1. Spirit Fanfics >
  2. Between Cafes and Secrets >
  3. Hazelnut Cake

História Between Cafes and Secrets - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Tudo bem, era pra esse capítulo ter saído a mais de uma semana, mas eu apaguei ele pelo menos umas 3 vezes, de tão incerta que eu estava sobre o que fazer kkkkk

Enfim, o resultado, na minha humilde opinião, ficou bom, então espero realmente que gostem, pois me esforcei MUITO pra fazer tudo sair direitinho.

Desculpem se tiver qualquer erro, eu revisei, mas pode acontecer...

Tenham uma boa leitura❤

Capítulo 4 - Hazelnut Cake


Fanfic / Fanfiction Between Cafes and Secrets - Capítulo 4 - Hazelnut Cake

18 de Abril - Sábado


A semana passou realmente rápido.


Quando vi já era sexta e eu tinha, oficialmente, ficado uma semana no meu novo emprego.


Mingi me adorou, e eu o adorei, também. Então, quando não haviam clientes circulando pela loja, passávamos bastante tempo conversando.


A pessoa que trabalha lá, cujo Mingi mencionou no domingo, se chama Kang Yeosang. Ele é um fofo, bem tímido, pude perceber. Mas, apesar de tudo, nossa semana juntos foi ótima.


Sinto que aos poucos, mesmo eu não pense muito nisso, estou fazendo boas amizades. Tudo bem, podem dizer o que quiserem, mas 4 amizades pra mim é muito.


Seong-hwa foi o primeiro que conheci. Depois foi Yunho, sim, o outro barista da cafeteria. Mingi, graças a Seong-hwa, e de brinde, apareceu Yeosang.


Fico meio insegura com o fato de que eles podem não pensar como eu, talvez me vejam apenas como uma conhecida.


Sou bem insegura quando se trata de amizade e qualquer coisa que envolva pessoas na minha vida, mas preciso parar com isso.


Vou pensar que eles realmente gostam da minha companhia tanto quanto gosto da deles.


E como o combinado, cá estou eu me arrumando para ir ao karaokê.


Ok, tenho que admitir que estou muito mais nervosa que o normal.


Desde quando fico pensando em mil e uma opções de roupas para sair?


Respiro fundo e pego as primeiras peças – claro que é mentira – que vejo na minha frente, sem enrolação. Uma blusa de gola, branca. Uma calça marrom escuro, um casaco marrom claro por cima e uma bota preta.


Como o clima mudou drasticamente, coloco um cachecol para usar só até chegarmos no local. Não quero congelar até lá.


Prendo meu cabelo num rabo de cavalo alto, passo rímel, um gloss vermelho e, depois de pegar minha bolsa, saio de casa.


Seong-hwa disse que eu poderia ir com ele direto da cafeteira, então decidi passar lá um pouquinho mais cedo, assim já aproveitava e já pedia algo.


Assim que chego no local, vou direto me sentar, esperando alguém vir me atender.


— Hey, princesa!


Me viro, vendo Seong-hwa andando em direção à minha mesa.


— Olá!


Dou um sorriso para ele, que retribui.


— O movimento está fraco hoje, então logo devo ser liberado. Quer pedir algo enquanto isso? — pergunta.


— Bom... — pego o cardápio em cima da mesa e dou uma olhada nos bolos. — Um bolo de avelã, por favor.


— Sem café hoje?


Solto uma risada e nego.


— Sem café.


— Tudo bem. Já lhe trago. — diz, colocando o bloquinho de volta no bolso do avental.


Avental cujo fica muito bem nele.


Na verdade, quem eu quero enganar? Tudo fica bem em Seong-hwa.


Ele tem quase o mesmo estilo que eu. Ama roupas marrons e, admito, elas fica absurdamente perfeitas nele. Dá um ar mais sério e o faz parecer como se fosse um típico empresário rico.


Eu sei, exagero. Mas apenas digo verdades aqui.


Assim que meu pedaço de bolo chega, começo a comer, enquanto mexo nas minhas redes sociais, esperando pacientemente o tempo passar.


Quando vejo, percebo que Seong-hwa já terminou e, como foi ele quem ficou para encerrar o serviço, quem teria que fechar a cafeteria seria o mesmo.


— Ainda bem que veio agasalhada hoje. — fala, tirando a chave da porta e me guiando até onde seu carro estava estacionado.


