquecendo-se de pegar o leite, o principal motivo de estar ali. Sehun já era grandinho com seus quatro anos, mas só adormecia depois de um copinho de leite morno e uma sessão de músicas ou histórias contadas pelo pai.

Enquanto riscava o item da listinha e corria para pega-lo e finalizar suas compras, JunMyeon acabou esbarrando em alguém parado no meio do caminho. Seus óculos voaram do rosto e pôde ouvir claramente o som de algo se espatifando, só desejava que não fossem as lentes.

“Ei! Você não olha por onde anda?” JunMyeon vasculhava o chão em busca dos óculos e os encontrou jogados sobre uma poça de cerveja e cacos de vidro. “Ainda bem que foi uma garrafa só!” O homem era bem maior que JunMyeon e o ajudou a apanhar suas compras que com o impacto caíram da cestinha.

“Desculpe. Quanto é a cerveja? Eu pago”. Se curvou levemente e suspirou, não queria arrumar briga nenhuma e nem se atrasar mais.

“Não precisa. Você se machucou?”

“Não... Só meus óculos que estão um pouco molhados. Bom, obrigado por pagar e me desculpe mais uma vez. Preciso ir, obrigado!” Voltou a correr depois disso, dessa vez tentando prestar atenção no caminho enquanto o estranho simpático o olhava confuso e com um sorriso divertido nos lábios.

O leite foi fácil de encontrar, uma vez que visitava frequentemente aquela sessão e finalmente pôde pagar as compras e dirigir para a casa de sua mãe onde Sehun o esperava. Já ensaiava a frase e a cara fofa que faria para o filho não chorar e o acusar pela demora, mas sabia que não adiantava muito, Sehun era uma criança muito esperta. A casa da vovó Kim não era tão distante e em menos de dez minutos já estacionava o carro, os dois o esperavam na varanda conversando alegremente.

“Papai!” O sorrisinho do menino se transformou em um bico imediatamente e cruzou os braços. “Você demorou muito!”

“Desculpe, mas olha só, papai comprou waffles!” Pegou o filho no colo e recebeu de bom grado suas mãozinhas macias distribuindo caricias por todo seu rosto. “Você não gosta?”

“Gosto!” O menininho de cabelos escuros encostou o rosto no ombro do pai e suspirou fechando os olhinhos. “Mas eu tô cansado, papai. Já tá escuro”.

“Então desfaz esse biquinho. Nós já vamos, tudo bem? Consegue ficar acordado até chegar em casa?” O menininho assentiu, embora JunMyeon soubesse que ele pegaria no sono assim que ligasse o carro. “Tudo bem, omma? Ele deu trabalho?”

“Sehun é um anjo, nunca dá trabalho”. A mãe havia se aproximado e abraçou o filho e o neto ao mesmo tempo, deixando um beijinho na testa de cada um. “Amanhã quero os dois logo cedinho aqui, nem pense em me deixar sozinha no final de semana!”

“Às dez vamos estar gritando na sua porta!” Ele imitou uma posição de continência e logo voltou a sorrir e aninhar o filho contra seu peito, quase rendido ao sono. “É melhor eu ir, ainda tenho que dar banho no Hunnie. Boa noite, omma, não durma muito tarde”.

 

“Nem você! Ah! BaekHyun ligou te procurando, está passando as férias por aqui e está louco para te ver! Disse para vir aqui em casa amanhã, tudo bem?”

“Sério? Eu vou adorar!” Fazia alguns anos desde que BaekHyun havia se mudado para fazer faculdade e não se viam mais desde então, sentia falta do menino que antes costumava ser seu melhor amigo, quase um irmão. “Vou dar um soco nele por ter sumido!”

Despediu-se da mãe e colocou o garotinho seguro na cadeirinha no banco de trás e circulou o carro para entrar no lugar do motorista. Seu apartamento também não ficava tão longe, a cidade não era muito grande, diferente da capital onde morava para fazer a faculdade. Mas isso claro, antes de Sehun nascer.

Não culpava o filho por ter que trancar a faculdade e voltar para sua cidade natal, se alguém tinha culpa naquilo era ele. Tinha sido irresponsável, claro, mas essas coisas acontecem e não adiantava ficar se culpando pelo resto da vida por beber em uma festa e ir para a cama com uma desconhecida. No final, decidiu ficar com a criança, já que a mãe não a queria e muito menos os pais da garota. Não a culpava também, foi um erro de ambos e ele não se importava em assumi-lo, ainda mais depois de ver o rostinho gordinho do menino em seus braços na noite em que nasceu.

