1. Spirit Fanfics >
  2. Between The Fame >
  3. Capítulo 40

História Between The Fame - Capítulo 40


Escrita por:


Notas do Autor


Haalllooo

Leiam as notas finais!

Boa leitura!!

Capítulo 40 - Capítulo 40


Fanfic / Fanfiction Between The Fame - Capítulo 40 - Capítulo 40

Camila POV

Acordei no outro dia morrendo de dor de cabeça e dor no corpo. Gemi manhosa sentindo tudo doer. Virei e vi minha namorada dormindo profundamente.

Levantei da cama lentamente, evitando movimentos bruscos pra não doer mais ainda. Caminhei para o banheiro onde tomei um banho relaxante. Vesti apenas uma calcinha, short de algodão e top preto.

Saí do banheiro vendo minha namorada de bruços dormindo. Sorri ajeitando o edredom em suas pernas. Saí do quarto e fui para a cozinha preparar nosso almoço, já que é quase meio dia.

Tomei um remédio pra dor de cabeça e logo comecei a cortar os temperos, cortei o frango e preparei tudo. Estava fazendo suco quando ouvi passos próximos. Virei e encontrei minha namorada com uma careta e a mão na cabeça.

- Ressaca?- Questiono e ela assente sentando na cadeira.

- Sinto que minha cabeça vai explodir.- Murmura.

Fui até o armário pegando o analgésico pra ela e lhe entreguei. Voltei a prestar atenção no fogão e em pouco tempo estava tudo pronto.

- Você quer que eu faça caldo de ovos pra você melhorar?- Questiono abraçando os ombros da minha namorada.

- Quero.- Diz manhosa escondendo o rosto em meu peito.- Nós começamos refrigerante de limão?

- Sim, babe, por quê?- Respondo acariciando seu cabelo.

- É porque esse refrigerante tem uma substância que corta o efeito do álcool mais rápido.- Ela explica.

- Sério?- Pergunto surpresa.

- Sim.

- Ok, eu vou fazer seu caldo e você pode almoçar logo pra não ficar de barriga vazia.- Falo puxando seu rosto fazendo ela me encarar.

- Tá bom, amor.- Diz baixinho.

Beijei sua testa e fui preparar o caldo de ovos pra nós duas já que eu também não estou no meu melhor estado. S/n se serviu com o almoço e logo estava comendo e me observando.

Após alguns minutos eu terminei de fazer o caldo e me servi com o almoço. Sentei ao lado da minha namorada que já havia terminado de comer.

- Sua comida é ótima.- Ela fala abraçando meus ombros.

- Faço o que posso.- Respondo sorrindo com a língua entre os dentes.

- Será se a Laur e as meninas estão bem? Nós ficamos muito bêbadas.- S/a comenta risonha.

- Eu bebi demais.- Falo tomando suco.

- Realmente, até estranhei, mas deixei porque eu estava ali pra cuidar de você.- Minha namorada fala beijando minha bochecha.

- Você é tão fofa.- Eu falo acariciando o rosto meio bronzeado.

Ficamos conversando enquanto eu comia, quando terminei eu lavei as louças e deixei no escorredor.

- Vai comer o caldo agora?- Pergunto encarando minha namorada.

- Sim, sim.- Responde.

Peguei um prato fundo e coloquei caldo suficiente pra nós duas. Logo estávamos na sala. Sentei no chão encostada de lado no sofá e S/n fez o mesmo.

- Isso está tão bom.- Ela comenta após comer o caldo.

Eu sorri apoiando meu braço no estofado e pousando minha cabeça na mão. S/n colocou mais caldo na colher e aproximou de mim, abri a boca recebendo a colher.

- Está bom mesmo.- Falo sorrindo.

Minha namorada me mimando e me dando comida na boca, com isso nós comemos tudo.

- Estou com sono.- Eu falo bocejando.

- Dorme, babe.- Ela diz acariciando meu rosto.

- Vou deitar no sofá mesmo.- Falo me esticando pra deitar no estofado.

- Já deito com você, vou só lavar essa louça.- Avisa e vai para a cozinha.

Fiquei ali perdida em pensamentos sobre a noite de ontem. Shawn foi tão escroto que acabou apanhando, ele estava sem controle e totalmente fora de si.

S/n voltou deitando atrás de meu corpo. Me aconcheguei em seu corpo fazendo ela me abraçar. Seu rosto encaixou no meu pescoço e ela depositou um beijo ali. Suspirei fechando os olhos e relaxando sentindo seu calor.

>>>>>>>>>>>>

Quando acordei já era noite e pelos barulhos de trovão eu pude notar que chovia bastante. Peguei meu celular na mesinha de centro e vi a hora, 18:45 hrs.

Virei lentamente nos braços da minha namorada e quase gritei quando vi seus olhos abertos me encarando.

- Caralho!- Exclamei batendo em seu braço fazendo ela rir.

- Você se assusta fácil demais.- Ela diz rindo.

- Você que tem mania de me assustaram.- Reclamo emburrada.

- Linda.- Fala me abraçando.- Vai trabalhar amanhã?

- Sim, vou iniciar as gravações de um clipe.- Falo sorrindo animada.