— E você não. — falo. — Consegue mesmo ficar com esse blusa fina? Podemos passar na sua casa, não acho que seus amigos vão ligar.


— Não, tudo bem. Eu só me esqueci de pegar um casaco, mas assim que chegarmos lá, vai passar.


— Ok, então.


Depois de uma "viagem" quentinha dentro do carro, suspiro fundo para sair de lá.


Tinha mesmo que sair?


Seong-hwa sai e dá a volta, abrindo minha porta.


Saio também e arrumo minha roupa, fechando o casaco e passando as mãos pelo cabelo, tentando fazer com que o rabo de cavalo não bagunce com o vento forte.


Entramos no local e quando Seong-hwa confirma para a mulher quem somos, ela nos informa a nossa sala.


Andamos por um corredor extenso, até pararmos de frente para a porta certa.


— Rosé!


Escuto meu nome ser chamado, assim que entramos.


Cumprimento todos os que já conhecia primeiro e depois Seong-hwa me apresenta os outros.


Realmente invejo ele por ter tantos amigos legais assim…


Antes de começarmos o karaokê, comemos e bebemos um pouco. Os meninos estavam a fim de me conhecer melhor, e eu também, então não neguei.


Foi ótimo também, já que pelas irmãs de San e Yeosang estarem ali, não me senti muito deslocada sendo a única garota.


Os garotos que não conhecia ainda se chamavam Jung Wooyoung, Choi Jong-ho e Kim Hong Joong. Todos eram ótimos! Me trataram super bem e realmente vi que a conversa fluiu muito bem entre todos nós.


Sue, irmã de San, é um amor de pessoa. Ela é um ano mais nova que eu, faz um curso de enfermagem e divide um apartamento com o irmão.


Também soube que Mina, irmã de Yeosang, era bem mais velha que todo mundo ali. Tinha 29 anos, mas parecia tão jovial – tanto de aparência quanto de comportamento –, que jurava que ela poderia ser mais nova que eu. Yeosang não parecia incomodado com ela lá.


Parece que todos ali já a conheciam e pude perceber pelas conversas que Mina era, basicamente, a cabeça que cuidava de todo mundo ali.


Pouco tempo depois, já estávamos selecionando as músicas para cantar.


Mina foi primeiro. Ela era a que mais estava animada ali. "Fine", da Taeyeon, foi a música que ela cantou, e sinceramente? Que voz perfeita.


Jongho foi depois. Cantando uma música desconhecida por mim, mas que combinou perfeitamente bem com a voz dele. O vocal que esse garoto tem é simplesmente divino.


Sinceramente, não sei como todos aqui não estão virando idols, com todo esse talento acumulado.


San foi em seguida e enfim, chegou minha vez. A música que eu cantei foi "Re-bye". Não tenho lá um dote para canto, mas faço o que posso.


Seong-hwa era o próximo, e eu não poderia estar mais ansiosa.


Ele escolheu a música "It's You", do Henry Lau.


Depois de arrumar tudo e o toque da música começar, Seong-hwa se posiciona na frente de todos e sorri fracamente. Ele parecia até envergonhado por estar lá, no centro de todos os olhos. O que é estranho, já que todos são seus amigos.


Baby I'm falling, head over heels        


Looking for ways to let you know just how I feel          

 

O modo como meu corpo se arrepiou apenas com essas poucas palavras, foi o suficiente para fazer com que eu me preocupasse.


I wish I was holding you by my side     


I wouldn't change a thing 'cause finally it's real        


I'm trying to hold back, you oughta know that        


You're the one that's on my mind        


Falling too fast deeply in love       


Finding the magic in the colors of you        


Eu conhecia a música, já ouvi ela ser cantada por muitas pessoas, e podia jurar que nenhum deles a cantou tão bem quanto Seong-hwa.


You're the right time at the right moment      


You're the sunlight, keeps my heart going      


Oh, know when I'm with you, I can't keep myself from             falling


Right time at the right moment     


It's you        


You, it's you         


You, it's you         


Minha atenção estava totalmente voltada à ele. E, por mais que eu tentasse, não conseguia me mexer nem um centímetro.


Por quê?


Ele está apenas cantando, eu não posso estar encantada por isso! Ou posso?


