História Between Brothers - Capítulo 42


Escrita por:

Postado
Categorias Capitão América, Deadpool, Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Os Vingadores (The Avengers), Thor
Personagens Anthony "Tony" Stark, Darcy Lewis, Fandral, Frigga, Heimdall, Howard Stark, James Buchanan "Bucky" Barnes, Jane Foster, Lady Sif, Loki, Maria Stark, Nick Fury, Odin, Personagens Originais, Peter Parker (Homem-Aranha), Phillip Coulson, Steve Rogers, Thor, Wade Willson (Deadpool)
Tags Abuso, Bucky, Incesto, Internato, Loki, Spideypool, Steve, Stony, Stucky, Thor, Thorki, Tony, Trauma, Universo Alternativo, Yaoi
Visualizações 320
Palavras 1.872
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu quero me desculpar mais uma vez pela demora. Mesmo sendo férias foi bastante complicado pra mim.
EU queria agradecer mais uma vez por todos os FUCKING 637 FAVORITOS. Muito obrigada a todos, de vdd.

RECADINHO: Quem já me segue no twitter ou irá me seguir me marquem pedindo para eu seguir de volta. Irei deixar o link nas notas finais se alguém quiser.

Capítulo 42 - E por quê acha que acreditarei em você?


BUCKY

 

Eu não poderia fugir para sempre, então resolvi acabar com esse problema logo. Colocar um basta. Chega de perturbações. Chega de bilhetes e mensagens. Chega de Steve.

Acabou.

Entro no quarto dele, o vendo sentado na cama, vestindo o short curto do time de vôlei do colégio, e uma regata branca. Uma completa perdição.

Acabou nada.

Não Bucky. Controle-se. Acabou sim.

Claro. Acabou meu auto controle.

— Bucky. Que bom que veio.— Ele diz me olhando com esperança e se levantando da cama, com seu cabelo loiro bagunçado e os lábios rosados me chamando.

É Bucky. Que bom que veio. Agora perdoa ele por ser gostoso e fode ele contra essa parede cheia de pôster de bandas dos anos 60.

O que? Cala a boca, mente do diabo.

Espera, eu tô discutindo comigo mesmo? Eu pirei de vez.

— Você tem dez minutos para me convencer. E não vale tirar a roupa.— Digo cruzando os braços.

—O que?— Ele pergunta confuso.

— O que? O tempo tá passando.— Digo, tentando mudar o assunto.

— Sei que pensa que fiz isso, e bom... Eu fiz. Mas eu fui forçado.

— Steve, não vou acreditar nessa história idiota.

— Laufey me forçou. Disse que iria acabar com a minha vida se eu não fizesse isso. Achei que ele só quisesse que eu gravasse a gente transando, mas... Aí Loki entrou no quarto e começou a falar daquelas coisas... Bucky, eu nunca quis nada disso. Era só pra Tony e eu conseguirmos estudar aqui. Tony disse que não iriamos machucar ninguém.

E por que acha que acreditarei em você?

— Porque estou dizendo a verdade. Bucky... Eu imploro. Posso se falar mais coisas. Eu sei de mais coisas. Mas não me deixa assim.

— Por que, Steve? Se apaixonou pelo cara errado?

— Talvez... —  Ele enfia as mãos nos bolsos, baixando o olhar. — Laufey é mais perigoso do que aparenta, Bucky. E tem mais segredos do que vocês imaginam.

— Eu preciso pensar, Steve. Eu realmente preciso pensar. — Digo e saio do quarto.

Ele realmente se apaixonou por mim?

Ele poderia estar dizendo a verdade, como também poderia estar mentindo.

Mas... Como eu poderia saber. Ah, eu preciso pensar. Beber um pouco.

Vou até o quarto de Thor e Fandral, entrando sem bater, pois sei que não tem ninguém ali, e roubo a garrafa de vodca que eles têm dentro da gaveta de cuecas.

Me jogo na cama de Thor e começo a beber, querendo colocar meus pensamentos em ordem.

E se eu também estiver apaixonado por ele?

Espera. O que? Eu apaixonado? Não. Isso não acontece. Ou acontece?

Mas que grande merda.

—O que faz aqui? E isso é meu.— Thor diz ao entrar no quarto.

—O que você faz quando não sabe se pode confiar em alguém ou não? Quando não sabe se a pessoa está mentindo ou não?

— Deixo o Loki decidir. Ele é o cérebro aqui. — Thor diz e toma a garrafa das minhas mãos.

— Acha que Steve é culpado?