- Sério? Qual?- Pergunta na mesma animação.

- Não posso dizer.- Falo vendo ela fazer um bico.

- Ah, por que, amor?- Questiona manhosa.

- Porque não posso.- Digo simples.- Cê vai embora amanhã, né?

- Sim, tenho que arrumar minhas malas pra viajar sexta.- S/n diz.

- Prometo ir ao seu jogo.- Eu falo e ela sorri abertamente.

- Me avisa quando for.- Pede e assinto beijando seus lábios levemente.

- Estou com frio.- Comento me agarrando mais ao seu corpo.

- Eu te esquento, minha vida.- Ela diz me abraçando apertado e eu sorri.

- Vou ligar pra Lo, saber se ela está viva.- Eu falo e S/n concorda rindo.

Peguei meu celular na mesinha novamente e disquei o número da branquela que atendeu depois de alguns toques. Pela sua voz eu sabia que ela estava pior que eu e S/n de ressaca.

Passamos dos limites ontem.

>>>>>>>>>>>>>

Os dias passaram rápidos. Eu iniciei as gravações do clipe de My Oh My, que foi uma das músicas favoritas do Romance. Finalizei as cenas na sexta pela manhã, e já pela tarde eu estava viajando para San José na Costa Rica pra assistir ao jogo do meu amorzinho.

Cheguei a cidade já a noite. Minha namorada estava no hotel me esperando. Peguei um táxi quando saí do aeroporto e segui para o hotel que minha namorada está hospedada com a seleção.

Paguei o taxista e desci do carro. O hotel era muito bem localizado e luxuoso. Subi pelo elevador até o andar do quarto de S/n, logo estava em frente a porta do quarto esperando ela abrir.

- Oi, meu amor.- Diz assim que abre a porta e me puxa para um abraço caloroso.

- Oi, babe.- Sussurro lhe dando um abraço de coala fazendo ela segurar minhas pernas.

S/n puxou minha mala e foi me carregando para dentro do quarto. Deixou minha mala num canto e nos deitou na cama.

Nos encaramos intensamente antes de eu segurar seu rosto e selar nossos lábios em um beijo carregado de amor e saudade.

A brasileira usava apenas um short de moletom, logo eu estava arranhando suas costas. Ela se acomodou entre minhas pernas e aprofundou o beijo tornando-o sedento.

- Amor...- Chamo separando nossos lábios, S/n desceu os beijos para meu pescoço e eu suspirei sem forças.- Babe...

- Hum...- Resmunga querendo que eu continue.

- Não posso, estou menstruada.- Falo e ela para os beijos para me encarar.

- Tudo bem, meu amor.- Diz me dando um selinho e sorrindo reconfortante.

- Maaass...- Falo girando nossos corpos e sentando em seu colo.- Não significa que não podemos fazer nada...

Ela sorriu maliciosa vendo eu levar minhas mãos até a barra de seu short o puxando junto com a cueca verde. Distribui beijos e lambidas por seu abdômen até chegar a sua boca onde ataquei com um beijo lascivo.

S/n tinha as mãos na minha bunda, ora apertando, ora acariciando. Eu já podia sentir seu membro enrijecer abaixo de mim. Segurei seu membro e comecei uma masturbação lenta e firme. Minha namorada suspirou separando nossos lábios. Aproveitei seu movimento pra distribuir beijos e chupões em seu pescoço.

Seu membro endureceu contra minha mão. Desci pelo seu corpo novamente parando de frente com deu membro avantajado. Encarei seus olhos atentos e ansiosos, dei um sorriso malicioso e em seguida deslizei minha língua lentamente no seu ponto sensível.

- Aahhh céus!- Geme prazerosa segurando meu cabelo e fazendo um rabo de cavalo desleixado.

Abocanhei seu membro até a metade e masturbei o resto, S/n gemeu alto. Continuei fazendo esses movimentos ouvindo seus gemidos. Deslizei minha língua em sua glande e massageei suas bolas pesadas. Encarei seus olhos e os vi escuros e brilhantes.

Dei um sorriso de canto totalmente impuro e continuei a dar atenção ao seu pau.

- E-eu vou gozar...- Avisa gemendo em seguida.

Mais alguns movimentos e minha namorada gozou na minha boca. Eu sorri engolindo todo seu líquido, deslizando a língua em meus lábios recolhendo o resto, tudo sob seu olhar atento e cansado.

- Céus, um dia cê ainda me mata.- Diz ofegante e eu ri escalando seu corpo.

Beijei seus lábios a fazendo sentir seu gosto. Nos separamos e ela levantou nua cambaleando.

- Caralho, não sinto minhas pernas direito.- Ela diz e eu gargalhei na cama.- Pensei que seria o contrário.

- Idiota!- Falo jogando um travesseiro na brasileira que riu desviando.

Ela pegou seu short e andou para o banheiro enquanto eu continuei ali na cama encarando o teto. Minha namorada voltou e eu levantei indo tomar banho.

Estar menstruada é a pior fase do mês, aff!

Depois de tomar banho, trocar o absorvente (argh!) e vestir uma roupa folgada, eu me joguei na cama com minha namorada.

- Vou pedir o jantar, o que vai querer?- Questiona me encarando.