Baby, I'm falling deeper in love         


Everything that you are is all I'm dreaming of         


And if I can break enough to show you that I need us    


I'd give up everything I have, girl just for you, oh        


Trying to hold back, you oughta know that         


You're the one that's on my mind          


Falling too fast deeply in love           


Girl, all I need to breathe is you         


'Cause you're the right time at the right moment          


You're the sunlight, keeps my heart going           


Oh, oh, know when I'm with you, I can't keep myself           from falling


Right time at the right moment        


It's you         


Assim que acabou, Seong-hwa sorriu, abaixou a cabeça e colocou o microfone no lugar, enquanto era absurdamente aplaudido pelo pessoal.


Já eu, bom, fiquei que nem uma idiota o encarando.


Quando o mesmo já estava perto o bastante para eu ir falar com ele, me levantei, porém, antes que pudesse fazê-lo, Sue foi primeiro, então preferi esperar para que ambos terminassem de conversar o que quer que fosse.


Fiquei falando com o pessoal enquanto bebíamos e, quando me dei conta, já haviam se passado umas 10 músicas.


— Ei, que horas são? — pergunto ao Yunho, que dá um sorriso bobo para mim e pegou seu celular.


— São… espera, isso é um 9?


Suspiro, tirando o celular da mão dele e vendo. Eram exatamente 01:00 horas da manhã, e eu não sei como ainda não nos expulsaram daqui.


Olho para os lados, vendo que Seong-hwa era o mais sóbrio dali. Ou eu acho que era.


Não sei, minha mente parecia girar.


Eu bebi um pouco, sim. Talvez uns.. 20 copos de soju?


— Rosé!


Me viro para Wooyoung, que mais gritava do que falava normalmente.


— Sim?


— Posso te perguntar algo?


— Uhum.


— Você… por que não fala pra ele?


— O que quer dizer? — pergunto, não entendendo aonde, exatamente, ele quer chegar com aquilo.


— O Seong-hwa gosta de você! Sabia?


Sorrio e chego mais perto dele.


— Ei… sabe, eu acho que estou começando a gostar dele também.


Wooyoung dá um gritinho, como quem acaba de receber a melhor notícia de sua vida.


— Por que não fala pra ele?


— Ele não gosta de mim. — dou de ombros, virando mais um copo. — Uau, é melhor do que beber sozinha. - murmuro.


— Você não sabe!


— E não sei se quero, sinceramente.


— Rosé?


Falando no diabo…


Assim que me viro, Seong-hwa está parado atrás de mim.


— Hum?


— Não quer ir embora? Acho que está tarde. — fala, olhando para os amigos completamente bêbados.


Bom, eu devo fazer parte disso também, de qualquer modo.


— Ah! Tudo bem, se você quiser.


— Seria melhor.


— Então vamos! — falo, me levantando de uma vez, quase caindo se Seong-hwa não me segurasse.


Não tive nem tempo de me despedir de todos quando o mesmo me puxou pra fora da sala.


— Ei! — resmungo, olhando para cima enquanto ele me leva em direção ao carro.


— Você é realmente fraca pra bebida, não é?


— Quem disse?


— Eu estou vendo, princesa.


Quando me coloca no banco do passageiro e passa o cinto em minha volta, Seong-hwa fecha a porta e entra do outro lado.


Ficamos o caminho todo em silêncio, apenas ouvindo nossas respirações e o pouco barulho do trânsito.


Eu até tentei começar um assunto, mas sabia que nada que prestasse ia sair da minha boca no momento, então optei por ficar calada.


Quando Seong-hwa desliga o motor em frente ao meu prédio, me viro para ele, ansiosa.


— Por que não sobe? Nós podemos tomar alguma coisa. — sugiro, vendo uma certa incerteza passar por seu olhar.


— Tem certeza? Acho que você precisa descansar…


— Não preciso, não. Amanhã é domingo, e ainda é cedo.


Vendo que eu não iria desistir tão fácil, Seong-hwa confirma balançando a cabeça e sai do carro.


Eu respiro bem fundo quando faço o mesmo. O vento gelado bate contra minha pele, fazendo com que eu me arrepie.


Seong-hwa fecha e aciona o alarme do carro antes de me seguir para cima.


Quando chegamos em meu apartamento, deixo minha bolsa e meu cachecol em algum canto da casa, indo até a cozinha.


— Pode.. deixar suas coisas onde quiser. — falo.