— Pelo que exatamente? — ele pergunta bebendo um bom gole da garrafa, mais do que conseguiria de uma só vez.

— Conspiração. Gravar e postar minha conversa com o Loki. Contar pro seu padrasto sobre tudo o que falamos e vivemos. Por... me enfeitiçar...

—  Te enfeitiçar? —  Ele pergunta rindo.

— Não muda de assunto, Thor. —  Digo com raiva.

— Eu não sei. Acho que todos podem ser culpados e inocentes. O que ele disse?

— Que Laufey armou tudo. Que mandou ele fazer aquilo. Que Laufey é perigoso, mas do que imaginamos, e que ele sabe de muitos segredos.

—Ah, então torça para ele ser culpado e só estar querendo te enganar.

— Por que? — Pergunto confuso.

— Por que se ele for inocente ele tá muito ferrado.— Thor diz, guardando a garrafa no lugar.

—O que quer dizer com isso?

— Bucky, Laufey não tolera erros, e nem exposições. Ele quase matou Loki de tanto bater quando Loki tentou denunciar ele, e Loki é o brinquedinho dele. Confie em mim. Se Steve te falou tudo aquilo sem a autorização de Laufey, então ele tá muito ferrado.— Assim que Thor termina de dizer me levanto e vou correndo para o quarto de Steve.

Abro a porta depois de bater três vezes e não ter resposta. O quarto está completamente vazio. A cama dele perfeitamente arrumada, e ainda podia sentir seu cheiro no ar. Haviam várias opções. Steve poderia ter ido dar um passeio, ou ido para a biblioteca, ou saído com Tony. Mas ele não tinha feito nada disso. O tapete estava fora do lugar, o copo que estava sobre o criado mudo havia caído no chão e o livro de Steve estava em cima da cama de Tony. Steve era neurótico demais com tudo em seu devido lugar para deixar o tapete torto, ou o capo no chão, e principalmente deixar seu livro em um lugar que não fosse o criado mudo.

O que me faz ter certeza absoluta é ver o dogtag que ele sempre carregava em seu pescoço caído quase embaixo da cama de Tony. Ele havia me contado que havia pertencido ao pai dele que morreu em batalha, e ele nunca, nunca o tirava.

Saio correndo pelo colégio, o procurando, batendo de porta em porta, mas esse lugar é grande pra caralho.

Depois de mais de uma hora o procurando, uma parte da escola está ajudando. Steve parecia ter desaparecido.

— Encontrou alguma coisa? —  Pergunto à Fandral quando o encontro no corredor do quarto andar dos dormitórios.

— Nada. Acho que ele não está aqui. Já procuramos em todos os lugares.

— Não. Tem que estar faltando algum. Ele não poderia ter desaparecido assim em tão pouco tempo. Eu tenho certeza que alguém levou ele.

—  Bucky, eu realmente não acho que seja...

— Você olhou no terraço?

—  O que? —  Ele pergunta parecendo surpreso.

— Eu vou lá. — Digo, já saindo correndo para as escadas.

A porta para o terraço está sem o cadeado que costuma a trancar, o que facilita minha saída do prédio. Se não fosse pelo vermelho na neve eu nem o teria visto ali. Corro até lá e meu coração quase para com a cena.

Steve está deitado no chão, coberto por neve, mas grande parte dessa neve está cheia de sangue, e por por conta do sangue quente ela derreteu em certos pontos e não o cobriu por completo.

Começo a tirar a neve de cima dele. Se sua pele estivesse normal, eu poderia ver o efeito do frio, mas não está. Ele está com hematomas em todo o corpo. Seu rosto está quase irreconhecível, seu cabelo loiro agora está vermelho com o sangue, e seu corpo tem espasmos pelo frio.

Ele está só de cueca. Sua roupa foi completamente rasgada, e posso ver o quanto ele está machucado.

Tiro meu casaco e o cubro, em seguida o pego no colo com cuidado.

Steve dá um urro de dor que quase me faz lhe deixar cair com o susto, mas o seguro firme e desço correndo com ele.

— EU PRECISO DE AJUDA.— Grito assim que chego no saguão cheio de alunos.

— Steve? — Tony nos olha, pálido e corre até mim.—O QUE VOCÊ FEZ COM ELE?

— O QUE VOCÊ FEZ COM ELE? ISSO É CULPA SUA SEU DESGRAÇADO.— Eu teria batido em Tony se Steve não estivesse em meus braços.

Não demora muito para o diretor Fury aparecer.

— O que houve?