- Salada com filé de frango.- Eu respondo.- E seis bananas.

- Seis?- Pergunta risonha e eu assinto.

- Quero uma torta de morango também.- Adiciono.

- Minha nossa.- Murmura rindo e indo ao telefone ligar para o restaurante do hotel.

Eu liguei a tv do quarto e comecei a assistir um programa de clipes. S/n voltou minutos depois quando finalizou o pedido. Ela deitou ao meu lado e começou a assistir junto comigo.

Estava tudo bem até começar o clipe de Señorita, S/n fechou a cara na hora. Não aguentei e comecei a gargalhar alto.

- Está rindo de quê?- Pergunta emburrada de braços cruzadas.- Muda de canal.

Peguei meu celular e comecei a gravar a expressão emburrada da minha namorada assistindo ao clipe.

- Mereço.- Murmura bufando.- Camila, muda logo isso.

- Mas não tem nada legal passando.- Falo e ela me olha.

- Para de me gravar.- Pede e eu nego rindo.- Não gosto desse vídeo, não é à toa que assisti só uma vez.

- Você é fofa com ciúmes.- Falo e paro de gravar.

S/n revirou os olhos vendo a cena que eu Shawn estávamos dançando. Eu sorri e puxei a brasileira pros meus braços. Ela resmungou escondendo o rosto no meu peito e me abraçando.

- Não gosto de lembrar daquela tortura.- Ela comenta abafado.

- Meu amor, era tudo falso.- Falo carinhosa beijando seu cabelo.- Eu só pensava em você e o quanto queria que fosse você ali comigo.

Ela suspirou me apertando, ficamos uns bons minutos ali em silêncio, apenas o som das músicas saía da tv preenchendo o quarto. Ouvimos batidas na porta e minha namorada levantou. Era nosso jantar. Aproveitei pra postar nos meus stories o vídeo da minha namorada com ciúmes.

"Não aguento essa crise de ciúmes @S/user🤧❤️ te amo muito, babe💍🌹"

- Aqui sua salada.- Diz me entregando o prato.- E suas bananas estão ali no carrinho.

- Obrigada, babe.- Falo sorrindo.

Sentei na cama encostada na parede e S/n fez o mesmo. Seu jantar era carne cozida, salada, arroz e verduras.

- Cê disse que não gosta de carne cozida.- Eu comento confusa.

- Não gosto, mas sendo jogadora, cê tem que seguir toda a tabela de alimentação que o nutricionista passa.- Ela responde fazendo careta.

- Que tortura.- Eu digo e ela assente comendo sua comida.

Ficamos ali assistindo aos clipes e comendo, comentando sobre algumas cenas. Quando terminamos, deixei os pratos no carrinho e peguei os sucos e a torta que eu pedi.

- Frutas vermelhas?- Questiono após provar o suco.

- Sim, amo muito.- Diz dando um gole no seu.

- Quer torta?- Pergunto sentando ao lado dela novamente.

- Quero, amor.

Cortei um pedaço e dei na sua boca, ela sorriu me dando um selinho. Nós duas comemos a torta toda e logo eu estava pegando as bananas.

- Você vai comer isso tudo ainda?- Ela questiona de olhos arregalados e eu sorri.

- Nós vamos.- Eu respondo.

- O que? Não, eu não gosto de banana.- Ela fala negando.

- Vai comer sim, você tem jogo amanhã e isso vai te ajudar.- Eu falo séria e ela bufa.

- Amor, não...- Pede.

- Não, senhora. Vai comer sim, toma.- Falo e entrego uma banana pra ela.- Pode comer.

- Por que está fazendo isso?- Pergunta manhosa.

- Porque não quero ver você morrendo de dor em campo amanhã.- Eu digo e ela faz bico.- Cê tem que aprender a gostar de banana.

- Acho difícil.- Diz mordendo um pedaço da fruta.

- É só você adicionar na sua alimentação aos poucos.- Falo comendo a minha banana.

Minha namorada comeu as três bananas que lhe dei na força do ódio e com muita pressão minha. Eu estava tranquila comendo as outras três frutas.

- Pronto, morreu?- Pergunto irônica e ela revira os olhos jogado as cascas no lixo ao lado.

- Quase.- Responde emburrada.

- Sabe que faço isso por preocupação, né?- Digo sentando em seu colo e abraçando seus ombros.- Eu amo você e não gosto quando você se machuca em jogo, apesar de ser normal.

- Eu sei, meu amor. E acho fofo todo esse seu cuidado comigo.- Diz acariciando minha cintura.- Te amo muito, Cami.

Eu sorri derretida beijando seus lábios. Ficamos nos beijando até que o ar fez falta. Me acomodei ao seu lado e abracei seu corpo, dessa vez decidimos assistir Para Todos Garotos Que Amei na Netflix.

>>>>>>>>>>>>>

Eu estava agora no quarto me arrumando para o jogo. S/n havia indo a poucas horas pois tinha que se reunir com toda a comissão técnica. Ela pediu que eu fosse para o camarote onde Andressa Alves estaria, ela não vai jogar por conta de uma pequena lesão, mas veio pra dar apoio às meninas.

