História Between pain and longing. - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Anitta, Ariana Grande, Camila Cabello, Fifth Harmony, Ne-Yo, Sabrina Carpenter, Troye Sivan
Personagens Ally Brooke, Anitta, Ariana Grande, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Ne-Yo, Normani Hamilton, Personagens Originais, Sabrina Carpenter, Troye Sivan
Tags Anitta+camila, Gip, Pabllo Vittar
Visualizações 59
Palavras 1.168
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 16 - 16


Como todos sabem, hoje seria o encontro mais esperado e mais indesejado por Camila. A latina acordara bastante nervosa e triste, sim, ela estava muito temerosa diante a isso. Mani também havia acordado junto com a amiga, iria junto para dá apoio, eram elas por elas sempre. Gavin como sempre, iria ficar com seus avós, o garotinho amava a ideia de ir pra casa deles sempre que sua mãe sai, adorava os avós. 

- Chegamos. - murmura Camila, olhando para aquele prédio não tão grande. 

- Se acalma, ok? 

- Ok.

Lauren on.

Acordei hoje como sempre, tediosa. Não tomei café, pois acordei meio atrasada, mas não importa. Dei uma passada na empresa, queria adiantar um pouco as coisas, mesmo que poucas coisas. Ne-Yo estava em meu apê, então ele que se vire para comer algo, ele me conhece e sabe que não ligo se ele iria passar fome ou não. 

Agora estou aqui na sala onde acontecerá a "conversa". Preferir vir sozinha, não era nada demais para que viesse acompanhada. 

- Bom dia. - escuto aquela voz, baixa e hesitante na sala. Ergo os olhos e avisto Camila com uma blusa moletom e uma calça jeans. Simples e linda, como sempre. 

As pessoas presentes respondem, junto a mim, é claro, não sou mal educada. 

- Bom.. vamos começar? - pergunta o juiz. 

Camila e seu advogado senta-se a mesa. Advogado este que tem uma cara de idiota. 

- A senhorita Jauregui saiu com um pedido de registro de maternidade, para o garoto Gavin Lawson Cabello. - começa. - Mas a senhorita Cabello é contra. 

Camila assente.

- Diga o seu motivo. - Camila olha para seu advogado que se prepara pra falar. 

- Minha cliente é contra esse pedido pelo motivo de que a senhorita Jauregui no passado, havia mandado que a mesma retirasse o bebê, ou seja, que praticasse o ato do aborto. - meus olhos não saíam dela. - E por todos esses anos, não procurou saber do pequeno Gavin.

- Eu não sabia que ele estava vivo. - falo calmamente, ainda olhando para Camila.

- Senhorita Jauregui, não é a sua vez de falar. - rolo os olhos e me calo. 

- Voltando...- idiota. - Ela não queria esse filho, e ordenou que minha cliente o tirasse, mas ela não o fez, pois não tinha coragem e também não queria. 

Um silêncio paira na sala, olho para o juiz esperando a sua fala. 

- O que tem a dizer sobre isso? - se dirige a mim. Minha advogada iria falar, mas a impesso.

- Na época, eu era uma irresponsável. Só queria saber de curtir. - cruzo os braços e continuo. - Não conseguiria cuidar de um bebê, e tanto era irresponsável, que pedi para que ela tirasse a criança. E não procurei saber do bebê. - enfatizo olhando para o advogado agora. -...porque não sabia da sua existência. 

- E se soubesse? O que iria fazer? - Camila decide falar. - Iria registrar ele? Cuidar? Ama-lo? 

- Bom...registrar é o plano aqui. - coço a cabeça. - Cuidar... Posso tentar, não tenho muita prática, mas a gente vai aprendendo com o tempo. E ama-lo...- estalo a língua. - Por quê não?

- Mentira! 

- Chega as duas. - interfere o juiz. - Jauregui, você a pediu que abortasse o bebê, e agora quer registra-lo? Meio contraditório.

- Acredita em arrependimento? - indago olhando pra ele, que assente. - Tem um caso bem a sua frente. 

- Como posso saber que a senhorita irá fazer seu papel de mãe, que deveria ter feito a anos atrás?

- Posso fazer snaps e mandar para o senhor. - ele fica sério. - Ou então uma daquelas mulheres que vocês aqui mandam para avaliar a casa dos outros em alguns tipos de casos. - dou de ombros. 

- Está fazendo gracinha? 

- Longe de mim mere..-

- Senhor, a minha cliente quer poder conhecer o filho dela, que não sabia que existia. 

- Porque ela queria que ele estivesse morto! - rebate Camila. 

- Verdade. - falo. Todos olham pra mim. - No passado, quando eu só queria saber de curtir. Mas agora, maturidade, Trabalhos, e uma criança em nossas vidas faz muita diferença. Quero poder conhecer essa diferença que eles trazem. 

Camila me encarava com uma cara nada boa. Ela não acreditava nem um pouco nas minhas palavras, e eu não estava nem aí. 

- Pesso que aguardem lá fora um instante. Preciso de um tempo para analisar e dá uma resposta a vocês. 

Narrador on.

Ambas saem da sala e vão para um corredor ficar a espera da decisão do juíz. Lauren que vestia uma calça de couro preta e uma blusa social branca, estava em pé emocsfsds na parede, ela segurava sua jaqueta também de couro. A morena encarava a latina que não conseguia segurar o olhar, então mantinha seus olhos no chão. 

- Tanto advogado bom, e você me aparece com um com cara de idiota. - começa Lauren. O advogado de Camila a olha com um semblante irritado, mas não diz nada.

- Justin é um ótimo advogado, e um ótimo amigo também. - Lauren rola os olhos. - Você deveria respeitar as pessoas, Lauren.

- Ah sim, perdão Justin com cara de idiota. - sorri cínica. 

- Você é tão irritante! 

- E você se apaixonou por mim desse jeito. 

Touché.

Camila on.

Depois de alguns minutos, somos chamadas para a sala de novo, o nervosismo tomando conta de mim mais uma vez. Minhas mãos não paravam quietas e isso estava me irritando.

- Já temos uma decisão. - começa o juíz. Olho pra Lauren e ela o olhava serena. 

- Aconteceu aquele momento em que a senhorita Jauregui pediu que a senhorita Cabello tirasse a criança. Um pedido que não foi aceito pela Cabello. - assentimos. - Então, como não sabia da existência do seu filho, a Jauregui não procurou saber e agora sabendo, quer registra-lo. - assentimos de novo. 

- Cheguei a conclusão de que poderia dá uma segunda chance a senhorita Jauregui, que alega ter mais responsabilidade e maturidade para cuidar de um filho...

Sinto o ar faltar em meus pulmões e abaixo a cabeça.

-... então concedo que a mesma registra o pequeno Gavin Cabello, como seu filho.

- O que?!!! - bato as duas mãos na mesa. - Isso não é justo! Ela não o ama!

- Como não amar uma criança tão inteligente como aquela? - olho pra Lauren, a raiva me consumindo com o cinismo dela. 

- Como pode conceder isso a ela?! 

- Senhorita Cabello, se acalme. 

- Camila..- Justin pega em meu braço, me fazendo sentar. 

- É isso, fim da reunião. 

Ele levanta e sai pela enorme porta, nos deixando ali na sala. Olho pra Lauren, e ela não esboçava reação nenhuma, não me olhava também. 

- Satisfeita? - pergunto. Ela me olha. - Satisfeita agora? 

- Camila..-

- Cala a merda da sua boca! Você só está fazendo isso por puro capricho Lauren!

- Não sei do que você está falando. - se levanta. - Vamos Vero. 

- Eu odeio você Lauren.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...