— Alguém fez isso com ele. Ele tá muito mal, diretor. —  Digo voltando minha atenção para Steve e se agarra a mim inconsciente, em busca de calor.

— Eu já liguei para a emergência.— Uma garota parada do lado da escada diz.

Porra, eu nem tinha visto ela ali quando desci.

— Me dê ele aqui, senhor Barnes.

— Não. Ele só sai dos meus braços para a maca. E eu irei com ele.

— Você não tem direito nenhum seu verme. Eu sou o melhor amigo dele.

— Você é o culpado por isso, playboy.

— EU VOU QUEBRAR A SUA CARA.

— JÁ CHEGA OS DOIS. O professor Heindall irá com o senhor Rogers, e vocês dois irão vir comigo. Barnes, entregue o senhor Rogers para o professor.

— Por que? Eu quem devo ir com o Steve. Sou a família dele. — Tony diz, ainda contrariado.

— Diretor, sem querer contrariar o senhor, mas o garoto parece ferido demais para ficar passando de braço em braço. —A mesma garota fala, e volto a olhar para o diretor, segurando melhor Steve.

— Diretor Fury, a ambulância chegou. — Alguém diz, nos olhando.

Paramédicos entram com a maca, e só então me separo de Steve.

Sou levado para a sala do diretor junto com Tony, e faço um enorme esforço para não o matar no processo.

— Ótimo. Agora eu adoraria saber o por quê de um estardm culpando tão veementemente o outro.— O diretor pergunta, e só então percebo nosso erro.— Falem. Vocês tinham tanto a falar no saguão.

Tony e eu continuamos em silêncio. Eu realmente não sabia o que dizer.

— É o segundo problema em que o senhor se mete em menos de um dia. O terceiro em uma semana. Senhor Barnes, o senhor está acumulando problemas demais, e... Não vejo lugar para alguém como o senhor em nosso colégio.

Não. Aquilo não poderia estar acontecendo.

—O que? Não pode fazer isso... Eu... Eu tive tanto trabalho para conseguir a bolsa...

— Senhor Barnes, eu lamento, mas o senhor parece atrair problemas, e parece estar levando alunos que nunca me deram trabalho junto. Esse incidente de hoje só me faz crer ainda mais que o senhor não está de acordo com a disciplina do nosso colégio para...

— Por que? Por que eu? Por que não tenho dinheiro pra ir atrás de uma advogado bom pra caralho pra te processar por eu estar levando a culpa no lugar de um monte de playboy que faz o que quer? Eu não posso ser expulso, o senhor sabe. Por favor...

— O que aconteceu com o senhor Rogers? — Ele pergunta e eu abro a boca pra falar toda a verdade quando sinto a mão de Tony em minha coxa, me fazendo ficar sem palavras.

—A culpa é minha.— Tony diz e olho surpreso.

—O que?—O diretor pergunta.—O senhor bateu no senhor Rogers?

— Jesus Cristo, não. Eu nunca faria isso. Usa a cabeça. Eu só... Steve acabou se envolvendo com... Pessoas que não deveria. Eu deveria ter impedido ele, mas não o fiz. Coloquei ele nisso.

— Quem são essas pessoas?

— Paul McCory e Luís Santiago.

Os nomes não me eram estranhos, mas... Ah, eu tô tão confuso.

— Eu irei investigar. Até segunda ordem nenhum dos dois não saem do colégio. Fui claro?

— Sim senhor.— Falamos juntos.

Tony e eu saímos da sala do diretor, e quando chegamos a uma certa distância pergunto:

— Por que fez aquilo?

— Aquilo o que?

— Me livrar de ser expulso.

— Eu não te livrei de ser expulso, só disse a verdade... De um jeito que não custaria nossas cabeças. Não pense que gosto de você Barnes.

— Então qual é a sua?

— Me meti em algo que não consigo sair, e que quase matou Steve hoje. Você o salvou. Continue fazendo isso.— Ele diz e então se afasta.

Dia estranho.

Tento achar Thor e Loki para poder conversar mas eles não estão em lugar nenhum, o que só serve para me deixar ainda mais preocupado.


Notas Finais


Espero realmente que tenham gostado. Please, não deixem de comentar. Eu vi que o número de comentários e de leitores tem caído muito, e eu espero que não seja por conta da qualidade da história, e se for, gostariam que me dissessem o que não estão gostando.
Muito obrigada por continuarem comigo. Amo muito vocês meus bolinhos, e não se esqueçam de me dar um toque lá no twitter pra eu sdv pra quem me segue lá.

MEU TWITTER: https://twitter.com/Kitten_Kaulitz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...