Eu terminei de me arrumar minutos depois. Eu vestia um macacão preto, blusa amarela de manga e uma bota preta com salto. Meu cabelo estava ondulado e eu fiz uma maquiagem leve. Coloquei algumas jóias, passei perfume e pronto. Deixei meu óculos escuro na gola da blusa caso eu precise usar.

Peguei meu celular e vi que falta quarenta minutos pro jogo começar. Felizmente o estádio é uns dez minutos daqui. Peguei minha bolsa, celular e saí do quarto. Tinha algumas pessoas no corredor que logo me reconheceram, mas não se aproximaram, então eu segui para o elevador.

Saí do hotel e entrei em um dos vários táxis dali indo ver meu amor brilhar em mais um jogo.

S/n S/s POV

Estava terminando de calçar minha chuteira no vestiário. As meninas estão conversando animadamente e eu comentava algo algumas vezes. Senti falta da Andressa conosco porém ela não pode jogar por causa de uma lesão e ela deve estar agora no camarote com minha namorada.

Quando terminamos de nos arrumar, nos reunimos fora do vestiário ouvido algumas observações do preparador físico. Logo estávamos no túnel em fila esperando para entrar em campo.

Eu conversava com a garotinha em meus braços, ela tinha três anos e é super comunicativa. Após alguns minutos nós entramos com as árbitras e as jogadoras da seleção da Costa Rica.

Nos posicionamos em campo ouvindo os gritos da torcida. Arrumei a blusa da pequena Ana e ela sorriu beijando minha bochecha carinhosamente.

Cantamos o hino, cumprimentamos as jogadoras e as árbitras e logo estávamos aquecendo para o jogo. Marta foi chamada pra sortearem o lado do campo e com quem começaria a posse de bola.

Eu e Cris estávamos aquecendo e trocando passes. Logo tivemos que nos posicionar em nossas posições pra dar início ao jogo.

A bola começaria com o time adversário. Respirei fundo e busquei concentração no jogo.

O som do apito soou dando início ao amistoso.

>>>>>>>>>>>

Estava no final do primeiro tempo, o placar de 1x0 pra nós, Andressinha tinha feito o gol de falta. Felizmente a posse de bola é mais nossa e estamos armando bem o jogo, porém a dificuldade é passar da goleira adversária, mas seguimos tentando.

O primeiro tempo finalizou e nós saímos de campo. Peguei uma garrafa de água na cesta e segui para o vestiário. Eu respirava forte tentando regularizar o ar em meus pulmões.

- Alguém vai sair?- Eu questiono quando entramos no vestiário.

- Estou com cãibra, mas dá pra jogar.- Thaysa diz fazendo careta enquanto Bárbara fazia uma massagem na perna dela.

O preparador físico e Pia entraram no vestiário pra ver como estávamos e pra passar algumas informações sobre o jogo. O time seria o mesmo do primeiro tempo até que alguém quisesse sair ou aconteça algo.

Passados os quinze minutos de intervalo, nós voltamos ao campo conversando sobre o que poderíamos mudar pra sair em vantagem. Eu, Cris e Marta trocamos algumas ideias e logo nos reunimos com o resto das meninas.

Logo o jogo reiniciou com posse nossa dessa vez.

Trocamos passes rápidos, precisos, fizemos jogadas ensaiadas, mas o time adversário voltou vem fechado.

- S/n, troca com Marta!- Pia grita assim que eu passo na lateral do campo.

Assenti e fui até Marta avisando pra ela ir para a esquerda como Pia pediu. Essa pequena alteração de posição permitiu melhorar o jogo de alguma forma. Marta pela esquerda conseguia fazer cruzamentos perfeitos, quase dando em gols.

Bárbara estava com a bola e procurava alguém livre. Ela logo deu chute forte para o campo de ataque. Uma zagueira tocou de cabeça para sua colega, porém Formiga roubou a bola e tocou pra Marta, essa que tocou de volta pra Formiga quando viu uma jogadora adversária se aproximando.

Formiga de primeira tocou para Cristiane que estava no meio. Eu estava do lado direito acompanhando toda a jogada rápida. Assim que Marta correu pro ataque eu corri junto para a grande área.

Cristiane fez um lançamento por cima para Marta que estava marcada por duas zagueiras. A bola quicou uma vez e Marta tocou por cima em minha direção. Eu já estava na grande área.

A bola quicou se aproximando de mim que estava sem marcação alguma. Eu só fiz girar a perna esquerda e chutei forte a bola vendo a mesma entrar no gol sem chance para a goleira. A torcida gritou na hora em euforia.

Eu sorri indo até Marta e batendo em sua mão. Logo Cris e Formiga vieram até nós nos abraçando animadas. Fui até a câmera e sorri beijando minha aliança.

Voltamos ao meio de campo, as meninas me abraçando felizes. O jogo reiniciou novamente.

>>>>>>>>>>>>

O jogo já estava nos minutos finais. Estamos ganho por 3x0 agora, com gol da Formiga. Eu estava um pouco cansada e preferi ficar mais recuada quase na zaga.

A seleção adversária estava trocando passes em nosso campo querendo furar a zaga. Nosso time concentrado pra não deixar espaço para um possível ataque.