Ele sorri, antes de avançar em direção a minha pequena sala. Percebo que ele olha em volta de um jeito contido.


— O que você quer? Eu só tenho cerveja. Ah! Tenho Whisky também!


— Você tem Whisky?


— Claro. Sou alguém que bebe muito enquanto desenha. Procuro todos os tipos de bebidas possíveis. — brinco, mesmo sabendo que o que eu falei não tem graça nem sentido algum.


Na verdade, tenho uma prima que viaja bastante, então ela diariamente me trás coisas de fora. Como bebidas diferentes, roupas e etc.


— Whisky.


— Tudo bem, vou te acompanhar.


Acho que preciso de algo mais forte do que cerveja para conseguir falar com Seong-hwa abertamente.


Eu pego dois copos e vou até a sala, os colocando na mesinha de centro.


— Ei... pode se sentar. — falo, quando vejo que Seong-hwa ainda permanecia em pé, me encarando.


Ele se senta cuidadosamente em meu sofá. Parece bem desconfortável.


É por minha causa?


Seong-hwa não se sente confortável sozinho comigo?


Ele ajeita seu casaco, depois cruza os braços e fica olhando para frente.


— Seu loft é bacana. — comenta, olhando para todos os cantos menos para mim.


— Sim, eu gosto dele.


Ele sorri. Eu derramo o líquido escuro nos copos em silêncio.


— Obrigada por ter me chamado hoje. Foi divertido.


— Não foi nada. Gosto de você e fico feliz que conseguiu fazer amizade com os meninos.


Suspiro, lhe dando seu copo e esticando o meu em sua direção.


Brindamos e eu dou um gole em minha bebida, fazendo uma careta logo depois.


Eu sirvo novamente. Engulo o Whisky que acabo de servir, antes de me dirigir a ele:


— Poderia me dar licença por um instante? Vou no banheiro. — falo, e ele assente rapidamente, bebendo um pouco da bebida em seu copo.


Vou pro banheiro e fico lá por pelo menos uns 5 minutos, me olhando no espelho e pensando no que fazer.


Meu rosto está vermelho, acho que devido ao ar gelado que peguei lá em baixo. Meu cabelo já está uma bagunça, então desfaço o rabo de cavalo rapidamente e o solto, arrumando um pouco.


De repente, sinto um calor subir pelo meu corpo, então tiro o blazer e o deixo ali mesmo, em cima da pia.


Suspiro, pensando se falo ou não com ele sobre isso.


Seria possível estar gostando de alguém em tão pouco tempo assim?


Bato em minha testa, tirando isso da cabeça.


Ele provavelmente não sente o mesmo por mim. Com toda certeza não sente.


Então, depois de alguns minutos, volto, com uma cara um pouco melhor. Seong-hwa está olhando alguma coisa em seu celular, distraído, segurando o copo na mão.


Eu não sei se é o efeito dos vários copos de diferentes bebidas que tomei, mas algo me faz ficar o observando, vendo o quão perfeito esse homem pode ser.


Quanto mais olho para ele, mais o acho atraente. Do tipo alto, moreno, poderoso.


Céus, Seong-hwa exala uma testosterona gigante por onde quer que passe.


— Quer mais? — pergunto, voltando para a sala e me sentando novamente.


— Não, obrigado. Ainda vou dirigir.


— Hummm… É verdade. — resmungo, e então me sirvo de novo.


— Você vai ficar bem?


— É claro, por que não ficaria? - pergunto, achando graça da sua pergunta.


Ele me olha, com certa dúvida estampada em seu rosto.


— Você costuma beber tanto assim?


Suspiro e, num ato inconsciente, deixo minha cabeça cair para o lado, se apoiando em seu ombro.


Percebo que, apenas com esse ato, Seong-hwa fica tenso.


— Depende. Hoje bebi bastante porque estava acompanhada. É mais divertido do que beber sozinha, acredite.


— Posso imaginar.


— Pois é. Mas felizmente você está aqui! — falo isso animadamente, mas segundos depois percebo que minhas palavras saíram meio enroladas.


— Eu.. preciso ir.


— Mas já?


— Sim, está ficando tarde e não é certo eu estar aqui nesse horário.


— Por quê? Não gosta da minha companhia? Sou tão insuportável assim? — pergunto, me virando rapidamente para ele.