Sorriu se lembrando de como a mãozinha pequena e delicada tentava alcançar seu rosto, Sehun era tão pequeno e frágil, tinha medo de ser um pai terrível e descuidado, o que mudou com o tempo. JunMyeon cuidava de seu pequeno garotinho muito bem e sempre que o buscava na escola, arrancava suspiros das mães por ser um pai tão dedicado. Só estava fazendo sua obrigação como pai, afinal, fazer seu garotinho feliz.

Subiu com as compras em um braço e Sehun no outro pelo elevador até o último andar, o menininho resmungava baixinho contra seu peito e vez ou outra agarrava a blusa do pai com a mãozinha pequena. Deve estar sonhando, Myeon pensou.

Deixou o garotinho no sofá e foi guardar as compras, provavelmente sua mãe passara o dia entupindo Sehun de comida e o menino não comeria, mas preparou um pouco de leite e deixou alguns segundos esquentando enquanto tirava o casaco. O menininho acordou pouco tempo depois e o fez ir até o banheiro para que tomasse banho.

Aproveitou a deixa para tomar banho no chuveiro enquanto o filho se divertia em sua banheirazinha de plástico, ainda era pequeno o bastante para caber dentro dela. Vez ou outra, JunMyeon pausava seu banho para auxiliar o menininho a lavar os cabelos ou passar o sabonete pelo corpinho. Conhecendo bem Sehun, o garoto deveria ter passado o dia rolando na grama e correndo com o pequeno poodle que sua mãe tinha.

Não demoraram muito ali e correram para o quarto para se trocar, a noite começava a ficar fria e nenhum dos dois queria ficar gripado. Principalmente JunMyeon com sua saúde frágil, qualquer coisinha já estava resfriado. Vestiram os pijamas que a vovó Kim havia dado de aniversário para os dois, eram iguaizinhos e pareciam uma dupla de super heróis usando, como Sehun gostava de falar sempre.

“Papai, conta uma histórinha?” O menininho se ajeitou na cama do pai, não queria dormir sozinho em seu quarto naquela noite e JunMyeon acabou deixando, para compensar todo seu atrasado naquela noite.

“Conto. Qual você quer ouvir?” Entregou o leite já morno para o filho e se ajeitou ao seu lado na cama. “Toma o leite e corre escovar os dentinhos, se não a fada do dente não vai te dar nenhuma moedinha quando os colocar embaixo do travesseiro. Ela só pega dentes bem escovadinhos, viu?”

O menininho assentiu e terminou o leite rapidinho, levou o copo até a cozinha e correu até o banheiro da suíte para escovar os dentinhos, tinha que subir em um banquinho para alcançar a pia e o tempo todo era supervisionado pelo pai deitado na cama. Quando terminou, voltou correndo e subiu na cama para se aninhar nos braços de JunMyeon novamente.

“Quero ouvir a do Bambi de novo, papai”. Sehun sempre pedia a mesma história antes de dormir e JunMyeon sempre hesitava, mas acabava cedendo ao olhar pidão do filho. O pequeno sempre abria um berreiro quando a mãe do veadinho morria e sabia que tinha muita curiosidade em saber sobre a sua própria. Aquilo lhe partia o coração e não foram poucas as vezes que tentou contato com a mulher para que talvez pudessem chegar a um acordo e ela viesse conhecer o próprio filho, mas nunca teve sucesso e sempre desconversava para distrair o menininho.

“Tudo bem então, deita aqui no meu colo”. Aninhou o filho sobre seu peito e começou a narrativa, Sehun bocejava logo nos primeiros segundos e não demorou a pegar no sono. Dessa vez, sem choros. “Deve ter aprontado o dia todo...” Puxou o cobertor e se ajeitou com Sehun sobre seu peito, dando um beijinho em sua testa antes de fechar os olhos. “Boa noite, principezinho”.

Sempre fora assim, apenas os dois. JunMyeon sendo um bom pai e protetor como nunca imaginou que seria. Mal esperava que essa rotina a dois mudaria em breve e por causa de uma simples temporada de férias.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...