A jogadora meio de campo, sem opções, decidiu fazer um lançamento para a grande área onde tinhas algumas jogadoras delas. Kethellen tirou de cabeça, a atacante delas também cabeceou a bola em disputa com Thaysa. Porém a bola veio em minha direção.

Eu pulei junto com a atacante tentando afastar a bola do nosso campo. Aí deu ruim....

Consegui tirar a bola porém bati meu rosto na cabeça da atacante. Na mesma hora senti meu corpo fraquejar e uma dor enorme me atingir. Sem forças nas pernas eu caí no chão de costas e bati minha cabeça no chão sentindo mais uma dor.

Minha cabeça girou e eu não conseguia nem gritar. Parecia que eu tinha perdido o controle do meu corpo. Eu só via as meninas desesperadas e alguém segurando meu pescoço. O gosto de sangue invadiu minha boca em seguida.

Caralho, eu levei um nocaute num jogo?

Camila POV

Estava eu Andressa no camarote conversando animadamente sobre o jogo. A seleção brasileira ganhando de 3x0. Minha namorada fez um gol lindo e me deixou mais apaixonada quando parou em frente uma câmera e beijou a aliança em seu dedo.

Amo tanto...

Após isso, elas conseguiram mais um gol pra aumentar a vantagem. Andressa ao meu lado estava agoniada dizendo o quando queria estar lá jogando, porém ela ainda se recupera de uma lesão no pé.

Minha namorada já estava bastante cansada, mas como conheço a peça, ela não ia sair antes do final do jogo. Por isso, acredito eu que ela decidiu ficar mais atrás no campo.

Eu e Andressa estávamos observando um possível ataque da Costa Rica. A bola foi lançada para a área delas e vi várias pulando para disputar a bola.

Mas senti meu coração pular no peito assim que vi a disputa entre S/n e outra jogadora. Minha namorada caiu no chão de costas e batendo a cabeça.

- S/n!!- Gritei com os olhos marejados correndo até vidro sendo seguida por Andressa.

- Caralho!- Andressa exclama assustada.- Foi sério, as meninas estão desesperadas.

- Preciso ver ela.- Falo chorando vendo S/n se movimentando lentamente no chão, um médico cuidando dela e duas meninas abanando ela com a camisa.- Ai, meu Deus!- Funguei vendo uma ambulância entrar no campo.

- Vamos lá, Camila!- Andressa fala me puxando pela mão.

Eu já chorava pensando na hipótese dela ter se machucado sério. Oh meu Deus! Que nada aconteça com meu amor.

Andressa parecia tão desesperada quando eu. Ela foi me puxando por vários corredores do estádio até estarmos no subsolo.

- O que aconteceu?- Andresa pergunta rápido em português para um homem da comissão técnica.

- Ela bateu o rosto na jogadora e meio que perdeu as forças.- Ele diz rápido enquanto andávamos para perto do campo, Andressa traduziu rapidamente pra mim.- Vocês não podem ir pra lá, estão pondo ela na maca.- Ele diz agora em inglês.

- Por favor, eu preciso vê-la.- Peço chorando agoniada.

- Vá com Andressa para o Hospital San Jose, lá eu permito que você a veja, mas agora ela tem que ir rápido pra lá.- Ele fala calmo e atencioso. Eu suspirei ainda chorando e assenti.- Andressa, encontre João e peça que ele leve vocês.

- Ela vai ficar bem?- Andressa pergunta nervosa.

- Esperamos que sim, mas só exames pra dizer.- Ele diz simples e logo se afasta.

- Calma, vai ficar tudo bem.- Andressa fala me abraçando. Eu não conseguia parar de chorar preocupada com minha namorada.- Vamos, você vai logo ver ela.

Eu e Andressa andamos por uns corredores até achar o tão João. Ele nos levou até o estacionamento e entramos no carro. Eu estava quieta fungando pedindo pra que nada grave tenha acontecido com meu amor.

Chegamos ao hospital minutos depois. Eu e Andressa saímos rápido e entramos no hospital que estava repleto de paparazzis na porta. Eles começaram a gritar assim que nos viram, abaixei a cabeça e segui ao lado de Andressa. Já na recepção vimos algumas pessoas da comissão.

- Cadê ela?- Andressa questiona em português.

- Está fazendo uma bateria de exames pra ver se deu alguma coisa.- Uma mulher morena responde. Encarei Andressa suplicando por respostas.

- Ela foi levada pra ser examinada.- Andressa fala me puxando pra sentar em uma das cadeiras.- Aquele procedimento normal pra ver se não houve nada grave.

- Será se vai demorar?- Pergunto agoniada querendo vê-la logo.

- Não sei, Mila.- Fala suspirando.

Meu celular começou a tocar e me afastei pra atender minha sogra.

Ligação On

- Camila!- Fala com a voz embargada.- Cadê minha filha? Como ela está?

- Ela está fazendo exames agora, S/m.- Eu digo suspirando.- Não sabemos ainda como ela está, mas ela estava consciente quando saiu de campo.

- Oh meu Deus.- Diz choramingando.

- Eu prometo ligar ou mandar mensagem assim que souber notícias dela, vou ficar por aqui.- Eu falo mordendo o lábio.