Nossos rostos ficam bem próximos, mas Seong-hwa faz questão de se afastar um pouco.


Acho que posso ter exagerado um pouco na bebida…


— Rosé.. você deveria tomar um banho e ir descansar.


— Humm... você vem comigo?


Dessa vez ele arregala os olhos, seu olhar está absolutamente estupefato.


Sim, tenho a noção de que não consigo mais controlar o que falo, então simplesmente saiu.


— Ei, eu estou brincando! — sorrio, vendo sua boca se fechar lentamente, enquanto ele suspira, aparentemente bravo.


Seong-hwa nunca ficou bravo comigo…


Começo a rir do nada, que nem uma idiota, e só paro quando minha barriga começa a doer.


— Ok, acho que deu minha hora.


— Mas já?


Eu o olho, tentando fazer uma cara séria, mas volto a rir novamente, e dessa vez ele se levanta.


Me levanto junto, mas de repente perco o equilíbrio.


Ele me agarra rapidamente, antes que eu possa ir direto ao chão.


— Uau! Que ótimos reflexos.


— Vem, vou te ajudar a ir para sua cama.


Olho para ele, dessa vez em silêncio, enquanto ele passa seu braço pela minha cintura, o meu pelo seu pescoço e sobe a escada para o meu quarto.


Assim que chegamos perto da minha cama, ao invés de me deitar, atrapalhadamente me viro e, sem querer, faço com que Seong-hwa caia na cama.


Tudo bem, eu admito, não foi tão sem querer assim.


A posição em que estamos é bem.. comprometedora, posso dizer. Meu peito está bem pressionado contra o seu, e eu levanto minha cabeça para olhá-lo, mas ao invés disso, acabo encarando descaradamente sua boca.


Boca essa que me parece a coisa mais atraente do mundo, de repente.


E, antes que ele tenha tempo de se desvencilhar de mim, minha boca se choca contra a dele.


Uau... é mil vezes melhor do que imaginei.


Sua boca contra a minha é macia, e eu não poderia estar mais feliz.


Tento insinuar minha língua em sua boca, mas ele gentilmente segura meus ombros e me afasta.


— Rosé, ei… assim não. Não agora.


Estou perdida, meu corpo de repente cai ao lado do dele, deitado, e eu não sei o que fazer.


Está tudo tão confuso…


Eu realmente estraguei tudo beijando ele!?


Assim que fecho meus olhos, sinto meu corpo ser puxado, ser coberto por algo quente e ouço de longe, uma porta se fechando, antes de cair num sono profundo.


Notas Finais


Siim, o primeiro beijo do nosso casal saiu. Não do melhor jeito possível, mas saiu. Já percebemos que a Rosé não pode beber, né? Kkkkk
Enfim, Rosé já reconheceu que tem alguns sentimentos por Seong-hwa, mas será que ele sente o mesmo?

As músicas que eles cantaram foram:
Fine / Taeyeon
Re-bye / AKSU
It's You / Henry Lau

Tradução da parte de "It's You" que o Seong-hwa cantou:

Baby, estou caindo de ponta cabeça
Procurando por jeitos de fazer você saber sobre meus sentimentos
Eu queria estar te segurando ao meu lado
Eu não mudaria nada pois finalmente é real
Tentando esperar, você deveria saber que
Você é a única na minha cabeça
Eu estou me apaixonando profundamente rápido demais
Achando a magia
Nas suas cores

Você é o tempo certo no momento certo
Você é a luz do Sol que faz meu coração continuar
Saiba que quando estou com você
Eu não consigo evitar me apaixonar
Hora certa nos momentos certos
É você
Você, é você
Você, é você

Baby, eu estou me apaixonando profundamente
Tudo que você é, é tudo que venho sonhando
E se eu conseguisse mostrar para você que eu preciso de nós
Eu desistiria de tudo que eu tenho só por você

Tentando esperar, você deveria saber que
Você é a única na minha cabeça
Eu estou me apaixonando profundamente rápido demais
Garota, tudo o que eu preciso para respirar é você

Você é o tempo certo no momento certo
Você é a luz do Sol que faz meu coração continuar
Saiba que quando estou com você
Eu não consigo evitar me apaixonar
Tempo certo no momento certo
É você


Essa música é maravilhosa, então eu definitivamente recomendo.

Bom, espero que tenham gostado e até a próxima ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...