- Eu agradeço, Mila. Qualquer coisa eu pego um avião agora pra aí.- Ela fala.

- Temos que saber primeiro o estado dela.- Eu falo tentando passar a tranquilidade que eu não tinha.- Se estiver tudo bem, eu mesma cuido dela e você não vai precisar sair às presas do Brasil.

- Tá bom, mas me mantenha informada.- Pede.

- Claro, claro. Aviso assim que tiver notícias.- Eu respondo.

- Obrigada, e cuida da minha filha, Camila.- Fala.

- Sempre irei.- Digo sorrindo levemente.

- Até logo.

- Até.

Ligação Off

Suspirei voltando ao meu lugar ao lado de Andressa. Ela estava conversando com o resto da comissão que está ali, tinha no máximo umas cinco pessoas. Eu desbloqueei meu celular e fui ver as várias notificações. Era as meninas, meus pais, Sofi mandando mensagem. Os fãs da S/n pedindo informações sobre o estado dela e várias notícias sobre o que aconteceu.

Respondi minhas amigas vagamente já que não tinha informações, fiz o mesmo com meus pais e Sofi. Decidi que iria postar alguma coisa quando soubesse de como está minha namorada.

Passou-se mais alguns minutos e logo o hospital foi invadido pelas meninas da seleção e Pia. Cristiane, Marta, Formiga e Bárbara vieram até nós.

- Cadê ela?- Marta pergunta preocupada.

- Como ela está?- Cris pergunta em seguida demostrando seu nervosismo.

- Ela está sendo examinada.- O médico do time responde.- Ainda não sabemos como ela está.

- E vai demorar muito?- Bárbara questiona.

- Não sabemos.- Andressa responde suspirando.

As meninas se sentaram e ficaram esperando junto com a gente. Eu estava aflita e preocupada, minha perna balançava freneticamente e eu estava a ponto de ter um colapso.

- Responsáveis por S/n S/s?- Um médico fala quando se aproximou. Literalmente todo mundo se levantou fazendo ele se assustar.

- Cadê ela?- Pia pergunta.

- Bem, ela fez o exames e agora está sendo levada para o quarto.- O médico, Ruan, disse calmo.

- Ela está bem?- Eu pergunto o que todos queriam perguntar.

- Sim.- Diz e o que se ouviu foi suspiros aliviados.- Felizmente não deu nada grave nos exames, nem uma lesão na cabeça ou na coluna.- Ele explica.- Ela teve alguns cortes superficiais no rosto por conta do impacto, mas isso já está sendo resolvido.

- Quando ela vai poder sair?- Marta pergunta.

- Bem, S/n ficará em observação hoje e sairá provavelmente amanhã pela tarde.- Ruan explica.- Uma pessoa vai ter que dormir com ela.

- Camila fica.- Cristiane fala me encarando e eu assinto.

- Certo! Daqui meia hora uma enfermeira vai liberar a visita de vocês.- Ele fala sorrindo.- Dois por vez.

- Ok, obrigado, doutor.- O preparador físico fala apertando a mão do homem que se despede e logo se afasta.

Eu finalmente pude respirar aliviada. Um peso enorme saindo de minhas costas e o alívio me deixando mais relaxada.

Peguei meu celular e mandei mensagem pra minha sogra avisando que S/n está bem e que não precisa se preocupar. Falei com meus pais novamente e contei que estava tudo bem com S/n.

[CamEEla CabeYo]- meninas, S/n está bem, sem problemas graves

[Allycat❤️]- Oh, graças a Deus está tudo bem com ela

[Lern💚]- Fiquei nervosa, estava assistindo o jogo

[Cheechee💥]- Eu também estava, quase entrei na televisão

[Manibear💃]- Soube pelos fãs. Mas quando ela sai?

[CamEEla CabeYo]- Amanhã, hoje ela vai ficar em observação

Continuei conversando com as meninas por um bom tempo. Uma enfermeira se aproximou e liberou a visita, organizaram a ordem e por último entraria eu e Andressa.

- Eu vou buscar umas roupas pra você e pra ela.- Cristiane diz ao meu lado.- Assim que eu sair do quarto, eu vou ao hotel.

- Tudo bem, tem a mochila dela lá.- Eu digo sorrindo fraco.

- Você não quer comer algo?- Marta questiona serena.

- Acho que vou comer alguma coisa lá fora.- Eu digo.

- Vamos com você, enquanto os outros vão lá onde S/n.- Andressa diz.

Nos levantando e fomos para o lado de fora, felizmente tinha vários seguranças ali impedindo a entrada dos paparazzis. Dois deles nos acompanhou até a lanchonete ao lado.

Fiquei os próximos quinze minutos com as amigas de minha namorada, conversamos sobre o pequeno incidente do jogo, mas elas mudaram de assunto e começaram a falar do meu relacionamento com a brasileira.

- Sabe, uns meses atrás eu falei pra S/n que não acreditava em "Shawnmila".- Cristiane fala fazendo aspas e com a voz de nojo me fazendo rir.

- Sensata.- Eu falo comendo meu hambúrguer.

- Só ela não percebia.- Bárbara diz revirando os olhos.

- Olha, Camila...- Marta diz séria me encarando.- S/n mesmo não sendo a mais nova da equipe, ela é nosso mascote. Nós cuidamos dela em tudo e nos preocupamos muito.- Fala e eu assinto compreendendo.- Quando vocês se afastaram ela ficou péssima.

- Sim, ela perdeu todo foco e concentração.- Formiga completa e eu suspiro.

- Nós cuidamos dela aos poucos até ela melhorar.- Cristiane diz.- Confesso que eu fiquei puta com sua atitude, mas eu vejo que você ama muito ela e que se arrependeu do que fez.

- Muito.- Digo engolindo seco.- Eu passei meses com esse arrependimento em mim, tinha dias que eu estava tão cansada de tudo e chorava a noite toda querendo que ela estivesse ali comigo. Eu tinha medo de nunca poder me desculpar pelas coisas que aconteceram, e quando toda aquela farsa acabou, eu só queria me jogar nos braços dela.

- Nós sabemos.- Andressa diz sorrindo reconfortante.

- O que nós queremos dizer é: cuida bem dela. S/n já sofreu muito por ela ser "diferente do padrão".- Cris fala.

- Prometo.- Eu digo sorrindo.

Elas retribuíram o sorriso. Após terminarmos nossos lanches, pagamos tudo e voltamos ao hospital. Marta e Pia entraram para a visita, em seguida foi Formiga e Bárbara, depois foi Cristiane sozinha.

Todos da comissão já havia ido embora pra dar notícias aos outros sobre o estado da minha namorada.

Minutos depois Cristiane voltou, eu e Andressa nos levantamos.

- Podem ir, vou buscar roupas pra vocês, Camila.- Cristiane diz e eu a abracei rapidamente.- Você vai comigo quando eu voltar, Andressa.

- Sim, sim.- Andressa fala.

Cristiane foi embora e eu e Andressa fomos para o quarta da minha namorada. Eu estava nervosa pra vê-la, não vou mentir.

Andressa foi a primeira a entrar no quarto, eu entrei logo depois vendo minha namorada abraçar Andressa. S/n tinha agulhas no braço direito, a boca estava cortada e alguns arranhões no rosto. No quarto havia uma poltrona e uma cadeira, a cama onde S/n estava e as máquinas que estavam ligadas.

- S/a.- Eu falo com a voz embargada e os olhos marejados indo até seu lado na cama.

- Oi, meu amor.- Sussurra sorrindo fraco segurando minha mão.- Eu estou bem, princesa.

- Não me assusta mais assim.- Eu peço chorando e com as mãos em seu rosto.

- Vou fazer o que posso.- Diz limpando meu rosto com os polegares.

S/n sorriu e eu deixei um selinho carinhoso em seus lábios.

- Como está se sentindo?- Pergunto sentando na cadeira ao lado. Andressa estava em pé na ponta da cama.

- Com algumas dores por conta da queda, mas já me deram remédios.- Minha namorada responde.- Você cuidou da minha namorada, Andressa?

- Muito bem por sinal, tive que acalmar a fera.- Andressa diz e eu sorri.

- Imagino que teve.- S/n diz apertando minha mão.

- Você chegou a desmaiar?- Andressa pergunta.

- Não, mas eu não conseguia pensar direito.- S/n conta.- Meu corpo doeu na hora e eu não conseguia falar também.

- Fiquei assustada, a queda foi feia.- Andressa diz.

- As meninas me falaram.- Ela diz.- Alguém avisou meus pais?

- Ela me ligou, expliquei tudo pra ela.- Eu comento.

- Imagino que ela estava quase pegando um avião e vindo, certo?- Pergunta sorrindo.

- Exatamente.- Eu respondo e ela ri.

- Marta me deu meu celular, depois eu ligo pra ela.- S/n diz.

- O médico falou quando cê vai poder treinar?- Andressa questiona.

- Depois de quatro dias.- A brasileira responde.- Terei que tomar remédios e cuidar dos machucados.

- Realmente.- Eu pronuncio.

Ficamos mais alguns minutos conversando. Cristiane ligou avisando ter chegado, Andressa foi lá fora pegar a bolsa e logo voltou.

- Eu já estou indo, se cuida e fica bem logo.- Diz pra minha namorada que sorriu.- Ah, eu tirei uma foto do momento fofo de vocês, mandei pra Camila.

E com isso ela saiu do quarto. Eu ri junto com minha namorada.

- Fiquei assustada quando vi sua queda.- Eu confesso acariciando o rosto levemente bronzeado.

- As coisas saíram do meu controle.- Ela diz sorrindo.

- Já passou. Agora é bom você falar com seus fãs, eles estão preocupados.- Eu digo.

- Sim, vou fazer isso agora.- Diz sentando devagar na cama.

Eu entreguei seu celular e ela começou a digitar rapidamente. Peguei o meu e vi a tal foto que Andressa tirou, sorri apaixonada. Ficou linda.

"Passei um nervoso hoje, achei que ia desmaiar, mas felizmente agora está tudo bem com meu amor, apenas um susto. Logo logo ela estará de volta aos campos @S/user🙏🏼❤️Obrigado a todos pelo apoio e preocupação. Amo vocês❤️

📸: @andressaalves9oficial"

Postei a foto no meu insta tranquilizando os fãs da minha namorada e até mesmo os meus que estavam preocupados.

- Cê já comeu algo?- Ela pergunta desviando o olhar do celular para o meu rosto.

- Comi com as meninas lá fora.- Respondo.

- Olha, a poltrona parece bem confortável, mas não vou deixar você dormir nela.- S/n diz mostrando a poltrona perto da porta.

- E eu vou ficar onde se não na poltrona?- Pergunto arqueando a sobrancelha.

- Aqui comigo, ué.- Diz simples.

- Cê sabe que não pode, amor.- Eu falo.

- Não quero saber, não vou deixar você dormir de mal jeito ali e acordar com dor.- Ela fala irredutível.- Quero ver se alguém vai falar alguma coisa.

- Mas você é marrenta, hein?- Pergunto sorrindo e beijando sua mão.

- Não, só me preocupo com seu bem estar.- Diz toda fofa.

- Eu que deveria dizer isso.- Eu falo rindo.- Mas como sei que você vai teimar até eu aceitar, eu durmo aqui com você.

- Muito bem.- Diz empinando o nariz e eu revirei os olhos rindo.- Cris trouxe roupa pra você?

- Sim.

- Pois tome um banho, o banheiro parece um quarto de hotel luxuoso.- S/n comenta e eu gargalho.

- Gente burguês igual você é outro nível, né?- Eu falo me levantando e pegando a bolsa.

- Ah, falou a pobre que comprou uma mansão de 13 milhões pros pais.- Ela debocha e eu gargalho.

- Calada.

Entrei no banheiro que realmente era enorme e muito chique, tomei um banho relativamente rápido. Era possível ouvir a voz de minha namorada falando com os pais ao telefone. Eu vesti a roupa que Cris trouxe e logo voltei ao quarto.

- Falou com seus pais?- Pergunto e S/n assente.

- Eles estão mais calmos agora.- Ela diz.

Antes que eu pudesse falar algo meu celular começou a vibrar, franzi o cenho por o número não estar salvo.

Ligação On

- Alô?- Falo.

- Camila?- Ouço uma voz femenina conhecida.- É a Demi.

- Ah, oi, Demi.- Falo vendo minha namorada arregalar os olhos.

- Então, peguei seu número com Ally, só liguei pra saber como a S/n está, vi o que aconteceu.- Ela diz.

- Ela está bem agora, Demi. Fizeram exames e não deu nada grave.- Eu conto sentando na cadeira ao lado da cama.- Quer falar com ela?

- Quero, põe no viva voz.- Pede e assim eu faço.

- Pronto!

- Olá, S/s.- Demi fala sorrindo.

- Olá, Demi.- S/n diz sorrindo meio acanhada.

- Espero que você fique bem logo, foi um susto muito grande.- Demi diz.

- Obrigado.- S/a fala mordendo o lábio.

- Tenho que desligar agora, mas desejo melhoras a você, e se cuida.- Demi diz carinhosa.- Quero meus fãs inteiros.

- Farei o possível.- S/n fala risonha.

- Tchau, casal.- Fala.

- Tchau, Demi.- Eu e S/n falamos juntas.

Ligação Off

- Nunca imaginei que um dia Demi Lovato estaria me desejando melhoras diretamente- S/n fala parecendo sem acreditar.

- Você é uma fã muito sortuda.- Eu falo entrelaçando nossos dedos e eu riu assentindo.

- Né? Conheci você, conheci as meninas, conheci a Demi e vários outros ícones.- Comenta sorrindo.- Nunca pensei que isso fosse acontecer.

Eu ri de seu comentário. Ela nunca saberia lidar muito bem com essas informações de conhecer os ídolos dela.

- Enfim, já está meio tarde, acho melhor dormimos. Sei que você está cansada também.- Ela diz acariciando meu rosto.- Vem, deita aqui.

- Amor...

- Não, não vou deixar você naquela poltrona.- Ela diz séria.- Eu garanto que você vai acordar péssima amanhã.

- Teimosa demais.- Reclamo indo apagar a luz do quarto deixando só a luz das máquinas visíveis.

- Faço isso porque te amo e me preocupo.- Diz me ajudando a deitar ao seu lado.

- Eu sei, meu amor.- Falo deitando em seu peito e ela suspirou fazendo carinho em mim.- Não está sentindo nada?

- Não, estou bem, não se preocupe.- Sussurra.- Eu amo você...

- Eu te amo mais, babe, muito mais.- Digo levantando o rosto pra lhe dar um selinho.

S/n me cobriu com o lençol e me abraçou. O quarto estava numa temperatura agradável e logo eu dormi nos seus braços.


Notas Finais


ROUPA DA CAMILA
https://pin.it/i8AH594

VÍDEOS DO JOGO
https://youtu.be/vkyonsg5hjE
https://youtu.be/Bg7MoPJ3nSY

Oi, amores!!
Capítulo tenso kkkkkk

Então, como falei capítulo passado, quero achar os pares das meninas kkkkkk então comentem quem vocês querem que namore com

Ally
Dinah
Lauren
Normani
As amigas de S/n
E as outras pessoas que vocês quiserem

Comentem aí!
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...